PplWare Mobile

Em era dos elétricos… Número de carros a gasóleo aumentou em Portugal


Fonte: Associação Zero

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Emanuel says:

    Além do factor poluição, acho que a malta não faz bem as contas.
    Para menos de 25/30K KM não compensa gasoleo em relação a gasolina… preço de aquisição, revisões, manutenção geral, IUC.. etc
    Com os carros a gasolina com os novos motores mais “pequenos” mas que dao resposta, com consumos interessantes, nao faz muito sentido o gasoleo em muitos casos.
    Mas parece que é moda ter um carro a gasóleo…

    • eu says:

      O que a malta não pensa é por não usar GPL 😉

    • Miguel Porto says:

      Não concordo. Com base na minha experiência, atualmente os carros a gasolina tem manutenções tão ou mais caras que os diesel, principalmente os turbinados.
      Além que o consumo de gasolina é sempre superior ao gasóleo, em motores equivalentes.

      • rjSampaio says:

        Alem da vasta maioria dos carros a gasolina serem atmosféricos, não estou a ver como podem ter manutenções mais caras derivado a numero muito mais reduzido de peças.

        Qualquer site de oficina pode se compara isso.

        • Miguel Porto says:

          É só a minha opinião mas tenho muitos km de carro por ano (cerca de 30mil/ano), faço muitas vezes Porto-Lisboa.
          Já passei por várias marcas, a gasolina e diesel, inclusive um Yaris híbrido.
          Podem continuar a sonhar com um mundo lindo sem diesel mas no mundo real não há alternativa viável.

          • Emanuel says:

            De 30 mil para cima sem dúvida que compensa… agora quem faça menos… avaliando tudo, e falo pelo meu que gasta 6 (gasolina). (Não ando no pára/arranque )
            Revisão não tem nada a ver os valores… gastei menos 5000 euros na aquisição….
            até gastar isso em combustível a mais em relação ao que gastaria com diesel vão muitos anos.
            Atenção, tive diesel muitos anos num carro que a média não passava dos 5.

        • Costa says:

          qualquer carro recente terá manutencao mais cara… vendem carros baratos e carregam nas peças…

        • AlphaB says:

          Porque o que temos são carros de baixa cilindrada e com turbos motores cheios de porcaria associada que serve para rebentar com a carteira.
          Os fabricantes deixaram a muito de saber fazer motores.

    • Mário Pires says:

      Pois eu acho exactamente o contrário. Troquei a minha astra diesel que achava que gastava muito (7/8 lit. de gasóleo), por um Crossland X, (desses que têm os tais novos motores mais pequenos a gasolina). A Opel anunciava consumos de 5,5 lit., mas a realidade é bem diferente, pois a média que faz ronda os 13 a 14 lit. aos 100, e não ando a fazer corridas. Publicidade enganosa. Um péssimo negócio que fiz.

      • José Carlos da Silva says:

        Como assim 13 a 14 litros, não andando a fazer corridas?! Há aí qualquer coisa que não está certa…

      • O novo do restelo says:

        O problema é ser Opel (ou Ford), gastam imenso.

        Os TDI 2.0 gastam entre 4.5 – 6.5 reais; os TSI 1.2 já gastam 5.5 – 8.5 e os 2.0 TSI de 6.5 a 10.5; a BMW, Mercedes e da PSA gastam idêntico mas um pouco mais; se passamos à Opel/Ford então podem somar uns 30% mais. Isto tudo em motores comparáveis claro.

        • Miguel says:

          Discordo. Os novos motores que equipam já a maioria dos Opel são PSA e já quer Crossland quer o Grandland são modelos de raiz PSA…

        • Mário Pires says:

          O Crosland X da Opel usa o motor do Peugeot 308. Agora a Opel a Citroen e a Peugeot pertencem ao mesmo grupo e partilham peças e tecnologias entre si. Apenas o design, muda um pouco. Opel, Peugeot e Citroen agora são o mesmo. O mesmo grupo.

