Quantcast
PplWare Mobile

Gasóleo e Gasolina voltam a subir! Quanto custa aos portugueses?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Jomota7 says:

    Pela Entidade Reguladora ENSE, temos 3 dias úteis seguidos de descidas…..mas o quartel do combustível manda um manguito ao Povo, e volta a subir os preços sabendo de antemão que o governo só têm a beneficiar com isto (1m 1 litro diesel, são 60 cts ISP e 31cts IVA)…de tal forma….que nao tarda, ficam em igual circustâncias do Quartel da eletrecidade, em que, a EDP tem o descaramento de escrever na fatura que não têm tarifários iguais ao regulado pela entidade, ERSE, e no meu caso pessoal, em vês de pagar 16cts/dia de potência contratada, pago 49cts.
    Retomando os combustíveis, Repsol Makro Alfragide, no dia do maior aumento, foram 9cts/l na ERSE e na Repsol foram 16cts (Diesel)…hoje….ERSE está (Diesel) o PVP com 1,890€ e na Repsol a 2,074€, portanto, um lucro de 0,184 cts/l acima do regulado…falta pouco para ficar igual ao da EDP, ficar uns 3X mais caro que o valor de referência da entidade reguladora…e viva o mercado livre!!!! Iupiiiii
    Cada vez mais que aprofundo pesquisa nos decretos leis e normativas da comunidade europeia….fico com nojo de viver neste país que já desconfio muito da manipulação de votos nas eleições….e basta questionar porque 99% do pessoal que comenta no facebook(um exemplo) dizer sempre o mesmo: “o pessoal voltou a votar PS, aguenta!!”, curioso.
    Enfim…

    • nuno a says:

      tudo muito giro mas estas a esquecer da famosa dupla tributação, pagas o produto, levas com isp, levas com taxa carbonica e depois de tudo somado ainda levas com 23% iva, o iva deveria ser aplicado apenas ao produto. andamos todos a pagar iva do imposto, isto parece-te bem?

      • Jomota7 says:

        nuno a, na ERSE tens a separação do preço, alegadamente não existe dupla tributação. Mas fui agora somar as percentagens(ISP+IVA+reço + Frete (CIF Lisboa), biocombustíbvel) e dá, Diesel, 1,795€ (=preço referência) que se colocar mais 23% IVA, dá 2,208€. De facto, no caso da Repsol que estou de olho, o Diesel simples está a 2,074€, pelo que nem Repsol nem ENSE faz dupla tributação.
        Contudo, por experiência própria, temos dupla tributação na compra de um carro 0km (cuja multa o estado português paga à UE e ainda sobra lucro) e dupla tributação no desalfandegamento (somas iva+valores de tabela, mais taxa desalfandegamento e depois ao somatória, colocar IVA, tau!!)
        E existir alguma entidade para multar/prender más chefias, não há?? 🙁 tristeza, parece época de Salazar, mas pior, não és preso na Cela, mas és preso como os animais, só andas como eles querem….
        Segue link do boletim diário de hoje da ENSE (com as percentagens):
        https://www.ense-epe.pt/wp-content/uploads/2022/03/Boletim_Diario_20220311.pdf

        Segue o link da ERSE com as percentagens tributadas do combustível, actualizado em 7 março:
        https://www.erse.pt/media/4bvdozrz/1-2022_boletim-combust%C3%ADveis.pdf

    • Manuel Assunção says:

      É isso mesmo. Votaram PS e os preços aumentam. Se votassem PSD ou Iniciativa Liberal as empresas não poderiam aumentar os preços porque… não… espera… o que significa mesmo “políticas liberais”?

