Quantcast
PplWare Mobile

Quando um Tesla em piloto automático mata alguém, quem é o responsável?

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Carlos Fernandes says:

    Estes automatismos são meras ajudas para o condutor.

  2. Dani Silva says:

    – Quando um Tesla em piloto automático mata alguém, quem é o responsável?

    Resposta: Quem vai ao volante do automóvel.

    Não têm de quê.

    • Luis Costa says:

      E para todos os efeitos o carro tambem gravou o que aconteceu pois por vezes há peões suicidas

    • traumatologiaeortop says:

      Pq não limitam o autopiloto para velocidades baixas, exemplo, menos de 40 km por hora, ou até menos de 20 km /h, pra ser usado em situações de congestionamento e manobras?!

      Claro que a culpa é do condutor! Vc constroi um telhado na sua casa e ele cai em alguém, a culpa é de quem, do telhado? Vc tá usando um computador e cria um projeto errado, a culpa é do pc? Vc atira em alguém, a culpa é da arma?

      • Reis says:

        É muitas vezes nas “velocidades baixas” que ocorrem os atropelamentos, mesmo
        os mortais. Muitas vezes não é o embate com o carro que provoca as piores consequências . A solução passa por não autorizar o condutor a tirar os olhos da estrada , recorrendo à tecnologia . Mas ainda assim sejamos muito honestos : se estamos com um auxílio à condução os nossos níveis de atenção e resposta diminuem automaticamente por relaxamento natural . Ainda assim e apesar de concordar que o condutor deve ser responsabilizado , temos de ter em conta que um sistema informático pode ter um bug que faça algo inesperado e nesse caso o condutor pode nem ter tempo de reagir . Portanto responsabilidade sim, mas após verificar que não houve alguma anomalia catastrófica no sistema

        • Vitolas says:

          “Portanto responsabilidade sim, mas após verificar que não houve alguma anomalia catastrófica no sistema”

          • Vitolas says:

            Vais no teu carro, ficas sem travões, provocas um acidente, de quem é a culpa? Tua.
            Um pneu rebenta despistas-te provocas um acidente, de quem é a culpa? Tua.
            És responsável pela manutenção e conservação do veiculo que conduzes ponto final.

    • miguelC says:

      Dani, muito obrigado pela resposta 🙂
      assim evito de ler aquele texto enorme.

  3. Segurador says:

    Se ficar provado que a responsabilidade do sinistro é do Tesla, estivesse ou não em piloto automático, responde a a cobertura de Responsabilidade Civil obrigatória da apólice que segura o Tesla.

  4. Paulo Cruz says:

    Quando uma arma automática acidentalmente dispara de quem é a culpa? A) Do atirador; B) Do proprietário; C) do Fabricante; D) De Deus todo o poderoso que dotou alguns seres de inteligência e outros tantos de tão pouca…

    • Zé Fonseca A. says:

      De A, B e C,
      Atirador – porque empunhava a arma
      Proprietario – porque uma arma tem registo de propriedade e não deve ser emprestada e deve estar trancada num armeiro
      Fabricante – caso seja provado que existia defeito que provocou o disparo acidental

      Apenas Deus é ilibado de todas as acusações porque Deus não existe.

  5. Pedro L. says:

    Um dia irão retirar o volante e pedais. Depois a responsabilidade será atribuida ao fabricante ou à manutenção (ou falta dela) após investigação, como no caso dos elevadores…

  6. DB says:

    Isso não é questão, nem é preciso pensar muito.
    É o condutor

    • Reis says:

      “Nim “. Você coloca o seu carro em modo automático , até vai com atenção à estrada, ele abranda quando vê um sinal vermelho e de repente , de forma inesperada acelera a fundo . Sente-se responsável? É preciso perceber que sim, temos de ser responsáveis mas até certo ponto . Se o seu carro novo em folha tiver uma avaria nos travões e por isso tiver um acidente, mesmo a 10 kms/h, ficará a pensar “não vou chatear o fabricante porque podia ter usado o travão de mão e não batia “ ?

      • Vitolas says:

        Sentir-se responsável moralmente é uma coisa, ser responsável legalmente é outra.
        O sistema em causa é uma ajuda a condução, não é obrigatório e, muito menos se ativa sozinho.

