Quantcast
PplWare Mobile

Força Aérea Portuguesa adquiriu seis helicópteros bombardeiros

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Grunho says:

    Helicópteros para apagar fogos não compram eles. Nem drones para apagar incendiários. Só brinquedos para deitar ao lixo.

    • VitorMéGay says:

      “O Governo anunciou no passado mês a compra de dois Canadair, no âmbito de uma operação conjunta da União Europeia, mas os aviões de combate a incêndios só deverão estar disponíveis em 2024, afirmou o primeiro-ministro, António Costa, no dia 12 de agosto.”

    • Mr. Y says:

      Na próxima lê o artigo:
      «O helicóptero UH-60 Black Hawk permite o transporte de uma equipa de 12 bombeiros e respetivo equipamento, com uma autonomia, com largada de água, de cerca de 150 minutos. Possui a capacidade de transportar até 2950 litros de água por largada.»

    • rui says:

      Brinquedos? Achas que salvamentos no mar (entre outros) são feitos com o que?
      Ou achas que por exemplo transporte rápido entre regiões é com o que? Ambulâncias???? Ou achas que o INEM tem “brinquedos” destes suficientes para o pais? Quando precisam quem chamam? Não os Ghostbusters com certeza…..( não sei se entendeste a referência)

      Se deviam comprar aviões ou helicópteros para fogos? Claro que sim, e já vão tarde, isso concordo. Mas isso são coisas completamente diferentes. Estão a comprar e mais em concurso. Isso para além que não nascem nas árvores. Tem de haver para comprar e depois há concursos.

    • LR says:

      Realmente, fazes jus ao teu nick. Leste o texto todo? E leste aquela parte que diz “O helicóptero UH-60 Black Hawk permite o transporte de uma equipa de 12 bombeiros e respetivo equipamento, com uma autonomia, com largada de água, de cerca de 150 minutos. Possui a capacidade de transportar até 2950 litros de água por largada.”? E, se leste, entendeste o que leste? Vá, vailá ler a noticia de novo, e depois diz-nos a que conclusão chegaste.
      De nada.

    • Castro says:

      estamos a falar de helicópteros modificados para apagar fogos! A empresa a quem vão comprar é especializada nessa área!

    • Daniel says:

      Praticamente todos os modelos de helicóptero podem apagar fogos.
      Tirando raras excepções todos têm pontos fixação para transportar carga, incluindo os “baldes” para a água. Depois é uma questão de ter as tripulações treinadas para fazer largadas em coordenação com meios em terra.
      Os antigos Alouette e os Puma também podiam fazê-lo, a razão porque muito raramente o fizeram, tem de ser perguntada aos políticos que mamam quantidades obscenas de dinheiro com contratos desses equipamentos a privados.
      Aliás os novos AW-109 e o Merlin também podem levar o balde…. Mas isto sou só eu a chutar pró ar!

  2. Daniel says:

    Se virem com um kit de “stub wings” aind podem lver uns misseis Hellfire para fazer contrafogo e chamuscar incendiários! Parece-me bem!

  3. VitorMéGay says:

    “O Governo anunciou no passado mês a compra de dois Canadair, no âmbito de uma operação conjunta da União Europeia, mas os aviões de combate a incêndios só deverão estar disponíveis em 2024, afirmou o primeiro-ministro, António Costa, no dia 12 de agosto.”

  4. Joao Ptt says:

    E estes helicópteros também vão apagar incêndios à noite, ou à noite estes helicópteros militares também têm de ir fazer ó ó?

    • rui says:

      A noite NINGUEM seja helicoptero seja avioes apaga fogos! Acorda e não digas mal por dizer …

      • Joao Ptt says:

        Ninguém, só porque não querem. Se for para fazer operações militares, mesmo no meio tiros e fumo já fazem… só para apagar incêndios é que parece muiiiito complicado.

