PplWare Mobile

Quais os carros elétricos que têm a melhor autonomia?


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Jorge says:

    Só falta mesmo a coluna com o preço médio e estava perfeito!

  2. Nuno25 says:

    Possivelmente estes dados já estiveram correctos… o primeiro da lista Tesla Model S Long Range são 610Km.
    O Tesla Model 3 long range são 560km. não procurei mais erros… mas era bom ter a confirmação antes de publicar.

  3. Ze tone says:

    Compro o prineiro que faca 1000km

  4. João Azevedo says:

    E outra coluna muito importante que é autonomia real. Pq fazer testes a 46km/h e a 14°C não é nenhum “stress test”. É mais um teste citadino. Agora em ambiente Autoestrada a 130km/h todos perdem pelo menos 25% de Autonomia o que representa no mínimo uma perda de 100km de autonomia.

  5. Luis says:

    Nem a propósito, assistiram ao “Prós e Contras” que acabou de dar na RTP1?? Falou-se da questão fulcral , a extração desenfreada do Litio…

    • Paulo Santos says:

      E a extração desenfreada de petróleo? Não é mais prejudicial?

      • Toni da Adega says:

        A gasolina vem de um poço que está debaixo da bomba

      • Cortano says:

        Só para teres comparativo e depois tu retira as conclusões:

        A pegada ecologica de um carro EV é mais ou menos igual à pegada ecologica de um a combustão durante o seu ciclo de vida.

        Litio rebenta com montanhas, rebenta com água potável, rebenta com paisagens, rebenta com vida em redor e reventa com os terrenos cultiváveis.

        • Ruy Acquaviva says:

          O petróleo arrebenta com tudo isso. É mentira o que foi dito acima que o petróleo vem de um poço que está embaixo da bomba. A extração de petróleo das areias betuminosas no Canadá é a operação de mineração com maior custo ambiental em todo o planeta. As operações de “Fracking” nos EUA, para exploração do xisto betuminoso contamina a água e o solo, além de representar uma ameaça violenta À saúde da população das regiões onde essa exploração é feita. Aqui no Brasil estamos com uma absurda contaminação do litoral em uma área que vai dos estados do Maranhão os Espírito Santo, maior que todo o litoral ocidental da Europa e a origem da poluição não foi localizada ainda, em parte por dificuldades técnicas mas também em grande parte por omissão das autoridades, omissão essa que pode ser até em grande parte incompetência e descaso, mas que aparenta ter uma grande influência do poder econômico.
          O Lítio é reciclável, se não é reciclado hoje por questões de economia de escala, as baterias usadas estão sendo armazenadas e a reciclagem futura é apenas uma questão de se atingir a escala de produção adequada.
          Por favor, parem de falar essas mentiras toscas para defender a indústria petrolífera porque ela é uma das principais ameaças à nossa saúde e à nossa vida.

          • Cortano says:

            Qual a percentagem da utilização do petróleo proveniente das areias betuminosas face ao extraído em poços?

            Existe já hoje omissão por parte das autoridades no que toca ao risco de extração de lítio.

            Eu não estou a defender a industria petrolífera, estou a dizer que o futuro não é e nem pode ser a utilização de lítio.

          • rodrigo says:

            @Cortano Tesla ja esta a trabalhar em baterias com uma menor percentagem de litio.Os seus próximos carros terão baterias com essa nova composição química.
            Mas certamente que vais encontrar uma outra desculpa para falar mal dos carros eléctricos na mesma.

          • Ruy Acquaviva says:

            “Qual a percentagem da utilização do petróleo proveniente das areias betuminosas face ao extraído em poços?”

            Esse raciocínio é absurdo. A questão não é a porcentagem do petróleo produzido por essa atividade em relação à produção total, mas a comparação entre a poluição causada pela extração d petróleo e a do Lítio. E somente essa operação de extração das areias betuminosas do do Athabasca no Canadá, já produz uma destruição ambiental imensamente maior que todas as operações de extração de Lítio do Planeta. E não, a estração no Athabasca não vai parar enquanto o Petróleo tiver a importância econômica que tem hoje em dia. E existem muitas outras operações de extração de petróleo com atividade altamente poluidora e lesiva ao meio ambiente no planeta.