      • AqueleMoço says:

        Ainda não vi o António Costa a dizer que ia limitar o preço dos combustíveis mas as políticas liberais, ui cuidado com elas

        • Manuel Assunção says:

          Compreendo… mas ninguém disse que o PS era um exemplo a seguir… apenas referi que se lá estivesse um partido com políticas de direita ou liberais, o efeito seria igual ou pior. O argumento do “com outro partido seria diferente” é válido, do ponto de vista teórico, apenas para o partido comunista. Sendo que nesse caso é só mesmo teoria…

      • Zé Fonseca A. says:

        Não, porque começaram a aumentar com a geringonça em 2016 devido à nova fiscalidade e não ao preço do barril.

      • ElectroescadaS says:

        Eu votei no ADN. Porque razão eu sou “obrigado” a pagar como os outros?

      • QQ says:

        Poderiam, mas policas liberais (libertarian) são a favor de MENOS impostos. Visto que grande parte do que pagamos a nivel de combustiveis são impostos, sim, o preço desceria.

      • andré says:

        o problema não são os preços praticados pelas empresas, são os impostos.

    • JC says:

      Onde é o “Quartel da Eletrecidade”?

    • JR says:

      As mais viciadas eleições de sempre. Votaram PS? Aguentem.

      • RC says:

        Eu não votei PS e jamais vou votar num partido de esquerda, mas políticas à parte, não creio que a atual situação se deva a isso, o governo não aumentou os impostos sobre os mesmos, até baixou , o que aumentou foi a matéria prima.

  2. Louro says:

    Ando há uns anos a dizer que a malta devia de comecar a pensar em fazer duas coisas…
    – Instalar paineis solares em casa (claro que alguns nao podem, mas é a vida).
    – Comprar carro eletrico.

    Houve quem me tivesse criticado por eu próprio ter feito isso, agora andam todos aos arames por causa do preco dos combustiveis para poderem abastecer os seus diesel fumarentos e sujos, eu por mim, ando bem… todos os dias de manha cedo tenho o que é essencialmente um depósito cheio ao preco da uva mijona.

  3. Cunha says:

    O aumento do preço da gasolina atualmente não está nos impostos mas sim na especulação dos mercados financeiros relativamente ao petróleo.
    As refinarias e gasolineiras tem em armazenamento combustível barato. Pq o vendem caro?
    Ninguém fala disso …só falam nos impostos que contribuem para a existência de um estado social justo.

    Para quando o limite max do preço da gasolina?

    • Zé Fonseca A. says:

      Eles têm que o vender ao preço que o estão a comprar no momento e não preço que foi comprado no passado, isso é igual para subidas e descidas.
      O problema é sim dos impostos, basta comparar com outros países, mas também de um ligeiro aumento da margem de lucro desde 2016.

      • Rui B. says:

        Desculpa mas nas descidas não se nota nada disso.

      • Jonas says:

        Explica entao pk aumenta 14 centimos aqui e em espanha 4 centimos?
        Em portugal nao houve aumentos de impostos

        • Zé Fonseca A. says:

          Devido à percentagem de impostos que incide sobre o aumento de mercado.
          Por cada centimo que aumente levas com todos os impostos atrelados, isso significa que por cada centimo aumenta em media mais 1,1 centimos, ou seja 2,1 centimos finais por cada centimo de aumento de mercado.

        • Luís Costa says:

          Como é que em Espanha é 4 centimos se eles nem há uns bons dias tinham o combustivel a menos 30/40 centimos mais barato e agora estão em alguns postos até mais caros que em Portugal? Mete mais tabaco

      • Daniel Oliveira says:

        O que é para si ligeiro?
        Acho um exagero entre 0.25€ e 0.30€ por litro em margem de lucro!
        O ISP é um valor fixo, a taxa de carbono ainda não é aplicada (e vi continuar a ser adiada). E quanto ao IVA, nenhum pais da UE pode mexer nas suas taxas sem autorização europeia, Portugal foi o primeiro a pedir autorização para o fazer. Que depois ainda terá de ir à AR para aprovação, tendo em conta a sua dissolução e a brincadeirinha do PSD com os votos da europa, talvez para o fim do mês tenhamos AR.