        • rui says:

          Na tua conversa ninguém quer fazer isso só porque não.
          Não sou piloto mas acredito que a visão de um incêndio a noite não deve ser igual ao dia…..
          Se um piloto não correm risco a noite ( a a ANPC) também concorda, deve ser por alguma razão que nos escapa (segurança e medo de perder a vida, digo eu)….
          Não somos nem pilotos nem bombeiros, mas alguns gostam de mandar bocas e tal….
          Oferece te como voluntario , seja para o solo ou para pilotar…. a ver o que fazes…

          🙂

          • Joao Ptt says:

            A ANPC, estamos a falar daquela ANPC que andou a distribuir aqueles kits de auto protecção ridículos? É desse nível de competência que vou aceitar opiniões?

            Entendo que os pilotos civis não queiram perder a vida a combater incêndios, mas os militares, pelo menos os voluntários, devem estar dispostos até a morrer para salvar os demais, e claramente incêndios florestais são altamente danosos para a vida humana, animal, natureza em geral, destroem actividade económica, destroem potencial turístico, reduzem qualidade do ar (ou tornam o mesmo até irrespirável)… se tudo isso não servir para justificar correr risco de vida, então os bombeiros também não deveriam estar a combater incêndios já que também correm risco de vida… e nem são militares!

            Enfim, isto é só argumentos que não consigo aceitar como válidos para o facto de não se combater incêndios à noite, pelo menos por parte das forças militares… dos civis ainda aceito, mas dos militares não aceito… ou na guerra só trabalham do nascer ao pôr-do-Sol?

          • rui says:

            Uma maça podre nao torna toda a árvore podre, sabes disso não?
            As golas e os envolvidos estão a ser tratados nas instâncias próprias.
            Bem ou mal, veremos o que vai dar. Espero que não caia em saco roto.

            Agora aceitas que civis não voem a noite mas os militares tem de voar?
            Isso mais parece algo contra os militares.
            Sabes que civis e militares são iguais? A anatomia não muda por ter uma farda…

            Bombeiros fazem o trabalho deles, militares igual.
            Ambos recebem para isso, mas há uma diferença, os bombeiros, e o grupo da GNR são TREINADOS para isso.
            Colocar lá militares só porque são militares e tem de ir lá….

            Se me disseres que deveriam treinar militares para combater fogos… ok, posso aceitar apesar de não ser a função de um militar.
            Podiam fazer como a GNR e ter um corpo especializado, e APENAS esses iam combater. Colocar pessoal não preparado só porque são militares é o caminho para a tragédia…

            Cada um tem direito a sua opinião. Esta é a minha.
            Respeito a tua apesar de não concordar nuns pontos.

            🙂

    • gambuzino says:

      Á noite não se fazem voos para apagar fogos por razões de segurança, tal como tu tambem vão fazer ó ó

      • Joao Ptt says:

        Se não podem operar em ambiente de incêndios florestais, podemos extinguir as forças militares, porque no dia em que correrem o risco de levar com tiros ou bombas então também não fazem nada.

    • Mr. Y says:

      Querias criticar mas saiu-te mal. Esses helicópteros possuem visão noturna, assim como os Canadair.

      • Joao Ptt says:

        Possuir visão nocturna, se possuir, não é igual a voar à noite! Por isso não me saiu mal. Podem perfeitamente dizer que em ambiente de incêndio florestal à noite não voam e acabou.

    • Castro says:

      Não há muitas organizações de bombeiros no mundo que conseguem fazer isso. É uma prática com vários riscos para os pilotos, e requer treino e equipamento especializado. A sua primeira implementação é aliás muito recente.

      • Joao Ptt says:

        Estamos a falar da força aérea, não é do bombeiral… que de resto apaga incêndios tanto de dia como de noite, se bem que se fossem como os pilotos só apagavam durante o dia porque há noite é perigoso.

        • Castro says:

          meu senhor não fale do que não sabe! Ser ou não da Força Aérea é irrelevante no combate a incêndios… O combate a incêndios não é como pilotar um qualquer helicóptero à noite. Se até há 4-5 anos nenhum país o fazia (e poucos fazem), porque carga de água é que se deveria esperar só porque é a Força Aérea a comprar?

          • Joao Ptt says:

            Porque os militares supostamente existem para proteger o país de ataques internos e externos, e claramente os incêndios florestais são actos terroristas de grande impacto económico, social e ambiental.
            Se não conseguem sequer combater incêndios à noite, podem fechar as portas, porque em caso de guerra à séria não vão se capazes de salvar alguém… basta o inimigo meter as florestas a arder e morre tudo.

