Quantcast
PplWare Mobile

Alemanha vai reduzir os apoios financeiros para carros elétricos em 2023

                                    
                                

Fonte: Reuters

Autor: Marisa Pinto


  1. Diogo says:

    Not bad, ainda venderam mais de 600 000 carros com subsídios antes de os cortarem.

  2. Gaspar says:

    Concordo absolutamente. Qual a justificação para usar os nossos impostos para financiar “alguns” (poucos) adquirirem artigos de luxo? Creio que investir na educação e saúde terá um retorno maior a curto e médio prazo.

    • Louro says:

      Daqui a nada estás a dizer que achas muito bem acabarem com o SNS, porque nao faz sentido usar os “nossos” impostos para financiar a saude dos outros.
      Também vais querer acabar com o ensino grátis, porque nao faz sentido financiar o ensino dos outros.
      Também queres acabar com todo o tipo de servicos publicos e por aí fora…

      Chegamos afim, o estado só serve para receber dinheiro de impostos e nada mais que isso… Mas está descansado, que os que compraram carros electricos e receberam incentivos para o fazer, nao foram buscar absolutamente nada dos impostos que tu pagaste, basicamente receberam uma pequena parte dos impostos que foram pagando ao longo dos anos.

      • Fusion says:

        De verdade que estás a comparar carros com saúde?

        Saúde tem que ser universal e para todos, só tenho pena que os meus impostas não sejam ainda mais usados para o SNS (mesmo que não utilize, que até não me importo que é bom sinal).

        Agora quanto ao resto recuso-me a dar 1 cêntimo para apoio aos elétricos, quem quer luxos que os pague da sua carteira, eu não tenho que andar a descontar para meia dúzia de ricos andarem a conduzir elétricos a minha pala.

      • PML says:

        É dinheiro do estado, ou seja de nós que apenas pode ser usado por pessoas com rendimentos elevados, dado o custo deste tipo de veículos. Sendo dinheiro público pode ser muito melhor empregue noutras áreas como o ensino ou saúde. Subsídios à compra levam à ineficiência – quem vende aumenta na mesma proporção. Veja-se o caso dos combustíveis que estão acima do preço de referência, quando baixou o IVA dos ginásios ou restaurantes e os valores não baixaram. Basicamente isto é dinheiro dado diretamente a quem vende, sem benefício para o utilizador final.

      • Bruno says:

        Só pode ser gozo este comentário

      • Gaspar says:

        Clarificando, aceito e apoio investimento ou apoios públicos para atividade que dê retorno; seja económico ou em qualidade de vida e pode ser saúde, ensino ou até evolução tecnológica de uma empresa privada que ao ser mais competitiva irá crescer e pagar mais impostos devido ao aumento de faturação.
        Quanto ao estado, de facto resume-se a gerir um orçamento entre receitas e despesas e legislar, pode para ti parecer pouco, mas é a ferramenta que permite gerir um país…
        Se vierem com argumento de ecologia, desafio quem possua alguma honestidade intelectual a demonstrar como pode proteger mais o planeta adquirindo um elétrico.
        Bitola- desloco-me num veiculo com 28 anos, a gasolina equipado para GPL, enfim um chasso que polui menos que muitos veículos de gama média com meia dúzia de anos. E gasta menos de metade em combustível e até no imposto de circulação…
        Ah! outra coisa, o meu veiculo é apenas um meio de transporte, não é para andar por ai a medir p%#}s….

      • King Banido says:

        Já tinha saudades do Louro ahahahaha

        O Homem apenas disse que nao achava correto descontar para pagar o luxos dos outros, e como grande defensor de EV’s que és, tiveste de o vir atacar, sem sentido algum…

        Ele apoiou o gasto ser na saude e educação, algo “publico” e de uso de todos, bastava não veres vermelho à frente e ias conseguir ler e interpretar o simples texto do Gaspar.

