Quantcast
PplWare Mobile

Famel E-XF: Chegou a nova FAMEL elétrica! Saiba quanto custa…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Luis says:

    Fod*-se A Mota É Linda

  2. gr33nbits says:

    Tchii o vídeo tá muito bom, quando fizerem uma DT-LC elétrica eu compro.

    Mas esta Famel… tá ai um vídeo que mostra um pouco mais e fala desta mítica mota.
    https://www.youtube.com/watch?v=bS10VLLpFjE

  3. gamfd qewab says:

    Esta traz autopilot? A anterior só funcionava em autopilot… 😀

  4. Di says:

    Fico contente se realmente se vier a concretizar, pois a marca ou modelo XF deixa muitas saudades, mas… 4100 euros acho um tanto…

  5. wq says:

    Infelizmente não me parece que venha a ter grande futuro.
    Com tão baixa autonomia e limite de velocidade não traz qualquer extra para convencer a compra… nem sequer se pode dizer que é bonito. Uma bicicleta eléctrica consegue mais autonomia, fica mais barata e não é muito mais lenta

    • Toni da Adega says:

      Gostava de saber qual é a bicicleta eléctrica que consegue dar 70km/h.
      Autonomia ai sim é pouca, se quisermos fazer uma viagem para o Algarve com a familia ficamos a meio caminho.

      • João says:

        A mota não dá 70Km/h.
        Tem autonomia de 70km, o que na minha opinião é muito pouco, porque este 70 devem ser medidos em condições pouco reais, como acontece sempre nestas situações.

        • Jorge says:

          João, e quem é que faz mais de 70km de seguida com uma motorizada??!! Aquilo não é uma África Twin para papar quilómetros. É uma opção para uma utilização em cidade, onde muita boa gente não faz mais de 10/20 quilómetros por dia. Abraço

          • Paulo Jaime says:

            Fazia eu com a minha Honda 50 CD de Carcavelos até Alqueva…e se quisesse até chegav ao Algarve. Sem parar e com consumos de 1,8L/100 !!! E dava 100 Km/h. Podia ser ” kitada ” e aí já andava mais com pouco mais consumo.

          • ze do azeite says:

            Imensa gente em Portugal, mas imensa mesmo, tenho um grupo de amigos que fazemos passeios regularmente de motorizada, sempre entre 200 e 300 km num so dia, com tiradas de 80/90 sem parar, e ja chegamos mesmo a fazer 450 num so dia, Nesta bela coisa estava lixado nem numa semana, para alem de que nem para ir para o trabalho de verao serve, 70km é muito pouco é muito no limite, ao fim de umas quantas cargas ja foste pois a bateria ja baixou de performance, e cheira me que estes 70km nem reais sao como costuma ser habitual nos números divulgados. E depois temos o preço, lol muito bonita boa ideia mas condenada a morrer a nascença

        • Toni da Adega says:

          A mota é capaz de atingir 70Km/h, simplesmente vem bloqueado como a marioria dos veiculos da categoria. É um limite legal, não por falta de potencia

          • carlos says:

            Até pode dar mais do que 70, mas a autonomia vai baixar muito.
            Os 70 anunciados já devem ser difíceis de cumprir, imaginem com o motor haqueado

          • Toni da Adega says:

            Existe uma grande diferenca entre nao atingir os 70Km/h e atingir com a autonimia reduzida (Algo comum em 100% dos veiculos)

      • wq says:

        limite legal de 45km/h

    • ernez says:

      Bicicletas mais baratas que 4100 com mais autonomia, não me parece que tenham a qualidade desta mota, qualquer bicicleta de carbono e sem motor, com di2 ultegra e nem motor tem, custa bem mais que esta mota, mas pronto…

      • João says:

        A bicicleta elétrica só assiste a pedalada. Não anda sozinha.

      • wq says:

        a bicicleta é apenas um exemplo da dificuldade em encaixar de forma competitiva no mercado! Uma mota com baixa autonomia e que obriga o condutor a conduzir abaixo dos 50km/h não é propriamente uma mota para andar em qualquer lado e para qualquer cliente, nem exactamente para prazer… Ou seja começa a ser uma mota de utilidade para distâncias curtas… e aí começa a competir com bicicletas e motas tipo Vespa.

  6. PT says:

    O motor dá para artilhar a 80…? É que na original dava e ficava diabólica…!!! 😀 😀

  7. Raimundo Nonato says:

    Linda

  8. Umx says:

    Se fosse equivalente à famel zundapp 3 ainda comprava, da xf-17 não tenho boas memórias 🙂

  9. Tiago says:

    Vai ser o Ikimobile das motas. Dead On Arrival.

