Quantcast
PplWare Mobile

Carros elétricos poderão diminuir consumo de petróleo em 8 milhões em barris dia até 2035

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. Joao Santos says:

    Escelente noticia. Ja agora de me poderem responder sei que o topico nao e o certo mas a loja que vosses recomendam para o Xioami mi mix 2s e de confianća e com garantia de 2 anos? Como posso me registar aqui no vosso blog?

  2. Sérgio J says:

    20 milhões de viaturas significa produzir mais 200TW ano de energia eléctrica. Energia que será “roubada” ao aquecimento, à iluminação, à produção industrial, etc. 20 milhões de baterias que terão de ser recicladas. É não falem da produção verde. A produção eólica faz se à custa de destruição montanhas, a hídrica à custa de destruição de vales. A solar está a décadas de poder ser considerada viável. Quando se fala em benificios, convém mostrar os dois lados da balança

    • Sérgio J says:

      Onde quero chegar? Estão a tentar meter os ovos todos no mesmo cesto. O futuro para o automóvel deveria ser outra fonte de energia, como por exemplo o Hidrogénio.

      • Eu says:

        Meu Caro. Ter um motor eléctrico significa que este consume energia… e esta pode vir de várias fontes (baterias, painéis solares, geradores/auxiliares a gasolina, hidrogenio, gasoleo, agua…) . Isto sim é diversificar! Ficar dependente de um tipo de motor que depende exclusivamente de um único tipo de combustivel que só poucos comercializam é continuar a carneiragem do monopólio energético.

        • NunoR says:

          Acho que o “Eu” e o “Sergio J” têm ambos razão, embora aparentem desacordo. Estão a olhar para facetas diferentes do problema. Uma é o impacto ecológico do aumento de carros eléctricos, e que de facto não é tão grande como parece à primeira vista, porque há uma troca de “prejuízos” ecológicos, ganhamos dum lado e perdemos doutro. Outra é a faceta económica que aponta o “Eu”. O que é mesmo difícil, é: depois de todos, mas mesmo todos, os prós e contras de todos os cenários serem colocados na balança… para que lado a balança cai? Ninguém tem dados suficientes para responder HOJE a esta questão.

      • Ruy Acquaviva says:

        Caro Sérgio J, você precisa entender a diferença entre fonte de energia e forma de energia. A eletricidade é uma formade energia muito versátil e pode ser produzida a partir de diversas fontes (eólica, solar, hidroelétrica, nuclear, etc).
        Muita gente confunde fonte de energia com forma de energia porque usamos normalmente derivados de petróleo (gasolina, diesel GLP, etc) como forma de energia (no caso são produtos líquidos que liberam energia química por combustão) que é derivada diretamente do petróleo (que é o resultado da fossilização e metamorfização de seres vivos,ocorrida ao longo de milhões de anos e encontrado no subsolo). A maioria das pessoas não considera o refino e imagina os produtos que usam (gasolina, diesel, etc) ao mesmo tempo como fonte de energia e forma de energia.
        O Hidrogênio não é uma fonte de energia, e aí reside seu erro, mas uma forma de energia. Não existe gás hidrogênio livre na atmosfera, nem ele é obtido no subsolo como o gás natural. O gás Hidrogênio é produzido a partir de outro material (como por exemplo a água), com o consumo de energia, que deve vir de uma fonte (eólica, solar, hidroelétrica, solar, etc) exatamente como a energia elétrica. A ideia é que o gás hidrogênio é mais fácil de armazenar que a energia elétrica e sua queima produz apenas água, portanto não gerando a poluição que é gerada pelos derivados de petróleo.
        Infelizmente no entanto ainda não existem técnicas eficientes para se obter hidrogênio da água. Por exemplo a eletrólise, mais conhecida, consome grandes quantidades de energia elétrica. De fato, hoje quando se deseja obter grandes quantidades de hidrogênio (para usar como combustível de foguetes por exemplo) esta éretirada de derivados de petróleo. Mesmo assim há grandes esperanças em uma “economia do hidrogênio” (não gosto do termo, mas é muito usado) onde se use fontes renováveis de energia (justamente aquelas das quais você desdenha) para gerar gás hidrogênio a partir da água de forma limpa, armazenar esse gás e usá-lo para gerar energia em células de hidrogênio (que produzem energia elétrica) ou motores a combustão (energia mecânica).
        Por tudo isso perceba que o que você está afirmando ao contrapor o hidrogênio à energia elétrica e tratando esse gás como fonte de energia, não faz nenhum sentido.

