Quantcast
PplWare Mobile

Novos radares em Lisboa “caçam” 38 mil condutores num mês

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Pedro says:

    Povinho manso paga que o parasita de estado e dos funcionários precisa de ir ao teu bolso para aumentar os ordenados.

    • aj says:

      andem mais devagar que já não vão ao bolso.

    • Giant says:

      Tens de dier que os funcionários a que te resperes devem ser os boys ! porque se queres mesmo saber o que se passa na função publica , vai aos locias vê e procura saber , porque equipamentos não há usa-se pcs pentium e pcs dual core com 2 Gb de memoria programas antigos um filme para funcionarem, impressoras velhas e a avariar constantemente, carros velhos para fazer manutenção a equipamentos, se fores muito bom tecnicamente , vales o mesmo daquele que não vê um boi do tema, salas com um calor ou frio extremos aparrelhos de ar condicionado o que é isso ? e se continuar nunca mais acaba.

    • José Matias says:

      Se estupidez pagasse impostos, tinhs e tromba toda carimbada.
      Será que não ives do estado?
      Quem construiu as estradas onde queres matar os outros?
      Um pouco de juizo não te faria mal.

    • Jorge says:

      Se cumprirem o Código da Estrada, o “parasita do estado” não vai ao bolso de ninguém.

      Essa mentalidade retrógrada…. Quem vai em excesso de velocidade é que vai bem e o papão estado só mete radares para “ir ao bolso”…

    • Pois é says:

      Pois é. Andem nos limites de velocidade que não pagam

      • Gomez says:

        E se publicarem uma lei a dizer que não podes andar a mais 10 ou 20, só porque sim? Andas sempre em primeira ou segunda, dás cabo do veículo e vais à bomba constantemente. És do estilo de dobrar a espinha em tudo, ou só a comentar isto? Uma lei para ti não tem de ser uma construção social com valor? Ou eles podem tudo em teu nome, porque ganharam eleições? Com indivíduos como tu, este é um país maravilhoso para os criminosos, corruptos e para a prática do nepotismo.

        • Jorge says:

          Conheces muitos exemplos no país de limites de velocidades a 10 ou 20 à hora? E se conheces, em que zona estão esses limites?

          E se…? O famoso argumento dos que não sabem defender os seus argumentos…

          • PFe says:

            No centro do Montijo onde se circulava entre os 40 e 50km/h (como é normal dentro de localidades), estão a ser colocadas duas novas sinaléticas:
            Sinal de proibição de velocidade acima dos 20km/h e aviso de radar.

            Coincidência?

          • Yamahia says:

            @PFe. Atençao quando fores correr. Nada de sprints, sempre cadência de maratona, ok?

      • José Maria Oliveira Simões says:

        Pois, pois … Não pagas e não é pouco. Pagas as novas taxas por causa do carbono. Pagas mais porque gastas mais combustível, quando andas no para arranca, quando andas em primeira velocidade, etc… Pagas as reparações por causa do desgaste da embraiagem, dos travões. Já fez as contas de quantas vezes ia antigamente à bomba e aquelas que vai agora ? Faça as contas …

  2. Giant says:

    A Venezuela da europa
    Mais um imposto
    Num País onde os sucessivos governos não resolvem os problemas da saúde.
    Não resolvem os problemas da educação.
    Não resolvem os problemas na Justiça
    Não resolvem nada a não ser como sacar sempre e melhor o dinheio do ordenado do povo.

    • FAR says:

      Não é imposto. É multa para quem desrespeita uma regra (de segurança).

      Se discorda da regra, que impõe limites à velocidade máxima de circulação de veículos num determinado local, sugiro que utilize pistas desportivas ou que mude de planeta.

      Dito isto, o principal problema dos governos por estes lados é a corrupção e a falta de humildade.
      Governar em PT é atingir o pico de carreira e não uma honra e uma responsabilidade para com o país.

      • Pedro says:

        O poblema de portugal é o estado parasita que tem que se alimentar dos que trabalham para que os sansugas dos funcionarios que não trabalham nada possam ter um ordenado que seria imposivel ganhar trabalhando no privado. Essa é que é a verdade.

