PplWare Mobile

Infrações rodoviárias num outro país da União Europeia? A multa vai chegar


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Tina says:

    3,2,1, caça à multa, malandros!!!

    • Pedro says:

      Porque diz que é caça à multa? Porque n\ao se aponta o dedo, primeiro às violaç\oes de regras de trânsito? Estamos na União Europeia e por isso o caminho é para termos harmonização de regras a todos os níveis. Demora tempo, mas havemos de lá chegar.

      • feio123 says:

        eu ando sempre sem a carta a vem a policia eu digo ó sr guarda não leve a mal é que eu pus a maquina a lavar a roupa e tinha a minha carteira no bolso das calças, daqui a uma hora já tenho a carta novamente o guarda diz vai em paz estas perdoado.

      • ToFerreira says:

        Porque as regras são tantas e por vezes tão descabidas que é impossivel não as infringir, depois é uma questão de ter sorte em não ser apanhado ou de infringir as unicas regras que as autoridades se importam de controlar.

  2. Ruben Pecas says:

    A questão aqui é quem é que cobra a multa, as autoridades do país onde a infracção foi realizada ou as autoridades do país de residência do infractor. Pelo que percebi, o sistema EUCARIS apenas permite que se identifique o condutor do veículo, não conseguindo forçar a cobrança da multa. Existem países da UE com acordos mútuos onde uma infracção realizada, por exemplo, em Itália, será cobrada pelo governo Austríaco (no caso do infractor ter residência fixa na Áustria). Isso força o pagamento da coima pela polícia local e, em último caso, pelas Finanças. Caso os países não tenham este tipo de acordo, poder-se-á simplesmente ignorar a coima quando ela chega pelo correio, pois não haverá forma de esta ser cobrada.

    • jorjão says:

      Exatamente.
      Veja-se o caso da falta de pagamento das SCUTS da A25, dos nuestros hermanos espanhóis, que vai já em milhões de euros e são incobráveis!!!
      Ninguém consegue cobrá-las se o infrator não tiver bens em Portugal.

  3. Feio123 says:

    Tava a brincar tenho sempre no smartphone app cartão cidadão

  4. PC says:

    A multa é paga ao país onde o condutor fez a infracção (e sim, não utilizo o accordo ortográfico).
    O infractor recebe uma carta com todos os detalhes para pagar a multa e tem um prazo muito reduzido para a pagar e o fizer no prazo definido, “têm um desconto”. Se deixar passar o prazo, o valor aumenta, e muito.

    Pode acontecer que a carta com os detalhes da infracção foi emitida no inicio do mês com o prazo de 30 dias para pagar mas o infractor só a recebe quase no dia 30 desse mês. Sim o prazo está quase no fim, mas se não a pagar, o valor da multa pode duplicar, triplicar, … dependendo da “carta lembrança” que receber.

    Não sei se é o mesmo caso para Portugal, mas o infractor pode ser denunciado ao país de origem que cometeu uma infracção muito grave num outro país e aí, se a justiça do seu país assim o entender, poderá ter que pagar também uma multa no seu país de origem.

    Se o infractor não pagar, mesmo após as diversas cartas enviadas, poderá ser impedido de conduzir no país onde cometeu a infracção por um determinado periodo. Aos que brincam com o fogo, (os chamados chico espertos) se forem apanhados, as multas actuais e pendentes terão que ser pagas na hora, em dinheiro, e a esperteza vai-lhes sair cara. Além de terem que pagar as infracções, o mais certo é ficarem impedidos de conduzir nesse país durante um determinado período (que pode vir a ser de anos).

    Pode também acontecer que a infracção quando não é paga, ao fim de x tempo (leia-se alguns anos) é “apagada” do sistema… mas eu não apostava nesta hipótese.

    O tempo em que se podia conduzir não importa como noutro país, já acabou. Respeitem se querem ser respeitados.

  5. José Pedro says:

    e se o carro for alugado?!

    • PC says:

      Adivinha… Mas deixa-me por-te a questão: Tu alugas o carro com um passaporte/cartão cidadão falso? Achas q eles não têm a tua morada?
      Aconselho-te a ler as condições gerais que são bem claras nesse ponto.

  6. PC says:

    Adivinha… Mas deixa-me por-te a questão: Tu alugas o carro com um passaporte/cartão cidadão falso? Achas q eles não têm a tua morada?
    Aconselho-te a ler as condições gerais que são bem claras nesse ponto.

  7. DrMiguel says:

    Gostava de ver as leis do código da estrada e as respectivas punições impostas em Portugal copiando a Suíça.

    Havia muita gente a conduzir com os pés no alcatrão. Uma simples condução ao telemóvel pode levar a uma multa de 2000€ e sem carta por 24 meses.

    Conheço um familiar que numa zona de 50 ia a 115km/H e apanhou cerca de 6500€ de multa e ficou sem a carta por 30 meses (dos quais reduziram por ser necessário para a AUDI) para 12 meses.

    Aqui, passam a multa e nada aprendem, porque as mesmas são ridículas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.