  3. paul says:

    deve ser por isso é que vao atualizando o preço dos combustiveis todas as semanas,
    em 2035 o litro de gasolina deve ser de 15€

    • Jomabor says:

      Sem dúvida ! Quanto mais se poupar em consumo de combustível mais ele sobe graça a impostos.Este Governo decidiu criar um adicional ao ISP porque tinha havido quebra na receita graças à crise.Agora que os consumos voltaram a subir, diz que já não pode passar sem os 400 milhões de € suplementares.
      Será interessante observar a estratégia de preços impostos pelo governo no futuro próximo.
      Não é por acaso que os incentivos na compra de autos eléctricos é tão reduzida… qualquer dia vão mesmo taxá-los extraordinariamente !

  4. SM says:

    A expansão da mobilidade electrica, no momento actual, está comprometida pelo sistema e duração do carregamento das baterias. Se, por hipótese, a maioria da população, tivesse mesmo de adquirir um carro electrico, gostava de saber onde é que o iam carregar, sobretudo quem não reside em moradias. Só se pendurarem uma extensão de 50 metros da janela de casa durante toda a noite. Se forem milhares a fazer o mesmo, o cenario nas cidades seria dantesco, tipo terceiro mundo.

  5. anonymo says:

    Os carros elétricos para mim vão ser tão ou mais poluidores que os combustíveis, isto porque as baterias que presumo são de lítio e não só, quando estão em fim de vida têm que ir para algum lugar, agora imaginem para onde vão. Também, para fabricar energia para os biliões de automóveis que existem no mundo, teria que ir buscar a energia a algum lugar, e isso teria que ser só com fusão nuclear, já que neste momento não existe energia suficiente para alimentar biliões de carros. A realidade é que isto tudo também tem que ser sustentável, o lítio não existe infinitamente. A única fonte de energia que poderia ser interessante é o hidrogénio. Já vi autocarros movidos a hidrogénio em Portugal e andavam muito bem, com pessoas lá dentro. Existem também carros movidos a hidrogénio. O hidrogénio é a forma de energia que mais existe no universo. Pensem nisso 🙂 Porque investir em carros elétricos em vez de carros movidos a hidrogénio???

    • SergioDRF says:

      Porque existe toda uma agenda a seguir, caro amigo. Hoje o inimigo público é o combustível originário do petróleo (pois as potências necessitam de as garantir exclusivas para elas)…a seguir, quando todos estiverem com eléctricos, começam a cobrar impostos absurdos com o argumento de que as baterias, no fim de vida, poluem e porque novas infraestruturas de carregamento serão necessárias, já para não mencionar a quantidade de energia para carregar biliões de veiculos diariamente, etc etc etc… de alguma forma, temos de continuar a alimentar os vícios e as férias de determinados indivíduos! 😉

    • MárioM says:

      Essa é a Solução ! nunca o electrico.

    • Jorge says:

      Pouco provável, primeiro esse hidrogénio do “universo”, não é assim tão abundante no nosso planeta na forma atómica, sendo que na maior parte está na forma de água, e para o isolar é preciso utilizar na melhor das hipóteses um processo de electrolise, só de si perde 20% a 30% da eficiência, depois tem o problema do armazenamento, que também não é fácil. Na minha opinião o hidrogénio terá certamente outras aplicações, como armazenagem, ou navios.