  3. Johnny says:

    Assim é que se equilibra contas …

  4. robin says:

    48 Anos de um ditadura politica e já vamos com mais 48 anos de ditadura economica.
    Mas ninguem abre os olhos.

  5. Vasco says:

    Hoje desci Monsanto pela Eng. Duarte Pacheco. Está lá o sinal de velocidade máxima. No fim do viaduto tb, pois entra-se em zona de 50. Tudo bem visível. Eu, tenho a certeza absoluta de que não vou ser multado, pois cumpri. Pé no travão na descida, para que o carro na ultrapassasse sequer 1 km/h a velocidade permitida. Fui, vim, sem problemas. Só é multado quem quer ou quem conduz sem atenção aos sinais de trânsito.

    • SANDOKAN 1513 says:

      Muito bem.Fez muito bem.Fossem todos cumpridores como o senhor.

      • Vasco says:

        Eu cada vez uso menos o carro, mas quando tenho de o usar já sei que é uma potencial fonte de despesas inesperadas. Mas, pelo menos em relação às multas é perfeitamente possível evitá-las. Temos controle quase total sobre o assunto.

    • Daniel Oliveira says:

      Concordo e faço o mesmo, mas tem de aceitar que em algumas artérias é muito difícil cumprir com os limites impostos… Já dei por mim mais concentrado em não ultrapassar a velocidade, com olhos no velocímetro, que a prestar real atenção à condução! isso é bem mais perigoso que ultrapassar em 5 ou 10km/h o limite.

  6. Nadi says:

    Quem vive no interior é que tem os bolsos rotos para os meninos deLisboa.
    Interior não existe €€€€ Lisboa fica com tudo €€€.
    Depois querem que interior se desenvolva.

    Acho muito bem esses radares, ainda devia ser mais .

    • FAR says:

      Compreendo que se sinta injustiçado, mas acha mesmo que “sangrar” as pessoas que em nada controlam as decisões que poderiam melhorar as condições de vida no interior do país é a solução?

      Já pensou que se calhar há muita gente que tem de viver perto da capital para conseguir ter um emprego “decente” e que se tivesse hipótese de escolha se calhar nem estava ali.

      Eu pessoalmente preferia estar bem mais afastado de Lisboa do que estou, mas infelizmente as condições do meu agregado familiar não me permitem muita flexibilidade de escolha.

      Pense um pouco e direcione a energia para quem a merece.

  7. SANDOKAN 1513 says:

    Se os caçam é porque andam acima do permitido por lei,por isso não vejo onde está o problema.Isso da “caça às multas” já não pega,não é nenhuma desculpa.Ou as pessoas cumprem ou não cumprem.Se não cumprem estão sujeitos às consequências.

  8. Bruno says:

    Parece que estamos aqui todos a atirar pedras uns aos outros. O problema aqui é o facto de haver estradas onde a velocidade é excessivamente baixa ao ponto de causar trânsito onde está o radar. É claramente caça à multa.

    Posso dizer-vos que já por várias vezes nas idas e voltas para o trabalho me iam batendo no carro porque o pessoal fica colado aos 50km e com olho no velocímetro esquecendo-se de olhar para a estrada.
    Pelo facto de estarmos todos colados à mesma velocidade o pessoal está constantemente no ângulo morto e fica complicado mudar de via para sair da via rápida. Eu próprio ia batendo por causa disso
    Há sítios onde os radares causam mais acidentes que na verdade resolvem. O que importa aqui não é a segurança mas sim o lucro

    • José Maria Oliveira Simões says:

      É precisamente disso que me queixo. Aonde não havia problema de transito, agora a determinadas horas do dia é, engatar a primeira velocidade, pé na embraiagem alternadamente com o pé no pedal do travão (Segunda Circular em Lisboa). Um dia, saí do trabalho (Entreposto da Nissan) e cheguei a casa 4 horas depois (são menos de 15 km). Parei na bomba da repsol e esperei , que o trafico ficasse mais fluido. Naquele dia, um deposito de combustível não dava para chegar a casa. Depois, ainda vem com a cantiga da poluição dos carros. Enfim, há muita gente a fazer fortunas !!!

