Quantcast
PplWare Mobile

Portugal já tem um posto móvel de abastecimento de hidrogénio

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. EV says:

    No atual contexto para quê carros a hidrogénio e não a GNC? Seria bem mas ecológico. Se o hidrogénio na forma atual é produzido a partir do metano, composição maioritária do GNC, para quê desperdiçar energia a refinar um gás a partir de outro gás! Enfim quando é que os defensores do hidrogénio acordam e veem que de ecológico, atualmente, tem muito pouco. Mesmo na forma “verde” tem um rendimento bastante baixo, comparativamente com um carro 100% elétrico.

    • lapizazul says:

      Quase que me ri, mas depois percebi que és “só” parvo…

      • Ev says:

        Tu não sabe é como é produzido 90% do hidrogénio e eu é que sou parvo? Enfim…

        • Fo says:

          As metas são produzir hidrogênio com recurso a energias renováveis e abandonar o petróleo que nunca devia ter saído das profundezas onde está.

          • says:

            És um tipo “inteligente”, antes do petróleo sabes qual era o combustível usado ?
            “As metas são produzir hidrogênio com recurso a energias renováveis”
            Pois, no caso de Portugal, com tecnologia ainda imatura ou seja em desenvolvimento que quem vai pagar é o povo, e como tudo neste País, nada dá lucro, ouvi dizer que quem anda a tratar do assunto é o Galamba e o Matos Fernandes, o tal que decretou o fim dos motores diesel.
            Já estou mesmo a ver, os agricultores nos seus tractores eléctricos, lol .
            Achava bem que o Matos Fernandes não se esquecesse que existe industria automóvel em Portugal, ele que diga para onde vão as pessoas trabalhar depois de a AutoEuropa deixar de produzir veículos.

          • Ev says:

            Mas mesmo na forma verde consome 3x mais energia que um veículo 100% elétrico. O hidrogénio só é viável para grande transportes: aviões, barcos, camiões, etc…

          • Fo says:

            O Zé também é inteligente? Então prefere que o povo pague as contas das alterações climáticas? Olha que a conta é bem maior!! O que é preferível? Investir em tecnologias limpas ou continuar com as mesmas más práticas a fingir que não há alternativa? É preferível pagar a conta da poluição, doenças causadas pela poluição, das secas, destruição das culturas, cheias, etc?
            O petróleo nunca devia ter saído debaixo da terra. O sítio dele é lá em baixo.

          • Fo says:

            Não perdem oportunidade para meter a política na conversa… O planeta é bem maior que a política.

          • RC says:

            @Zé Ah sim, os tractores até precisam de centenas de kms de autonomia.

            Até parece que os veiculos a hidrogénio têm mais autonomia, ok, até abastecem mais depressa, o problema é o custo, acha que os agricultores têm dinheiro para gastar em hidrogénio ?
            Já agora, um veiculo a hidrogénio se for a combustão, gasta cerca de 5 a 7 vezes mais o custo do gasóleo, se for a fuel cells, cerca do dobro do custo do gasóleo.

          • RC says:

            @Zé

            “Achava bem que o Matos Fernandes não se esquecesse que existe industria automóvel em Portugal, ele que diga para onde vão as pessoas trabalhar depois de a AutoEuropa deixar de produzir veículos.”

            Ah então, pessoas inteligentes são aquelas que dizem que os veículos são produzidos em árvores ?

  2. DFS says:

    O posto é móvel?

  3. dude says:

    O posto é móvel. Saiba onde fica…. Quando? Á noite?

  4. RC says:

    Que bom que vêm ai os hidrogénio, mais uma vez, já que tentaram de tantas maneiras….LOOL

    Eu só vejo uma vantagem; mais rápido compensa ter electrico a baterias (sim, porque a hidrogénio são elétricos na mesma).

  5. RC says:

    Já agora, falam na apresentação do Toyota Mirai não ter posto de abastecimento, e com este vai continuar a não ter, já que é um posto de 350 bar, o mirai precisa de postos de 700 bar, são só 4 milhões de euros cada 1, também não é muito, é por isso que a toyota está à espera dos governos, pois claro, quer que sejam os governos a criar a infraestrutura que eles precisam para vender o carro, pois claro, espera sentado.

  6. Daniel says:

    700bar?
    Já alguém viu o que acontece quando um dispositivo falha a uma pressão de 700bar?
    https://youtu.be/yVNeKjFvi2w

    Agora imaginem uma rotura de um tanque pressurizado a 700bar carregado de hidrogênio….
    Sou na cabeça de gente tonta carregar um carro com uma bomba mais potente que muitas munições militares!