  10. F.C. says:

    O chassis parece mt fraco nesta versão. Cheira-me que isto a descer um passeio mais alto empene toda a meio. Podiam ter posto um pouco mais de autonomia com tanto espaço ‘oco’ ali no meio. Isto sao motas iconicas para passeios nas vilas e aldeias, 70km de autonomia é muito pouco para o tipo de cliente que a vai procurar (ou seja para locais onde os postos carregamento sao escassos

  11. Bruno says:

    Acompanhei este projecto com atenção quando se ouviu falar faz alguns anos atrás! Cheguei a andar várias vezes na xf 17 quando era puto como pendura e ainda hoje o meu pai diz que aquilo andava demasiado! Infelizmente vendeu-a por 30 contos, se tivesse ficado deste ano seria bem melhor, o preço actualmente de uma restaurada é qualquer coisa!
    Esteticamente gostaria que o ‘depósito’ tivesse ficado totalmente na horizontal e sem ângulo. E o preço apresentado parece-me um tiro no pé.. Bem sei que outra grande marca já presente no mercado (zero motorcycles), é bem mais cara e a oferta também é bem diferente.. E como a pessoa que está por trás do projecto diz, a ideia é exportar o máximo possível. Por 4000 euros lá fora se calhar até nem é mau.. Mas não posso deixar de pensar que se se ficasse pelos 2500€, com a mesma autonomia e velocidade seria um preço mais justo, a pensar numa circulação mais citadina. Uma versão mais cara, com maior autonomia, para viagens maiores seria uma boa opção também. Todos sabemos que por 2500€ já compramos uma 125cc (usada) em bom estado e de marcas fiáveis. Partindo o preço acredito que tivesse mais sorte no nosso mercado. Pelo menos faria muitos pensar duas vezes na altura de comprar uma moto para deslocações pequenas. De qualquer forma é bom ver que o projecto não caiu no esquecimento, só espero no futuro se adaptem melhor às necessidades e possibilidades para mais vender para as nossas estradas.

    • João Santos says:

      “Esteticamente gostaria que o ‘depósito’ tivesse ficado totalmente na horizontal e sem ângulo.”
      Se é elétrica nem vejo a utilidade do deposito é tirar e por autonomia naquilo

  12. Jorge says:

    Ao ler alguns comentários nesta publicação fico com a ideia que em Portugal todos somos especialistas de motorizadas eléctricas e através de uma foto conseguimos saber se o quadro é forte ou se se parte ao descer um passeio, que a autonomia não presta, que a bateria é curta… enfim, tanto e bons engenheiros e expertos na matéria.

  13. Alguém Interessado says:

    Esta motorizada é linda!
    É eléctrica eu sei…mas falta uma coisa importante…o barulho do motor que a Famel têm 😉

  14. Miguel A. says:

    Espero que a Famel tenha muito sucesso, principalmente no seu mercado alvo que é o estrangeiro, já que em Portugal não valorizamos nada do que é nosso.
    Uma marca renascida das cinzas com olhos postos na tecnologia do futuro, o que é que o Tuga faz? Criticar….
    Irra que é demais….

  15. miguel says:

    Os gostos não se discutem, mas porra está feia até mais não, o design está muito fraquinho, já para não falar no valor alto demais para o que oferece.

  16. AlexX says:

    Chamava-lhe a mota assassina mas ela nem tinha culpa. Os suicidas que trocavam carburador e cremalheira para dar 130 naquilo é que não batiam bem…quando se espetavam contra terceiros em vez de sozinhos contra um muro de pedra. Estão a colocar nesta uma bateria pequena provavelmente já a contar com isso, para que não faça muito estrago quando explodir por sobreaquecimento e porque o artista vai a 100.

  17. Paulo Silva says:

    Cheguei a andar várias vezes à pendura numa XF-17 original e realmente atingia uma velocidade excessiva para a “mota” em causa (perto dos 100km/h com duas pessoas), o que valia era que existia muito menos transito do que atualmente. Esta E-XF até que está parecida com a original.

  18. Jonathan Vilela says:

    Alguém sabe dizer para que é o deposito com tampa????

  19. António Silva says:

    Era bom comercializarem só o motor para adaptar nas antigas…

  20. Jorge says:

    Fico feliz por ver o renascer de uma empresa que já deu muito a Portugal

  21. R o B says:

    Qual é a finalidade daquele depósito?

  22. Jorge says:

    Off-topic – Como raio se desligam as notificações de novas mensagens? Antes havia um link, agora não há nada!

  23. M. says:

    Com projeto tão interessantes como o da SONDORS a chegar ao mercado, basicamente pelo preço da Famel E-XF, acho que o sucesso do projeto nacional não será fácil. São 5000 US$ (pouco mais de 4.000€): https://sondorsx.com/pages/metacycle.