    • jota says:

      Pelo teu comentário és daqueles “espertos” que quando querem sair da via rápida têm de atravessar 2 faixas, aconselho-te a “apanhares” a faixa de saida mais cedo (no inicio da fila) assim minimizas o problema do ângulo morto.

      • José Maria Oliveira Simões says:

        Também os há, sim senhora. Mas também há a situação de se querer entrar na faixa mais à direita e haver uns simpáticos que não te deixam entrar na faixa. Tem medo de perder a posição na fila e por isso, encostam literalmente o para-choques ao carro da frente. A mim já me aconteceu até um muito educado condutor, levantar “o dedo do meio”. Para poder sair, tive que, buzinar, ficar parado na faixa que pretendia deixar e ir apertando devagarinho e meter o pisca, como é evidente. Escusado será dizer que atrás de mim cresceu uma fila de transito . Boa educação e cortesia … ? Duvido que muitos saibam o que é isso.

        • jota says:

          Possivelmente esse condutor já estava na fila desde o inicio, e no entender dele, tu estava a tentar “furar”.
          Um exemplo, a sair da CRIL para a 2ªcircular, que tenta entrar depois da ponte pedonal, eu sou esse condutor que vem desde o inicio da fila, não faço gestos, mas o condutar está a ser “esperto” e a usar os ultimos 200m para entrar quando já percorreu 600m mas não deu jeito entrar porque havia muito transito. Boa educação e cortesia começa no inicio da fila.

          • José Maria Oliveira Simões says:

            Pois, grande dedução !!! A “furar a fila”. Acho que ele tinha , mas é “comprado o lugar na fila”. É cada uma, melhor que a anterior. Pelo que já me chegou aos ouvidos, há quem já tenha andado à pancadaria. É só gente, “educada” / “civilizada”. Olhe, eu considero uma esperteza saloia, quando vejo, por exemplo, muito condutor, passar para o lado direito do risco continuo (que delimita a faixa de rodagem), e ir todo contente ultrapassar todos , pelo espaço que existe entre o risco continuo e as barras de aço de protecção contra despistes. Depois, nesse espaço, os carros de emergência medica, bombeiros, policia, ficam parados, sem qualquer hipótese de passar, por causa desses inteligentes que ficaram também parados e a formar outra bicha. É cada inteligente, que até fico gago e de boca aberta. Diria mesmo, aparvalhado, desconcertado …

          • jota says:

            O exemplo que referi nada tem a haver com infrações grosseiras de transito, todas as que referiu estão contempladas como infrações ao código da estrada, não confundir civismo com infrações ao código da estrada. Sim esse condutor que estava na fila, tinha reservado o lugar, é esse o conceito de fila, quem chega mais tarde coloca-se na fila.
            Até parece que está a desculpar-se, até há quem faça pior do que euão mau.

  9. Jane Doe says:

    Tantos… isso é sinal que os radares estão a cumprir o seu objetivo, ou não?

    • José Maria Oliveira Simões says:

      Claro que sim. É por mais evidente que sim. A receita aumenta como foi previsto. Eles não estão lá no local para outra coisa! Há que facturar. Há que arranjar maneira de arrecadar dinheiro!

  10. Yamahia says:

    Bem eu vou repetir mais ou menos o que já expliquei n’outro artigo:
    O que está em causa é que os radares não estão nos locais onde poderiam proteger as pessoas! Antes pelo contrário. Estão estrategicamente em autênticas AE’s onde se reduziu a velocidade para 50 kms/h (após a construção dessas vias era 80 kms/h mas os sinais desapareceram misteriosamente e quando não há sinais é 50 kms/h, dizem eles) onde não há pessoas cruzamentos, com 3 vias para cada sentido, separador central etc.
    Isto é o quê?
    Conhecem a Av Santos e Castro em Lisboa?
    Fica foto satélite:
    https://1drv.ms/u/s!AvwLJVpLF7bcq4cFoavf4kZot1bfJQ?e=5jVrhu
    Entre outras armadilhas.