        • AltTab says:

          Isso n retira a responsabilidade do condutor.
          A Airbus retirou a manche dos avioes substituindo por um joystick caso seja necessario. Em condicoes óptimas um piloto pode automatizar completamente o levante, a viagem e a aterragem. Em todo e qualquer momento a responsabilidade é do piloto.

  7. António says:

    Quando o teu cão está em piloto automático e ataca alguém, quem é o respossavel?

  8. MC says:

    Resposta: D) De Deus todo o poderoso que dotou alguns seres de inteligência e outros tantos de tão pouca… Claro!!

  9. Gonçalo says:

    A culpa é do usuário mas o mínimo que a Tesla podia fazer é dar um nome honesto à ferramenta porque está de longe de ser um auto piloto

  10. Cláudio says:

    Reparei no início do texto, face ao respetivo título. “O tema é muito interessante”!!!!
    Fala-se em possível morte em… ” tema é muito … Interessante”????
    Não compreendo bem esta introdução.

    • Vítor M. says:

      Caro Cláudio, o facto de ser interessante não tem a ver com a morte de alguém, mas sim o desafio de poupar muitas vidas no presente e no futuro.

      Isto é sempre aquela base do copo meio cheio e meio vazio, por norma vemos o copo sempre meio cheio.

      O tema torna-se interessante porque com a evolução destas tecnologias, o ser humano, o condutor, será obrigado a perceber/confiar de/na tecnologia, para usar os sistemas que o poderão ajudar. Acreditar não é depositar a confiança cega na máquina, é sempre confiar, desconfiando. Em última análise, o condutor é sempre o responsável, mesmo que lhe digam que tem uma máquina que tem sistemas para evitar acidentes.

      Possivelmente o que falhou nesse acidente foi o condutor do Tesla ter confiado demais na máquina, confiado cegamente.

  11. AlexX says:

    Autopiloto para carros só prejudica. Mesmo que o condutor vá atento, aquela fracção de segundo que o condutor espera ser o carro a tomar uma decisão em resolver pode ser suficiente para que haja um acidente. E sendo assim, serve para quê? A marca entrega o carro com essa função disponível e espera que todos sejam responsáveis e não a usem? Ou que ninguém se distraia com outra coisa qualquer enquanto o carro conduz? É o mesmo que entregar uma garrafa aberta de vinho a um alcoólico e esperar que ele nem o prove.

    • AltTab says:

      Espera que o carro tome decisão? Ao contrario de humanos o carro toma a decisao no instante em que a detecta. Num sinal vermelho ele imediatamente comeca a perder velocidade lentamente e aparece sinalizacao no computador de bordo a justificacao.
      Se um condutor quer dormir, mandar mensagens ou ler o jornal enquanto conduz é pura irresponsabilidade do condutor.
      E nao é entregar garrafas abertas a alcoólicos é ter publicidade de alcool a frente de um alcoólico.

      O meu carro tem assistencia de condução. Mantem se na via usando as marcacoes (virando volante), cruise control mais distancia do carro em frente. Ou seja em auto estrada ou para arranca nem sequer tenho de me preocupar com nada que ele conduz sozinho. Tiro os olhos da estrada? Nao. Talvez mexa no tlmv enquanto estou parado. Pois ele arranca assim que o da frente avança… Mas olho sempre quando ele esta em movimento. Se ele arrancar e tiver uma pessoa em frente e atropela la… É responsabildiade minha.

      • AlexX says:

        No caso referido neste artigo o carro não abrandou. Passou o sinal vermelho e ceifou duas vidas. Não sabemos se o condutor ia a dormir ou o que tenha levado o carro a ignorar que ali havia um cruzamento com um sinal que estava no vermelho. Podemos especular que caso o condutor fosse atento, parasse no sinal. Devem circular centenas de clips com falhas de sistema de autopilot, muitos dão em despiste mas a maioria são o condutor quem consegue corrigir a tempo o erro do carro.
        Foi uma comparação algo estúpida da minha parte mas comparei o carro com a garrafa de vinho, não posso comparar com uma publicidade. O cliente compra um carro com esta função, é mais que natural que a queira testar, nem que seja para ver se funciona. Bem ou mal. Mas se não estiver ainda mais atento que num carro sem autopilot, o carro pode pregar-lhe uma partida e dar raia.

