Quantcast
PplWare Mobile

Carregamento rápido de carros eléctricos pode ficar 10 vezes mais caro

Documentação legal

Decreto-Lei n.º 90/2014 que estabelece o regime jurídico e altera um conjunto de regras aplicáveis à mobilidade elétrica contempladas na lei anterior (Decreto-Lei n.º 39/2010), produzindo um conjunto de novidades no regime da mobilidade elétrica, do qual resulta o Regulamento da Mobilidade Elétrica publicado pela ERSE em 2015.

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Mateus says:

    Os governos e empresas de energia querem que isto seja a próxima galinha dos ovos de ouro:
    – muito menos custos de produção e manutenção
    – por km estão a apontar para valores de diesel. Eu para fazer 100 km com diesel a 1.45€/L gasto entre 7 a 9€;

    E em breve já prevejo obrigar a ter uma linha dedicada em casa para carregar o carro para cobrar mais pela energia dessa linha.

  2. Luís says:

    Lol. Vão arranjar forma de ele pagar o mesmo como se fosse combustível. Depois vêm com a treta do ambiente.

    • Flavius says:

      Eu estaria mesmo interessado em saber para onde vai o valor da treta do ambiente, e que não vejo nenhuma melhoria, quanto mais em renovar as estradas….hmmmm
      Pagamos e nos calamos…

  3. hommer says:

    nada que já não se esperasse, quando começassem a cobrar pelos carregamentos a brincadeira iria sair igual ou mais cara que ter um carro a combustível fóssil… as empresas e governo não se iam perder nesta situação…

    • anon says:

      Prevejo essas metas de atingir os x carros elétricos em Portugal um grande epic fail.

      • Carlos Silva says:

        Errado, as metas serão ultrapassadas.
        As pessoas começam a perder o medo e as baterias têm cada vez maior autonomia.
        O cepticismo foi e ainda é o maior obstáculo.

        • anon says:

          VE ainda estão em fase beta. Quando passarem desta fase voltamos a falar.

          • Carlos Silva says:

            Concordo na fase beta mas apenas para as marcas tradicionais, que estiveram a trabalhar para nos vigarizar.
            A Tesla já deixou a fase beta há muito tempo.
            Conduzo diariamente um Tesla Model S mas alguns dias conduzo um BMW X1 xDrive 20d, uma Alhambra atual ou um Ibiza TDI de 2004.
            Ora, o BMW, a Alhambra e o Ibiza, parecem projetos falhados de cientistas bêbedos, em que nada faz sentido.
            Quem não passa por esta experiência não entende, mas é a realidade, fomos todos enganados desde há pelo menos 20 anos.

  4. Filipe says:

    Finalmente vão começar a tirar do bolso dos que realmente gastam e utilizam essa forma de locomoção e carregamento, ao invés de serem os contribuintes a pagar tudo. Agora quanto ao preço, já se sabe como funcionam as coisas por cá: se custa 1, vão pôr o preço a 10.

  5. milkshaker says:

    Isto é uma questão de contas.

    O estado e as empresas terão de ter X de lucro, seja em imposto sobre a gasolina ou sobre eletricidade.

    Quando inventarem um carro que não precise de abastecer, começamos a pagar ao Km percorrido.

    São contas fáceis de fazer.

    • Blackbit says:

      Infelizmente concordo contigo, o dinheiro tem de continuar a entrar, pelo menos do lado do estado, se não é de uma maneira (impostos sobre produtos petrolíferos) será de outra. Nisso os políticas tem muita imaginação…

  6. Carlos Silva says:

    Admissível cobrar estes valores se existissem PCR suficientes para não esperarmos mais de 1h em fila e se o sistema mostrasse o estado real de cada carregador.
    Hoje, o site mostra carregadores disponíveis e funcionais mas quando nos deslocamos lá estão inoperacionais, este é o maior falhanço da rede Mobile.e, engenharia da treta, mal desenhada e mal gerida do princípio ao fim.
    Se pagarmos preços de luxo, seremos indemnizados sempre que a informação estiver errada? É importante perceber que quando fazemos 20km para carregar ficamos sem autonomia para seguir para outro carregador, tudo porque há pouquíssimos.
    Pessoalmente vou iniciar uma guerra legal contra tanta incompetência.

  7. Vitor says:

    A conversa de ficar mais barato se carregado em casa é muito bonita…para quem tem garagem. Na maioria das grandes urbanizações os moradores têm (quando têm!) um lugar de estacionamento ao “ar livre”! Se a maioria optar por uma viatura elétrica e (o que seria normal) carregar as baterias em “casa” para ficar mais barato…vai ser “bonito” ver os passeios e ruas atravessados por cabos de carregamento!! Mas temos de pensar que as multas também rendem…e bastante!

  8. Rodrigo says:

    Estavam à espera do quê? Só porque tinham comprado um carro eléctrico que a “mama” ia durar para sempre?