        Só assim naquela, chamas-te João e vives na Amadora? É que conheço um João Louro que é tal e qual como tu, só vê vermelho à frente e acha que é dono da razão, fora outros adjetivos que é facil de atribuir a tal pessoa, mas que prefiro não os referir, não vá entenderes este meu comentário como um ataque à tua pessoa lol

      • FT says:

        Ter um cancro para tratar é exactamente a mesma coisa que comprar um Mercedez elétrico de €60k. Há com cada um.

      • Samuel MGor says:

        Aprende a ler!! Deves evitar este tipo de comentário.

      • Realista says:

        O ensino não é grátis… os professores são remunerados.

      • João says:

        Gastar o dinheiro dos impostos em carros eléctricos é ridículo, além do dinheiro injectado a fundo perdido nos construrores estamos a financiar uma solução mais poluente porque razão?

    • RC says:

      Tem o mesmo sentido que usar os seus impostos para beneficiar quem a gasóleo e gasolina, já que segundo o FMI os combustíveis são um dos sectores mais subsidiados.

      https://www.imf.org/en/Topics/climate-change/energy-subsidies

    • Cosa fare? says:

      Lá está mais um “investir na educação e saúde”, ou seja, queimar mais uns biliões em ordenados para professores e médicos! Quantos mais são e mais ganham, menos fazem.

      Imaginem que alguém precisa de um médico hoje, 24h/dia nos 365 dias do ano, a um preço de um almoço e se for à distancia é gratuito. Acham que existe? Sim existe, eu tenho. Basta ser sócio do ACP, nada mais.

  3. says:

    Mas afinal em que ficamos ?!??!

    É para sermos incentivados a mudar para elétricos ou Não ?

    É para se poupar o planeta ou Não ?

    Depois admiram-se das atitudes dos outros pelo mundo fora…. hipocrisia no seu nível ascendente.

    • Fusion says:

      1) As pessoas não querem saber do planeta (pelo menos aquelas que realmente mandam).

      2) Quando se vê por aí preocupação pelo planeta, é uma das duas, ou alguém vai tirar benefícios económicos (empresas ou carteiras de alguns) ou então puramente estratégia de marketing para parecer bonito e estar alinhado com a cultura woke.

      3) Geralmente os apoios são direcionados para aqueles que já têm dinheiro, o comum mortal que vive abaixo da média mesmo que queira não vai poder aderir a esses apoios (em 2022 quer se queira que não, o comum trabalhador de classe média/baixa não tem condições para um elétrico).

      4) Os carros por muito que queiram passar essa retorica, não são a causa da fonte de poluição do planeta. Não tenho ideia ao certo do número, mas julgo que 15 dos maiores navios do mundo, fazem mais poluição que todos os carros do mundo juntos. Volto a dizer 15. Mas lá está, cancelar navios não vale a pena falar, interesses económicos. (Nem vou falar dos aviões).

      5) Reciclagem e criação de materiais biodegradáveis era o caminho acertado no que toca a salvar o planeta, no entanto vejo pouca preocupação neste ponto. (Mais uma vez, empurrar pela goela abaixo carros, é economicamente mais viável que dizer as pessoas para reciclar garrafas de plástico).

      6) Quais são as medidas que as fábricas estão a tomar para diminuir a pegada ecológica? Esses sim juntamente com os transportes pesados são as causas de poluição no planeta.

      7) Os carros elétricos serão o futuro? Talvez, quando houver as condições certas, mas não serão o futuro pelas questões ambientais, serão o futuro porque é a tecnologia a evoluir, da mesma forma que deixamos as carroças e passamos para combustão.

    • Yamahia says:

      Não poupas o planeta com carros eléctricos. Antes pelo contrário.
      Felizmente que já estão a barir os olhos.

  4. Nuno José Almeida says:

    Tenho um VE e nunca concordei com isto. Já em financiar carregadores, ai sim concordo.

  5. Cosa fare? says:

    Não temos os dados das vendas de VE com e sem apoio, mas se for como cá e os apoios esgotam a meio do ano e mesmo assim continuam a vender a bom ritmo, não vejo interesse em manter apoios.