          • Castro says:

            Joao Ptt, deixa de ser infantil! Missões de combate não é a mesma coisa que combater incêndios. Mas pronto já sabemos que para ti a vida dos outros não vale nada.

          • rui says:

            @ Castro

            Já vimos que o Joao Ptt não gosta de militares.

          • Joao Ptt says:

            Os militares servem para proteger o país, e incêndios é claramente uma daquelas coisas que provocam danos em larga escala a todos os níveis.

            Vamos então concordar que combater incêndios não é a função dos militares, porque lhes atribuíram então os meios aéreos para combater incêndios? Porque andam militares da GNR a combater incêndios? A GNR está até a concorrer com o trabalho dos bombeiros, quando supostamente o trabalho da GNR deveria ser prevenir e reprimir a criminalidade (se fossem eficazes a prevenir os crimes certamente haveriam menos incêndios). Atribuam então a quem possa prestar um bom serviço 24 horas durante todos os dias do ano… seja a Protecção Civil, seja um serviço nacional de bombeiros, ou outra coisa qualquer.

            Quanto a não gostar de militares, enfim, ou são úteis, ou são inúteis e mais vale não se gastar dinheiro neles. Pessoalmente acho que Portugal deveria ter pelo menos 100 mil militares bem treinados e cerca de 1 a 5 milhões na reserva com treinos regulares… que o mundo está claramente em mudança, e a Europa está claramente à beira do colapso, sejam os Russos, radicais islâmicos ou até conflitos entre países por diferenças diversas, algo ou mesmo tudo irá acontecer que levará à ruína total ou quase… quem não estiver preparado à séria para se defender pagará o preço.

          • rui says:

            Joao Ptt

            Não leste o que eu escrevi
            Existe um grupo especifico da GNR que é treinado e cuja função é essa.
            Podem criar um grupo de militares para isso, e como disse APENAS esses são enviados para cenários de incêndio.
            Se o governo apostasse mais nos bombeiros (mais e bem preparados) não era preciso GNR ou outras força a fazer de bombeiro.

            Numa coisa estou de acordo contigo: Deveríamos ter mais militares, ou (na minha opinião) não se deveria ter acabado com o serviço militar obrigatório.
            TODOS deveriam passar pelo serviço militar (como Israel). Todos nós deveríamos saber o básico militar. Partidos que só pensam nos votos, e agradar meia duzia de pessoas deu nisso.

            Nunca se sabe o que pode vir ai, e depois temos de formar a pressa, e normalmente pressa dá asneira.

            Quanto aos militares serem úteis, a maioria das pessoas só se lembra dos militares quando precisam, sejam em catástrofe, ou outras situações.
            Até lá são uns inúteis….
            🙂

          • Joao Ptt says:

            Os próprios militares, mesmo os mais mandriões ao fim de algum tempo, se sentem normalmente uns inúteis a não ser que estejam a dar formações ou em missões, porque a vida tende a ser de uma monotonia incrível… não é como se estivessem, a maioria, em exercícios constantes para estarem preparados para entrar em acção a qualquer momento… que é o suposto pois só com a prática se atinge e se mantém a perfeição, mas o orçamento mal chega para pagar os ordenados quanto mais para exercícios… por isso lhes chamam a tropa macaca… com algumas excepções a maioria não tem de facto experiência prática necessária para cenários reais de guerra aberta total… basicamente é para se dizer que tem, e para controlar a população interna em casos graves.

            Quanto aos bombeiros são cada vez menos por diversos motivos mas os principais serão problemas internos nas associações, pessoas que vão trabalhar para o estrangeiro, e por último e não menos importante uma legislação relativamente recente que obriga os bombeiros voluntários a prestar serviço queiram ou não nos dias e horas determinados pelas associações independentemente de tal ser ou não compatível com os seus horários na profissão, lazer e família… essa foi mesmo a machada final que fez imensa gente saltar fora… do contrário nestas horas de aflição/ necessidade maior haveria muito mais gente disponível que pode não estar disponível muitas vezes ao longo do ano mas que nestas alturas de maior aperto apareciam para auxiliar no trabalho… além de eventualmente até aparecerem ao longo do ano, apenas não da forma idealizada pelas associações… que se querem ter funcionários para cumprir trabalho devem contratar e pagar-lhes como deve ser!