      • António Castro says:

        13 a 14 lt/100 é exageradamente muito.
        O mustang de 67 com motor 289 faz isso andar normal

    • O pirata says:

      Como assim motores mais pequenos terem consumos interessantes?
      se colocarem os dois a 120km/h ou mais vão ver que não é bem assim. já para não falam na fiabilidade… Ainda não vi nenhum com 200 mil km ou mais

      • Toni da Adega says:

        Não conheco é nenhum carro que nao consiga passar dos 200 mil km. Fazendo 20 mil km/ano é um carro com 10 anos nada de anormal.
        Já tive varios carros a gasolina praticamente com essa kilometragem e o motor estava como novo.

        • MiguelC says:

          Toni da Adega, os micro motores estragam-se com muito mais facilidade que os motores de tamanho regular.
          Para além disso são de reparação muito mais difícil e cara.

          • AlphaB says:

            Claro motores de baixa cilindrada são um engano podem gastar pouco com uma pessoa, se colocar-mos a família e malas aquilo para andar tem de se carregar no acelerador porque não tem força lá se vai os consumos e não vai durar muito é como colocar 100 Km em cima de uma gajo que so pode levar 50 km.
            Temos é muita gente a acreditar na conversa do vendedor e na publicidade das marcas, totós.

          • Toni da Adega says:

            O que é um micro motor? 500, 600 de cilindrada?
            É que eu estou a falar de 1000, 1200.
            Ou vão dizer que um Opel corsa ou um Clio, mesmo o mais fraco não consegue fazer 200 mil km

      • Mário Pires says:

        Certissimo. Gastam muitissimo mais.

  2. rjSampaio says:

    Mas por acaso a percentagem aumentou? ou so o numero de vendas?
    É que isso é que seria importante, o numero é irrelevante.

  3. carlos pereira says:

    Desde já afirmo que não sou contra veículos eléctricos, pelo contrário….mas acho que andamos a apresentar a coisa de forma errada, a maior parte das baterias vêm da maior fábrica de baterias do mundo na China! Será que se cumprem lá as normas ambientais? Se hoje em dia já há um problema com o que fazer com as baterias antigas, o que irá acontecer quando for necessário substituir estas baterias? Porque não se realiza um estudo verdadeiro e independente sobre este assunto?!?!?!?

    • rjSampaio says:

      mesmo que não se cumpra as regras, não deve ser certamente pior que a exploração do petróleo.
      É 100% limpo? nao, mas é bem melhor.

      • Mário Alves says:

        Bem as nossas plataformas no sul do Algarve foram para a gaveta, mas parece que vamos mandar pastar umas vacas barrosãs em Barroso para termos uma mina de lítio. A extracção deste minério faz um impacto ambiental mais directo às povoações em redor que uma plataforma a milhas de distância.
        A ver vamos…

    • rodrigo says:

      ao contrario das pilhas que usamos no dia a dia que vao para o lixo quando deixam de ter carga o mesmo nao vai acontecer com as baterias dos carros.
      Como ‘e certo e sabido as baterias dos eléctricos que ja nao tem a carga desejada serão reutilizadas para outros fins. Ha cidades no Japão que reutilizam essas mesmas pilhas para alimentar as lâmpadas da rua. Durante o dia carrega-se a pilhas via luz solar e ‘a noite faz luz.
      Reciclagem sera o passo seguinte. Mas ninguém vai deitar as baterias dos eléctricos ao lixo como fazem com as pilhas que temos em casa.

  4. Mário Alves says:

    Falemos de “hipocrisia”. O gasóleo isto e o diesel aquilo. Vamos ver o NOX e CO2 tal como outros… bla blá e blá.
    Os nossos governantes falam bem – dizem aquilo que o povo gosta de ouvir.
    Vamos a atitudes como por exemplo:
    Parar de financiar (através de redução de impostos nas empresas) os carros a diesel comprados/ALD/renting/leasing.
    99% das frotas são a diesel e financiadas pelo governo português.
    E temos empresas a pagar ordenados através de “carros a diesel” para todo o serviço (profissional e pessoal).

    A visão é pequena de quem anda por cá.

    • Pedro Ferreira says:

      Completamente de acordo. Já para não falar de que com esses ‘financiamentos’ contra isenção de impostos, todo o restante mercado de particulares fica ‘poluído’ com opções caras. Se vendessem menos veículos, teriam que fazer melhores preços e a receita fiscal iria ter outro foco que não automóveis.

