Quantcast
PplWare Mobile

Boeing recomenda suspensão de voos de aviões do modelo 777 após o motor ter explodido

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Mastermind says:

    No país representativo do capitalismo vale tudo para obter lucros a partir da redução de despesas que deveriam contribuir para a segurança e para a mão de obra. E assim veremos mais Boings-Boings a cair do céu como pardais mortos. Oxalá a Airbus não vá pelo mesmo caminho. Estas coisas ganham-se a longo prazo…

    • Miguel says:

      Estupidez de comentário. Deve perceber tanto de aviação como eu de mandarim.

      • O bastardo says:

        O comentário dele é que faz todo o sentido, o teu não. Há poucos anos por poupança em vários ramos apresentaram um modelo cujo sistema automático de correcção de altitude/ ângulo fazia cair o avião, isso porque não testaram o suficiente nem deram a formação que deviam, tido para poupar e ganhar vendas.

        Aqui só a análise (se for publicada) dirá o que aconteceu, mas provavelmente peças defeituosas.

        • Miguel says:

          No caso do Max sim houverem muitas irregularidades. Não tanto pressões mas mais encobrimentos de como funcionava o MCAS. Neste caso é uma estupidez o comentário dele. Estamos a falar de um dos melhores bi-motores do mundo. Possivelmente aconteceu por fatiga de material, não por peças defeituosas. Só o relatório do NTSB o dirá.

      • PML says:

        Miguel, é ler os relatórios que indicam a pressão exercida bela Boing ao regulador mesmo quando foram detetadas falhas. E depois disso ainda pressionaram para que os tempos sem voar fossemencurtados. Depois eis o resultado.

    • Toni da Adega says:

      Tudo possui um risco associado. Nao existe nada que seja 100% fiavel ou seguro.

  2. José Fonseca Amadeu says:

    Claramente que isto são os efeitos da pandemia, poucas horas de de voo, menos manutenção, pessoas fartas da pandemia e por isso menos produtivas e atentas a detalhes.
    Castigar os 777 é um overkill, é só um dos aviões mais comuns fora da europa, mais de 70% das viagens que fiz fora da europa foram de 777.
    AA recuso-me a andar, autocarros voadores não é para mim.

    • Miguel says:

      Esta paragem prolongada obriga a uma manutenção especial a priori do retorno ao servico dos aviões no entanto alguma coisa pode correr mal. A AA e extremamente segura mas tens razão na questão do autocarro ahah

  3. Miguel says:

    Corrijam o título, são apenas alguns modelos de 777-200 com PW4000. Induz ao engano quando há centenas de 777 de outras variantes a voar no Mundo. Cria sensacionalismo e medo nas pessoas que tenham voos marcados em 777.

    • Vítor M. says:

      Não está nada errado, é a própria empresa que refere essa terminologia. No artigo está tudo explicado, até com declarações das entidades.

      • LG says:

        “Boeing is actively monitoring recent events related to United Airlines Flight 328. While the NTSB investigation is ongoing, we recommended suspending operations of the 69 in-service and 59 in-storage 777s powered by Pratt & Whitney 4000-112 engines until the FAA identifies the appropriate inspection protocol. ”

        https://boeing.mediaroom.com/news-releases-statements?item=130829

        • Vítor M. says:

          Tal como está no artigo.

          • LR says:

            Mas não no título, não é? Claro que acaba por ser um pouco irrelevante, mas o correto seria “Boeing recomenda a suspensão de algumas versões dos aviões 777 após motor ter explodido”. Porque o que se induz do título é que a Boeing recomenda a suspensão de todos os 777. Details, just details…

      • LG says:

        …ou seja, afeta 128 B777 de +1’500 produzidos

      • Miguel says:

        O que o LG disse e tem razão é que devia estar no título. Os 777 afetados são uma percentagem mínima dos existentes. O título induz ao engano mas pronto. Se acham que está certo quem sou eu para dizer o contrário.

        • Vítor M. says:

          Sim o título está bem sim. Refere o modelo 777, tal como a Boeing referiu.