        • Batista says:

          Os militares voam à noite, basta ver as missões de busca e salvamento, ou de transferência de orgãos. Sim centenas de pessoas são salvas por militares, Agora isto são missões feitas com plano de voo e com altitudes definidos.
          No combate a fogos é voo a baixa altitude, onde é necessário ver todos os pontos de referência para dos obstáculos como por exemplo linhas de alta tensão. Se és capaz de ver linhas de alta tensão à noite, mesmo com óculos de visão notura e desviar um avião ou helicoptero a velocidades elevadas parabéns, se és como a maioria das pessoas cala-te e assume se que não voam à noite deve haver um motivo.

          • Joao Ptt says:

            Não me vou calar porque é necessário que tal trabalho seja feito também à noite.
            Se você não tem competência para tal trabalho, ou tem mas não quer, tudo bem, mas quero é ter pessoas com competência que o façam, e não aceito essas desculpas das linhas eléctricas e pontos de referência, já existe a tecnologia, falta é quem queira utilizar.
            E sim, existirão acidentes, mas existem dezenas de milhares de acidentes automóveis todos os anos e não se acabam com o veículos, mesmo ocorrendo feridos leves, graves e até muitas mortes… por vezes nem faziam nada de útil que justificassem estar na estrada a correr risco próprio e para os demais… ao menos no combate a incêndios existem benefícios óbvios que justificam correr tal risco.

  5. jorgeg says:

    Ja se esta a preparar para as manifestacoes do povo no Inverno contra o frio, fome e economia!
    Esta na hora de pegar nas forquilhas rev Francesa ao velho estilo mas Na tuga!
    so quero dizer que tenho uma bandeirinha amarela e azul no meu facebook!

  6. PeterOak says:

    Vão apagar tantos incênciso quantos foram apagados pelos submarinos do Portas!

    • Mr. Y says:

      Darão para ajudar nos incêndios e noutras missões.

    • Jane Doe says:

      Os submarinos, não do Portas, mas do Guterres, que os comprou (e até tinha comprado mais), servem para outro tipo de fogos, é que temos muito mais área marítima do que florestal… Pormenores…

      • Castro says:

        estás a confundir a definição de prioridades e estabelecimento dum concurso com a compra, sendo que antes do Guterres já o Governo do Cavaco tinha definido a necessidade de modernização da frota de submarinos (com novos ou usados)! A escolha final do concurso e a compra foi feita pelo Portas anos depois do Guterres ter ido embora!

        • Jane Doe says:

          Os factos do caso dos submarinos que ficaram ofuscados pelo circo socialista:
          https://youtu.be/Dgb2uS2Mkq8

          • Castro says:

            uhmm! que eu saiba o concurso ainda demorou dois anos a ser decidido depois do Guterres sair…

          • Jane Doe says:

            No video estão claramente expostas as suspeitas que o PS divulgou nos media e que perduram até hoje, e os factos, que a Ana Gomes engoliu a muito custo. Resumindo, esta história dos submarinos não é assim tão linear, fala-se do Portas, mas pelos vistos não foi o único a lucrar com o negócio, mas foi o único a ficar com a fama.

    • Rui says:

      Como é que achas que são interceptados imensos navios com droga nas costas nacionais?
      Se não sabe que um submarino pode interceptar todas comunicações a dezenas ou centenas de km de distãncia, mais vale estar calado!!!!!

      Como é que acha que a GNR está à espera do navio x ou navio y, ou veleiro x ou veleiro y no porto w? É por acaso?

      Realmente para muitos inteligentes não precisamos de Forças Armadas, porque uma invasão como aconteceu na Ucrãnia, nunca na vida nos vai acontecer!?!?!?! Nem nunca fomos invadidos!!!!!!

      Não abram a pestana não!!!!!
      Os 3 navios russos que passaram ao largo do país, acham que veio fazer turismo!?

  7. Morais says:

    Ao ponto que as nossas forças armadas chegaram.
    Para adquirir meios, estes têm que ter capacidade para servir a proteção civil.
    Enfim estamos condenados a ter militares fofinhos e desarmados.