        • Zé Fonseca A. says:

          https ://visao.sapo.pt/atualidade/verificado/2021-10-18-fact-check-mais-de-metade-do-que-pagamos-pelos-combustiveis-sao-impostos/

          Soma os impostos todos e vais perceber que mais de 60% do preço são impostos, o ISP é invenção do Costa e o imposto sobre gasoleo outra invenção.
          Não importa o IVA, importa tudo o resto que nunca existiu até à geringonça e que agora é muito agravado.

        • andré says:

          O Costa pode mexer no ISP, mas atira areia para os olhos a dizer que quer alterar o IVA e que a culpa é da união europeia.
          Continua a roubar o povo e atira a culpa para outros, win win

    • David Guerreiro says:

      É como nos supermercados, compraram óleo de girassol há 1 ano, mas aumentam o preço do óleo que compraram barato, tal como se o tivessem comprado agora.

    • RC says:

      Mas isso é o normal num negócio, comprar barato e vender mais caro, qual a novidade disso ?

  4. Cunha says:

    Se com o PS é assim imagina como seria com os liberais…
    Eram um salve-se quem puder…

  5. André Silva says:

    Se fosse com os liberais, já tínhamos gasoleo a 5€ o litro. E eles desculpavam se com a dinâmica de mercado.
    Se todos os setores estão a absorver algumas margens, porque não o fazem as petrolíferas?
    Ah pois, não é o socialismo o culpado.
    As petrolíferas dizem que não ganham nada com isto…. Pois não ganham o que querem

    • David Guerreiro says:

      Tens noção que a margem da comercialização é uma pequena parte do custo total dos combustíveis? Vai lá ver qual a maior fatia… Impostos. Ah pois, fiscalidade essa imposta pelo governo desde 2015.

  6. TudoDoido says:

    Desconheço o autor mas está 5*.

    “Contribuinte – Gostava de comprar um carro.
    Estado – Muito bem. Faça o favor de escolher.
    Contribuinte – Já escolhi. Tenho que pagar alguma coisa?
    Estado – Sim. Imposto sobre Automóveis (ISV) e Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA)
    Contribuinte – Ah… Só isso.
    Estado – … e uma “coisinha” para o pôr a circular. O selo.
    Contribuinte – Ah!..
    Estado – … e mais uma coisinha na gasolina necessária para que o carro efectivamente circule. O ISP.
    Contribuinte – Mas… sem gasolina eu não circulo.
    Estado – Eu sei.
    Contribuinte – … Mas eu já pago para circular…
    Estado – Claro!..
    Contribuinte – Então… vai cobrar-me pelo valor da gasolina?
    Estado – Também. Mas isso é o IVA. O ISP é outra coisa diferente.
    Contribuinte – Diferente?!
    Estado – Muito. O ISP é porque a gasolina existe.
    Contribuinte – … Porque existe?!
    Estado – Há muitos milhões de anos os dinossauros e o carvão fizeram petróleo. E você paga.
    Contribuinte – … Só isso?
    Estado – Só. Mas não julgue que pode deixar o carro assim como quer.
    Contribuinte – Como assim?!
    Estado – Tem que pagar para o estacionar.
    Contribuinte – … Para o estacionar?
    Estado – Exacto.
    Contribuinte – Portanto, pago para andar e pago para estar parado?
    Estado – Não. Se quiser mesmo andar com o carro precisa de pagar seguro.
    Contribuinte – Então pago para circular, pago para conseguir circular e pago por estar parado.
    Estado – Sim. Nós não estamos aqui para enganar ninguém. O carro é novo?
    Contribuinte – Novo?
    Estado – É que se não for novo tem que pagar para vermos se ele está em condições de andar por aí.
    Contribuinte – Pago para você ver se pode cobrar?
    Estado – Claro. Acha que isso é de borla? Só há mais uma coisinha…
    Contribuinte – …Mais uma coisinha?
    Estado – Para circular em auto-estradas
    Contribuinte – Mas… mas eu já pago imposto de circulação.
    Estado – Pois. Mas esta é uma circulação diferente.
    Contribuinte – … Diferente?
    Estado – Sim. Muito diferente. É só para quem quiser.
    Contribuinte – Só mais isso?
    Estado – Sim. Só mais isso.
    Contribuinte – E acabou?
    Estado – Sim. Depois de pagar os 25 euros, acabou.
    Contribuinte – Quais 25 euros?!
    Estado – Os 25 euros que custa pagar para andar nas auto-estradas.
    Contribuinte – Mas não disse que as auto-estradas eram só para quem quisesse?
    Estado – Sim. Mas todos pagam os 25 euros.
    Contribuinte – Quais 25 euros?
    Estado – Os 25 euros é quanto custa o chip.
    Contribuinte – … Custa o quê?
    Estado – Pagar o chip. Para poder pagar.
    Contribuinte – Não perc…
    Estado – Sim. Pagar custa 25 euros.
    Contribuinte – Pagar custa 25 euros?
    Estado – Sim. Paga 25 euros para pagar.
    Contribuinte – Mas eu não vou circular nas auto-estradas.
    Estado – Imagine que um dia quer…tem que pagar.
    Contribuinte – Tenho que pagar para pagar porque um dia posso querer?
    Estado – Exactamente. Você paga para pagar o que um dia pode querer.
    Contribuinte – E se eu não quiser?
    Estado – Paga multa.”