  5. Adilson says:

    Carros poluentes a gasóleo?
    São os fumarentos antigos com mais de 20 anos ou estao todos incluídos?

    • rodrigo says:

      gasoleo = gasolina + oleo logo todos poluem mais do que a gasolina

      • Antonio says:

        Gasóleo = gasolina + óleo? Mete mais tabaco nisso.

      • Ricardo says:

        Diesel ou gasóleo é um óleo derivado da destilação do petróleo bruto usado como combustível nos motores a diesel/gasóleo, constituído basicamente por hidrocarbonetos. O óleo diesel é um composto formado principalmente por átomos de carbono, hidrogênio e em baixas concentrações por enxofre, nitrogênio e oxigênio. O diesel é selecionado de acordo com suas características de ignição e de escoamento, adequadas ao funcionamento dos motores ciclo diesel. É um produto pouco inflamável, medianamente tóxico, pouco volátil, límpido, isento de material em suspensão.

    • Antonio says:

      Os actuais também são fumarentos. Vou adorar quando os centros de inspeção tiverem meios de fiscalizar a falta do filtro de partículas! Vai haver muita malta a entregar o carro para peças.

  6. Pedro Pinto says:

    Não entendo o motivo de continuarem a chamar os veículo a diesel como poluente se na verdade os Euro6 são mais limpos que os gasolina…
    O problema não está nos carros, mas sim nos donos, combinado com falta de fiscalização e liberdade para fazerem o que querem, é que mancham o motores diesel removendo os sistemas anti poluição.
    Infelizmente as marcar conseguiram enganar tudo e todos porque não fizeram estudos como deve ser e continuam a não fazer…
    Eu sempre tive motores diesel e sempre irei ter, aguardo com expectativa o diesel e gasolina sintéticos muito brevemente.

    • Miguel says:

      Precisamente. Os novos diesel até com adição de Adblue são menos pluentes que a maioria dos novos veículos a gasolina. Então no que toca a CO2… Eu uso gasóleo aditivado que também ajuda na optimização de consumos/poluição/prestações.

  7. SANDOKAN 1513 says:

    Um aumento de 133.000 veículos a gasóleo ?? De 133.000 só num ano ?? Ui,daqui lá os veículos eléctricos conseguirem impor-se em Portugal.Daqui lá !! Isso vai levar décadas !! 🙂

  8. hsff says:

    O combate aos carros é o combate à mobilidade de uma larga maioria da população é isto que está em causa, a saúde e a ecologia são apenas um pretexto muitas vezes sem qualquer fundamento sólido.

    • Rui says:

      Exactamente. Tal como querem obrigar-nos a não comermos carne nem os seus derivados! Tudo em nome da ecologia!!!!!
      Vivemos na Venezuela da Europa!

    • Toni da Adega says:

      Exatamente. Não tem lógica nenhuma andar afirmar que os carros provocam a a poluição do ar nas cidades.
      Até parece que se reduz a poluição nas cidades reduzindo o tráfego.

      Por o Smog por exemplo é causado pelas bicicletas, muitas cidades aumentou o número de bicicletas e o Smog aumentou. Na Ásia andam todos de bike e têm muito smog.
      Talvez seja melhor reduzir o número de bicicletas e aumentar o número de carros para ver se combatemos a poluição

  9. Santos says:

    Tenho carro a diesel que cumpre a norma euro 6, porque faço grandes deslocações, apesar da empresa já ter uma frota elétrica considerável. Não tenho carro elétrico? Porque a autonomia dos melhores anda nos 500Km e para os carregar são 45′ com um carregador de 259Kw em casa eram necessárias 14 horas a 14Kw. Carregadores de 259Kw não podemos ter em casa, a não ser que tenhamos um posto de transformação ligado à rede de 15Kv. O que pretendo com esta conversa: não vamos ter eletricidade, para substituir 10% dos carros existentes (visitem electricitymap.org) neste momento são as nucleares a fornecer eletricidade, para a europa toda. Já temos carros a gasolina, adaptam-se com alguma facilidade a hidrogénio, porque não apostar neste combustível? Pesquisem sobre o hidrogénio e surpreendam-se, com o que os alemães e dinamarqueses andam a fazer. Grande autonomia com células muito pequenas, existindo já áreas de serviço para abastecer e a preços que neste momento são muito baixos e o que sai pelo escape é vapor de água, não sendo necessário catalisadores nem filtros de partículas, que para serem produzidos e reciclados originam emissões de CO2 elevadíssimas.