            Existe já hoje omissão por parte das autoridades no que toca ao risco de extração de lítio.

            Existe hoje muito mais omissão por parte das autoridades em relação aos ricos da extração de Petróleo. Imensamente mais.

            Eu não estou a defender a indústria petrolífera, estou a dizer que o futuro não é e nem pode ser a utilização de lítio.

            Se o futuro não pode ser a extração do Lítio, MUITO MENOS pode ser a continuação da extração do Petróleo na intensidade atual.

          • Ricardo says:

            Essa poluição é com certeza dos petroleiros “fantasma” da Venezuela…

          • Ruy Acquaviva says:

            Incrível como as pessoas não tem vergonha de serem levianas e irresponsáveis na Internet. “com certeza” seria “navio fantasma” da Venezuela? Qualquer pessoa com um mínimo de dicernimento percebe a leviandade absurda desse tipo de afirmação. Ninguém tem certeza de nada, mas os levianos não se importam em fingir certeza para passar suas fake news e tentar enganar os incautos.
            A única certeza que existe é da inação do governo brasileiro. Protocolos para mitigar os danos em casos de desastres ambientais desse tipo existem, mas não foram acionados pelo governo. Se por incompetência, descaso ou cumplicidade não se sabem seria leviandade afirmar uma das hipóteses “com certeza”.
            Barris de petróleo com o logotipo da Shell e o mesmo tipo de petróleo que contamina as praias foram encontrados, mas sem maiores evidências seria leviandade afirmar “com certeza” que a responsabilidade é da Shell.

        • Paulo Santos says:

          Esses estudos já foram postos de parte, pois pressupõe que grande parte da energia elétrica é produzida com recurso a carvão ou outros combustíveis fósseis (como no caso da Alemanha – e aqui a extração é bem pior que a de Litio).
          Como a produção de eletricidade está cada vez mais apoiada nas renováveis ( como em Portugal por exemplo), a tendência é para a diferença ser cada vez maior.

          • Cortano says:

            Foram postos de parte por quem?!
            Se tiveres em conta que o país onde existem mais EVs é a China, e que aqui ~80% da produção electrica não é de renováveis, não podes retirar isto da equação.

            Sim, há um aumento na produção de fontes renováveis, mas na Europa. No resto do mundo a coisa ainda não é bem assim.

          • Toni da Adega says:

            Na china Menos de 30% é proveniente de renováveis mas é o país que mais está a investir em renováveis.
            E Cada vez mais se investe em renováveis.

          • Cortano says:

            Sim, é verdade, mas ainda só vai em menos de 30%.
            Agora vê o tamanho do país, o número de habitantes, o número de cidades com elevado aglomerado populacional e acho que podemos concluir que se calhar ainda vai demorar uns anitos.

            Já agora, só em 2030 é que se prevê que a energia proveniente de renováveis atinja a meta dos 50% a nível mundial.

          • Toni da Adega says:

            Mesmo que sejam só 50% em 2030.
            Estás mesmo convencido que esses 50% são mais poluentes que 100% de carros a gasolina/diesel.

            É que a energia elétrica tem alternativas. Aos combustíveis fósseis nem por isso.

          • Cortano says:

            Depende dos outros 50% (os nocivos).
            Estamos só a pensar em localizações de países desenvolvidos, como é a utilização dos outros 50% nos países em desenvolvimento ou sub-desenvolvidos?
            Qual o impacto na balança?

            Qual o impacto real de migrares do petroleo para o litio?

  6. Jo says:

    O meu smartphone com pouco mais de 2 anos já só tem 2/5 da autonomia inicial.. Samsung S8+

  7. Blackbit says:

    Por nessa lista modelos de carro ainda nao comercializados nao faz muito sentido (tesla Y e roadster), ou temos aqui um artigo a fazer publicidade?