          • Miguel says:

            Vitor eu entendo isso. Mas imagina que a Apple fazia um recall ao iPhone 12 mini 64gb, vocês no título não iam por Apple faz um recall ao iPhone 12, iam dizer que modelo e especificamente. No modelo do 777 existem o 777-200, 777-200ER, 777-200LR e o 777-300 (dentro destes ainda há dezenas de diferentes sub-modelos). Não é uma questão de estar errado, não está, é uma questão de ser perfeccionista e vocês não estão a ser.

          • Vítor M. says:

            Bom dia Miguel. Era um recall ao iPhone 12. Era um recall aos Tesla Model E, porque mesmo dentro destes haverá várias escolhas e não podes estar num título a dizer cada uma delas, por isso chama-se título e não artigo. Repara que no artigo tens tudo descrito, como tem de ser. E ao fazermos desta forma (nós e o mundo, todos escreveram modelo 777) o artigo fica correto abrangendo todas as diversas versões do motor com o eventual problema, percebes?

            Não podes ali descrever cada um desses modelos, como disseste, existem muitos modelos equipando-se com o motor Pratt & Whitney PW4000.

          • Miguel says:

            Pronto Vitor, discordo e acho que devia ser de outra forma mas respeito completamente. Sigo a vossa pagina ha anos e gosto do conteúdo, ha coisas que não concordo como em tudo. Abraço.

  4. Rui says:

    A boeing está a beira do abismo já o ano passado houve problemas no software dos avioes que fizeram cair alguns , o ano passado problemas tambem na capsula starliner que entretanto ainda nem chegou à ISS e a concorrente direta Spacex já anda a fazer transportes regulares, agr mais um problema nos aviões ou melhoram o que está mal ou vão por aí abaixo

  5. TugAzeiteiro says:

    Sei de uma pessoa que se recusou a embarcar num 737 Max há coisa de 1ano e qualquer coisa… agora os 777-200 também já têm problemas?! Acho que a reputação da marca Boeing está cair por água a baixo. O maior problema para eles é a imagem que estes problemas nas várias aeronaves passam para o consumidor!

    • José Fonseca Amadeu says:

      Eu tinha um voo marcado num 737 max um mês antes de serem castigados e também já me estava a preparar para mudar o voo, felizmente foram castigados e trocaram por um charuto 737-800

  6. LG says:

    Duvido que a culpa seja da Boeing. Não é a primeira vez que uma turbina “explode”.

    Quando existe uma separação por fadiga de uma hélice da turbina, é da responsabilidade da própria turbina conter a explosão e não afetar o resto da fuselagem e asa. Acontece muito durante um “bird-strike” por exemplo. Mas quando isto falha é muito pior como foi o caso daqui:

    http://avherald.com/h?article=49d2d7e3&opt=0

    e mais uma vez aqui: http://avherald.com/h?article=4b7725fb&opt=0 (matando um passageiro “sugado” pela janela. E não houve grounding.

    Agora a Boeing sugere Grounding pelo damage-control do B737 Max pois perdeu muita confiança desde de então…

  7. Pedro Fernandes says:

    A Boeing a vida deles não anda nada fácil, foram os Max, agora foi uma turbina.

  8. AlexX says:

    Não se ouve um piu dentro do avião. Excelente tripulação que evitou uma histeria colectiva dos passageiros e piloto que manobrou e aterrou com sucesso. Muito bom também não terem havido vítimas nem prejuízos no solo.

  9. B@rão Vermelho says:

    Continua a ser o meio de transporte mais seguro do mundo, mas a Boeing anda em maré de azar.
    Será que o nome Boeing e o barulho que faz quando cai?:)

    • José Fonseca Amadeu says:

      Não, esse é CATAPUM, existe uns modelos que também fazem SPLASH

      • B@rão Vermelho says:

        Era o Boeing Splash Catrapum ,
        Eu felizmente tenho a sorte de poder viajar, mas é a parte que menos gosto, a de ir no avião, como tenho me dedicado a conhecer a Ásia nos últimos tempos assim que entro no avião no percurso mais longo tomo logo um calmante assim a viagem é mais “rápida “

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.