    • Jose gercione de siqueira says:

      Ladrões existem em toda parte; aqui e ali e não existe excessao. E no meio político, somos assaltados desde 1500, quando os lusitanos da coroa vieram tomar de nós que somos INDIOS!

      • José Maria Oliveira Simões says:

        Em primeiro lugar, não tente reescrever a historia. Por outro lado, não caia na tentação de ser racista. Já lá vai o tempo, em que as suas afirmações passavam. Mas hoje, não passam porque pura e simplesmente, há estudos que contrariam as suas afirmações. Nomeadamente, por exemplo, os estudos efectuados por um historiador brasileiro. Mas, voltando à historia dos diversos povos indígenas do Brasil (os vários povos índios), os portugueses conseguiram com que, acabassem na maioria dos casos os massacres entre índios de comunidades diferentes, quando uns invadiam os outros para saquear os vizinhos. Infelizmente, hoje ainda acontece isso. Lamentavelmente, os partidos da esquerda no Brasil, incentivam o racismo do índio contra todos os que não sejam índio da mesma comunidade. Por essa razão, há ataques também contra os brancos. Resumindo, não gostei nada que você viesse para aqui, ofender os portugueses. Por ultimo, era suposto, falar-se sobre radares em Lisboa … Mas você vem para aqui fazer propaganda encapotada do PT !

  11. José Maria Oliveira Simões says:

    Os radares estão nos locais que estão para cobrar ! Por outro lado, é uma maneira de criar uma necessidade que é : a aquisição de carros eléctricos !!! Incremento, na necessidade de produtos que são necessários à construção de baterias para automóveis (Lítio, cobalto, níquel e manganês, entre outros). Hoje em dia, há mais acidentes na segunda circular por causa dos beijinhos nas traseiras do carro da frente.

  12. Profeta says:

    Nao acho nada mal, e so malucos inconscientes que nao respeitam ninguem na estrada, entao se a multa for pesada ate agradeco. Saibam ser mais civicos na estrada e as multas nao vos apanham.

  13. Paulo says:

    Bom dia,
    Já ouvi tanta informação diferente que ainda não percebi algumas coisas sobre os novos radares:
    1- Existe alguma tolerância acima do legal permitido? exemplo: 50 km/h máximo + 5 km/h de tolerância?
    2- O radar existente numa faixa, apanha os carros do outro sentido? Tipo Av. Lusíada junto ao hospital e no inicio da circular?
    3- Quais são os radares que fazem a velocidade média?
    Não vejo nenhuma informação sobre isto na CML ou na internet.
    Obrigado 🙂

    • RicM says:

      1 – Nos radares/fotos antigos existia essa tolerância pois na última multa que me passaram mencionaram a ultrapassagem dessa tolerância. Atualmente não faço ideia;
      2 – Em princípio, esta tecnologia mais recente permite identificar múltiplos veículos mas quem sabe se estão programados para monitorizar a faixa contrária. Antes de me aperceber dessa questão costumava ir na direção Hospital Stª Mª / Colombo acima dos 50Km/h por isso, se multarem, irei receber “o convite para o casamento”;

  14. PorcoDoPunjab says:

    Calma pessoal, ainda bem que os radares a 50 apanharam muita gente porque se apanhassem pouca baixavam a velocidade para os 30…
    Não compliquem….
    São armadilhas de esquerda, paguem que é para o bem de todos…

    Radares dentro das localidades, junto a passadeiras e escolas é que tá quieto…
    Aqui na minha zona a rua principal tem uma série de passadeiras e é como se não tivesse nenhuma.
    É cada um a alta velocidade que se alguém puser um pé na passadeira fica logo sem ele.
    Radares nestas zonas não há? Porquê?
    Pois….