    • Ruy Acquaviva says:

      Já coloquei a questão em outro comentário neste mesmo post. O hidrogênio não é fonte de energia. Não existe gás hidrogênio livre para uso como fonte de energia, ele tem que ser obtido da água, petróleo ou outra fonte qualquer com consumo de energia. Dizer que o hidrogênio é fonte de energia está errado. Talvez no futuro seja possível obter energia do hidrogênio através da fusão nuclear, mas isso é outra coisa. Hoje o que existe é a queima do gás hidrogênio (H2) para formao a água (2H2 + O2 => 2H2O) e o gás hidrogênio tem que ser produzido com o consumo de energia. Hidrogênio é forma de armazenamento de energia e não fonte de energia. Será que é tão difícil entender isso. Tem pessoas que repetem esse erro de apontar o hidrogênio como fonte de energia como um mantra. Isso é errado, um equívoco. Quem comete esse erro tem que estudar mais antes de espalhar equívocos como esse.

  6. Rui says:

    E entretanto a guerra comercial entre Europa e Estados Unidos intensifica-se porque os americanos estão furiosos por mais uma pipeline da gás a ligar a Rússia e a Alemanha!!!!!!!
    Pensava que a Alemanha advogava com a diminuição da dependência do petróleo e outros combustíveis fósseis, para sermos mais “verdes”!
    Tudo tretas. Tudo roda à volta do dinheiro!!!!!!

  7. caetano says:

    Os electricos ainda não se vendem à velocidade desejada e já há preocupação da indústria petrolifera. Claro que são viaveis, tanto como cada um de nós produzir a energia de que necessita mas isso será sempre limitado pelos governos com impostos ou impedimentos. Diversidade e concorrência é o que se pretende e neste momento ainda não há em pleno.

  8. anon says:

    Ótimas notícias para quem ainda vai usar carros a combustível.

  9. MárioM says:

    E o aumento no consumo da elctricidade vão busca-la onde ?

    • anon says:

      Ninguém pensa nisso, nem querem pensar.

    • Jorge says:

      Essa é uma pergunta que muita gente faz, que não faz sentido nenhum, e deixo-lhe aqui a resposta do porquê, como calcula, quer a gasolina quer o gasóleo são produtos refinados, e para serem refinados é precisa energia, muita até, a ser conservador vou-lhe dar o valor de 2Kwh por litro, se um carro gastar 6 L/100Km , são 12Kwh, ora com apenas a energia da refinação, já consegue fazer pelo menos 80KM num carro eléctrico, isto só a refinar! . Depois tem muitos outros fatores que acomodam poupança, o transporte, e o prazo de vida, mas para quem não sabe, quer a gasolina quer o gasóleo têm prazo de validade. Portanto, a resposta à sua pergunta é fácil, a energia vai vir maioritariamente do défice criado à boca da refinaria.

      • NunoR says:

        Bem… essas contas são um pouco facciosas porque não têm em consideração que são “energias” que não são transferíveis dum lado para o outro. É como dizer que 3 mulheres fazem um filho em 3 meses! Por outro lado há a questão da rede de distribuição, que não está dimensionada, na maior parte dos locais, para suportar um aumento de consumo médio em horário nocturno, provavelmente superior ao do horário diurno.

        • Ruy Acquaviva says:

          No nosso dia a dia a energia é transformada de uma forma para outra o tempo todo. Não há nada de faccioso nos fatos apresentados pelo Jorge.
          E a rede de distribuição não precisa ser estressada pelos carros elétricos. Basta que o carregamento não seja feito nos horários de pico de consumo, o que pode ser feito por dispositivos instalados nos carregadores. Fora do horário de pico de consumo a rede de distribuição tem capacidade de sobra para atender ao carregamento dos aumóveis.

    • Fred says:

      À redução do consumo de electricidade das refinarias que produzem menos combustível

  10. Antonia says:

    Por mais voltas que deiam não vão conseguir gerar energia Limpa, i. é ., vai gerar de forma escondida outros meios poluentes…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.