Quantcast
PplWare Mobile

Há mais incentivos para compra de bicicletas! Saiba o que mudou…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. jota says:

    Por exemplo, nas bicicletas convencionais se há incentivo para 1000 candidaturas e já foram entregues 1444, em principio quem comprar agora uma e concorrer, já não vai ter o incentivo!

    • alguem says:

      “Nas bicicletas convencionais, há 1.349 candidaturas, das quais 613 foram aprovadas.”
      em, fim deste artigo.

      Não sei onde foste buscar o numero “1444”. E ignorando isso, o facto de terem sido entregues X candidaturas, não quer dizer que sejam aprovadas. Pois há criterios, e segundo um comentario, só aprovam o incentivo as bicicletas urbanas. As BTT estão excluídas.

  2. A says:

    Isto é muito bonito, mas nem todas dão. Este ano concorri e por acaso até me safei com o incentivo, mas relativamente à bicicletas eléctricas apenas dão as urbanas e as de “carga” (já não me lembro do nome que lhes dão!). As eléctricas de btt não dão que por sinal até tem baterias melhorzitas e são mais confortáveis…

  3. PeterSnows says:

    Haja palhacada.
    Incentivos para comprar bicicletas. Eu recebi 1, mas porque ? eu comprava a bike na mesma (ja tenho 7, desde os 13 anos que ando de bike)
    Realmente e nao ter politicas e saber onde gastar o nosso dinheiro/endividamento.
    Andamos a brincar à gestão publica.

    • PeterSnows says:

      Eu quando me dizem para dizer os problemas existentes em Portugal …
      O primeiro que me vem à cabeça é ….. as pessoas não terem dinheiro para comprar uma bicicleta.

      • Samuel MG says:

        Eu não tenho dinheiro para comprar uma “bike” 🙁

      • Alberto says:

        Ê um incentivo, não ê um subsídio. O incentivo não é só para se “ter” um bicicleta. É também para mudar o mindset do tuga, que vai de carro para todo o lado dentro da sua localidade, causando transito, poluição, …

        • Helder says:

          De acordo. Os governos deviam investir mais no sentido de mudar os hábitos da população para mais amigos do ambiente, mas quase só os ouço falar em crescimento económico à base do aumento do consumo, ou seja, o contrário do que o planeta estava a exigir.

      • Ru says:

        Eu comprei uma…. por 120€. Uso quase todos os dias. Não gasto gasolina e faz bem à saúde. Gostava de ter uma melhor, mas a carteira é fraquinha.
        Conheço malta que pode comprar uma de 1000 ou de 2000 todos os meses, mas também conheço quem não possa comprar uma de 50.

    • Rato says:

      Podiam gastar esse dinheiro em ciclovias

      • André says:

        Se soubesses quanto custa fazer 1m de ciclovia…

        • Honorato says:

          Quanto é que custa fazer autoestrada X mil milhões fazer um ciclovia e mais barato . Eles não querem fazer ciclovias porque não dá para sacar impostos. A ciclovia que vai de Matosinhos até a ponte don Luís ha sítio que desaparece temos de ir para a estrada

          • André says:

            Nem todos os locais consegues ter uma ciclovia até porque existem estradas que não podem ser encurtadas e poderão existir outras infraestruturas que para as mover têm custos elevadíssimos, por exemplo algumas redes de MT da EDP

    • jota says:

      É preciso ter lata!!! Primeiro vai buscar o dinheiro do incentivo e depois critica!!! Há cada um que mais parece dois!

  4. Sardinha Enlatada says:

    Mesmo em ciclovias o pessoal anda na estrada, e ja vi um gajo da glovo a atravessar a ponte sobre o tejo de bicicleta lol. Mas de facto, dinheiro para ajudar as familias que sofreram com o covid nao ha. Incentivos para bicicletas ja ha, maravilha estas prioridades do governo.

    • Luis Rosalino says:

      Isso pode acontecer por negligencia dos condutores das bikes mas tmb acontece pq as estradas são absolutamente deploraveis para se andar de bike tds os dias e portanto sim, arriscas te a ver bikes em estradas onde a condiçao do terreno esteja melhor do que em certas ciclovias (muitas delas mt antigas, sem manutenção e sem sinalização.

    • Alberto says:

      E então? Não é obrigatório uma bicicleta circular na ciclovia. Desde 2014 que as bicicletas são equiparadas aos restantes veículos a motor, no código da estrada. Se calhar a estrada estava em melhores condições que a ciclovia. (menos buracos, menos pessoas, percurso mais eficiente).

  5. Secadegas says:

    Meanwhile as vítimas de fogos florestais continuam à espera de “incentivos” para poderem reconstruir as casas ou para ter algum sítio onde poder dormir …
    Enquanto isso, as vítimas do Ricardo Salgado e outros banqueiros vivem na rua por terem perdido tudo, continuam à espera dos seus “incentivos” para regressarem a uma vida “normal”.
    VOTA PS!!!