    • iSad says:

      Temos na lista carros que só chegam para o ano. Sendo assim porque faltam por exemplo o XC40 e o Polestar 2?

    • TT says:

      Faz uma pesquisa no site e vê a quantidade de “notícias” que tem sobre a Tesla, mais do que este site só mesmo o oficial da tesla

      • Vítor M. says:

        Bom dia.

        Qualquer pessoa atenta sabe que atualmente, a marca mais ativa no mercado automóvel com ascendência tecnológica é a Tesla. Apesar disso, muitas marcas são algo de partilha de informação pelas suas novidades apresentadas, mas manifestamente, como qualquer um que tenham atenção ao mercado sabe, estão aquém da Tesla. Como tal, é normal apresentar-se mais informação de quem mais traz tecnologia ao mercado.

  8. Toni da Adega says:

    A Tesla a ser um Flop e sem ter nada em concreto como sempre.

    • polo says:

      Flop para uma marca vinda do nada?

      • GM says:

        Vinda do nada, não. A Tesla, a vir do nada, é igual às demais, pois no início da sua existência também vieram do nada. Todas as marcas foram uma “start-up”, directa ou indirectamente.

        • Toni da Adega says:

          Quando a Tesla apareceu algumas daquelas marcas já tinham quase 100 anos de mercado.
          Qualquer uma dessas marcas possui mais $$, mais fabricas, mais mão de obra e mesmo assim não conseguem acompanhar uma marcas que vende carros à meia dúzia de anos.

    • Silencio says:

      Passa pela Noruega ou Suecia e vês o quão flop é a tesla 😀
      Tesla é flop em paises pobre ou que têm taxas altissimas (como é o caso de portugal)

      • Rodrigo Da Silva says:

        exacto. Ja desde Junho ou Julho que se vende mais carros electricos (incluindo Teslas) do que carros a combustao.

      • TT says:

        Calado és um poeta, passa por esses países e vê a quantidade de teslas parados nas oficinas com problemas e falta de peças!

        • Toni da Adega says:

          +1 basta ir a países onde não se vendem Teslas e é notório que nem sequer existem oficinas. E as poucas que existem estão vazias.
          Se a Tesla começar a vingar em Portugal, ser mecânico é o emprego do futuro.

        • Louro says:

          Teslas parados nas oficinas com falta de pecas. lololol

          Podes mostrar alguns dados que provem isso mesmo?

      • mlopes says:

        quando falas de taxas não te referes a taxas de impostos, pois não? é que nesse aspeto tanto a noruega como a suécia têm impostos muioto mais altos do que portugal

        • Tony says:

          impostos ” IVA ” 25 % … e tiveram muitos benefícios fiscais,portagens gratuitas,ferrys gratuitos ,parqueamento….para não falar que o kw de energia custa 6 centimos e em Portugal 16 em média…

          • Tony says:

            o salário mimino que nem existe são a módica quantia de 16 euros à hora ( cerca de 2640 por mês ) e o gasóleo custa varialvelmente entre 1.40 e 1.60 conforme o dia da semana lol , gasolina entre 1.50 e 1.70…

  9. BLACK says:

    Falta o renault zoe…. É um citadino é certo, mas continua a ser comercializado e com números de vendas de respeito. Apesar de não gostar do carro ou da política de aluguer de baterias da Renault não deixa de ser um elétrico e que ate a pouco tempo era o n 1 de vendas….

  10. TT says:

    Tesla Roadster não existe, a lista começa logo com uma grande ilusão!

  11. Dani Silva says:

    Nos primeiros 10 veículos, 9 são modelos Tesla… Passados 12 anos, ainda não há nenhuma marca que chegue sequer perto…

    • Cortano says:

      Na verdadem, acho que nenhuma marca ainda tem 12 modelos de EVs na sua linha de produção.