  7. Vitor Oliveira says:

    Qualquer forma de combustível tem as suas desvantagens. A eletrica(carregamento a tomada) não é excepção.
    Ou todos nos achamos k o preço dos carregamentos rápidos se manteram baixos indefenitivamente?
    Isto é bonito com a percentagens de carros elétricos (a tomada) disponíveis atualmente. Agora imaginem 100%dos que teem veículos a combustão, trocarem para eletrico(a tomada)?
    É os milhares de prédios sem estacionamento próprio? Estendemos extensões elétricas penduradas do 8°piso para os estacionamentos?
    Tudo bem, temos os postos de carregamento rápidos na rua. O preço, já referi que dificilmente se manterá inalterado ao longo do tempo que as pessoas adquirem mais carros eletricos(a tomada). É existirá um posto de carregamento em cada estacionamento?
    Não digo que não seja uma boa aposta, claro que é!
    Só não me parece viável em grande escala. Pelo menos num futuro próximo.
    É agora quem diz que a tecnologia irá evoluir muito ao ponto de a tornar ainda mais aliciante. Claro k vai(ainda bem) mas para os carros a hidrogénio também.
    É a hidrogénio também tem as suas vantagens, incluindo a de purificar o ar que bem precisamos.

    As duas tecnologias parece-me que teem potencial para conviver em conjunto e cada um avaliar a sua melhor solução.

    • RC says:

      Os carregamentos até estão a ficar mais baratos, isto porque estão a entrar novos operadores e a concorrência tem destas coisas.

      Se todos estiverem ligados à tomada, o consumo total em Portugal aumenta 14 a 15 %, eu desde que tenho ve’s desde 2007, foi mais ou menos o que aumentou na minha conta durante uns anos, nos ultimos meses até baixou para 10%, já que meti paineis solares e consigo carregar de dia.

      Segundo a estatistica apenas 31 % dos lares em Portugal não tem local próprio de estacionamento, logo são uma pequena percentagem que podem carregar em outros locais, como supermercados, postos publicos, trabalho, entre outros muitos locais.

      Sim, o preço vai alterar e bem, para baixo, já que para já é preciso pagar a infra-estrutura.

      Se não fosse não se ia por ai.

      Hidrogénio !!! a famosa tanga que anda por ai há anos e que só tem provado que não é viável, então se não houver energia para carros eléctricos que consomem 5 vezes menos, como haverá para produzir hidrogénio ?

      Errado, não purifica nada, apenas filtra, também os a combustão fazem isso, só que logo a seguir adicionam o carbono, mas não limpa nada, porque precisa de energia para produzir hidrogénio, essa é uma tanga tão grande como aquela que dizem que o hidrogénio é o elemento mais abundante, até é, mas não está disponivel para nós humanos, pelo menos de forma fácil e barata.

      O hidrogénio tem lugar sim, mas só em algumas aplicações especificas, porque é muito caro tanto de tecnologia como de produção, por isso haver investimento há mais de 50 anos e como sempre, é o futuro, e se continuar com a viabilidade atual, vai ser o futuro durante muito tempo.

      Já agora, veículos a hidrogénio são electrico na mesma, o hidrogénio é usado para armazenar energia.

    • RC says:

      Já agora, ao custo atual do mesmo, o toyota mirai para fazer 650 kms em wltp, gasta entre 65 a 90 euros por abastecimento, tendo em conta que o preço atual do hidrogénio é de 10 euros(alemanha) até 17 euros (Noruega, EUA)

  8. Vitor Oliveira says:

    Rc, sim os carros a hidrogénio são elétricos sim. Por isso referi carros elétricos a tomada.

    Em que te baseias para afirmar-se que a eletricidade vai ficar mais barata?

    Até porque até agora isso não se vê.
    Falaste na concorrência… Sim é bom e importante para o mercado, desde que não exista interesses. É aqui meu amigo, temos as carradas. (vasta ver o que se passa atualmente em Portugal com a energia)
    Quanto aos painéis fotovoltaicos… E uma grande ajuda sim mas não a solução para todos os casos. Existe pessoal a colocar painéis fotovoltaicos que não retira muita rentabilidade por a casa estar vazia durante o dia e não existir(pouco) consumo.
    Mais uma vez o interesse é todo das companhias porque estas a injectar na rede energia que não consomes.
    É muito lindo mas muita gente tem uma ideia um pouco abstrata de como realmente as coisas funcionam na prática.

    Onde foste buscar esses 30 por cento?

    Isso que falaste é bom para alguns trabalhadores do estado(como eu já vi. Carregam é exigem carregadores nos edifícios do estado para carregarem o carrinho.) mas no cotidiano, da esmagadora maioria da população ainda é um pouco abstracto.

    Como eu já referi, não sou contra a energia elétrica, muito pelo contrário. Mas em termos práticos em massa, o hidrogénio tem as suas vantagens.

    • RC says:

      “Em que te baseias para afirmar-se que a eletricidade vai ficar mais barata?”