  6. Luis Garcia says:

    Realmente!!!! Este dinheiro devia ser canalizado para resolver os problemas das escolas tais como casas de banho inundas, estucar paredes, reforçar as janelas para que os estudantes não irem de cobertor ás costas, etc…

  7. TSLAbull says:

    O Português adora reclamar e falar mal… Chamada conversa de café! Ah e tal não temos dinheiro, ah e tal o governo faz tudo mal! MEXAM-SE!!! Não estão contentes? Vão votar, façam manifestações, façam petições, etc! Em vez de irem pro café ver a bola ou para a praia beber umas minis, cultivem-se! Estudem! Mudem de emprego! Se nada disso funcionar, saiam do país, vão há procura de algo melhor e de garantir que vão ter reforma!
    Cansado de ver comentários de que não teem dinheiro… mas não os vejo a fazer nada… o Zé povinho adora chorar!

    • Luís Costa says:

      Eu acho que não vais ter sorte em dizer isso em Portugal.. muitos ainda pensam que o estado é o pai e tem de os sustentar.. Ainda há dois dias tive conversa com pessoal que era ligado ao turismo porque é que havia falta de mão de obra, os próprios que deixaram de trabalhar disseram (se eu ganho 500€ sem fazer nada achas mesmo que me vou levantar as 8 para sair as 18 ou mais, gastar combústivel etc etc?) É isto o nosso país

  8. Mike says:

    Portugal, um país de pedinchas e um estado que gosta de mandar milho aos pombos.
    Preferem migalhas dadas que amassar e cozer o próprio pão.

    Todos os incentivos existentes este tipo de coisas (refiro-me a banalidades) deveriam ser canalizados para a saúde onde seriam muito bem vindos e nunca são suficientes.

    Façam-se á vida, o que não falta é trabalho. Quem quer trabalho diga que eu arranjo já bastantes. O que não arranjo é “prendas” para coitadinhos incapazes.

  9. Artur da Mata says:

    As bicicletas compradas em sites como o aliexpress ou banggood, por exemplo, dá para ter acesso aos incentivos? É preciso alguma anotação especial na factura?
    Obrigado

  10. Pedro Fernandes says:

    Uma Treta 🙁 incentivos para compra…… na candidatura a pessoa tem que preencher os dados onde tem que colocar a factura da compra da Bicicleta…….. no qual poderá ser aceite ou não.

    Para ser bem feito, a pessoa não se sentir enganada devia ser da seguinte maneira preencher o formulário, colocar a Bicicleta que pretende comprar, submeter o fomulário, posteriormente receber a informação se tinha sido aceite ou não ou seja a pessoa compra a Bicicleta, apresenta a respectiva Factura para receber o Incentivo neste caso o mecanismo tem que funcionar para os dois lados, primeiro não comprar a Bicicleta sem ter a certeza do Incentivo, segundo o Estado só deve pagar depois de ver a Factura da compra com o Contribuinte.

    Agora isto de comprar e depois submeter para mim é uma treta, não se recebe nada ou acontece como na listagem “Bicicletas Convencionais” em 1000 já existem 1400 ou mais, esses 400 ou mais vão ficar “arder”.

    O Governo no seu melhor…. é muito esperto.

    • Ru says:

      Se o estado funcionasse em condições, teria uma base de dados central, onde cada departamento teria apenas acesso aos dados necessários para funcionar. E bem poderia ter um site central, onde se pudesse aceder rapidamente à secção pretendida. Está tudo espalhado por vários sites diferentes. A única coisa em que o estado facilita, é em cobrar os impostos. Mas deduzo que se se tornassem numa máquina mais eficaz para os contribuintes, haveria menos tachos para os amigos e respectivas famílias gerirem uns fundos.
      Quem realmente precisa de incentivos/descontos arrisca-se a comprar a bicicleta, e depois não receber nada.

    • Helder says:

      E assim sobrecarregas menos o ambiente

  11. Rui M says:

    Com tantos letrados sobre esta matéria, só me resta encaminhá-los para fazerem uma leitura atenta ao Despacho 2535/2021, alteado pelo Despacho 8363/2021, ao Decreto-Lei 42-A/2016 e uma consulta à pagina http://www.fundoambiental.pt, onde todas as duvidas são esclarecidas.
    Não se fala do que não se tem conhecimento. É um principio de inteligência.

    • Ru says:

      Desconhecia esse site. Obrigado pela partilha.
      Mas tal como disse acima, que tal o governo ter UM site com toda a info/links centralizado. Se não se souber exactamente o que se procura, não se sabe de nada. E mesmo sabendo o que se quer, muitas vezes anda-se às voltas e mais voltas. É uma desorganização descomunal. Mesmo nos sites específicos de determinada área, não é fácil fazer as coisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.