    • Mário Pires says:

      Os carros eléctricos morreram à nascença. Não tem lógica nenhuma. O futuro, dizem sim, estar no hidrogéneo, desde que pague o mesmo imposto ao estado dos derivados do petróleo. Caso contrário enquanto ouver petróleo os carros continuarão a usar produtos petroliferos.

  10. Nelson Monteiro says:

    Os carros a gasolina queimam mais co2 que qualquer outro carro,pois têm mais consumo por kilometro

    • MMendez says:

      E quando os diesel têm que fazer Km para regeneração com rotações altas vão mandar para a atmosfera o que pouparam antes alem de muitas vezes lixar o óleo e partir motores ou incendiar os carros porque temperaturas acima dos 300ª dá-lhes saúde.

  11. Rui says:

    Por muito que inventem, o carro a diesel ainda é o mais económico!

    Ontem fiz 140km num Renault Twingo deste ano, com 999 de cilindrada e 75 cavalos a gasolina. A marca diz que consome pouco mais de 5 litros…… pois bem, fiz 140km e consumiu 21 litros de gasolina!!!!!!! Média superior a 14 litros aos 100!!!!!! E devo referir que nas subidas o carro é uma lesma que não passa dos 70 a 80km/h na auto-estrada e a velocidade máxima não chega aos 150Km/h!!!!!!

    Para além da porta traseira…… ser toda em vidro!!!!!!

    Pois comprem carros a gasolina e depois queixem-se dos consumos anormais!!!!!!
    Devo referir que no mesmo percurso, faço as subidas a 140/180Km/h e descidas…… e a média de consumo chega no máximo aos 7,5 litros aos 100Km de gasóleo, isto a uma velocidade que é o dobro do que consegue atingir o Twingo a gasolina!!!!!!!

    • Rui says:

      7,5 litros aos 100Km, com um diesel de 2.000 de cilindrada e quase 200 cavalos!!!!!!

      • Ricardo says:

        Ainda à pouco tempo de Lisboa a Albufeira a minha 525D de 2009 com 3.000 de cilindrada (com 2.º filtro de partículas) fez 6.22 aos 100Km (velocidade média de 130Km/h). E com ela faço Lisboa – Madrid e Madrid – Lisboa com um depósito apenas.

    • Daniel Lopes says:

      Acho que nunca nimguem duvidou de ser o mais economico, eu pelo menos nao duvido.

      Tenho um a Gasolina, porque só faço 10/15milkm anuais, não me compensa os 5mil€ a mais por um a diesel.
      Com os 5mil€ tenho muita gasolina para por no meu popo e para muita manutenção.

      Já pessoas que fazem o mesmo numero de km e optam por diesel, é só parvo. Matematicamente não compensa. Para alem dos possiveis problemas, derivados à pouca rodagem que tem.

      • Ricardo says:

        Esqueci-me de referir que a minha 525D já tem mais de 400.000km (e faço as revisões a cada 15.000/20.000km em vez dos 30.000 preconizados pela marca).

        • MMendez says:

          Só tens a ganhar em fazer revisões cedo muda tb o óleo, a marca está lá para vender peças e para brilhar se for preciso diz para fazer a revisão aos 50.000 e a marca fica feliz em ver o carro muitas vezes na oficina depois disso.