        • AltTab says:

          Mas uma pessoa pode testar. É normal querermos testar estas coisas. Mas tal como um cruise control com distance control e lane assistant temos de continuar a olhar para a estrada.
          A tesla exige maos no volante para sinalizar a responsabilidade do condutor. No momento em que pessoas dormem com a mao no volante ou metem sacos com peso no volante para simular maos estao a ter atitudes perigosas. Neste caso possivelmente foi um deles. La por o carro funcionar assim nao quer dizer que seja esse o esperado funcionamento

          • AlexX says:

            Não exige mãos no volante, podes ver imensos clips onde os condutores vão com as mãos nas pernas ou nos joelhos. Tenta ver esta reportagem recente a beta testers do FSD:
            https://www.cnbc.com/2022/02/15/tesla-fsd-beta-users-show-cnbc-how-the-system-works-and-doesnt.html
            É barraca atrás de barraca. Ok, é software beta em testes e não a versão final, mesmo assim é um perigo e a versão final não é por aí melhor. E deves saber que a maioria das pessoas são inconscientes e irresponsáveis ainda que possam estar convictas do contrário. Compram isto e acreditam ter um Kitt melhorado, mas não é assim. Talvez um dia seja mas não será ainda nesta década. Para já o FSD é um perigo e muito mais stressante que conduzir sem esse tipo de “ajuda”, porque o condutor nunca sabe quando o carro vai fazer a próxima asneira mas tem que contar que uma asneira fará.

          • AltTab says:

            O carro pede constantemente as maos no volante. Sim podes tirar por momentos. Mas aparece o pedido para confirmar que estamos atentos e para termos a mao no volante.
            Agora a questao de ainda nao estar aperfeicoado. As pessoas pensam que quando algo é inventado tudo é perfeito. Nao. As coisas têm de ser inventadas. Testadas e so apos mts anos de uso é que as coisas sao aperfeicoadas.

          • AlexX says:

            Pedir pode ser que sim, mas não desliga o FSD caso o condutor mantenha as mãos fora do volante. Pelo que percebi, o FSD só é desligado nos modelos com camera interior e quando esta detecta que o condutor não está a olhar em frente e para a estrada por um período de tempo maior. Por ex se fica a olhar para o tablet ou para o telemóvel. Tentaram tapar a camera no documentário que deixei e levaram imediatamente um strike, eventualmente após X números de strikes perdem acesso a ser beta testers ou quiçá o FSD deixe permanentemente de funcionar para quem use a versão final, isso já não sei.
            Como disse, um dia lá chegará em que os carros não trazem volante e os bancos da frente possam até ser virados para trás… Mas não será nos tempos mais próximos. Por enquanto, já não basta o condutor seguir atento às asneiras dos outros, tem que estar muito mais atento às asneiras do seu próprio carro quando usa o FSD.

  12. Luis Henrique Silva says:

    Isto é uma questão um tanto complexa.
    Vamos ver, o autopilot requer que estejamos atentos à estrada e preparados para intrevir caso seja necessário.
    Agora pode existir na minha opinião duas situações com o autopilot activo:
    O condutor está desatento e nem fez nada para impedir, ai nesse caso tem culpa.
    Agora o condutor está atento, tenta fazer de tudo para evitar o acidente mas mesmo assim o sistema falha e causa o acidente, ai penso já ser culpa de terceiros.

    Porque mesmo num carro normal, se tiveres um acidente por causa de por exemplo um pneu arrebentar ou falha de travões (supondo que o condutor tenha revisões em dia) é culpa do condutor?

    Aqui só muda o facto de haver ou não autopilot.
    Agora tem de se provar se o condutor negliscenciou ou não a situação.

    • Vitolas says:

      “Porque mesmo num carro normal, se tiveres um acidente por causa de por exemplo um pneu arrebentar ou falha de travões (supondo que o condutor tenha revisões em dia) é culpa do condutor?”

      A resposta é simples, sim, a culpa é do condutor.

      “Agora o condutor está atento, tenta fazer de tudo para evitar o acidente mas mesmo assim o sistema falha e causa o acidente, ai penso já ser culpa de terceiros.”

      É um sistema auxiliar que nem sequer é obrigatório os carros virem equipados com tal coisa, tal como por exemplo os sensores de estacionamento, são auxiliares de condução, se não funcionarem bem e bateres a fazeres a manobra achas que te livras de ser culpado?

  13. Samuel MGor says:

    Depende se o sistema de erro, por erro entenda-se exclusão de qualquer possibilidade do condutor intervir. Se deu erro é culpa da Tesla se não é culpa do condutor.

    • AltTab says:

      Os travoes e o volante sao mecanicos. Ptt em caso de falha absoluta o condutor consegue sempre travar ou desviar se… A nao ser que haja fuga de oleo dos travoes ou dano critico da coluna de direccao. Ptt 99% dos erros podem ser intervidos pelo condutor

  14. Marco Lima says:

    Elon Musk

  15. Rui Fernandes says:

    Código Civil Português:
    ARTIGO 503º
    (Acidentes causados por veículos)
    1. Aquele que tiver a direcção efectiva de qualquer veículo de circulação terrestre e o utilizar no seu
    próprio interesse, ainda que por intermédio de comissário, responde pelos danos provenientes dos
    riscos próprios do veículo, mesmo que este não se encontre em circulação.
    2. As pessoas não imputáveis respondem nos termos do art. 489º.
    3. Aquele que conduzir o veículo por conta de outrem responde pelos danos que causar, salvo se
    provar que não houve culpa da sua parte; se, porém, o conduzir fora do exercício das suas funções
    de comissário, responde nos termos do nº 1.
    De nada…

    • Rui Fernandes says:

      Já agora…
      ARTIGO 505º
      (Exclusão da responsabilidade)
      Sem prejuízo do disposto no artigo 570º, a responsabilidade fixada pelo nº 1 do artigo 503º só é
      excluída quando o acidente for imputável ao próprio lesado ou a terceiro, ou quando resulte de
      causa de força maior estranha ao funcionamento do veículo.

  16. SmoothMarx says:

    Se eu ligar o Cruise Control do meu BMW (que existe desde pelo menos os anos 2000) e tiver um acidente, a culpa não é minha? Porque agora haveria de ser diferente?

    • AlexX says:

      A responsabilidade deve ser sempre do condutor. Se houver uma falha técnica que cause o acidente, aí depois é uma guerra em tribunal e pode até nem ser fácil provar que houve falha técnica caso o carro tenha ficado destruído. Mesmo que tudo tenha ficado gravado em vídeo e “caixa negra” do carro, o construtor só não delega responsabilidade para o condutor se não puder. O mal neste caso e ao contrário do controle de cruzeiro que é uma boa ajuda, é que o autopilot é um sistema que está longe de ser bom ou confiável. Bem pelo contrário. Aqui tens um caso em que passou um sinal vermelho, em Dezembro também aqui foi notícia outro que atravessou uma linha contínua numa estrada bem sinalizada e só não colidiu de frente com outro carro porque o condutor desviou a tempo, mas não evitou o despiste. No máximo dos máximos, o autopilot só devia funcionar em autoestradas e apenas na faixa mais à direita. E mesmo assim…

  17. Manso says:

    Elon Musk… Quem mais?

  18. Charles says:

    Não percebo a questão filosófica que o título quer imprimir.
    Se for um carro banal e atropelar mortalmente alguém, quem é o culpado? A pergunta é igual…
    No caso de ser um carro com condução autónoma, o veículo há de ter um prioritário que é o responsável por ele, e, em caso de atropelamento, impõeem-se as perguntas habituais no caso de um acidente…
    Ainda assim, é um assunto tão válido como qualquer outro!

    • Vítor M. says:

      Isso porque não leste mais que o título, e é uma pena, o assunto é realmente muito interessante. Até porque em determinado ponto fica essa mesma questão “O fabricante de veículos elétricos coloca claramente o ónus da segurança sobre o condutor, mas a investigação sugere que os seres humanos são suscetíveis de uma tendência para a automatização, uma confiança excessiva em ajudas automatizadas e sistemas de apoio à decisão.