      Porque já tenho veiculos electricos há muito tempo e desde que se paga (isto há pouco mais que um ano) , os tarifários têm vindo a baixar, apesar de terem atribuido mais uma taxa para a rede mobie. mas existem redes fora deles.

      Claro que vai haver interesses, e ainda bem, quanto mais interesses melhor, é assim que hoje tem muitos supermercados e todos lucramos com isso. Tanto há interesses na eléctricidade como vai haver no hidrogénio, ai não há volta, agora na eléctricidade eu posso produzir a minha electricidade, já hidrogénio esqueça, o investimento é demasiado alto para o conseguir produzir em casa, e sei do que falo porque já trabalhei com essa tecnologia. Não sei se tem noção, mas um posto de abastecimento custa 4 milhões de euros, isto a preços de europa, como aqueles que foram instalados na Alemanha e Noruega, isto é 20x mais do que custa hoje um posto de abastecimento de combustiveis (gasóleo e gasolina).

      Tira rendimento desde que armazene a energia, é o meu caso, e não é obrigado a injectar, eu não injeto nenhuma, sem tampouco somos obrigados a isso.

      Eu tenho bem a noção, pois tenho uma instalação em que a edp não leva nem 1 kwh num ano.

      São 31 %, estudo do acp, página 14 : https://observatorio.acp.pt/estudos/entity/o-condutor-portugues

      Já tem uma rede grande de carregadores não só da mobie, como da tesla, inclusivé da tesla em hoteis, restaurantes e outros, que são abertos a outras marcas, esses geralmente nem se pagam, porque são postos em locais onde as pessoas vão consumir outras coisas.

      O hidrogénio só tem uma vantagem, e você falou nela, é para aquelas pessoas que não conseguem mesmo carregar, mas vão pagar bem caro por isso, em termos de tempo de abastecimento o hidrogénio não é como dizem, leva 5 minutos para o primeiro a chegar ao posto, se vier um logo a seguir, já leva entre 10 a 15 minutos, isto porque o hidrogénio tem de ser repressurizado nos tanques intermédios para poder chegar ao carro. Um posto normal, daqueles que custam 4 milhões, só pode abastecer 40 veiculos por dia. Ora com 4 milhões de euros, instala carregdores rápidos suficientes para carregar 1400 veiculos electricos.

      É por estas e por outros que, como disse, continuam as promessas de ser o futuro, não é nada de novo, já em 1966 havia carros a hidrogénio, já todas as marcas passaram por eles, e a tecnologia é demasiado cara e pouco eficiente, não faz sentido gastar 5 x mais energia para fazer o mesmo, custando muito mais e tendo também mais emissões, porque tem de produzir mais energia.

    • RC says:

      @Vitor Oliveira os preços e interesses também pode passar para outras tecnologia, porque o hidrogénio havia de ser diferente ?

      Curiosamente quem me vende a eletricidade mais barata (a pouca que consumo) é a GALP, que tem um tarifário próprio para quem tem veículos elétricos e com desconto de 20%, ou seja, pago por kwh já com iva 0.088 €. E ainda dá desconto de 16% nos carregamentos na rede mobie.

      Pode ver o aqui o tarifário: https://casa.galp.pt/planos-eletricidade-e-gas/casa-mobilidade

      Agora faça as contas, a minha viatura gasta em média 13 kwh por cada 100kms, isto dá 1.15 euros por cada 100 kms. Um veiculo com o toyota mirai gasta 5.6 kg de hidrogénio, que a preços atuais vai desde 9.9 euros na Alemnha, a 17€ na Noruega.

      Portanto no mínimo vai gastar: 5.6 / 650 * 100 = 0.861 * 9.9 = 8.5 a 14.4 euros por cada 100 kms.

      Agora, se os preços aumentarem para os eléctricos, vão aumentar também para estes, já que agora os únicos postos que existem funcionam em modo de teste, e portanto a um preço mais baixo, lembro que enquanto a rede da mobie esteve em teste nem sequer se pagava.

  9. Vitor Oliveira says:

    … Os problemas que as pessoas atribuem aos veículos a hidrogénio já existiram com os veículos a tomada e no entanto muitos desses problemas já foram ultrapassados… O mesmo irá acontecer com os veículos a hidrogénio.
    Quanto a segurança… Isso é paleio de cha-cha.

    • RC says:

      Não, por acaso é o contrário, já existe há mais tempo veículos a hidrogénio em carros para massificar, do que veiculos eléctricos, desde 1966 já GM tinha um protótipo, depois veio a mercedes, honda, peugeot, vw, toyota, hyundai, bmw, mazda, enfim, um praticamente todos tiveram, e continuamos na mesma. No entanto, todos estes que referi já partiram para os elétricos, porquê ? porque é mais viavel, simples e duradouro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.