Quantcast
PplWare Mobile

Inédito: Venda de carros electrificados ultrapassa os diesel na Europa

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Jota says:

    Cá em Portugal só não acontece isso devido aos preços elevados dos impostos e o fraco apoio na compra de veículos elétricos comparado com o resto da Europa.

    • Rui says:

      Meu caro, os impostos elevados pesam muito mais num veículo diesel que num eléctrico que até tem isenção de alguns impostos, como por exemplo o ISV que pesa e muito no preço de um diesel!!!!!

      Nós, devido ao nosso muito menor poder de compra, compramos o que é mais barato ou económico (nem sempre sinónimos) e os eléctricos dificilmente encaixam nestes adjectivos!!!!!!

  2. Miguel says:

    Toca a comprar eléctricos. Isso é o futuro.
    Deixem os diesel para a malta como eu.

    • Abreu says:

      Já agora faz uma reprogramação para pintares a traseira de preto. Fica bonito!

      • Miguel says:

        Sabes lá tu o que é uma repro bem feita. Resume-te á tua insignificância mecânica.
        Sabes quantos modelos vêm de origem com repro? Vai pensar…

        • Abreu says:

          A minha insignificância mecânica levou a adquirir um eletrico novo. Como não tem partes mecânicas e não pago IA, o meus dois neurónios levaram me para esse caminho.

          • Mintas says:

            Felizes aqueles que ainda acreditam no Pai Natal.
            Na marca do carro que compras-te vai lá ver os preço que te cobram por cada UT em V. eléctricos e compara com os térmicos.
            Queres ver que os carros eléctricos não têm revisões…
            Se for carro para empresa vale a pena por causa das vantagens fiscais se for particular, é melhor esquecer mais vale os motores térmicos.
            É começar a poupar já para trocar as baterias, ou então trocar de carro de x em x anos.

          • Miguel says:

            Nao tem partes mecanicas? Deve ser uma nuvem mágica então.
            Que ignorância meu deus…

        • IonFan says:

          Nenhum vem com “repro” de origem. “repro” é a abreviatura de reprogramação (da centralina). Os carros de origem vêm com a centralina programada. Não vêm com a centralina re-programada…

    • TRaveller says:

      Quando só tu tiveres diesel vais atestar o carro no sitio que eu cá sei ou vais ter varias bombas de combustível só para ti

  3. Rui says:

    Pra mim não é surpresa nenhuma, as empresas renovam a sua frota por viaturas plugin com ajudas do estado, mas que na verdade são usadas como se fossem apenas a gasolina ou diesel pois raramente são carregadas, ou seja altas máquinas com altos consumos mas que por ter lá onde ligar o cabo, são “amigas do ambiente” e entram para o grupo dos “eletrificados”

    • darksantacruz says:

      Generalizar não é correto se algumas fazem não quer dizer que todas façam conheço várias pessoas com carros de frota híbridos plug in que fazem uso normal da viatura ou seja usam sempre que possível (viatura carregada) a parte elétrica.

      • Joao Magalhaes says:

        Eu também usaria, a curto espaço estou a poupar dinheiro mas o elétrico ainda deixa a desejar, principalmente pelas baterias, então se lhe deres o uso que dás a um a diesel, em 1 ano tens que comprar baterias novas. Depois infraestruturas, ainda são fracas

    • Jorge says:

      A grande maioria dos híbridos carrega a bateria quando anda a combustível, como é que vai dar a volta a esse comentário?

      • Mintas says:

        Todos os híbridos carregam a baterias.
        A questão que o Rui expôs é que “renovam a sua frota por viaturas plugin” ou seja PHEV – Plug-in Hybrid Electric Car, que para terem autonomia via baterias, estas têm que ser carregadas externamente, numa tomada, pois o carregamento das baterias em andamento é relativamente residual, e ao não efectuarem esse carregamento lógico que não estão a tirar partido da locomoção eléctrica usando assim só o motor térmico.