  7. Miguel Felicio says:

    Sempre a votar nos mesmos, é o que dá…..

    Aguenta, e paga povinho mas não bufa

    • Lopes says:

      Acho uma piada a malta andar sempre com a mesma cantiga, ” Sempre a votar nos mesmos”, eu queria que fundamentassem se fosse outros o que iria realmente mudar, porque como as coisas estão e tem andado fosse qual fosse o partido, não iria fazer nada de novo, pois pelo que vejo muitos continuam a dormir e só a ir nas balelas dos partidos quando estão em campanha, ai para apanharem votos fazem tudo e mais um par de botas , quando metem o rabinho no poleiro depois o discurso muda e já não é bem assim ou pior e vem as desculpas.

      O pais tem de mudar realmente, mas não é com o antro de pessoal que temos a formar partidos em que o seu objetivo é tachos mais nada.

      • Zé Fonseca A. says:

        Políticas mais à direita e principalmente liberais regem-se por regimes fiscais menos agressivos, a ideia é as empresas terem menor carga fiscal para poderem investir em crescimento, mais emprego e melhores salários e a população ter carga fiscal menos escalonada para que possam receber mais e com isso ter mais dinheiro para investir na economia do país.
        O povinho prefere os 20€ de aumento de salário mínimo e continuar na cepa torta, não sabem melhor, se soubessem não recebiam o que recebem.

        • Joao Ptt says:

          É só ir viver para o Canada, aquilo parece bastante liberal, no fim quem se lixa são as pessoas quando as empresas não são honestas porque a própria legislação não protege a população mesmo naquilo que lhes parece óbvio que deveria estar protegido, e o estado faz questão de manter isso dessa forma ignorando as questões quando pode ou fingindo que vai resolver quando não podem ignorar, mas depois não fazendo nada ou nada com impacto real. Não acreditam? É só ver por exemplo as reportagens “Marktplace” da CBC News.

          Quando há desequilíbrios e coisas percepcionadas como injustas vem o conflito e por vezes a guerra como resultado, para tentar reequilibrar a equação do “dar versus receber”, já que por vezes não há qualquer outra forma de resolver o problema, pelo menos com a mentalidade actual.

          Portugal vai a caminho da guerra.
          Predomina e é promovido tudo quanto é errado, por vezes o correcto é activamente perseguido como: antiquado/ antigo/ em desuso/ inaceitável/ de mentes doentes ou retardadas/ errado.
          O povo português pode ser manso, mas os invasores estrangeiros darão conta do recado, os tais islâmicos radicais (da Turquia, médio oriente, norte de África, talvez alguma malta de França, etc.), que já prometeram conquistar a península ibérica, mas que não foram levados a sério pelo povo, nem pelos políticos em Portugal e Espanha, que podem ser islâmicos radicais muito errados, mas também vêm dar cabo do errado que tão vorazmente tem sido promovido em Portugal como aceitável/ correcto/ desejável… e que é transversal à sociedade em termos de apoio. Gostam tanto de coisas erradas, vão ver quão rápido retornam as consequências do querer errado sobre o povo.
          Fosse eu a mandar com todas as capacidades para tal, e não só mudariam muitas leis, como a informação do que é correcto seria divulgada (cada um teria de decidir por si se a aceitava ou não… que a mesma só funciona com cada um a metê-la em prática na sua vida), como pelo menos metade da população teria de começar a ter formação militar avançada e equipamento para dar resposta rápida a uma invasão, sem falar nos meios materiais extra como helicópteros de transporte & combate do tipo: MD 969 Twin Attack Helicopter, ou por exemplo: Airbus H145M, para fazer ataques e deslocar equipas, drones, navios, aviões caças aéreos mais flexíveis tipo F-39 Gripen para não estarem dependentes de pistas muito grandes para levantar voo, construir fortificações/ infra-estrutura ao longo da fronteira terrestre, marítima e espalhados pelo território, para vigiar/ detectar e repelir eventuais invasores melhor equipados, dando assim tempo para organizar a defesa do país, para começarem a ser repelidos mal entrem e deixarem de ter a vantagem da surpresa. Talvez até o actual contingente de militares seja suficiente para a fase de detecção e combate inicial se estiverem bem treinados/ equipados e distribuídos para maximizar a eficácia da actuação, até trazer mais pessoas para a acção (inicialmente a GNR, pessoas na reserva militar já com a formação avançada, etc.). Claro, reservas de alimentos para pelo menos uma década. Manter os aviões da TAP em bom estado para garantir a evacuação daqueles que não desejam ficar no território serem levados para outros territórios mais amistosos (refugiados sempre existem, vale mais contar com essa realidade e garantir o serviço mais eficiente e económico possível para dar à população as melhores condições possíveis até a situação militar estar solucionada). Embarcações para transportar pessoas em segurança, pode também ser uma boa ideia, embora seja preferível terem capacidade defensiva a sério para garantirem um transporte o mais seguro possível caso o invasor disponha de meios marítimos de ataque.

  8. Nuno says:

    Cá por casa ainda estou bem hibrido plub in anda a semana toda em eletrico faço 40 km por dia, carrego todos os dias durante a noite gasto 20€ em eletricidade, o velhinho anda a GPL que apesar de já ter aumentado continua a menos de metade do preço da gasolina e gasoleo

  9. Diogo Suiçinho da Suiça says:

    off topic sry* na foto….BLUETEC com pistola verde ? xD

  10. Ze says:

    Enquanto como individuais andarmos a procurar a melhor maneira de poupar em vez de colectivamente atacarmos a fonte, isto vai continuar ate a laranja estar toda espremidinha e dps vamos pagar pq ja nao damos sumo.

  11. Mais pipocas se faz favor says:

    Máscara! Ponham a máscara, para se protegerem e protegerem os noutros da inflação. :)))))

  12. Paulo Tavares says:

    O que ninguém consegue explicar é a subida na semana seguinte ao aumento do preço do barril, quando as reservas que estão a ser utilizadas, são as que foram compradas à 6 meses, com o preço do barril dessa altura. Quando o preço do barril começa a descer, essa desculpa já serve, pois a descida é feita muitas semanas depois. Aguenta zé …

  13. João Luís says:

    Enquanto houver má gestão dos guitos públicos bem podem andar aqui e ali falando …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.