      Agora cabe aos tribunais decidir quem é culpado quando a utilização destes sistemas resulta em erros fatais.”

      A decisão cabe aos tribunais, até porque apesar de parecer que é fácil, que a culpa é do condutor, a lei também diz que:

      “se o condutor tiver um acidente e houver um aviso adequado (e se as tecnologias existentes tiverem os alertas suficientes para manter o condutor atento), o fabricante do carro não será responsabilizado.

      Mas há aqui uma possível exceção: existe uma formulação da regra de responsabilidade que é bastante adotada em todo o país, incluindo na Califórnia, onde esta exceção terá lugar.

      Basicamente a regra diz que o apurar de responsabilidades baseia-se no que os consumidores esperam que o fabricante faça. E as expectativas dos consumidores podem ser fortemente influenciadas pelo marketing e pela publicidade, entre outros fatores.

      Por exemplo, se Tesla anunciasse que, com o piloto automático, nenhum carro da marca teria acidentes, e depois um consumidor tivesse um acidente, a Tesla seria responsável por ter frustrado estas expectativas.”

      É verdade que num primeiro relance parece fácil a decisão, mas começamos a entrar num novo mundo quer da tecnologia quer na responsabilidade dessa tecnologia (quem a produz ou quem a usa) no dia a dia.

      Basicamente será algo que iremos presenciar mais de agora em diante 😉

      • Charles says:

        Vítor,
        Na verdade li, porque gosto de o fazer, especialmente, quando me dou ao trabalho de comentar!
        Não discordo em nada do que escreveu. Diria que, provavelmente, só discordo mesmo do sensacionalismo do título.
        Aprecio e agradeço a sua argumentação. É sempre enriquecedora, quando acontece de forma respeitosa.
        Abraço

      • AltTab says:

        Eu percebo o tema que se tenta lançar. Mas isso é a criação de um problema a la americana.
        Lá, em alguns estados, é obrigatório ter o aviso nas garrafas de lixivia pura que nao podemos beber aquilo.
        Esta discussao é apenas levantada porque seguros querem despejar responsabilidades.
        A Airbus trocou a manche por um joystick e é possivel levantar voo, fazer a viagem e aterrar apenas com programação do piloto automático sem tocar no joystick (à excepcao de testes enquanto está em terra).

        Uma coisa é um anúncio de que algo funciona de forma autonoma. Os teslas assim como outros carros com sistemas semelhantes obrigam a dizer OK a que é um sistema que necessita supervisao permanente.

        A responsabilidade por excesso de confiança continua a ser do condutor. Por exemplo um mercedes topo de gama é bastante seguro ate velocidades de 180km/h (bem mais do que o meu antigo chaço velho a 120km/h) mas isso n me habilita ir a 180 e depois culpar a mercedes por fazer um carro seguro.

        A expectativa de um cliente nao serve de nada para decidir responsabilidades. Se assim o for estamos a dar cartas de condução a adultos com capacidades de decisao de uma criança de 10 anos. E por algum motivo uma crianca de 10 anos nao pode tirar a carta.

        E esta frase
        “se Tesla anunciasse que, com o piloto automático, nenhum carro da marca teria acidentes, e depois um consumidor tivesse um acidente, a Tesla seria responsável por ter frustrado estas expectativas.”
        Nao existe qualquer marca que se mete neste buraco juridico. Podem dizer que nunca tiveram acidentes e é estatisticamente improvável. E se uma pessoa teve o acidente nao pode reclamar… Porque também é estatisticamente improvavel sair o euromilhoes no entanto as pessoas continuam a jogar.

        Estas discussoes sao só as seguradoras a ver se escapam… Até haver uma viatura com um sistema 100% autonomo (e ja ha algumas por aí) nao podem culpar o sistema… Apenas o condutor.

  19. iSheepNot says:

    A culpa é de quem estiver no lugar do condutor. Isso não é discutível. Passa a ser do fabricante apenas caso haja provas claras de que o condutor tentou evitar o acidente mas o carro não respondeu como o pretendido porque o Autopilot (ou outro sistema de condução automático) interferiu negativamente.