          • Ricardo says:

            Desde o fim da garantia dela (à 7 anos) que nunca mais pôs os pneus na marca… vai ao meu mecânico de confiança (e até mesmo durante o período de garantia todos os serviços efectuados pela marca tiveram de ter o OK do meu mecânico)…
            É óbvio que quando vai efectuar a revisão normal (a cada 15.000Km/20.000Km) onde é trocado: óleo (8,5 litros de Castrol 5W30 C3 Longlife 04), filtro de óleo, filtro de combustível, filtros de habitáculo.
            Neste momento tem 458.923 Kms, já levou um filtro de partículas (já fora da garantia e com cerca 340.000Kms – sem ter acusado qualquer problema, na revisão durante o diagnóstico é que acusou que estaria próximo do fim, e antes de dar problemas foi trocado), troquei o turbo à cerca de 50.000kms (tinha cerca de 400.000 Kms – comecei a ouvir um pequeno assobio em aceleração)

      • celso says:

        Esses 5 mil€ de diferença, que duvido que chegue a tanto, é normalmente só em carros novos e depende de marca para marca. é preciso cada um fazer as contas e não generalizar. posso dizer que recentemente comprei usado com 4 anos e o gasolina andava taco a taco com o a gasóleo com potência equivalente..

      • Rui says:

        Obviamente que é preciso fazer bem as contas, mas não esqueça um pormenor muito importante, um carro a gasolina gasta bem mais litros que um diesel para fazer 100km. Além disso há uma diferença de 20 cêntimos por litro o que se traduz, mais ou menos em contas à Merceeiro:
        Um carro a diesel já compensa a partir de que ande 30.000km desde o início, para uma diferença de 4 ou 5.000€ no custo de aquisição. E isto com médias de 6 litros aos 100Km, o que eu não acredito que aconteça num carro a gasolina.

        Como lhe referi e tenho a factura de combustível à minha frente, eu ontem com um Twingo 999ccm, percorri 140km e no fim quando entreguei o carro, tive de atestar com 21 litros!!!!!! Dá uma média de consumo de mais de 14 litros!!!!!!! Posso garantir-lhe que faço o mesmo percurso com um BMW de 2.000ccm (o meu carro) e mesmo encostando a quase 250 em alguns troços, dificilmente consome 7,5 litros de média.

        Além disso, tenho a certeza que um carro a gasolina, não aguenta as centenas de milhares de km que leva um diesel em cima!!!!!

        • ze says:

          O meu mecanico tem 1 renault 9 , 1400 a gasolina.de 1983, ta de recordacao, comprou o novo. Ja ha meia duzia de anos que contava 800mil sem mexer no motor. A nao ser outros componentes de desgaste. Vejo aqui vizinhos com carros a gasoleo comprados novos ou smi novos, marcas de luxo, que ate motores novos levaram. Carros que custaram 60 mil euros ..,. E um desses nem 250mil fez.

          • Rui says:

            Há quem fique sem o carro logo à saída do stand!?!?!?! É preciso sorte para tudo, mas digo-lhe que um carro a gasolina durar 800.000km é….. raríssimo.

            Há carros para todos os gostos, felizmente, e não há uma solução mágica para toda a gente.

            Nós infelizmente não trocamos mais vezes por carros mais eficientes ou “amigos do ambiente”, porque não podemos financeiramente, ponto. Tanto assim é que entram centenas e centenas de milhares de carros usados no nosso país!!!!!

            E muitos condutores tiram o FAP, não é porque lhes apetece ou são contra o ambiente, é porque gastar 1.500 a 3.000€ não está ao alcance de todos!!!!!!!

            Mais exemplos, se em Aveiro ou no Alentejo, qualquer coisa com 4 rodas serve, no interior norte e centro, qualquer coisa com menos de 1.500ccm e pouca potência, faz consumos astronómicos!

            Há quem goste de carros com suspensão macia, eu adoro com suspensão dura…… são gostos!!!!!!

          • MMendez says:

            Nissan Primeira faz 800.000 Km a brincar está só nos 10 melhores motores fabricados de todos os tempos.
            A Renault acabou com ele.

    • AlphaB says:

      Eu devolvia esse calhambeque a Renault por publicidade enganosa.

  12. Luis Santos says:

    O loby do eletrico está em força. Nao há dia que nao seja noticia. Vamos todos comprar eletricos, a malta está cheia da guita. Ah depois vamos arranjar depositos para as baterias usadas.. E os acidos o que se faz aos acidos.. Ah faz-se depositos tipo refenarias… Só um aparte.. Na empresa que trabalho alugaram empilhadores eletricos. O consumo eletrico de carregamento assustou o corpo diretivo. A ver vamos..