  9. Mortágua says:

    Isto é tudo muito bonito, carregamento em casa? Então eu pergunto, suponha mos que o meu vizinho compra um eléctrico, começa a carregar em casa na garagem do condomínio, nos condóminos pagamos condomínio que inclui a electricidade do prédio certo?! Ora ao carregar consome mais electricidade do prédio, depois a administração apercebe se do aumento dos gastos e o que decide fazer? Vamos aumentar o valor, então todos comecam a pagar por causa da pessoa que lá carrega o carro. Conclusão estamos a pagar o “combustível” de outro

    • Blackbit says:

      Para esses casos ainda não há soluções no mercado ( pelo menos a meu conhecimento) mas para a mobilidade eléctrica vingar tem de se arranjar uma solução para essas situações pois representam a maioria dos consumidores.

    • rodrigo says:

      Como fazem os donos de carros eléctricos para pagar quando utilizam os carregamentos rápidos fora de casa? A mesma coisa pode ser aplicada na garagem dos prédios.

      • Carlos Silva says:

        Nem mais.

      • GM says:

        Não é bem assim. O prédio tem uma baixada, a alimentação ao edifício, que se divide pelos serviços comuns e pelas diversas fracções de habitação / comércio / serviços. A menos que o Condomínio passe a cobrar, mediante um contador semelhante ao MOBI.E. Nesse caso, o utilizador do serviço pagaria o consumo ao Condomínio, que venderia a energia.

  10. Filipee says:

    Se os lucros da Galp e etc já eram exagerados a nossa custa com os preços que praticam (sim mesmo que tiremos os impostos, eles se o barril subir hoje, sobem amanha o preço, mas se descer hoje, nada muda a não ser que desca o barril durante vários dias seguidos para fazerem uma descida disfarçada e na semana a seguir voltam a subir) agora com estes postos quando as ”petroliferas” tiverem nos postos de abastecimento os carregamentos rápidos o lucro será gigante dado que não haverá ISP a dar ao governo.
    Ou seja estas empresas não estão a dar impostos e lucros ao estado como os combustiveis fosseis, mas sim a encherem-se e isto revolta muito mais. Prefiro pagar 50% do preço em impostos para o meu país desde que o mesmo avançe, que pagar apenas 23% em impostos e grande parte do resto ser um lucro abusivo nestas empresas.

    Oxalá que no futuro exista alguma empresa que queira montar parques de carregamento com paineis solares dedicados e vendam a metade do preço aquilo que lhes custará 0* (apenas o investimento ) sem dependerem da rede elétrica nacional para tirarem clientes às ditas energéticas que existem agora.

    Enquanto isto quem tiver GPL no carro paga 60 ou 70cent o kg (dá que pensar)

  11. D4rkw3b says:

    Isto pode ficar barato para quem tem quintal com boa exposição solar.
    Basta meia dúzia de painéis e um bom acumulador para acabar no fim do investimento com lucro.

    • Blackbit says:

      Meia dúzia de paneis? A sério ?

      • GM says:

        É. Meia dúzia de painéis de 255Wp, significa 1,5kWp. Traduzindo em produção diária, no Verão, cerca de 10/12kW. Para carregar o popó, deixa cá ver….ao fim duma semana pode utilizar a viatura com carregamento solar. No inverno….não usa, pelo menos carregado com solar fotovoltáico.

  12. D4rkw3b says:

    Isto pode ficar barato para quem tem quintal com boa exposição solar.
    Basta meia dúzia de painéis e um bom acumulador para acabar no fim do investimento com lucro.

    • anonymo says:

      Pois, isto é muito bonito, mas quando existem milhares ou milhões de utilizadores de painéis solares em casa, começa a ser implementada taxas, penso que é o que já acontece em vários países, espera até começarem a cobrar por terem painéis solares em casa.

  13. Pedro says:

    Deplorável andar a pagar os vícios dos outros. Pago as minhas deslocações e as desses “tipos”, porquê?

    • DrFrankenDerpen says:

      Foste ao médico no centro de saude? ou teu filho ou filha? Sim? ok…eu não fui, então por que razão os meus impostos têm de pagar a tua consulta?
      enfim é com cada um que mais valia viver sozinho no meio do mato

      • Pedro says:

        A tua resposta é só, pouco inteligente, refletindo o teu baixo Qi. Queres comparar serviço público pago por todos disponível por todos com o assunto que comentei. É que utilização privada de um bem privado, não tem comparação.

        • Carlos Silva says:

          Isso é visão curta, bom é ter todos os meus vizinhos, a minha aldeia, a minha cidade, apenas com VE.
          Mesmo que eu ande a pé, os meus impostos já me trazem maior tranquilidade, mais silêncio, maior conforto, mais saúde…
          Isto é viver em comunidade com perspectivas de longo prazo, como se faz no norte da Europa.

        • Eu mesmo says:

          Baixo QI é o teu. E o serviço publico não está disponivel para todos. Tens de cumprir certos requisitos. Alguns do quais não significa que trabalhes mais, mas sim pelo contrário. Portanto porquê que os outros têm de pagar a tua preguiça? Vai trabalhar Manuel!

