PplWare Mobile

Ensaios ao elétrico Xpeng P7 mostram uma surpreendente autonomia real de 574 km


Autor: Vítor M.


  1. Medeiros says:

    Os chineses já dominam em equipamentos electrónicos. Vão também dominar nos carros do futuro?

    • TugAzeiteiro says:

      Vão… porque principalmente as construtoras tradicionais Europeias e Americanas adormeceram à sombra da bananeira e basicamente vendem o mesmo produto há 25 anos!
      Depois há o factor tecnologia, que é basicamente o que estes novos carros eléctricos são… e um engenheiro que desenvolve um motor a combustão é diferente de outro que desenvolve software para controlar todos os sistemas do carro..

    • Luis says:

      Desculpa mas tenho uma má noticia para te dar, neste momento e já há algum tempo os chineses estão na frente nos carros elétricos, tens a Marca BAIC, BYD, SAIC, etc somando já milhões de veículos vendidos e alguns carros se chegarem à Europa concorrem sem problemas com os Alemães.

  2. Euéquesei says:

    Acima de tudo, e sendo Chinês, deve ser fabricado com grande qualidade de montagem e componentes altamente fiáveis.
    Deve ser carro para mudar todos os anos…
    Só ao sair do stand já os puxadores das portas mudaram de côr.

    • Toni da Adega says:

      Comentário efectuado num equipamento fabricado na china.

      • Euéquesei says:

        Por acaso o meu telefone é de marca Chinesa e o próximo e outros que venham muito certamente serão da mesma marca.
        Mas não compare telefones com automóveis, é que não tem nada a ver.
        Além de eu conhecer muito bem os veículos fabricados na China, porque quando lá vou viajo neles e vejo o que são, fique a saber que ainda à relativamente pouco tempo os clientes na China dos SUV Jaguar, que é fabricado na China, pelo menos os que são vendidos lá, foram quase todos reclamar em frente à sede por causa da péssima qualidade dos mesmos.
        Ao fim de semanas ou meses já os interiores se estavam a desfazer.
        Se não acredita, faça o favor de ir verificar.
        Os Chineses não têm nem nunca terão a mesma filosofia ou perfeccionismo que por exemplo os Japoneses têm.
        É outra cultura, outro ADN.
        Um telefone ou um automóvel, a complexidade é bem diferente.
        Mas de qualquer maneira, achei piada à sua frase. Sagaz, sem dúvida.

        • terra ano30 says:

          O teu nikname diz tudo …ahahaha!!!

        • Mapril says:

          A fábrica está na china, mas não é chinesa! Desde 2008 que a dona da Jaguar é a Tata Motors, indiana. Quiçá, se a marca fosse chinesa a qualidade fosse melhor… não consta que a Volvo, que é controlada por uma companhia chinesa, tenha baixado a qualidade….

    • Wishmaster says:

      Isso é o que se andou a dizer muitos anos e ainda diz. Entretanto, eles investiram em pesquisa, desenvolvimento e assim evoluíram. Achar que estagnaram nessa do “produto chinês não presta” é muito redutor.
      Basta ver o que se passou no mercado dos telemóveis. Ou basta ver o que se passa nos PCs, a Lenovo, por exemplo, que já passou a HP…

      A grande questão, por enquanto, nos carros, será a segurança. Mas no artigo referem o SUV G3 e vendas na Noruega, portanto, teve que passar nos testes de segurança.

      • Euéquesei says:

        Eles sabem fazer com qualidade, quando é preciso, mais aí os custos aumentam e criam-se outros problemas.
        Maior fonte de pesquisa deles são as empresas ocidentais que para lá entrarem têm que dar o know how todo ou quase.
        Assim tb eu, com a papinha toda feita.
        Quando as coisas não assim assim entregues de mão beijada, eles têm enormes limitações de pesquisa e desenvolvimento.
        Posso dar vários exemplos, compram material militar à Rússia, ás vezes apenas 2 ou 3 unidades, para fazerem engenharia reversa e copiarem depois para eles fazerem sem ser preciso comprar mais ao estrangeiro.
        Isso funciona em máquinas relativamente pouco complexas mas material de alta tecnologia aí é que a porca torce o rabo.
        Compraram uma série de MIgs todos equipados à Rússia, para depois serem desmontados peça por peça para replicarem e fazerem igual.
        Esbarraram nos motores, que não podem ser desmontados sem serem destruídos, Russos fizeram isso de propósito porque já sabiam o que os Chineses iam fazer, resultado, fizeram um caça chamado Chengdu e outro Shenyang, cópias descaradas dos MIgs, mas como não puderam copiar os motores, tiverem que incorporar motores desenhados por eles, Chineses.
        Resultado? Um caça coxo, sem velocidade e potência para ir cheio de armamento para longas distâncias, para ter um alcance normal tem que ir com metade do armamento.
        Pois é, lá está, quando a papinha não vem toda feita, é mais difícil…
        Mas há mais, aviação civil, copiaram os motores de aviões ocidentais, mas agora estão com um problema enorme, os motores não prestam, há ali coisas que não estão bem, nomeadamente os aviónicos e as pás dos motores, que para ficarem em condições são submetidos a tratamentos metalomecânicos confidenciais e sem esses tratamentos as pás não são seguras, partem-se facilmente…
        Pois é, mas lá está, espertos são eles.
        Eu juro que nunca compreendi como um país que não deixa nenhum estrangeiro comprar empresas de lá, que para uma empresa externa poder lá entrar, tem que dar o know how…. como é que não se responde a esse país na mesma moeda?
        Enfim, outros quinhentos…
        Importa salientar que não há aqui racismo contra Chineses ou quem quer que seja, termo pelo qual sou bastante acusado por mods deste sítio, injustamente.
        Adoro o povo Chinês, super simpáticos, sempre.
        A qualquer lado que vou, sempre muito bem recebido, muito cordiais.
        Melhor tratado lá que cá..:) Mas a parte política é o que é…

        • Wishmaster says:

          Podes ter razão que copiam, é verdade, mas estás a falar de um povo com mais de cinco mil anos, com uma série de invenções no passado (a bússola, por exemplo, entre muitas muitas outras).
          Eles impõem as condições deles para instalares lá as fábricas, se os países ocidentais aceitam isso, que culpa têm eles?
          E na parte de desenvolvimento, no passado longínquo contribuíram muito, depois entraram numa fase pior e agora estão a regressar rapidamente, em termos de pesquisa e desenvolvimento.
          Mas tens razão que copiaram muito, para aprenderem e para ganharem dinheiro com as ideias dos outros.
          Mas não quer dizer que isso não mude (e que não esteja a mudar).
          Quanto a espionagem industrial, penso que existirá em todos os países… A questão é que na China são mais descarados, talvez porque é difícil lutar lá em termos judiciais, as empresas ficam mais ou menos blindadas por isso.

  3. AC says:

    É para evitar a hegemonia asiática, que a UE considera a reindustrialização da Europa uma peça fundamental para a recuperação económica pós COVID-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.