    • MachoDoTorresmo says:

      “O loby do eletrico”
      exacto , com essa treta dos carros a pilhas já não posso exibir os meus dotes de macho as fêmeas; macho que é macho é carnívoro , fuma, bebe”tinto” uma garrafa por dia, e não paga impostos nem contribui para segurança social .
      Cada um que se cuide si , cada um por si .

  13. O novo do restelo says:

    Em Portugal a mentalidade é: como poupo mais? Poluição, doenças respiratórias ou oncológicas… Isso é mito.

    Na verdade em Portugal o problema não são os veículos novos (euro 6 e superiores) mas sim os milhares de veículos de mercadorias e pesados de transporte muito velhos e poluidores. Basta dar uma volta ir Portugal e depois ir à Europa Central e ver a diferença meses veículos.

    • Toni da Adega says:

      Não quero especular mas possívelmente vende-se carros durante o ano inteiro e nos últimos 6 meses o cenário mudou. Tipo no este mês vão vender mais iPhone 11 que no início do ano

  14. José Rodrigues says:

    Só quem não tem 2 olhos de testa em não adquirir um carro a gasóleo. E digam o que quiser sobre ele. Muitos jovens não tiverem o real conhecimento da durabilidade dos carros a diesel em comparação a outros de combustão diferente ou elétricos. Vejo alguns carros a circular por aí a diesel Mercedes com ou mais de 30 anos. Os modernos já com 5 anos já andam enfiados no mecânico. Pois o mercado ou os fabricantes não lhes interessa que os carros durem muito. Mesmo que me digam que durem nestes novos, agora carros com mais de 15 anos ou 20 esses são verdadeiras máquinas de guerra. Mas claro depende sempre do trato que levou ou levam.

  15. NjsS says:

    Devia aumentar ainda mais…
    Esta guerrinha contra o gasóleo é de uma estupidez digna do ministro do ambiente…

    Sabem qual e a idade do parque automóvel português? Sabem quais são os rendimentos dos portugueses? Se a real preocupação fosse a poluição a primeira medida devia ser incentivos para as pessoas trocarem carros antigos por carros mais recentes que cumprissem a euro6.

  16. GM says:

    Reformei o meu VW Polo 1.4Tdi com 19 anos e 390.000km, e passei para um Clio TCe Bi-fuel. Para já está em teste no que respeita a consumos. No que respeita ao GPL, o depósito de 33L faz cerca de 400/450km. A gasolina ainda estou a apanhar o pulso, mas deve fazer cerca de 600/650km, penso eu. Estou bastante satisfeito com a resposta que o motor tem, seja num ou noutro combustível.

  17. Cortano says:

    “O país europeu onde circulam mais carros poluentes é a Alemanha (9,9 milhões). Segue-se a França (9,8 milhões) e o Reino Unido (8,5 milhões). Portugal ocupa a 10ª posição.”

    Este comparativo só por si não diz nada. É normal a Alemanha ter mais carros, afinal, tem mais gente.
    Estranho seria se em PT tivessemos 9,9 milhões de carros a gasoleo – isto daria quase 1 carro por habitante (incluindo crianças).

    O que importa ver, e o que faria sentido, é qual o rácio no uso do gasoleo vs gasolina por vs nº de habitantes.

  18. Carlos Manuel Correia Pais says:

    Vivo na ilha da Madeira e não compreendo como é que existem aqui tantos carros Diesel!?!? Pessoalmente faço uma média de 10 a 12.000 km/ano a deslocar-me todos os dias para o trabalho que fica a cerca de 15 quilómetros de distãncia de casa. Na hora de comprar o carro (novo) apercebi-me rapidamente que a diferença de preço entre motorização a gasolina e diesel era demasiado grande para que pudesse recuperar ao longo do tempo no preço do gasóleo mais barato… a não ser que o carro dure mais de quinze anos, claro…Obviamente que cada pessoa terá de fazer as suas contas, mas a verdade é que há por aí muitos condutores que simplesmente preferem diesel, não sei se por vaidade, por moda, ou qualquer outra razão…

    Outra questão que raramente é debatida é a fumarada que sai de alguns escapes diesel!! Por vezes parece que o carro está a arder! Chega a ser extremamante incómodo para quem segue atrás, mas em geral, só se discute o barulho que as motos fazem…