  24. B@rão Vermelho says:

    A XF17 sempre foi a mais bonita, depois saiu a XF21, que já tinha radiador e travão de disco a frente, mas não era tão enguia como a XF17, nos meu tempos de menino a minha 1º mota foi uma Yamaha RZ 50, foi das 1º a serem entregues em Portugal, com uma qualidade muito superior, mas na altura tinha colegas que as suas XF17 eram temidas nos arredores de Cascais, as nossas 6ª e Sábados a noite eram passadas nos famosos picanços, corridas de motas em plena via publica, o perigo que corríamos, mas era tão divertido, dizíamos que para a mota andar bem tinha de estar presa por arames em algum ponto, eram tantas as alterações que por vezes só mesmo com arames é que tudo ficava no sitio certo, tudo era alterado desde carburador, pinhão de ataque, cilindro maiores, cramalheiras, escape, parte eléctrica, tudo o que fosse possível fazer par mais uns Kl de velocidade extra

    • Piriquito says:

      4100€ por uma acerelera eléctrica isso é um tesla????
      Por esses €€€ compra-se uma 125cc na Honda que mantém um valor de retoma mais elevado e melhor qualidade. Eu sei bem o eram essas xf 17, andavam muito mesmo mas quadro e suspensões esqueçam. Se esta for igual podem ficar com todas. P/ esses €€€€ deviam ter pensado melhor no investimento.

  25. Arnaldo Esteves says:

    Muito cara para a autonomia e a velocidade que provavelmente atingirá .Uma qualquer rosca atinge essa velocidade e autonomia por menos custos. Se é para dar só uma voltinha não necessita ser tão mentirosa pois parece uma mota quando faz serviço de trotinete.

  26. Vítor Lourenço says:

    Posso vender a minha xf17 está a trabalhar tem ducumentos em dia, pode sempre aplicar o motor elétrico

  27. V.T. says:

    A minha primeira moto… até deitava faiscas numa das descidas aqui da zona… belos tempos! Boa sorte à Famel para os novos desafios que ai vêm!

  28. João Gaspar says:

    Espectáculo! Grande iniciativa da Famel. Parabéns. Espero sinceramente e que consigam apoios e investidores para aumentar a produção e com isso optimazem os custos para tentar baixar o preço para cerca de 2500€. Seria certamente mais tentador para muita gente comprar uma Famel para os passeios na cidade sem poluição. Um exemplo a seguir por outras marcas portuguesas. Quem sabe um dia ainda possamos ver um UMM eléctrico ou uma Sachs V5…

  29. Joao says:

    Uma boa oportunidade perdida : a moto parece feita com pedaços e enfiados todos naquele quadro feio e sem graça . Carambas, é um projecto novo , porque não lhe dar um quadro bonito , condizente com o futuro? Depois aquele buraco que ficou entre as baterias / motor elétrico (?) e o “depósito” (???) . Ficou muito inestética e desequilibrada no meu entender. As jantes também não têm piada nenhuma , tal como no caso do quadro , parece ter sido tudo aproveitado de restos de material guardados em armazém há 50 anos! Eu entendo o “retro”, mas se estão a fazer uma elétrica , esse “retro” tem de ser retocado para um aspecto mais futurista, sem perder a identidade . Aí é que reside a arte.

  30. Miguel A. says:

    Pela quantidade de comentários de pessoas experientes na área e com grande know how na indústria, ainda não percebi porque a marca Famel esteve quase 30 anos fechada. Por isso é que este país é como é.

  31. Piriquito says:

    COMO SE desativam as notificações para novos comentários????????
    Isto é um castigo não quero receber mais notificações.

  32. LUÍS MATOS says:

    LI COM MUITA ATENÇÃO TODOS OS COMENTÁRIOS. GOSTEI NA GENERALIDADE. CONSTATO HAVER UMA NEGATIVIDADE NA APREÇIACÃO DO NOVO PRODUTO ELÉCTRICO. COMO GRANDE APRECIADOR DE MOTOS, APENAS DESEJO À FAMEL OS MEUS SINCEROS PARABÉNS POR ESTA VALOROSO INICIATIVA, É ESTOU CERTO DE QUE TEM TODAS AS CONDIÇÕES PARA VINGAE NO MERCADO NACIONAL E ALÉM FRONTEIRAS. MUITO GOSTARIA DE CONTRIBUIR NA AJUDA TÉCNICA DESINTERESSADA ECONOMICAMENTE, DE TÃO BELA, EFICIENTE E COM GRANDE POTENCIAL DE VENDAS. DESEJO OS MELHORES VOTOS DE SUCESSO A TODOS OS TÉCNICOS DA FAMEL, QUE DESENVOLVERAM ESTA BELA MÁQUINA. APENAS GOSTAVA QUE ME INFORMASSEM COMO CONTACTAR O DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DA FAMEL. MUITO OBRIGADO.

  33. joao matos says:

    Bons tempos quando a Zundapp ‘ripava’ nas horas…aquilo voava, para uma motorizada. É bom saber que trazem o conceito de volta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.