Quantcast
PplWare Mobile

CEO da Renault diz que mudar para elétricos muito cedo pode prejudicar o ambiente

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. Grunho says:

    Tal e qual a raposa e as uvas. Como estão muito atrás da concorrência em EVs, ah e tal, estão verdes, ainda são prejudiciais ao ambiente. Só há um ponto em que estão todos de acordo: produzir menos carros, mas com margens mais altas de lucro.

    • Gonçalo says:

      A renault é das marcas que mais eletricos tem ahah e foi tambem das primeiras a lançar um competitivo e que vende como croissants quentes

      • Jane Doe says:

        Vendeu mais model 3 a Tesla do que a Renault todos os modelos EV que tem. Se calhar as pessoas gostam mais de natas do que de croissants.

        • Gonçalo says:

          exato a tesla so vende eletricos e so tem 4 modelos a renault vende de todo o tipo e com muito mais modelos não compares o incomparavel

          • Jane Doe says:

            A comparação foi tua, tal como a sugestão de que a Renault tem um modelo que vende mais que os Teslas, quando na verdade a Tesla vende mais com um só modelo que a Renault com todos (os evs) juntos.

          • Grunho says:

            Se esses 4 modelos tivessem prestações comparáveis ao tesla eram eles que se vendiam a quadruplicar, em vez do model 3.

    • secalharya says:

      Os outros fabricantes estão ali para ganhar dinheiro.

      O Elon Musk dá-se ao luxo de enganar os investidores com esquemas XPTO de forma a ter sempre financiamentos a juro 0%.
      Lá vai manipulando o preço das acções e a carneirada fica contente por mais um trimestre.

      Qualquer dia acontece com a LUNA e depois não chorem.

  2. Jane Doe says:

    Prejudica é o lucro das marcas que estavam presas aos ICE, onde ja pouco gastavam com R&D, oferecendo a mesma receita ano após ano que lhes garantia bom lucro. Depois chegou a Tesla e estragou tudo.

    • secalharya says:

      E a Tesla não oferece a mesma receita desde 2012?

      Model S pouco evoluiu.
      Model X pouco evoluiu.
      Model 3, carro despido e mesmo assim ficou acima dos prometidos $35.000. Model Y é um Model 3 de saltos altos.

      Roadster, Cybertruck, ATV, Semi não saem do papel…

      A vantagem da Tesla está a esfumar-se a cada dia que passa.

  3. LA says:

    Este tipo de artistas não se preocupam com o ambiente. Querem é lucros.
    Daqui a uns anos, se calhar já não muitos, vão gastar os lucros para outro planeta. Porque na terra, já será dificil de se viver.

  4. Eu says:

    Esquecem-se é de dizer que se não for por uma pressão do ESG, não existe incentivo para uma mudança efetiva.
    Estamos há décadas a avisar sobre o problema do ambiente e só agora é que vemos alguma coisa se bem que muito suave.

  5. Hugo Sousa says:

    O problema é que segundo antigo CEO da Renault o modelo eléctrico era para efeitos políticos eles tem uma margem muito pequena nestes veículos…quando o ZOE começou a vender eles não os queriam “vender” apenas escoar o stock … nada de encomendas … basta ver os números nos últimos meses …
    As vendas diminuíram progressivamente de uma posição de liderança…
    Agora é o chamado correr atrás do prejuízo…

  6. Luís Costa says:

    Então mas não eram estes malucos que disseram que iam só produzir elétricos a partir de agora? Correu mal foi?

  7. Mr. Y says:

    «os investimentos em motores de combustão fossem cortados, tornando-os mais poluentes.»

    Como é que baixar no investimento dos motores os tornam mais poluentes? Os motores sentem-se menos valorizados e começam a poluir mais só para fazer ronha?

    Entendo que os torne menos rentáveis por ficarem mais caros porque a procura baixa mas daí a poluir mais…

    • B@rão Vermelho says:

      Faz um pequeno exercício, corta para metade o orçamento para alimentação em tua casa e depois vais ver que não podes comer bife de vaca todos os dias nem alimentos frescos, passas a comer enlatados, é bom?, é mas o bife é melhor
      A mesma coisa se passa com o investimento nos motores ICE, consegues encontrar diferenças entre motores dos anos 80 e 90 para os atuais.

    • Grunho says:

      Com o know how actual, dos motores de gasolina de ignição por compressão, hibridação, etc., se produzissem carroçarias de 600 ou 700 kgs, como o 2 CV, Uno ou AX dos anos 70 e 80, era muito fácil conseguir consumos na casa dos 2 vírgula, cortando a meio a poluição. A indústria é que não tem interesse nisso.

      • ivan says:

        Isso seria impossivel devido a quantidade de regras de segurança que existem hoje em dia… o carros estão maiores devido as normas que existem perante o caso de acidentes/atropelamentos etc impostos pela UE

        • Grunho says:

          As regras de segurança e limites de velocidade que existem hoje alteravam-se facilmente se a indústria tivesse interesse. E não era muito difícil fazer carros minimamente seguros com metade do peso dos actuais.

  8. B@rão Vermelho says:

    O problema é que os veículos elétricos ainda não são resposta para a grande maioria das pessoas/países.
    Quantos países africanos têm condições para abraçar veículos elétricos, o mesmo se passa nos países sul americanos, ou asiáticos?
    Mesmo na própria europa há países que seguramente não têm condições.
    Eu tenho duvidas que o futuro dos automóveis seja este sistema de baterias, acho que ñ é muito prático.
    À dias vi no Youtube falarem de baterias nucleares, feitas de diamantes e restos de desperdícios da centrais nucleares, estimavam a duração em 26000 anos.

    • Grunho says:

      Acredito que baterias feitas de desperdícios de centrais nucleares possam durar 26000 anos. Agora, o utilizador é que não dura muito mais de 26 meses até definhar de leucemia ou cancro. Se for para isso, escolho andar a pé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.