  4. Milarilas says:

    Esses carros são péssimo investimento. Não duram mais de 5 anos. Depois a bateria custa o mesmo que o carro. Mais uma vez, os compradores não percebem nada do que estão a comprar e pensam que são ricos. Quem comprou um Tesla há 5 anos já está completamente obsoleto e a bateria degradada ao ponto de não compensar o preço inicial. Deixem os elétricos para os ricos a sério que podem comprar carros de 2 em 2 anos. A tecnologia evoluirá consoante a vontade deles. A classe média que se preocupe em viver à escala e a comprar com qualidade e não porque está na moda ter um Tesla ou um Nissan. Enfim… Vivemos num mundo em que só trabalham para curto prazo e para aproveitar os benefícios fiscais e meter ao bolso, depois a empresa vai à falência e a administração aproveitou os benefícios todos mas não deu retorno nenhum.

    • Miguel says:

      99,9% dos carros são péssimos investimentos.

      • Há cada gajo says:

        100% dos carros não são investimento. Esse é o maior erro de todos. Comprar carro é consumo. E é isso que se quer com toda a nova geração de carros a pilhas. Consumir, consumir, consumir.

    • Louro says:

      Entao eu sou excepcao, tenho um eletrico desde 2014 sempre a dar-lhe, já com mais de 300 mil km.

      E sim é um Tesla.

      • Joao says:

        Por curiosidade, que modelo é e com que degradação estão as baterias depois de 6 anos e 300mil km?

        • Louro says:

          Model S 75D, a autonomia anunciada de origem é 380km a real anda a volta de 340/350km dependendo de vários factores tais como o percurso e o pé claro.

          A bateria neste momento está em cerca de 87% da capacidade total, e consigo por norma fazer cerca de 320km numa carga.

          A bateria que está no carro já nao é a original, foi trocada ao fim de 2 anos(se nao me engano) já fora da garantia (devido aos km percorridos) pela Tesla como se estivesse em garantia.
          Este carro foi um dos primeiros a ser vendidos na Europa, e como tal na altura ainda haviam alguns problemas e defeitos de fabrico, que sempre foram prontamente resolvidos pela marca.

          Estava a confirmar, o carro neste momento mostra 239 mil milhes, quase 400 mil km percorridos.

          Como uso regularmente os superchargers da Tesla, quase sem gastar dinheiro em eletricidade.

          Total gasto até agora em manutencao e pecas que tive eu de trocar (sem contar com penus) mais ou menos £1600.

          • Jorge says:

            E entretanto, ninguém mais respondeu. Engraçado comparar factos com mitos não é?

          • Milarilas says:

            > A bateria que está no carro já nao é a original, foi trocada ao fim de 2 anos <

            Aí está. E não preciso de dizer mais nada. Tiveste sorte por ser comprador de primeira geração e a Tesla estar a dar lucro. Para os modelos recentes, daqui a 2 anos nem a Tesla nem a Renault vai oferecer substituição de bateria.

          • IonFan says:

            @Milarilas, com 2 anos, sendo que o carro já tem mais 4 em cima e, mantendo o mesmo ritmo desde o inicio, 266.000kms…

            Além disso a Tesla não troca as baterias por novas. Troca por baterias redireccionadas com degradação semelhante 😉

    • José Carlos da Silva says:

      Ouvem a dica de que uma bateria de um carro custou uma exorbitância. Usam essa dica para sempre, sobre todo e qualquer carro eléctrico. Tesla com 5 anos obsoleto é de morrer a rir.

    • Hugo Sá says:

      Leia o comentário que eu escrevi lá em cima para o migas e veja se aprende algo sobre elétricos. Depois falamos.

  5. O pirata says:

    Não há nada como o Diesel. Quem compra eléctrico hoje em dia vai atras da “moda” ou de uma ilusão que é o marketing

    • Miguel says:

      Ora nem mais, diesel com selo antigo, dos fiáveis com uma boa repro, FAP e EGR anulados. Máquina.