  6. freakonaleash says:

    Hoje aprendi que o governo alemão varia o valor do apoio à compra de VE de acordo com o valor do mesmo. Portugal como é um país rico paga o mesmo valor quer seja para um Dacia Spring quer seja para um Tesla!

  7. Alex says:

    Tenham calma, porque tudo vai mudar na Europa com a chegada dos carros elétricos chineses a baixo custo e assim o comum dos mortais já vai poder adquirir um, sem necessidade de incentivos… Se a Europa permitir esta entrada, as marcas europeias (e não só) que se cuidem…

    • Yamahia says:

      Já há carros BEV made in China a circular e nao sao propriamente baratos.
      Ja a qualidade é miserável mas verdade se diga, é um denominador comum a todos os BEV.

  8. Grunho says:

    Estamos a falar de carros de 70, 80, 100k euros, para gente podre de rica. Este apoio a ricos à pala de pobre foi inspirado naquela frase de Alphonse Allais, que diz “é preciso buscar o dinheiro onde ele está, isto é, nos pobres. Eles não têm muito, mas são muitos”. Como já antes serviu para inspirar a farsa do IRS montada em cima em cima das folhas de pagamento que os patrões mandam para as finanças – quem não tem uma patrão a mandar para lá a folhinha preenche como quer a declaração de rendimentos, e depois, ou fica isento, ou dá uma esmola simbólica ao Estado, se quiser.

  9. Anonimo says:

    Para quem tiver curiosidade de aprender:

    https://www.pnas.org/doi/full/10.1073/pnas.0702958104

    Meio antigo, mas ainda serve.

  10. falcaobranco says:

    Claro, com uma recessão a caminho da europa para o ano que vem em que a Alemanha vai certamente ser o país mais afectado, começam já a cortar os incentivos para não faltar o €€€ e depois dão a desculpa que já venderam muitos…sim, sim…tangas…

    • Mr. Y says:

      Mas que tangas? Se realmente é falta de €€€ não achas bem cortarem aqui? Ou seria melhor cortar em áreas essenciais como educação ou saúde?

  11. Fernando Cola says:

    Vivo na Alemanha ja a alguns anos, consulto todos os o excelente trabalho elaborado no PPWARE e gratis ainda por cima.
    Mas desculpem a minha intervencao e que nao percebo o que dos comentarios acima se o assunto e na Alemanha!!!!
    A realidade em Portugal nao tem nada a haver com a Alemanha infelizmente!!!!
    Nos aqui os ordenados sao elevados em relacao aos portugueses mas nos descontamos no ordenado cerca de 50% em impostos ! Vejo noticias ai a dizer que nao existem limites de velocidade nas autoestradas, MENTIRA !!
    Em certos trajectos sim existe, mas a certa altura existe um sinal para reducao a 80 a 60 e ate a 30 km/h e todos reduzem, cumprem com a velocidades e as multas nao sao leves!
    As multas por excesso de alcool sao tal altas como carta fora e so passados 2 a 3 anos podes de novo pagar 3000€ por uma nova carta e se passarem nos testes anti alcool e psicologicos.
    Em relacao a tirarem os apoios acho mal, atencao que eu ainda nao tenho nenhum e sou da classe operaria, mas voltandoao assunto principal, acho que os politicos a nivel mundial deviam de optar pelos apois a todoas de adquirirem viaturas eletricas para bem de todos nos, para evitar catastrofes naturais, tambem nao sei porque nao se investe a nivel mundial em Combustiveis sinteticos ja temos toda a estrutura e assim evitava -se tanta poluicao, mas isso nao interessa as fabricas automoveis bem como a politicos…..
    Gozem a vida e a saude porque nao dura para sempre….

    • RC says:

      Nao se investe mais em combustíveis sintéticos porque usam muita energia, são caros, deixam os veículos ineficientes na mesma e não revolve nada na poluição, quem o diz é a federação europeia dos transportes e ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.