  20. Carlos Costa says:

    Todos os equipamentos têm um proprietário que os usa ou os empresta.
    Em última instância o responsável será sempre o proprietário. Se este identificar alguém que o tenha usado e provocado o dano pode responsabiliza-lo, nos limites da lei.
    Se foi usado de forma indevida e sem a sua autorização tem de o provar e mostrar que diligenciou para a sua recuperação.
    Penso que todas as opções estão cobertas pela resposta.
    OBS: não percebo o porquê deste publicação estar constantemente a colocar noticias negativas, associadas à Tesla: Por pura maldade, desconhecimento ou ignorância?
    Há pilotos automaticos em quase todas as marcas, há acidentes e problemas em todas as marcas. Nao consigo identificar nestas noticias nenhuma intenção isenta de transmitir conhecimentos.
    Desculpem-me, mas só têm a ganhar com a imparcialidade.

  21. Dr1v3r says:

    A culpa é do dono que é otário e da Tesla que vende gato por lebre! Ora citando o que está no artigo “O Autopilot, o Autopilot Aperfeiçoado e a Capacidade de condução autónoma ….não tornam o veículo autónomo.” portanto é autonomo, mas não é autonomo! É como dizer “esta maçã, na realidade é uma laranja…”
    Chamar Autopilot é um golpe de marketing incrível, mas o carro é tudo menos autonomo… Tem salvo erro capacidade de condução autonoma de nivel 2, e deveria ter sistemas que desliguem caso o condutor se mantenha demasiado “ausente”, nesse aspecto consigo encontrar ainda mais responsabilidade dos lados da Tesla…
    Não foram eles que criaram uma fabrica em que não era necessarios humanos e virou flop??? Se uma fabrica a coisa não funciona, em que há movimentos repetitivos, vai funcionar condução em que tudo é “novo” a toda a hora?

    • Carlos Costa says:

      “… deveria ter sistemas que desliguem caso o condutor se mantenha demasiado “ausente”,…” Tem e funcionam mesmo dessa maneira. Só contrariados pela “chica-esperteza de alguns é que têm comportamentos anormais.
      Mesmo a Condução autónoma total (FSD) é comercializado como extra (um dos poucos extras) e numa versão Beta (o que significa não definitiva).
      Na Europa a condução autónoma, em qualquer marca é proibida.
      Os sistemas de radar ou identificação de imagens (como no caso da TESLA) são ajudas preciosas na condução, são mais “olhos” na estrada que permitem dispersar a atenção sem reduzir a concentração.
      São normalmente mal utilizados e alvo de conversas paralelas muitas vezes por quem não conhece os sistemas (repórteres). Apenas falam do que viram ou ouviram dizer.
      Só serve para “ódios” e desinformação, como já o tinha referido noutro comentário.
      Conduzir um carro com estes sistemas, para quem tem Dinheiro para os comprar, cumprimdo o código da estrada, circula muito mais seguro.
      Desejo que todos, num futuro próximo possam desfrutar destas ajudas nos vossos próprios veículo.

      • Dr1v3r says:

        Eu sei o que significa Beta… E a meu ver é só ridículo vender algo que ainda está em teste, porque depois quem usa é tester… E alguém que vá na rua ainda vira bug…Aqueles bugs que ficam colados nos carros quando andamos na auto-estrada por exemplo….

  22. Profeta says:

    So ha dois culpados possiveis, ou o condutor ou defeito de fabrico. O carro so provoca acidentes porque alguem o colocou a trabalhar. Agora se a eficacia das tecnologias nao sao o suficiente para garantir seguranca para quem quer relaxar mais na conducao, isso e discutivel em tribunal.

    • Vitolas says:

      Nem é assim tão discutível, se tiveres dois carros em que um deles o sistema de controlo de tração é mais eficaz que no outro e caso tenhas acidente com o pior, vais para tribunal com a marca porque até tens um carro que tem um melhor sistema de controlo de tração?

  23. PoPeY says:

    O meu golf tem um sistema de deteção de sinais que por vezes falha, diz que é 90kmh em limites de 50kmh. Se for multado posso culpabilizar a VW?

  24. Um Bigo says:

    Quando um Cabrita conduzido por um motorista mata alguém, quem é o responsável?

  25. jk says:

    tao facil
    A culpa foi de que o criou

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.