      • Pingo says:

        Nao podias ter respondido melhor. Essas pessoas so olham para o seu umbigo

    • Eu mesmo says:

      Pois tu só queres que os outros paguem aquilo que tu usas!
      Tens muita moral! Se não usares serviços públicos ainda ok. Se pagares os teus impostos e só recorres ao privado concordo contigo. Senão és só otário.
      Quando os combustíveis fósseis se acabarem, quem é que paga a fatura? Os teus filhos e netos? Então mas porque raio é que eles têm de pagar os teus vícios? Anda a pé!

  14. Louro says:

    Mais uma vez Portugal a inovar…

    Raio de país de ***** onde nao se pode viver sem ter de se andar a dar de mamar a alguém, onde tudo passa a ser legal desde que se pague imposto…

    Para poderem ter uma comparacao com o UK (Onde vivo actualmente).

    Pontos de carregamento rapido £6.50 / 30 min, e carregar um carro average em casa £3.50.

    No entanto existem muitos que sao grátis até 30 minutos, dependendo da companhia que os estiver a operar.

    Eu como tenho dois Tesla, ambos comprados antes de comecarem a cobrar pago Zero, já por exemplo é estimado que os custos de um Renault Fluence sejam £0.0349 por milha (0.0218Euros/km)

    É incrível olhar para Portugal de fora depois de estar fora durante tantos anos e cada vez mais me aperceber que o país ou é de ricos ou entao está tudo moribundo.

    Eletrecidade doméstica mais cara em Portugal
    Gas doméstico mais caro em Portugal
    Gasolina mais cara em Portugal
    Gasoleo mais caro em Portugal
    Carros extremamente mais caros em Portugal
    Bens essenciais no supermercado ao mesmo preco
    Casas cada vez mais a precos similares ao UK

    Mas o que é que se passa Portugal?

    • iDespairing says:

      + 1 Estou no UK a 10 anos e concordo. Não me vejo a voltar ao país antes de atingir a idade da reforma.

      • GM says:

        Nessa altura escusas de aparecer…

        • iDespairing says:

          Igualmente!

          • GM says:

            Estás enganado. Eu não vou aparecer na idade da reforma. Já estou no meu país, a trabalhar e a descontar no meu país. Ganhe muito ou pouco, desconte muito ou pouco, estou no meu país! E a contribuir de forma activa para que outros depois venham gozar a reforma dourada. Lembras-te, assim de repente, de alguém? Não estou nem de perto nem de longe a dizer que não tens o teu mérito, as tuas dificuldades, os teus descontos, as tuas vitórias, as tuas conquistas. Óptimo. Mas se o UK é tão bom para te comer a carne, que te roa os ossos.

          • iDesparing says:

            Acho que vou ficar por aqui. Infelizmente. Já não me identifico de qualquer maneira com a mentalidade retarda de 95% dos Portugueses.

          • Louro says:

            Raio de comentário…

            Parabéns por estares a contribuir para o teu país, lamento que vás ter de trabalhar a tua vida toda para na verdade nunca teres absolutamente nada, talvez nem uma reforma para gozar.

            😉

          • iDesparing says:

            Esqueci de acrescentar que desconto bem aqui para reforma. Não te preocupes não vou usufruir de reforma da segurança social Portuguesa. Podes ficar com carne, ossos e medula.

          • Louro says:

            @iDesparing

            Acho que deviamos de acrescentar que percentualmente pagamos menos para uma reforma ainda maior do que pagariamos com o mesmo salário em Portugal.

    • GM says:

      Portanto, nos teus 2 Tesla, pagas Zero, e em Portugal é que se anda a mamar??

      • Louro says:

        Não, sou eu queres ver?

        Sempre a enfiar o pau nos glúteos do contribuinte, e tu pareces gostar.

        Parabéns

        • GM says:

          Vais-me dizer no Reino Unido o estado não cobra impostos. Vive de quê? Do ar?

          • Toni da Adega says:

            Cobra, mas cobra menos e de forma muito mais transparente.

          • Louro says:

            Claro que cobra impostos…

            Mas percentualmente ao salário muito menos,
            IVA (VAT) 3% a menos,
            Portagens , só tens em dois ou tres locais entre 4 países que constituem…
            Saúde Grátis,
            Educacao Grátis,

            Claro que todos pagamos por isto, mas é pago com os impostos e todos podemos aceder gratuitamente… já em Portugal pagas mais impostos e ainda te cobram por estes servicos mensionados acima.

            Fantástico nao?

    • anon says:

      Já se sabia que os carros elétricos em Portugal vai ser um epic fail.

    • Carlos Silva says:

      No fim de contas parece que a Tesla vai vender energia bastante mais barata que a Mobi.e, isto é bizarro!

