Quantcast
PplWare Mobile

Estudo prevê os países europeus que terão maior percentagem de novos elétricos até 2035

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. Jota says:

    Com os atuais preços dos VEs, não me parece, ou melhor, tenho a certeza que assim não vai ser! Ou então chegamos a 2035 e as pessoas estão endividadas até ao pescoço! O que não me admirava nada, dada a vaidade de muita gente!

    • Amilcar Alho says:

      “Ou então chegamos a 2035 e as pessoas estão endividadas até ao pescoço!”
      Acho que não precisas de tanto… Acho que chegando a 2000 já lá estaremos. 😀 😀

      • Fernando says:

        Eu tenho a certeza de que vão ser obrigados a trocar de veiculo, o aumento do preço dos combustíveis, vai chegar a um ponto não sustentável, que obrigará sem duvida à opção pelo elétrico.

        • Rui says:

          E o Fernando por acaso tem olhado para a sua factura de electricidade? Veja bem quanto paga por KWh

          E não esqueçam que de momento o Estado não cobra impostos sobre os eléctricos. Acham que quando os eléctricos estiverem em maioria, o Estado vai dar essa borla?

          Neste momento só cobra IVA, mas o IA tem um valor equivalente ao IVA, pelo que…… facilmente um eléctrico sobre uns 10 000€ de um dia para o outro! E quando chegar o IUC……..

          • RC says:

            Mesmo que cobre os impostos que cobra agora nos combustíveis não fica nem de perto.

            Mas já que está com esse tema, para que servem os impostos cobrados nos combustíveis ?

          • Nuno says:

            no meu caso 120€ de gasolina por mes traduziram se em 16€ por mes em eletrecidade sendo que com um painel solar levas esse valor a 0 muito facilmente

          • RC says:

            @Nuno, é o meu caso, antes de ter eléctricos pagava entre 70 a 90 euros de eletricidade e 150 em combustível por mês, depois de ter eléctricos passei a pagar entre 90 a 120 de eletricidade, neste momento tenho painéis, cerca de 5000 euros de investimento e gasto entre 12 euros de verão a 38 euros de inverno de eletricidade.

          • Infinity says:

            @RC qual é a percentagem da população que tem possiblidade de carregar o carro em casa? menos de 10%? e achas que as pessoas que vivem com ordenados de miseria tem a possibilidade de comprar VE? a não ser que gostem de ficar em dividas até ao pescoço.

          • RC says:

            @Infinity, Menos de 10 %, lol, Portugal não é só zonas velhas das cidades, atualmente 69 %, veja o estudo do ACP sobre isso, “O condutor português”, página 14.

            Então se ganham pouco estão à espera de quê ? de torrar ainda mais dinheiro a queima-lo ?

            No futuro 100%, já que não é permitido construir sem ter lugar de estacionamento.

          • RC says:

            Pois, assim vão ficar com dividas. daqui a pouco até para meter combustivel têm de fazer crédito.

        • Há cada gajo says:

          Sim sim, a factura da electricidade tende a ser mais barata…

          • RC says:

            Se não for, também não vão ter combustíveis alternativos mais baratos que aquilo que são hoje.

          • Manuel says:

            Na altura que ficar muito cara a maioria dos porugueses opta por instalar paineis solares coisa que a grande maioria das moradias ja tem, coisa que nao podes afzer com os combustiveis

          • RC says:

            @Manuel, exato, e até ajuda a rede, eu gasto muito menos eletricidade agora com eléctricos do que gastava antes de os ter e sem ter os painéis, portanto, o mito de que o consumo vai aumentar desmesuramente é errado, até porque já existem cálculos que em Portugal se tudo passasse a electrico de um dia para o outro, o consumo aumentava apenas 15%.

          • Há cada gajo says:

            “A maioria dos portugueses opta por instalar paineis solares…” Onde ? Só se for no teu país das maravilhas !

          • RC says:

            Devia ler o resto da frase.

      • RC says:

        O melhor é continuar a importar energia, são só cerca de 9.5 mil milhões por ano, já que esse dinheiro cai do céu e não paga juro.

  2. Há cada gajo says:

    A fazer fé nestes números vou gostar de ver como será a rotina de carregamento para este parque automóvel, supondo que carregar o carro continua a demorar uma eternidade.

  3. Miguel Silva says:

    O aumento não é em percentagem mas em pontos percentuais (tabela). ai ai

  4. Ze Nandoooo says:

    Segundo o que se lê por aqui, se as marcas preveem só vender veículos elétricos a partir de 2025/2030 onde é que ~48% dos portugueses vão comprar os carros novos?

  5. TugAzeiteiro says:

    O que eu gostava mesmo de saber era a percentagem de carros elétricos vendidos em 2035 que sejam de construtoras Europeias… já que não as vejo a fazerem grande coisa, (ainda andamos a brincar com os Plug-in em vez de pensarem em EV’s e em como os tornar mais acessíveis), enquanto que as construtoras Chinesas estão aí já a bater à porta com propostas com preços competitivos! E não me venham dizer que os carros “normais” a combustão ainda vão durar muitas décadas e bla bla bla…. (claro que sim.. quem tem, mantem), ao preço que os combustíveis estão e ainda vão ficar mais caros, ao preço cada vez mais alto dos novos carros e às imposições todas Europeias para a poluição… não sei não….

  6. secaya says:

    Portugal 51%?

    Boa sorte!

  7. LA says:

    Com os preços praticados e sem infraestruturas, para os carregar, será um milagre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.