    Atenciosamente, PorcoDoPunjab, o encantador de burros

  15. compro essa também says:

    Mesmo a pé vão encontrar trânsito e filas … etc, etc …

    As regras também têm história e estórias …

    Paga e não bufa !! …

    Ou bufa como quiser e paga !! …

    Paga !!

    É pato !!

    Fogo !!

    Hahahahahahahahahah !!

    😉

    ;))

    ;)))

    ;D

  16. JR says:

    Em PT só temos Vin Diesel na estada, respeitem as regras como eu. Em 20 anos de carta 0 multas desde que as tirei. Agora cada um pense o que quiser.

  17. Grunho says:

    Mais uma boa razão para optar pela bicicleta. Mas os que gostam de pagar, por favor não se acanhem. Mais vale ir buscá-lo aos radares que ao leite das crianças.

  18. Gusmão says:

    O tema da velocidade…
    Como as pessoas são levadas… As mentiras mencionadas tantas vezes passam a verdades…
    Dizem que os condutores Portugueses são dos piores da Europa, essa afirmação é óptima para quem não conhece a realidade da Europa…
    Dizem que a velocidade a par com o alcoolismo (esse sim, verdadeiramente perigoso) são as verdadeiras causas da sinistralidade, mas esquecem-se de dizer que a sinistralidade com efeitos verdadeiramente graves é fruto de despistes e que por norma sem outro veículo interveniente, puras distracções…
    Distracções e não estou só a falar do telemóvel ou dos sistemas de entretenimento do carro, que ponham a “mão” na consciência, quem nunca olhou para a paisagem, para o parceiro do lado, pelo retrovisor para falar com quem vai nos bancos de trás, fumou, bebeu água, cantarolou, enfim, fez quase tudo, mais conduzir…
    Mais do que penalizarem a velocidade, deveriam consultar o cadastro do condutor para aferirem se existem acidentes, qual o tipo, feridos, causas… mas não, o cadastro é para as multas e pontos da carta.
    Verifique-se nas auto-estradas Alemãs (não em todas) onde não existe limite de velocidade não há praticamente sinistralidade (não me venham dizer que é do povo ser muito ordeiro, porque nem imaginam a quantidade de povos que se deslocam a essas vias para poderem andar na velocidade pretendida) e que segundo estudos realizados tal facto é devido aos condutores não terem algumas das “distracções” que são caracterizadas pela preocupação de um radar escondido, pela constante monitorização da velocidade no quadrante, entre obviamente outros factores…
    Terminando este já longo texto, não esquecer que os carros de há 40 anos já podiam legalmente circular a uma velocidade máxima de 120Kms e hoje com carros incomensuravelmente mais seguros, pasme-se, a velocidade máxima continua a mesma, sendo que ainda há movimentos para que esta seja reduzida… Sugiro que uns vídeos da Euro NCAP com carros da década de 80 e da actualidade…
    Este tema não é mais de uma forma do Estado ir buscar € e granjear contentamento por uma maioria que não sabe ou não gosta da velocidade…

    • José Maria Oliveira Simões says:

      Acrescento mas algumas novidades que não existiam na altura: sinto de segurança para todos os ocupantes, airbags e cortinas, abs, esp, entre muitas outras novidades …
      Relativamente aos radares, é um imposto encapotado e que oficialmente não é um imposto! Não se vê nem se ouve quantos acidentes foram evitados. Ouve-se sim, o numero de multas e o valor arrecadado. Afinal, foi para isso que se gastou o dinheiro. Não foi para evitar acidentes, pois eles não estão nos locais aonde há mais acidentes ou é mais perigoso tanto para o condutor como para o livre mortal que anda a pé. É um negocio chorudo, o dos radares !!!

    • yamahia says:

      Vc está cheio de razão!!! Parabéns.

  19. secalharya says:

    Entretanto uns indivíduos ateiam o fogo nos pinhais e não lhes acontece nada. “Ah, são malucos”…

  20. yamahia says:

    Foi com enorme prazer que hoje fiz a Infante D. Henrique a 30 kms/h desde o Batista Russo até ao Poço do Bispo. Até evitei atropelar uma barata que estava a atravessar a via!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.