  15. Artur Ferreira says:

    Bom adquirir um carro playgin ( gasolina vs eléctrico). Na verdade poupei 13.000,00€ nos impostos . Feitas as contas aos Km que faço e aos carregamentos que faço em casa fiz um estudo e entre a qualidade desta viatura BMW 530 tenho ou ando 5 anos de borla comparativamente ao mesmo carro a diasel. Para além disso tenho vantagem na tributação autónoma de 17% que num diseal é de 30% além de todas as dispensas entrar como custar para a empresa inclusive até a electricidade. Agora pensem.

  16. Artur Ferreira says:

    Bom adquirir um carro playgin ( gasolina vs eléctrico). Na verdade poupei 13.000,00€ nos impostos . Feitas as contas aos Km que faço e aos carregamentos que faço em casa fiz um estudo e entre a qualidade desta viatura BMW 530 tenho ou ando 5 anos de borla comparativamente ao mesmo carro a diasel. Para além disso tenho vantagem na tributação autónoma de 17% que num diseal é de 30% além de todas as dispensas entrar como custar para a empresa inclusive até a electricidade. Agora pensem.

  17. jaugusto says:

    Se um pópó electrico precisa de 30 kw para cada 100 km – em média:
    30 x 0,2284 € (preço 2017) = 6,85€ x 3 = 20,55€ para fazer 300km de autonomia total do carro…

    • Carlos Silva says:

      Um VE gasta realmente entre 150Wh/km e 220Wh/km. A minha média em 33mil km é de 191Wh/km.
      Fiz poucos carregamentos públicos gratuitos, tudo porque a rede não funciona ou há 3 carros para 1 carregador.

    • Traveller says:

      30kw a cada 100? O meu faz 12kwh e pago 0.10€ bi. Horário ou seja 12×0. 10=1.2€ para 100kms revisões 1 por ano no valor de 50€ não mudou correias aos 100.000kms, etc

  18. hsff says:

    Isto é só o começo, quem anda a defender soluções que não são viáveis a muito curto prazo vai perceber que anda a reboque da indústria sob o pretexto da suposta ecologia. Os impostos sobre a poluição destes veículos também irão ser contabilizados, o preço da mobilidade eléctrica vai disparar o que vai excluir os automobilistas que têm menos dinheiro mesmo que estes precisem do carro para as coisas mais elementares do dia a dia, a exclusão está ao virar da esquina.

    • D4rkw3b says:

      Exacto.
      A malta esqueceu-se que as baterias apenas duram um tempo muito curto e que reciclar todos os componentes é dispendioso.
      Não há almoços grátis (excepto se fores jornalista e anti Benfica).

      • rodrigo says:

        isso das baterias terem vida mt curta ‘e falso. vai ler mais acerca do assunto e veras o teu erro

      • Carlos Silva says:

        Falso, as baterias dos primeiros VE perdiam 30% até 5 anos (Nissan) mas não vão para o lixo. Baterias usadas são reutilizadas pela EDP e outras para reforçar a rede pública e privada de abastecimento de energia. Baterias com 50% ainda são bastante úteis.
        No caso da Tesla, as baterias duram mais que os carros, pelo menos 20 anos com perdas médias inferiores a 30%, já há números reais que confirmam esta espectativa inicial.

      • Louro says:

        Os motores a combustao nao duram pouco também?

        • Carlos Silva says:

          Os motores a combustão duram pouquíssimo.
          Para durarem dependem de óleos frequentes, correias, correntes, sensores, válvulas, injetores, tubos, bombas, rolamentos, embraiagens, caixas de velocidades e mais uma porrada de tralha estupidamente complexa que não existe nos VE.
          Um motor bufarento só chega aos 300 mil Km se gastarmos uma fortuna em manutenção preventiva e corretiva, se perdermos horas e Km para a oficina, se gerarmos kilos e kilos de lixo que temos de substituir. Enfim, somos humanos e cometemos muitos erros…
          O motor de um VE pode fazer mais de 1 milhão de Km sem qualquer manutenção, são 33 anos à média de 30 mil km por ano, principalmente se for Tesla.

          • Louro says:

            Eu sei disso, tenho dois Tesla em casa… Model S já conta com mais de 200k km, Model X foi entregue há umas semanas atrás.

            Tenho também um bufarento(como lhe chamas-te), prefiro elétrico.

        • Carlos Silva says:

          Lá está, o VE está a milhas de qualquer bufarento 😉
          Por curiosidade, o teu Model S com 200 mil km já levou pastilhas de travões?

          • Louro says:

            As pastilhas tem uma espessura de 9mm quando novos, na ultima revisao que fiz ás 126k milhas, tinham 5mm de especura e tem de ser trocados aos 2mm.

            Nao tenho muito habito de ter o modo regenerativo activo, visto que faco muita auto-estrada.

            Nunca tive problemas de maior que nao fossem prontamente resolvidos pela Tesla.

            Total gasto em manutencao no carro desde que o tenho, nao ultrapassa as £2000.

