Quantcast
PplWare Mobile

Carros importados com quilómetros adulterados renderam 2,2 milhões

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Mitra says:

    Depois vemos pessoal a dizer que os injectores ou turbo foram de viola aos 120.000K em BMW e Mercedes importados, claro são carros com 250.000K já em cima ou mais e metem como se tivessem 20.000K “como novo” 😀

  2. Tsuatsa says:

    Dois anos atrás na Zona de Loures fui ver um veiculo, que após consulta do VIN no AutoDNA tinha mais 50 Mil em cima, após queixa no site de referencia o carro desapareceu do site, e foi para Coimbra para outro Stand, é uma máfia imensa.

  3. Str says:

    Comprar carros em stands fora da marca, como eu comprei e quase toda a gente compra, é uma aventura, um risco. Comprar naqueles vendedores de beira da estrada aí então é pedir para ser enganado. Isto é só vigaristas.

    • iDroid says:

      Tens toda a razão. A minha irmã comprou um carro usado que só em arranjos já vai em mais de €6000. O meu pai tem a certeza que o carro ia para abate e foi redirecionado para venda…é uma tristeza.

      • Str says:

        Também eu já fui enganado, quando percebi já era tarde demais, só me apetecia matar o gajo, matar mesmo a facada. Quem vende carros conhece mil e um truques para enganar os clientes. Deixo aqui duas dicas: em carros usados só um test drive não chega e caso seja possível façam sozinhos, se o vendedor insistir em acompanhar não o deixem falar durante a viagem nem ligar o radio. Carros usados que tenham ambientadores pode ser um truque para disfarçar cheiros, seja tabaco ou animais.

        • Str says:

          Carros que estão parados há muito tempo ou com infiltrações de agua no habitáculo, tendem a ganhar cheiro a mofo e aqui o ambientador também surge como um truque para disfarçar os cheiros. Um ambientador que é uma coisa tão inofensiva e comum nos carros pode esconder problemas bem dispendiosos.

  4. Abreu says:

    Isso já existe a pelo menos uns 8 anos

  5. JR says:

    Como se este esquema já não fosse conhecido por alguns ou até muita gente. A mafia rende bastante dinheiro, é como os cafés, choram perante o governo que está mal, mas agora já ninguém os ouve falar/reclamar. Quem não chora não mama. Não me admira que somos classificados como o pais do lixo, e o governo aplaude pela misérias que as pessoas passam. Enfim, agora os indivíduos ou vendedores de carros irão arranjar outra estratégia para prejudicar o comprador. É como se diz, quando a tática é a mesma é hora de mudar para outra para voltar a prejudicar o comprador, e assim é numa bola de neve.

  6. TugAzeiteiro says:

    O que eu acho mais incrível no meio disto tudo são as marcas continuarem a compactar com esta adulteração de Km’s! Ou seja, facilitam estes esquemas ao não alterarem a segurança dos seus sistemas… Hoje em dia é fácil comprar um aparelho que se ligue ao OBD e alterar os Km’s para o desejado! Principalmente nos importados que não passaram pelas inspeções em Portugal e onde não há qualquer registo. Para alem de que é um desprestigio para uma marca andar meio mundo a dizer que o carro X ou Y só dá problemas e que tem apenas 100mil Km’s…. (quando na realidade tem +200mil)! A única marca que tenho conhecimento que os Km’s são realmente os reais são os Teslas, já que aquilo é um computador que está ligado à casa mãe!

    • Zé Fonseca A. says:

      Que importa os kms num tesla? Importa é a bateria, se for um tesla novo e tiver a bateria de um tesla com 8 anos é igual a comprares um carro com 500 000kms.

      • Iris says:

        Tem razão, mas penso que não é qualquer um que muda uma bateria de um Tesla e tendo o carro de comunicar com a central é muito mais complexo conseguir instalar uma e deixar tudo a funcionar e a comunicar com a central sem red flags, em comparação, carros não elétricos a coisa é muito mais fácil de modificar também pela experiência e conhecimento que existe neste ramo.

  7. Pedro says:

    Como é que o IMT tem registo de Km de um carro importado quando os mesmos foram feitos “lá fora” ?