      • Paulo Santos says:

        Mas seria de esperar que marcas de referência lançassem baterias mais eficientes.
        E a Mercedes desiludiu muito com o EQC. 400km de autonomia e 180km/h para um veículo ao preço de um model S é vergonhoso. Já que a Daimler é um dos principais fornecedores da Tesla, poderia começar de início com baterias da Tesla, digo eu.

        • Cortano says:

          O resto da indústria não vê as baterias atuais como sendo o futuro e continuam em investigação de novas tecnologias.

          • Toni da Adega says:

            Podes substituír a palavra baterias por qualquer outra coisa e vai fazer exactamente o mesmo sentido.

            Conheces alguma área em que não se esteja a investigar novas soluções e novas tecnologias?

          • Cortano says:

            A questão aqui é que já se sabe de antemão que o recurso ao litio não é sustentável.

          • Toni da Adega says:

            E o recurso ao petróleo é sustentável?

          • Cortano says:

            Não! Mas estás a dar-me razão!
            Estamos apenas a substituir algo não sustentável por outra coisa igualmente não sustentável.

          • rodrigo says:

            @Cortano
            O resto da industria esta a demorar muito na aposta de carros eléctricos por vários motivos.
            Um deles ‘e que essas empresas tem de agradar aos acionistas..esses mesmo acionistas que querem receber X de retorno anualmente. Ora para começar a investigar nos eléctricos, as empresas terão de investir muito €€ e isso traduz em menos dinheiro de retorno para os accionistas. E ‘e claro que eles nao querem isso.
            As empresas que demoram a investir vao ter menos lucro no futuro. Eles terão de construir novas linhas de montagem e isso nao ‘e fácil.

            A Tesla ja ultrapassou isso tudo e a partir de agora so vai crescer e crescer.

            Um bom exemplo de uma empresa que demorou a mudar foi a Kodak. Na altura era enorme mas que agora tem alguns patentes e pouco mais.

          • Cortano says:

            @Rodrigo, é a tua opinião.
            Mas realidade não é essa.

            Daqui a uns anos perceberás melhor a razão.

          • Rodrigo Da Silva says:

            @Cortano
            sim, certamente td que digo ‘e a minha opiniao.
            Mas nao me digas que ‘es assim tao ingenuo para pensares que o mundo empresareal nao funciona assim.

  12. Karl Ferreira says:

    Meus/minhas caros/as,
    Para ficarem com uma ideia, a autonomia real é cerca de 50% da tabela apresentada (em media!). Por ex. tenho um Leaf, e a fundo (aquilo anda pouco, 150 kms/h, mas chega bem!), faz 170 kms, andamento vivo (condução desportiva) em nacional, faz 220 kms! (é bom por hora!)
    Meus caros, ninguém quer um eléctrico para andar nas calmas, isso e um contrassenso!
    Ha, e coitados dos tuning`s horríveis, que expelem grandiosas nuvens de fumo (levam um baile), ficando muitos roxos de raiva!!!
    Viva os eléctricos e um grande agradecimento ao Elon Musk! (quebrou um paradigma!)
    Nos EUA proibiram os Tesla de entrar nas Drag Race, por vergonha aos Muscle Cars, que nos seus consumos de 50 litros aos 100 km/h, possuem uma autonomia Interestadual! 🙂

    • maxgiger says:

      não digas asneiras e faças comparações absurdas. Mas uma coisa é certa e confirmas aquilo que se vê por ai. Quem quer electrico não é pela economia e preocupaçao pelo meio ambiente. Como dizes e bem, queres é apertar a fundo e fazer corridas com os demais, só para mostrares a tua destreza ao volante e que os outros não valem nada.
      Enfim, mentalidades pequeninas demonstram as suas garras só em ocasiões pontuais.