  19. Marques says:

    Quem tem dinheiro para Teslas estudou, trabalhou, teve sorte ou muito espírito de sacrifício… contudo, certamente, quem se preocupa o suficiente para comprar um carro “amigo do ambiente”, não deve desperdiçar o dinheiro com vícios que tanto são prejudiciais ao ambiente como (e principalmente) à saúde.
    Boa sorte para o futuro, a sua saúde pode precisar…

  20. BRUNO says:

    Nada de novo, onde há fonte de rendimento há que taxar / explorar o contribuinte ao máximo. Senão quem é que paga os luxos dos políticos??

  21. ChupaChupa says:

    Eu concordo com esta medida, já bastou andarem a carregar os carros de borla há custa do meu dinheiro, ninguém me paga a gasolina ou o valor do estacionamento.

    • rodrigo says:

      o nao pagar o carregamento chama-se um incentivo – nao tem nada a ver contigo.

      tal como se o governo começasse a oferecer pastilhas de nicotina ‘as pessoas como incentivo de pararem de fumar..

      • GM says:

        Então, eu e tu andamos a “incentivar” os proprietários de VE para adquirirem e utilizarem os seus popós ?? Não me parece correcto, nem de perto nem de longe. E sou a favor de veículos ZE, ou pelo menos de híbridos. PAs para tal, sou também adepto de os sustentar, não de andar à boleia dos “incentivadores”.

        • Louro says:

          @GM
          Pareces muito chateado por nao poderes comprar um Eletrico…

          • GM says:

            Nem por isso. Pelo menos, no estado actual da tecnologia, que me parece ainda incipiente. Mais 5 anos e teremos mais consolidado, óbvio.
            Aliás, aposto mais em híbridos, pelo menos para já e para os próximos anos.

          • Louro says:

            @GM,
            Eu nao sou muito de meios termos, por isso ou é eletrico ou nao é… a principal questao dos hibridos é que só usam o sistema eletrico em determinas condicoes e continuam a poluir da mesma forma que um carro normal.
            A poupanca em combustível é irrisória, a menos que andes constantemente em transito na cidade.
            Depois tens a questao dos plug-in, devido a terem um motor a gasolina e outro eletrico tens menor autonomia o que faz com que obviamente na verdade antes constantemente agarrado a gasolina e para isso comprava um carro a gasolina.

            Eu tenho 2 Tesla, um Model S que já tenho há uns anos e um Model X que me foi entregue há umas semanas, atencipei a compra para ter a vantagem de carregamentos grátis.

            Até agora problemas Zero, muitos KM feitos a pagar Zero.

        • Carlos Silva says:

          Os híbridos são um fiasco, não resolvem problemas, têm mais componentes e são mais pesados.
          Os híbridos são o resultado de a Toyota se recusar a entrar nos VE. Estratégias muito difíceis de justificar.
          Não conheço números mas desconfio que um híbrido tem maior impacto ambiental do que exatamente o mesmo carro apenas bufarento, ou no máximo o balanço será nulo.

        • Eu mesmo says:

          @GM Claramente chumbaste a economia. Queixas-te do estado de desenvolvimento da tecnologia, mas depois não concordas com o incentivos. Ora, deixa-me explicar-te: as empresas servem para fazer lucro. Se ninguém têm interesse num dado produto, ninguém vai gastar dinheiro com esse produto a tentar melhorar-lo.
          Ora se um carro eléctrico é mais sustentável que um a combustível fóssil, mas é mais caro, é normal haver incentivos para melhor a procura de carros eléctricos. Até porque as emissões de carbono também são pagas pelo Estado (hoje têm todo o interesse em reduzir as mesmas). Ninguem no seu perfeito juízo vai pagar mais por um produto igual.

          Capiche? Não é assim tão difícil de entender.

          • GM says:

            Claro que percebo, apesar da minha área profissional não ser economia, mas claro, estar envolvida com a economia. Como todas. As empresas, privadas entenda-se, são para fazer lucro, mas não à conta do bolso dos contribuintes. Que é o que me parece no caso dos postos MOBI.E, actualmente. Ainda que o objectivo seja o incentivo e a criação de massa crítica no sector dos VE. Mais do que o incentivo dos VE, penso que seria bem mais democrático e abrangente se o incentivo fosse no solar térmico e no solar fotovoltaico de auto-consumo.

    • Carlos Silva says:

      Quem realmente ganhou com a borla foram os Ubers, e foi também que destruiu muitos carregadores.

    • Eu mesmo says:

      Se o teu problema é esse compra um eléctrico! Problema resolvido.
      Também ninguém me paga para ficar em casa a coçar os tomates. Mas tens de pagar para uns fazerem isso mesmo.

  22. Antonio says:

    Este palhaço da UVE tem de certeza tacho na EDP ou numa congénere. Tem andado a tentar que se pague mais pelos carregamentos do que pelo gasóleo. Mas será que este burro ainda não percebeu que nao é por se pagar que a rede melhora? Este energumeno vive em que país?