    • Paulo Favinha says:

      Portanto os elétricos são moda? Velhos do Restelo…
      Eu comprei o meu por vários motivos, mas um dos principais foi não contribuir para a degradação do meio ambiente. Sim, são mesmo menos poluentes, nem vale a pena por isso em questão.
      Ainda bem que as marcas vão parar de fazer carros a diesel rapidamente.

      • Miguel says:

        Eu acho que deverias era de comprar um unicórnio cor-de-rosa.
        Se não encontrasses andavas de transporte público como aqueles que realmente querem proteger o ambiente.

        • João Duarte says:

          Que argumento ridículo. Ter um carro não significa que não te preocupes com o meio ambiente. Se todos nós tivéssemos um elétrico o meio ambiente estava bem melhor. Isso não tem discussão. Podes preocupar-te com o ambiente e ter um veículo automóvel. Até porque nem toda a gente tem possibilidade de ir para o trabalho de transporte público. O meu é a diesel porque infelizmente os elétricos são caríssimos e porque a tecnologia ainda não está no ponto ideal para ser prático financeiramente sustentável. No dia que for não tenho dúvida que é uma alternativa muito mais amiga do ambiente do que os veículos a combustão, pelo menos com as tecnologias atuais.

        • Toni da Adega says:

          Transporte Público também produz poluição.

        • Milarilas says:

          São todos pseudo-ambientalistas… Olhem para mim! Estou na moda porque comprei um carro com uma pegada ambiental enorme em minas de lítio estrangeiras. Podia andar de autocarro? Sim, mas olhem para mim! Sim! Eu sou o esplendor da raça humana! A Humanidade vai melhorar porque comprei um carro por 100k e um telemóvel que não vem carregador, mas tenho de comprar à parte, gastando mais o ambiente com mais embalagens e transporte!

          • Toni da Adega says:

            +1
            Mais vale carro a combustível. Carro vem do stand e o combustível da fonte debaixo do posto de abastecimento

    • Louro says:

      Se me viesses dizer gasolina ainda era mais ou menos discutivel, agora diesel?

      Estou a ver que há muito agricultor em Portugal

  6. LA says:

    É sinal que há dinheiro com fartura.

  7. Rui says:

    Repito o que escrevi em cima:
    Nós, devido ao nosso muito menor poder de compra, compramos o que é mais barato ou económico (nem sempre sinónimos) e os eléctricos dificilmente encaixam nestes adjectivos!!!!!!

    • Miguel says:

      Como é óbvio, os milhões de tuctuc com motores a dois tempos altamente poluentes que andam na India, não são comprados porque os indianos gostam deles.
      Há excelentes caaros diesel a 10.000 e 15.000 euros nos usados.

  8. ZeDasCabras says:

    quanto tempo costumam dar de garantia ás baterias destes veículos ?

  9. Carlos says:

    Não são elétricos. São eletrificados, ou seja, são os elétricos e os híbridos.

    Em bom rigor está-se a trocar diesel por SUVs híbridos de alta cilindrada que nunca são usados no modo elétrico. E com bons apoios fiscais, mas só para empresários…

  10. Jorge says:

    Eu quero ver é quando quiserem vender os seus elétricos quem é que vai pegar neles… Não vejo grande futuro para o mercado de usados pelo menos com esta geração de baterias.

    • Mintas says:

      Quem vende um eléctrico é porque não quer arcar com o preço das baterias, quem era o papalvo que ia comprar um usado para depois investir nas baterias ? Ainda por cima são baratas…

    • TRaveller says:

      Por isso no estudo de um site conhecido de vendas de carros usados não são os mais procurados e os que estão menos tempo para ser vendidos.
      E acho que daqui a 5 anos vai ser é bastante mais difícil vender um carro a diesel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.