  13. Ramiro Carrilho says:

    Porshe Taycan

  14. João Reis says:

    Extração de lítio? Sei… Os países nórdicos não dizem que não á exploração do lítio…e do petróleo… e nós feitos bacocos é que temos pruridos em explorar o lítio porque faz mal ao ambiente… Olha que a Noruega é um dos maiores produtores de petróleo e não é por isso que deixa de ser considerado um dos países mais ecológicos do mundo…
    Deixai-vos de tretas… que comecemos a explorar o lítio, que pode trazer riqueza para o país e que depois, os nossos políticos apliquem esses dividendos num fundo de apoio para a compra de carros elétricos. Isso não me chocaria nada…
    Outra nota importante, todos falam do tesla, que isto e aquilo… Vejam se o e-niro não é um carro mais em conta para as vossas carteiras e se não tem melhor construção que o tesla… Vai ser é difícil ver já que só vêm para Portugal no início do próximo ano (pelo que me informaram na marca), mas para mim vai ser um sério pretendente ao título de meu próximo carro.

    • PeterSnows says:

      Ve o Kona.
      Mas olha a diferença entre o e-niro e Tesla, não é so o carro.
      É toda a rede de carregamento.
      Hoje em dia, entre o Tesla 3 (49mil) e o Kona (43mil), teria comprado o Tesla
      .
      Se tiveres que contar com a rede da Mobi.E. Senta-te.
      .
      As outras marcas devem lançar também uma rede, mas estão atrasadas …
      https://www.hyundai.pt/hyundai-investe-na-ionity-para-democratizar-a-rede-de-carregamento-eletrico-de-alta-potencia/

      • João Reis says:

        Tens razão, a rede também é um fator importante, mas atenção, o e-niro só é vendido numa única versão, totalmente equipado, enquanto que o tesla com equipamento similar já vai para 59mil e etá mais. O e-niro não tem o autopilote mas tem condução autónoma de nível 2 o que é praticamente a mesma coisa comparando com a versão base que o tesla de 49mil apresenta, porque se quiseres o nível seguinte autopilote (enhance autopilote) já só encontras no de 59mil… O e-niro tem melhor qualidade de construção que o hyundai mas é praticamente o mesmo carro (talvez o hyundai seja até mais bonito por fora).

    • Cortano says:

      “Olha que a Noruega é um dos maiores produtores de petróleo e não é por isso que deixa de ser considerado um dos países mais ecológicos do mundo…”

      A Noruega exporta a maioria do petroleo que extrai e usa o dinheiro para tornar o seu país mais ecológico.
      Se ninguém consumir o petroleo deles, adeus ecologia na Noruega.

    • Cortano says:

      “que comecemos a explorar o lítio, que pode trazer riqueza para o país e que depois, ”
      Se calhar convém leres um bocado mais sobre o assunto e sobre o impacto ambiental proveniente da extração do lítio.

      • João Reis says:

        Sim, vai dizer isso aos Islandeses e dinamarqueses que também têm explorações de lítio… Quer dizer eles podem porque são “ecológicos”, mais inteligentes que nós, mais bonitos e cheiram bem e nós que somos porcos, sujos e maus merecemos continuar pobres e infelizes…
        O impacto ambiental é diferente do impacto de qualquer outra extração de minas? Até urânio se extraiu em Portugal e agora estão preocupados com o lítio? Sai de Lisboa e vai fazer uma visita pelo Portugal profundo para veres isto tudo esburacado… Preocupaste-te antes? Pois… Convêm é atirar areia aos olhos dos outros e dizer que a extração do lítio é muito prejudicial para não se fazer nada….

        • Cortano says:

          Volto a dizer:
          Sou contra qualquer tipo de exploração intensiva e destrutiva.
          O meu ponto é:
          Se antes estava tudo contra a extração do petróleo, não percebo porque é que dizem sim à extração de lítio.

          Temos petroleo na costa do Algarve e dissemos não. Ok, nada contra.
          Agora vem o lítio e já está tudo bem?! Não percebo.

          Afinal a ideia da redução da pegada ambiental não era reduzir a exploração intensiva e prejudicial do planeta?!

          Estão sempre a dar o exemplo da Noruega que são ecológicos, etc. (mas vivem à custa do petróleo), nós temos cá petróleo e recusámos.

          Consegues-me explicar a lógica de recursarmos o petroleo e aderirmos ao lítio?

          • Toni da Adega says:

            E a extração de todos os outros metais?
            O lítio é tão poluente como qualquer outro mineral e com menos riscos que o petróleo. Com a vantagem que ao contrário do petróleo, o lítio pode ser reciclado.

            Sim trocar lítio por petróleo é reduzir a pegada ambiental, porque acabar é impossível.

            Combustíveis fósseis não é só a extração e consumo, sabias que a refinaria de sines polui o dobro que toda a frota da TAP.

            Vai ao centro de uma cidade e vê o quanto saudável é o ar, aquele nevoeiro no metro deve ser por causa do lítio.

          • Cortano says:

            Espero que percebas que eu não sou a favor do petróleo!
            Apenas acho que baterias de litio não é o futuro, apenas uma transição.

            Acerca do ambiente, vais ao pé de uma mina de litio e, segundo consta, a coisa também não é saudável.
            A diferença é que em Sines tens a refinaria nas portas da cidade, se calhar se estivesse no meio do Alentejo, no meio do nada, já ninguém se preocupava – é o que está a começar a acontecer com o litio.

            Acerca da redução da pegada, a ver vamos se é significativa.

          • Toni da Adega says:

            Mas sines é só a refinaria. Ainda falta a extração do petróleo, transporte até aos postos de abastecimento e no final toda a poluição dos meios de transporte.
            E isto é um ciclo sem fim e necessário durante a vida de todos os veículos.

            A vantagem do lítio é ser necessário somente durante o fabrico(tal como todos os componentes automóveis) e talvez uma segunda vez (tens teslas com mais de 500 mil km com baterias de origem).

      • Asilva says:

        Portugal não tem politicos capazes de governar o nosso pais a pensar na população mas sim no bolso deles.
        Por isso penso que nunca nos poderemos equiparar aos Nórdicos, nós pagamos imposto e não temos nada e quem não paga tem tudo.
        Não sou contra o petróleo nem contra os eléctricos, tudo depende como se produz a energia eléctrica. Se estamos atrasados na parte electrica é porque o valor de ganho não é rentável ao poder económico e politico porque se quiserem evoluir os veículos eléctricos é só obrigar os postos de combustível a ter postos de carregamento, assim não haveria problemas dos veículos diesel/gasolina/eléctricos abastecer e meus amigos aí só dependia do preço de aquisição do respectivo veiculo.
        Mais informo que se um faz pegada ecológica o outro também o faz, só depende se é bem explorado e da maneira mais correta ou não.

  15. paulo g. says:

    Neste momento para mim a autonomia deve-se fazer esta conta: autonomia necessária= (autonomia do carro/2)-50km de desgaste da bateria. O dividir por 2 é sair de casa (ou do trabalho) e voltar para poder carregar. Não conto com os postos de carregamento pois só tenho o cabo de carregar em casa. Portanto neste momento só posso ir no máximo a 60km de distância de casa, o que na realidade dá uns 50km se não quiser encher completamente a bateria. No meu dia-a-dia dá e sobra visto que só faço 14 km por dia e no fim de semana só faço 70km na viagem maior não contando com as voltinhas na cidade. P.S.: Adoro conduzir o meu elétrico.

    • King Banido says:

      Ainda bem que adoras Paulo, se é o teu gosto, fizeste uma boa compra.

      O meu gosto não diz o mesmo, nao por ser electrico, mas porque na minha cabeça não entra a possibilidade, de um carro só fazer 60km por dia. Se ficas apeado na berma da estrada, é que nem um jarrican da Gasolina podes pedir a alguem!
      E gastar 40K, após 5 anos, poder vir a gastar 20k em baterias… 60K dá para um carro presidencial!