  8. klimane says:

    Há uns anos, li algures que na Alemanha têm oficinas próprias onde “reparam” velocímetros.
    Muitos deles já trazem a alteração de lá.
    Outros fazem cá.
    Acho que já está na hora de exigir aos nossos políticos medidas para que a real quilometragem esteja disponível gratuitamente para um futuro comprador.
    Trata-se de uma questão de segurança e vida ou morte em artigos que são a segunda compra mais cara que qualquer um de nós faz.
    Estão lá para defender os direitos de todos e não dos vendedores automóveis.
    Se o lucro vem de manipular números então mais vale fecharem a porta e deixarem de inflacionar preços que muitas vezes são ruinosas para um comprador médio.

    • Zé Fonseca A. says:

      Uma dica, querem comprar carros usados no estrangeiro comprem-nos no proprio pais.
      O unico carro usado que alguma vez tive comprei directamente na alemanha, fui lá vi carros usados das marcas e privados, tomei a minha decisão, paguei e contratei serviço de transporte para PT, também há quem venha a conduzir, chegando cá é só legalizar o carro e pagar os devidos impostos.

  9. grian ol says:

    Querem comprar carros de alta gama a preços baratinhos .. é bem feito !

    O tuga chico esperto só tem o que merece ..

  10. Miguel Freitas says:

    Deixo a minha experiência e alerto que todo o cuidado é pouco!
    Em 2019 andava a ver peugeot`s 308 sw para comprar. Depois acabei por comprar uma nacional… e estou até hoje satisfeito com a compra! Experimentei e fui ver, sem exagerar, pelo menos 8 viaturas (todas importadas). Em todas, sem excepção, os klms tinham sido alterados. Desde os 30.000 (foi a mais baixa, vinda de Espanha) até uma viatura de alguém conhecido e recomendado – com mais de 100.000 em cima do que o que registava o conta-klms.
    Recomendação de não ser “lerpado” – Esses sites “auto-dna”, etc e com o Vin ir às próprias marcas – se houver registos de manutenções nas próprias marcas (normalmente há nos primeiros 2/3 anos devido à garantia) conseguem perceber se pode haver alteração de klms!..

    • Zé Fonseca A. says:

      Para quem compra carros decentes, as revisões ficam todas registadas na chave e no computador de bordo, incluindo quantos kms tinha, data e tudo o que levou novo.
      Enquanto o carro tem garantia da marca ninguém é burro para ir fazer revisões fora da marca e por isso podem consultar o registo, quase como se tivesse a consultar as faturas da oficina.

  11. Pedro says:

    Sempre que se vai ver um carro usado os kms acumulados que apresenta deve ser a última coisa a ser vista, mesmo nos nacionais. É preferível ver o estado geral do carro (saber onde procurar, levar mecânico ou alguém minimamente entendido) e mesmo assim nada é garantido.

  12. paulo says:

    a blockchain resolvia este problema de forma facil!

  13. AJ says:

    Mais vale comprar a particulares do que a stands.
    Tudo que seja carro que dê uma média de menos de 10 mil km/ano nunca acredito.
    Houve uma altura em que deixava o carro parado vários dias por semana e mesmo assim fazia sempre 10 mil km ao ano.
    Carros de 2013 com 50 mil km… Isso não existe, se existir é porque o carro consome imenso ou alguma coisa tem para nem valer a pena tirá-lo da garagem.

    • Lisboa says:

      tudo depende o meu quando o comprei com 19 anos estava 83.000 km o carro era um 2º carro e só andava as vezes,fui buscalo a quinta onde o dono morava até hoje 5 estrelas ainda o tenho esta impecavel neste momento 130 000 o carro é de 1993.

    • Str says:

      Há particulares e “particulares”

    • MT says:

      Percebo o que dizes e é natural que se pense assim. No entanto cada caso é um caso, o meu carro de 2017 (novo) tem neste momento 21000 kms (em casa temos dois carros da empresa). Mas admito que não é normal assim ser.

  14. Araujo says:

    O meu carro foi comprado em 97 novo e só tem 187 000, por isso isso não se aplica muito o que dizes.

  15. Dalex says:

    Desde os finais dos anos 90 que esta pratica ja existia com menos visibilidade é certo mas aqui ou ali ja se ouvia falar disto especialmente em carros importados da Alemanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.