    • AlexS says:

      Triste. Qualquer dia são transformados em Forças Sociais de Defesa….

    • Jorge says:

      Temos GNRs fofinhos e com medo das armas, temos PSPs fofinhos e com medo das armas, temos PJs fofinhos e com medo das armas, somos um povo fofinho e sem autorização para ter armas, pelo que faz todo o sentido ter militares fofinhos e com medo das armas … foi a forma que os políticos arranjaram para se manterem seguros e sem receio do .. povo.

      • Keyboardcat says:

        Sim, porque está provado que o uso de armas pelas forças policias e população reduz a criminalidade. Basta olhar para os EUA, em que a população se sente extremamente segura com tantas armas.

        Eu não sei como é que os cidadãos dos países europeus sobrevivem.

        Eu se fosse a ti mudava-me para uma cidade Americana. Especialmente para bairros com muitas armas.

    • Rui says:

      Infelizmente é por aí que vamos.
      Umas Forças Desarmadas. Qualquer dia qualquer país sente-se forte o suficiente para ficar com isto tudo! Já faltou menos!!!!!!

  8. PAULO SILVA says:

    Porque nao compraram mais helicopteros merlin que já temos, poupamos em manutenção

  9. secalharya says:

    O exército português compra o lixo dos outros países.

  10. Joao Ptt says:

    Ainda se fossem umas 64 unidades ou assim… agora apenas 6 unidades… é para “fazer de conta” que se tem helicópteros?
    Até porque estes helicópteros normalmente não se usam só para apagar incêndios, mas têm muito mais utilidades ao longo do ano (transportar equipas de bombeiros, busca e salvamento, assistência humanitária e ajuda em desastres, transporte médico, isto se for só utilizado para fins “civis” e não militares), a menos que metam a etiqueta “só usar para apagar incêndios”, o que é duvidoso em especial tendo em conta o preço que provavelmente pagarão por eles.

    • Rui says:

      Em tugal, com tanto manso, comprar algo bélico é um crime! Nós gostamos mais de salvar bancos e empresas falidas!!!!

      Realmente viessem muitos mais black hawk…… mesmo usados como estes 6.
      Mas deixo-lhe a pergunta, teríamos dinheiro para comprar este belíssimo heli novo?

      Dizer que vem para combater incêndios é uma forma de enganar este povo que gosta de ser enganado, para comprarmos algo que precisamos urgentemente!!!!
      Tenho a certeza que a Sikorsky nunca na vida imaginou contruír este heli para combater incêndios 🙂

  11. Rui Antunes da Silva says:

    Bom dia a todos!
    Nem aqui nos comentarios se ve um interesse comum, que sera termos meios proprios para combater incendios. OS detalhes tecnicos sao para os especialistas.
    Que investimento para prevencao?
    Quanto pagamos aos privados pelo combate aos incendios?
    OS Heli que temos estao avariados porque?
    Alguem tem que ser Responsabisado por isso, e devem ser alguns cidadaos de a varios anos a esta parte que se repetem muitos incendios.
    Desde 2017 houve uma f
    Tregua nos incendios, este ano houve muitos novament…porque. Rui

  12. Tiago says:

    Para os mais desatentos, a aquisição dos helicópetros é feita com 80% de fundos comunitários, portanto assim sendo há que comprar o melhor. A utilização a mais conveniente.

  13. João Almeida says:

    Estou é a ver que os fundos do PRR só vão servir para estes lobis e muitos outros, entretanto as reformas e ordenados em Portugal são dos mais baixos da UE, para quando gente mais séria? Não estou a falar de gente salazarista,esses são retrógrados e desumanos, estou a falar de verdadeiros aumentos de reformas e de salários que estão abaixo de 1000 euros, pois em quase toda a UE ,estes já estão muito acima dos mil euros.

    • Rui says:

      Visionário!!!!
      Portanto acha que nunca devíamos ter helicópteros?
      Como é que transporta casos urgentes das ilhas para o continente? E órgãos? E salvamento de náufragos?

      Só visionários!!!!!

      Nem 6 reles helis usados com várias décadas deixam comprar! Arre!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.