  23. Pedro Baco says:

    Entre 5 a 10 euros para 100km… Vamos pelo meio, 7.5 euros, o que em termos de gasoleo equivale a cerca de 5 litros, ou seja, na média do que um pequeno diesel faz em estrada… Então qual é a vantagem do eléctrico?

    • rodrigo says:

      ainda nao percebeste que os carros eléctricos foram produzidos principalmente para melhorar o ambiente e NAO para poupar dinheiro em gasolina?!

      • Jorge Carvalho says:

        A sério ?

        Under present conditions, the overall carbon footprint of a battery-powered car “is similar to that of a conventional car with a combustion engine, regardless of its size.” That’s the conclusion of a 2011 study by the Institute for Energy and Environmental Research (IFEU) in Heidelberg.

        • rodrigo says:

          em que ano estamos?? 2011 faz parte do passado e mt coisa melhorou

          arranja ai um estudo deste ano ou ano passado a dizer a mesma coisa pff

        • Carlos Silva says:

          2011? Já era!
          Primeiro, foi baseado em tecnologias que não se comparam às de hoje.
          Além do combustível queimado temos que incluir toda a manutenção de motor, transmissão, travões, etc… na vida útil de um bufarento, bem como a extração, transporte, transformação e novo transporte do combustível até às estação de serviço.
          Um bufarento tem pelo menos 10x mais peças que um VE, produzir estas peças também polui bastante.

      • Pedro Baco says:

        Claro que a maioria dos compradores de electricos o faz por questões ambientais…
        E sim, a electricidade nasce do chão… As baterias nascem do chão, não custam nada a ser produzidas, não geram resíduos altamente contaminantes… Tudo em prol do ambiente…

        • Carlos Silva says:

          De facto, a eletricidade pode nascer do chão, eu ignorante.
          Basta enterrar umas chapas debaixo de terra com algum sal e voilá.
          Nos anos 80 fiz um rádio que se alimentava precisamente do solo/subsolo. Eu era apenas um miúdo de olhos bem abertos para coisas incríveis.
          Faz umas pesquisas…
          Qualquer bufarento gera mais poluição que um VE, mas as pessoas foram enganadas e iludidas com o contrário, é bom estudar em detalhe.

      • anon says:

        Ainda não percebeste que os lobbies de carros elétricos usam a questão de meio ambiente para promover os seus negócios?

        • Carlos Silva says:

          Errado, os lobbies do petróleo são os maiores acionistas das marcas tradicionais de bufarento.
          As marcas tradicionais de bufarentos precisam de passar horas de anúncios em TV e rádio para vender a banhada que são os bufarentos, não são apenas poluentes, são uma cagada de carros.
          Eu tenho diesel BMW e VE Tesla, e no dia-a-dia ganha sempre o VE em TODOS os aspetos, TODOS.

          • anon says:

            Bom para ti. Mas o tuga comum nunca vai ter nem um nem outro. Por isso VE em Portugal é uma utopia. Ou vais dizer que vão comprar usados?

          • Carlos Silva says:

            Claro que vão comprar usados, exatamente como compram hoje um bufarento

          • anon says:

            E quanto custará a bateria nova para um VE usado?

          • Carlos Silva says:

            Bateria completa Nissan Leaf 27KW/h ronda 5000 euros com retoma da velha.
            Na BMW e na KIA é bastante mais caro mas não conheço valor exato.
            Na Tesla, agradável surpresa, a engenharia é única e ao longo de 20 anos talvez seja necessário substituir no máximo um ou dois módulos devido a avaria, cada módulo ronda 1500~2000 euros.
            Uma bateria Tesla completa vale 20~30 mil euros mas num Tesla ninguém muda uma bateria completa, a maioria dos Teslas serão abandonados com mais de 20 anos ainda com baterias acima de 60%.

  24. Sérgio J says:

    Quando é que vão perceber que carro eléctrico não é solução? Estão simplesmente a tentar por os problemas para debaixo do tapete e infelizmente eles são mais que muitos para ficarem lá. As redes eléctricas não estão dimensionadas para transportar tanta energia. Mesmo com o aumento da eficiência à custa das smart grides é insuficiente. Estão a competir com um bem de primeira necessidade.
    Por outro lado os governos precisam de dinheiro e ele tem de vir de algum lado.
    Depois há o aspecto cool, o querer romper com o passado. Façam isso, mas arranjem soluções. Isto simplesmente não é escalável e viável

    • Traveller says:

      Mais um especialista, os VE são carregados maioritariamente á noite onde há mais produção que consumo e essa produção é perdida, o meu carro a carregar á noite gasta 10Amperes 2200watts o mesmo que qualquer aquecedores queres ver que agora todas as casas não podem ter um aquecedor ligado á noite que a rede não suporta.
      Para ironia do destino até podia meter um gerador a gasóleo a produzir energia para o VE que fazia mais KM’s com o VE que com um carro de combustão com os mesmos litros de gasóleo inseridos no gerador e esta hem.

    • Carlos Silva says:

      A minha avó abandonou o ferro de engomar a carvão há pelo menos 60 anos e todos lhe diziam o mesmo.
      As soluções apareceram e foram melhoradas em décadas, numa evolução natural.

      • anon says:

        É bom que mais pessoal comece a usar VE desta forma os combustíveis ficarão mais baratos para o comum mortal.

        • Carlos Silva says:

          O comum mortal também compra VE, e comprará muito mais a médio prazo.

          • anon says:

            Já viste um gajo a ganhar 600€ comprar um VE? Uma bateria nova deve custar mais do que um carro usado normal e em condições.

        • Carlos Silva says:

          Não precisas de uma bateria nova, a bateria velha encolhe mas não morre e o carro continua a andar.
          Quem hoje tem um ordenado de 600 euros já compra bufarentos de 10~15 mil euros a 72 meses, nos elétricos não haverá diferença, as maiores diferenças que se vêem nos primeiros VE usados vão desvanecer a curto prazo.

          • Luis carreira says:

            sim é verdade mas se não tiver uma casa para governar caso contrario ou não o faz em 72 meses como dizes ou não come…. 15 mil em 72 meses são 1/3 do ordenado….

  25. Traveller says:

    Quem tem dinheiro para Teslas vê lá tu que nem vai pagar nunca nos carregadores rápidos da Tesla que são atualmente os melhores e mais fiáveis.

  26. Traveller says:

    Carregamentos começarem a ser pagos é o que 90% de proprietários de VE querem.
    1º para garantir a qualidade dos mesmos visto atualmente a maior parte está desligada ou não funciona;
    2ºCom o inicio dos pagamentos é esperado o crescimento do numero de carregadores;
    3ºOs carregadores rápidos são usados maioritariamente para viagens grandes as restantes a maior parte carrega em casa;

    Já agora li em todos os locais de noticias 10X mais mas 1,5€x 10 quando estudava eram 15€ e se tende para 5€ posso dizer que nem 5x mais será do que carregar em casa e mesmo assim mais barato que o gasóleo .
    Depois os valores ainda ninguém sabe (é que alem de jornaleiros em vez de jornalistas copiam os mesmos erros DN, JN, PPlware, etc)

    • Carlos Silva says:

      Bingo!

    • Carlos Silva says:

      Há claramente uma intenção de muitos jornalistas de dissuadir, de desinformar.
      Quando dizem que um PCR carrega uma bateria em XX minutos estão a gerar confusão porque a dimensão das baterias varia bastante e o “gargalo de carregamento” também, por consequência estes XX minutos não podem ser referência para ninguém.
      Deviam comunicar como gente crescida, falem em KW/h, todas as pessoas deviam entender o que representa, pelo menos para não serem enganadas quando fazem contratos com EDP e outras.
      Parece que estão a tratar-nos como gaiatos incapazes e vão enfiando meias petas.

  27. Carlos Silva says:

    Quem tem Teslas já paga mais impostos do que muitos outros, são consequências do sucesso pessoal.
    Pagar bastantes impostos é muito bom sinal.
    Quanto ao tabaco mais barato para os mais pobres, wtf!!?? Quem ganha pouco é bom que não fume, só prejudica…

  28. Jorge Ribeiro says:

    Só para aumentar mais a discussão, ao que parece se de repente todos os veículos passassem a ser eléctricos, já li algures que uns cientistas dizem que seriam um íman magnético em dias de trovoada. Não sei até que ponto isto pode corresponder à realidade.

    • Carlos Silva says:

      Essa é mais uma de muitas tretas sem fundamento, tudo para dissuadir os indecisos.
      Uma coisa eu posso confirmar, nunca apanhei um esticão de estática ao sair ou entrar num VE.

  29. Wishmaster says:

    Já se estava a prever…
    Acho inadmissível que os carregamentos sejam gratuitos para os VE e que os restantes consumidores andem a pagar isso, mas é igualmente inadmissível os preços que estão a apontar para os carregamentos rápidos!!
    Não tenho VE mas preocupa-me que seja sempre a mesma coisa e os grupos económicos a enriquecerem à custa das pessoas, com lucros absurdos…. E o Estado o que faz? Ainda piora…

    Mas poderíamos esperar outra coisa de um país que vive para esses grupos? Já não existe Estado como conhecíamos antes. O Estado é só um testa de ferro para esses grupos e interesses privados.

    • Carlos Silva says:

      Nada se faz sem dinheiro, muitos pagam, muitos beneficiam pouco, alguns beneficiam muito.
      Apesar de parecer feio, há algo que poucos ponderam, os empregos existem porque alguém tem dinheiro para investir em empresas.
      O dinheiro não para de circular e enquanto circula alimenta muita gente.

      • Wishmaster says:

        Diz isso às famílias que pagam balúrdios pela electricidade que têm em casa…Enquanto isso, as EDPs e GALPs vão enchendo os bolsos de dinheiro, com lucros obscenos…

        Como diz Warren Buffet, mais ou menos nestes termos:
        “Isto é uma guerra entre ricos e pobres. E a minha classe está a ganhar.”