      Fim de semana passado fiz Amadora-Beja/Beja-Amadora, gastei 70€ de gasolina. Fui a 160KM/H, voltei a 200KM/H. Sai as 8(Amadora), cheguei as 10:15. Sai as 14(Beja), cheguei as 15:30. Gostava de te ver fazer esses tempos no teu carro com um deposito e 1/4.

      Eu cá prefiro andar no meu cupra, a dar ratadas barulhentas aos eletricos 😀

      • GM says:

        Condução económica e ecológica. No mínimo!

      • Paulo Santos says:

        Isso da troca de baterias custar 20k é uma treta. As novas baterias são bem mais baratas.
        E depende da garantia. O model S tem 8 anos de garantia sem limite de Km. E o teu Cupra não consegue dar ratadas a muitos elétricos.

        • King Banido says:

          A quais electricos é que não dá? Aqueles que custam mais de 60 mil euros? Para isso, arranjo um carro a gasolina de 60 mil euros e vemos se o Tesla se aguenta.

          Dos 0 aos 180 é do Tesla, depois disso… ó meus amigos, tadinhos dos Teslas!

          @Toni, nop não me deram. Andar rapido é por gosto e não obrigação ou por algum tipo de reconhecimento. Apontei o exemplo da velocidade, porque o Electrico é muita bonito, mas se andas a 120km ja nao chegas a casa… Autonomia de 400km, vira 200…

          Tem um arranque fabulastico, mas depois não tem capacidade para manter uma boa autonomia, carregar em coisa de 5 minutos e as baterias, devido a serem tecnologia recente, qualquer fabricante vai cobrar qualquer coisa como 10mil€ no minimo. 10mil€ as vezes nem é o preço de um motor novo(gasoil), quanto mais pagar essa absurdidade por baterias…

      • Toni da Adega says:

        E ao menos deram-te uma medalha quando chegaste?

  16. José Pinheiro says:

    Onde foram buscar os dados !!!A marca!!!Quem tem usa algum destes carros no dia a dia que partilhe informacao quantos kms faz ?Deixo o desafio?

    • Paulo Santos says:

      A 150, 160 em autoestrada o model S faz 350Km. Gasta em média 27,5Kw/100 Km com este tipo de andamento.
      Ou seja, 3,3 euros por cada 100 km, a contrastar com os quase 12 euros num carro equivalente a gasóleo.
      Em consumo misto não faço a mínima ideia. Uso o carro diariamente a fazer 240 km em autoestrada e 15 km em nacionais.

  17. Skilo says:

    E a pegada ecológica que as baterias vão ter quando começarem a ser substituídas?
    Era um estudo interessante.

    • Ruy Acquaviva says:

      Os materiais usados na fabricação das baterias podem ser todos reciclados. Se isso não é feito hoje é por falta de escala para viabilizar economicamente a operação. A medida em que existam mais carros elétricos (e portanto mais baterias) haverá escala econômica e a reciclagem irá fornecer a maior parte da matéria prima para a produção das baterias.
      Até que seja atingida a escala necessária para a viabilização da reciclagem de baterias essas serão armazenadas para posterior reaproveitamento.
      Já os combustíveis utilizados nos carros convencionais são consumidos e não reciclado, deixando para trás somente poluição.

      • rodrigo says:

        exacto. Estou farto de dizer que a reciclagem das baterias usadas sera um grande negocio no futuro.
        Mas a reciclagem so sera em ultimo caso..em antes de reciclar as baterias, elas serão reutilizadas para outros fins. Por exemplo iluminar as estradas durante a noite. As baterias nao terão carga suficiente para um carro mas para iluminar as estradas chegarao perfeitamente.

      • Skilo says:

        Obrigado pela informação, desconhecia. E ainda bem que assim é.

  18. Ricardo says:

    Falta na lista o Volkswagen ID.3

  19. Paulo Santos says:

    E qual a pegada ecológica deixada por todo o óleo de motor?

  20. Ricardo says:

    E ninguém fala do reaproveitamento e reciclagem das baterias de lítio: pena que esses exemplos tenham pouco ou nenhum destaque na imprensa “tuga”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.