  19. Carlos Manuel Correia Pais says:

    Vivo na ilha da Madeira e não compreendo como é que existem aqui tantos carros Diesel!?!? Pessoalmente faço uma média de 10 a 12.000 km/ano a deslocar-me todos os dias para o trabalho que fica a cerca de 15 quilómetros de distãncia de casa. Na hora de comprar o carro (novo) apercebi-me rapidamente que a diferença de preço entre motorização a gasolina e diesel era demasiado grande para que pudesse recuperar ao longo do tempo no preço do gasóleo mais barato… a não ser que o carro dure mais de quinze anos, claro…Obviamente que cada pessoa terá de fazer as suas contas, mas a verdade é que há por aí muitos condutores que simplesmente preferem diesel, não sei se por vaidade, por moda, ou qualquer outra razão…Já agora, o meu carro a gasolina (com turbo) obviamente não consome 5,4 como anunciado pelo construtor, nem eu estava à espera de tal coisa, mas consome 6,5 calculados por mim o que acho ser bastante em conta para as prestações que apresenta.

    Outra questão que raramente é debatida é a fumarada que sai de alguns escapes diesel!! Por vezes parece que o carro está a arder! Chega a ser extremamante incómodo para quem segue atrás, mas em geral, só se discute o barulho que as motos fazem…

  20. Carlos Alexendre says:

    Aumentou e vai aumentar.
    Muito países europeus tem políticas que penalizam os veículos a diesel e aumentam os incentivos a veículos que não poluem.
    Enquanto em Portugal cada vez temos mais veículos importados e redução dos isentivos aos elétricos.

  21. Duarte Miranda says:

    E qua tal o governo incentivar a troca de viaturas antigas por novas (GPL, eletricos, hibridos e gasoleo com adblue), baixando o preço absurdo do ISV?

    E taxar carros com mais de 20 anos no IUC e baixar o IUC para carros novos (Supostamente menos poluentes).

    Apoio para a troca de filtro de particulas, que são carissimos.

  22. António Castro says:

    Infelizmente já sei o que é ter carros novos a diesel, com trocas de 5 em 5 anos devido à quilometragem.
    Agora tenho uma carrinha Toyota Auris Hibrida de 07/2016 com mais de 130.000km feitos em todo o tipo de percursos e distancias.
    Médias a rondar os 5lt/100.
    Idas à oficina somente para as revisões previstas.
    Pode trabalhar dentro de espaços fechados que não se sente o cheiro do escape.
    É confortável e silenciosa.
    É por isso que estou satisfeito.

  23. Nitrox says:

    Para mim essa história está muito mal contada (O homem e as suas actividades é que mudam o clima)!
    Poluição é outra coisa, mas deviam nos explicar muito bem o porquê de os veículos a diesel tem de deixar de existir!!

  24. Costa says:

    Querem empurrar o eletrico a força que já até destroem refinarias com drones..

  25. TM says:

    Após ver milhentos comentários a dizer que carros a gasolina gastam mais que os diesel, fico me por rir deles. Tenho média de 5.4 num mazda 3 gasolina 2.0 2019 . Um depósito completo dá para cerca de 900 km(sem pára arranca). Já tive diesel e gasolina, diesel é mais consistente em consumos sem duvida, mas em termos de manutenções e IUC o gasolina é mais barato

  26. Enfilharado says:

    É obvio, os carros a gasoleo estão a perder valor de mercado e os eletricos a preços absurdos. Não estão á espera que eu com 4 filhos e mulher consiga meter carrinhos e sacos e beinquedos tudo dentro de um zoe não? Enfim. Quem se lixa é quem não pode comprar eletricos nem gastar tanto dinheiro com gasolina e tem de levar com taxas e proibições por ter um carro a gasoleo economico.

  27. Antoninho Pitágoras says:

    Nao tem lógica, bastava terem vendido 1000 novos carros a gasóleo e só serem abatidos 100 havia um aumento.
    Claro quem tem um carro a gasóleo não o vai deitar fora assim, vai ser algo faseado. É actualmente ainda se vendem carros a gasóleo mas para uso particular acredito que menos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.