        Parabéns por contribuíres para este sistema com o teu pensamento.

        • Carlos Silva says:

          Eu pago balúrdios pela eletricidade que tenho em casa e sim, o Mexia é um dos maiores vigaristas que temos a gerir mega-empresas prepotentes.
          Montam estratégias de dinheiro fácil que aniquilam estratégias de longo prazo, tudo pelos objetivos pessoais com foco nos prémios pessoais e remuneração imediata dos acionistas.
          Um bom gestor na EDP já teria oferecido sem custo painéis solares e baterias a uma boa parte das habitações portuguesas, assim fidelizava o cliente dando-lhe um desconto na fatura em troca pelo uso do espaço e geravam energia a custo bastante reduzido. É a diferença entre o gestor que trabalha para os seus objetivos e o gestor que trabalha para os objetivos da empresa.
          Novamente aqui, o gestor que gera retorno de curto prazo aos acionistas será sempre reeleito para continuar a administrar a empresa e mantê-la disforme a longo prazo.
          Todos os países, quanto mais a sul estão, mais limitada ao curto prazo é a sua cultura geral.

          • Wishmaster says:

            Concordo plenamente…Poderíamos estar a beneficiar de preços mais reduzidos e de menor dependência do exterior…continuamos a ter preços de electricidade ao mesmo valor médio dos países mais ricos..
            E um conceito que acabou por morrer foi a micro-geração…Todas as casas poderiam contribuir para a rede, vendendo a sua energia..
            Mas assim acabávamos com o negócio de milhões que é a energia..

          • GM says:

            Mas os gestores da EDP pensaram nessa saída, mas de forma “ligeiramente” diferente. Com a legislação do auto-consumo saída em Setembro/2014, a EDP simplesmente publicitou a possibilidade de financiarem os colectores fotovoltaicos. E nas propostas comerciais apresentadas, sem sequer saberem as necessidades diurnas do potencial cliente, propunham no mínimo 2 painéis, baseados apenas na potência contratada. Para auto-consumo, a legislação prevê a possibilidade de até 6 colectores / 1500W. Está-se bem a ver qual era / é o filé mignon. Auto-consumo, sem armazenamento, durante o dia a produção excede largamente o consumo, propondo mais colectores que o necessário, recebem produção à borla….com a vantagem de fidelizar o cliente e ainda venderem os colectores a prestações. Para mais, colectores dos accionistas chineses. É um tudo-em-um.

  30. Louro says:

    Ou seja, pela tua ideia quem trabalha deve de pagar mais para que os que estao a sombra da bananeira possam ter as coisas deborla ou lá próximo!

    É bem visto…

  31. Wishmaster says:

    @GM
    Mas mesmo produzindo excedente durante o dia (para pessoas como por exemplo, eu, que saio de casa às 8H30 e regresso às 20H, a energia poderia ser vendida à rede enquanto não era utilizada e o que a casa gastaria durante a noite poderia ser, em parte, gratuita. Ah, mas mesmo durante o dia, teríamos electrodomésticos a consumir energia dos painéis, portanto, menos energia puxada da rede.
    Além disso, a Tesla tentou que se adoptasse a ideia de armazenar a energia em casa, o que só tornaria os lares mais auto-suficientes.
    Só que lá está, isto destruiria o negócio de milhões da EDP e outras empresas do sector energético.
    O dinheiro fluiria assim para as empresas de renováveis, onde a EDP não é a única.

    • GM says:

      Sem dúvida. Mas para poderes vender a energia à rede:
      1º tens de te registar como microprodutor, com os custos associados.
      2º tens de contratar um contador bi-direccional, que conte nos dois sentidos.
      3º recebes, por cada kWh injectado na rede, cerca de 0,05 a 0,06€.
      O mais correcto, será adquirires uma powerwall da Tesla, os fotovoltaicos serem ligados a essa bateria, e essa bateria ser lilgada à rede doméstica. Só que para tirares partido desta ideia o investimento não é nada pequeno. E o retorno demora alguns anos. Em casa tenho (apenas) um fotovoltaico de 255Wp, que me produz, no Verão, cerca de 1,3 a 1,7kWh/dia, dependendo dos dias. Não tenho forma de ver quanto dessa produção é efectivamente aproveitada, apesar de ter alguns equipamentos permanentemente ligados, se bem que não sempre a consumir, como seja frigorífico e arca. E tenho a impressão que o contador da EDP Distribuição conta a energia, quer a consumida, quer a injectada na rede. A meu desfavor. Resumindo, esta ideia do auto-consumo, mesmo da forma como tenho em casa, o mínimo possível, joga sempre a favor da EDP Distribuição.

  32. Eu mesmo says:

    Tabaco mais barato? Tu já tens é tabaco em excesso nessa cabeça!
    Queres vícios?! Pagas e bem!
    Andar a pé também ajuda a melhora a saúde dessa tabaco todo que inalaste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.