Pplware

China, Noruega e Suécia lideram a adoção de carros elétricos. Porquê?

Apesar de vários países estarem a apostar na adoção de elétricos, há alguns governos que lançam cartadas mais fortes e, consequentemente, mais eficazes. Ainda assim, surge a questão que pretende perceber o que é que países como a China, a Noruega e a Suécia fazem neste campo para conseguir a liderança.

Nos lugares seguintes estão a Alemanha e o Reino Unido.


Há países que têm conseguindo apressar um processo que tem sido alvo de relutância. A adoção de elétricos tanto é vista como a solução para todos os males climáticos, como é interpretada como uma maçã envenenada que não terá o impacto que se espera.

De qualquer forma, os governos da China, da Noruega e da Suécia estão a conseguir que os seus cidadãos adotem, de forma consistente, este meio de transporte mais sustentável. Mas como?

A empresa de consultoria Ernst & Young publicou o estudo que realiza anualmente e que pretende averiguar o quão prontos estão os países para a adoção de carros elétricos, recolhendo dados de 14 mercados globais. Esse estudo considera a procura, a oferta e o quadro legislativo de cada mercado.

Conforme percebeu, o país mais preparado para os carros elétricos é a China, por ter a melhor oferta em termos de variedade, pela procura ser previsível, uma vez que 51% dos cidadãos procurarão um elétrico para novas compras, e por possuir 41% dos carregadores rápidos e ultrarrápidos de todo o mundo. Além disto, a disponibilidade de recursos minerais e o facto de alojar muitas fábricas de baterias garante o abastecimento e torna a China favorável à produção da maioria dos carros elétricos.

Logo de seguida, no pódio, está a Noruega, resultado de muitos anos de políticas de incentivo que, prematuramente, tinham em vista o fim dos motores de combustão interna. Em 2021, os carros plug-in já representavam 75% das suas vendas.

Em terceiro lugar está a Suécia, cujas vendas de elétricos representavam 40% do mercado. O país experienciou um grande aumento nas vendas, pois direcionou as políticas para o seu favorecimento.

Além dos incentivos, tanto a Suécia como a Noruega têm em comum o elevado rendimento per capita, que garante que os seus cidadãos têm capacidade financeira para suportar o investimento num carro elétrico.

Depois destes três líderes, está a Alemanha e o Reino Unido que, conforme já vimos, estão empenhados em adotar novas medidas de incentivo aos elétricos.

 

Leia também: