PplWare Mobile

Alemanha insiste que os carros elétricos poluem mais que a diesel ou a gasolina


Imagem: Pplware

Fonte: Das Erste

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Sergio J says:

    O importante é que haja a discussão entre pessoas entendidas na matéria e que sejam os clarificados. A nossa opinião são apenas palpites.

    Apenas quero lançar um ponto para a discussão. Há poucos meses, no alto Minho foi rejeitado a exploração de lítio, pq implicava a exploração a céu aberto de dezenas de hectares colados ao parque nacional peneda-geres. Outra das zonas com grande potencial é na zona de Montalegre novamente relativamente perto do mesmo parque nacional.

    Durante muito tempo andamos a impedir a construção de casas nos montes por causa do impacte ambiental. Agora enchemos os nossos montes cheios de aero geradores. Durante anos andamos a combater o impacto da construção das barragens, agora parece que as hídricas são a solução.

    Com tudo isto não quero dizer que está bem ou mal, mas é um facto que é tudo uma questão de modas.

    O que é um facto é que temos poucos estudos sobre esta nova revolução e como qualquer grande transformação devemos ser ponderados, para que mais tarde não nos venhamos a arrepender

    • anon says:

      Interessante discussão. Chegando a conclusão que a energia 100% renovável não passa de uma utopia. Para já.

      • AP says:

        Se conseguirmos arranjar uma forma de armazenar todos aqueles MW em excesso da energia gerada pelas renováveis quando não está a ser necessária, então estaremos no caminho do 100%.

        • Nuno Palma says:

          Neste momento isso já é feito. Algumas barragens com aproveitamento hidroelétrico têm outra barragem a jusante de onde se bombeia água novamente para a barragem com aproveitamento hidroelétrico quando há excesso de energia (geralmente à noite com origem nas eólicas). Não sei se fui claro…

          • AP says:

            Realmente esse procedimento desconhecia. Faz sentido, mas até que ponto será eficiente?

          • Dani says:

            Se houver água suficiente, e energia suficiente que não é necessária para consumo imediato, é muito eficiente. É como se fosse uma bateria gigante, mas que tem apenas água.

            Como tanto a bombagem durante a noite como a geração eléctrica são feitas com geradores/bombas eléctricas, o processo é muito eficiente.

          • Mauricio says:

            Interesante, assim se evita de utilizar acumuladores/baterias.

          • Noa says:

            O problema é a interligação entre as barragens e as outras fontes renováveis. Por norma o excesso de energia produzida é à noite pelas eólicas, ora a maioria dos campos eólicos não foram criados a pensar nisso. Aproveitaram fundos e incentivos ao investimento e não tiveram essa consideração. À noite, ao invés de aproveitarmos essa energia, estamos a dá-la aos espanhóis porque é mais dispendioso desligar esses campos. Criar novos ramais é extremamente dispendioso e os campos eólicos já construídos não terão essas ligações.

          • Louro says:

            Pior é mesmo que as ventuinhas durante muito tempo estao paradas porque nao necessitam da energia.

        • Sujeito says:

          Que relação é essa entre armazenar energias renováveis e atingir 100%?
          Acho que estás a aplicar os termos incorrectos para o que queres dizer, ou a ideia não está bem expressa. Se fizeres favor de clarificar.

    • João Rodrigues says:

      Este estudo é apenas uma reação da industria automóvel. O R&D dos ICE não está pago. O que é exposto neste documentário já foi rejeitado por método científico e é um ponto aceite por toda a comunidade científica que o estudo que está por trás deste documentário é enviesado e apresenta conclusões simplesmente erradas.

      Mas um exemplo mais escandaloso do lobby da industria automóvel a tentar condicionar a opinião pública são os vário artigos que se tem visto na imprensa especializada a condenar os limites de CO2 que a UE está a impôr. O último que vi, um artigo de opinião disfarçado de notícia no site da AutoMais, completamente errado e quase desesperado a tentar convencer-nos que o limite de CO2 vai “matar” os carros citadinos. Parece baseado em factos, na realidade é apenas uma verborreia de incoerências ditadas por algum RP de um qualquer grupo (PSA, VW?). Vejam para crer:

      https://automais.autosport.pt/destaque-homepage/regras-de-emissoes-de-co2-ameacam-citadinos-e-utilitarios/

      Qualquer analista independente sabe que a tendência é exactamente a contrária àquilo que se diz neste artigo…

      • Dani says:

        Obrigado pelo excelente contributo, ao denunciar estas práticas criminosas da indústria automóvel!

      • Sujeito says:

        A indústria automóvel está a dizer meias verdades e meias mentiras.
        E os que estão a tentar impor estas medidas, estão também a dizer meias verdades e meias mentiras.

        Para evitares cair na panela, estás a saltar para o fogo.

        • João Rodrigues says:

          Gostava de saber quais são as meias mentiras da UE ao impor limites de co2 médios aos construtores automóveis. (Recorde-se que estes construtores, se assim o preferirem, podem continuar acima desse limite, mas terão que pagar o co2 em excesso – chama-se a isso monetarizar externalidades negativas)

      • JOSE ANTONIO says:

        Muito bem!

  2. Mateus Pinto says:

    O estudo é de rir. A poluição (contaminação, agua, fracking, etc) gerada pela extraçao de petroleo é muito superior. Quando as marcas alemãs tiverem carros elétricos bons, irão aparecer novos estudos lol

  3. Carlos SIlva says:

    E para produzir Hidrogénio não precisas de energia, pois não????? e as renováveis não chegma, pelo menos para já!

  4. andy says:

    +1
    também ia dizer o mesmo: hidrogenio é o mais eficiente a todos os níveis. Reparem que no Japao é a grande aposta. O governo japones anda a investir e contribuir para criaçao de postos de abastecimentos hidrogenio e tambem a subsidiar empresas automoveis para incentivar esta mudança.

    • Dani says:

      Os carros a hidrogénio são cerca de 3x menos eficientes do que um carro eléctrico com bateria. A única forma de produzir hidrogénio sem emissões (hidrólise) é um processo ineficiente, onde o hidrogénio resultante tem muito menos energia do que a electricidade usada para o gerar.

      A nível de eficiência e emissões, o hidrogénio não faz sentido. Apenas faria sentido se houvesse muita energia renovável a ser desperdiçada por não haver consumo, e o hidrogénio funcionaria como um sistema de armazenamento de energia, o que não é um caso.

      E para finalizar, o hidrogénio é explosivo e altamente inflamável. Eu não quero um tanque cheio de hidrogénio armazenado a altíssimas pressões no meu carro…

      • Antonio says:

        Faço minhas as tuas palavras Dani! Já vi que as pessoas se deixam influenciar pelos meios de comunicação social poluídos pelos loobies. Isto acontece por uma formação académica deficiente!

        • Lucas says:

          Este estudo parece-se tudo em poluição informativa, tb! Parece que não interessam os factos mas o entretem das pessoas em discussões intermináveis de argumentos abstractos. O que é facto e o que não é? Se eu não consigo separar um do outro, nem me coloco na “bulha” de argumentos… Mas os sites vivem destas fofoquices disfarçadas muitas vezes de diálogo topo de gama! É triste como anda a internet a ser fonte de desinformação…

          • Sujeito says:

            Tudo é fonte de desinformação. E como sempre, tens de verificar por ti.

            A única coisa que mudou foram as pessoas, que ficaram mais aversas à discussão com a sua própria ideia formada.

      • TwoEyez says:

        O gás não é altamente explosivo, e tambem está sob pressão num carro… agora pensa.

        • Dani says:

          Não percebi o seu comentário…

          • TwoEyez says:

            O gás tambem é altamente explosivo e existem milhares de carros a gás, a rodar neste momento. O que estou a tentar dizer é que não o torna mais ou menos perigoso por isso.

          • Dani says:

            Ah, ok, agora percebo.

            “Um carro movido a GPL explodiu, terça feira, quando o condutor tentava atestar o depósito com Gás Natural Veicular (GNV) num posto de abastecimento junto à fronteira do Caia, em Elvas.”
            Radio Portalegre, 2 Janeiro 2019

            Era isto que queria ver?

          • Carlos Pereira says:

            Esse argumento do explodir não faz sentido. Também já explodiram carros elétricos! E estavam parados! Quanto à restante temática em discussão, opiniões há muitas. Mas deixo uma questão no ar: se amanha todos os carros fosse elétricos o que aconteceria?! Onde ia carregar todos os carros?! Teria que queimar combustíveis fósseis para produzir eletricidade, coisa que acontece atualmente a ainda só temos meia dúzia de carros elétricos. O ambiente precisa de ser protegido mas a indústria do Lítio também não é muito limpa. Está a ser criado um novo lobbie e em vinte anos verá o que será dito. Já se esquecem como foi com os CFCs e com o que se seguiu? Mesmo nos estudos científicos há muitos interesses por trás ( nas várias linhas).

        • Pedro says:

          Sim, é igualmente explosivo. Mas não é que não hajam explosões de carros a gás ou mesmo gasolina…

        • Louro says:

          Ao seu comentário pode chamar-se de falta de conhecimento.

          Claro que sim, tem um depósito onde o combustível é armazenado a altas pressoes, na verdade nao tao altas como no caso de hidrogenio.

          A pressao dentro de um deposito de GPL ou GLP(Gás liquefeito de petróleo) é de cerca de 8bar, já no caso de um depósito de hidrogenio as pressoes seriam de perto de 350bar… acho que dá para perceber a diferenca nao dá?

          Para além disso, devido ao composto dos dois combustiveis, o GLP, em caso de uma fuga, basicamente o gás que escapa devido a pressao baixa consumido quase de imediato, no caso de hidrogenio, numa situacao similar daria uma explosao, isto porque hidrogenio é mais volátil e também devido á pressao mais alta.

          Convém saber daquilo que se fala, antes de se falar.

          Venham de lá esses eléctricos, a Alemanha quando os comecar a ter a sério, passa a gostar muito deles e a dizer que sao a melhor invencao desde a roda.

          • Marcos says:

            As baterias não são altamente inflamáveis ? Queres andar em cima de uma tonelada de dinamite ? Parece k tu é k não andas indomado das coisas …

          • Bruno M. says:

            @Marcos!
            Baterias, dinamite, inflamáveis!

            Nem sei que dizer sobre os carros a GPL! Serão jihadistas?!

      • Grunho says:

        Poderá ter interesse pra o transporte aéreo. Nunca um avião comercial poderá descolar com o peso das baterias, e aí o hidrogénio poderá funcionar como forma mais leve de armazenamento. Em carros é um processo de perdas, além de as fuell cells serem caríssimas de produzir. AS únicas vantagens são o tempo de carga e a autonomia.

    • Al Kab says:

      Fuell cell hidrogênio são menos eficientes que baterias. E vá ver como se produz o hidroénio actualmente….

  5. Lemos says:

    O hidrogénio é não poluente? Como se extrai o hidrogénio? E como se transporta?

  6. Nuno says:

    Sobretudo a Volkswagen 🙂

  7. Miguel Cruz says:

    Também temos o exemplo do carro que anda a água salgada, também pode ser uma alternativa mais limpa.

    • José Carlos da Silva says:

      Isso deixa de ser rentável, por isso ninguém quer saber. Ninguém quer saber do planeta, nem do ambiente, nem do próximo. Interessam os lucros e os próprios umbigos.

    • Soldado Mor says:

      Isso de ler títulos da nisto, o carro que anda a “agua salgada” hahaha, usam agua salgada para produzir o hidrogénio, só que diem que com agua salgada é mais eficiente.
      Por favor, leiam o conteúdo, não comam apenas títulos

    • Eu says:

      Até ver tudo não passará de uma jogada de uma empresa com contornos muito estranhos…
      E claro, que não é simplesmente água salgada! Mas, sim uma fórmula química secreta, de que não foram sequer apresentados testes demonstrativos sobre as suas vantagens para ser economicamente viável!

    • Nuno V says:

      Se te estiveres a referir ao Quant, lamento ter que ser eu a dizer-to, mas não passou de uma vigarice por parte de Nunzio La Vecchia.

  8. LA says:

    Só agora é que chegaram a essa conclusão? Para além da poluição produzida na produção e na reciclagem das baterias, temos outro problema com a produção de electricidade, visto que a mesma vem, em grande parte, de combustíveis fosseis. Penso que deveriam pensar primeiro, na reestruturação dos pesados e dos navios existentes, visto estes emitirem NOx e CO2, em larga escala.

    • anon says:

      Só agora, porque muitos governos caíram nos lobbis dos elétricos. Parece que querem nos obrigar a força mudar para um.

      • Toni da Adega says:

        É facil entender porque muitos governos caíram nos lobbis dos elétricos.
        Alguma coisa tem que ser feita para reduzir a poluição nas grandes cidades. Ou se muda para um meio de transporte mais limpo ou retiram-se os carros das cidades.

        As pessoas podem defender tudo, mas não pode defender que viver diariamente rodeado com um uma nuvem de fumo é saudavél.
        Em certas cidades em hora de ponta o fumo é tal que mal se ve o final do estacao do metro, ao limpar o nariz o lenco fica preto do fumo.
        Muito provavélmente muito pensam que isso é um bom estilo de vida, mas alguém minimamente inteligente sabe que isso é prejudicial á saúde.

        • anon says:

          Certo. Mas se o governo realmente se preocupasse com a poluição, daria muito mais ajudas para quem quiser comprar um elétrico. As atuais ajudas não chegam.

          • Toni da Adega says:

            Agora os governos vao comecar a dar carros ás pessoas? Os governos devem ajudar e apoiar no transporte publico. Nenhuma cidade do mundo possui condicoes para que as pessoas comecem a ir todas de carro para o trabalho.
            Outra medida é melhorar as leis laborais para o povo aumentar os seus rendimentos.

            Outra medida é as pessoas comecarem a melhorar a vida por iniciativa propria.

          • anon says:

            O problema de Portugal é tentar ir buscar coisas dos países mais desnvolvidos no entanto os transportes públicos são horríveis e têm piorado a cada ano que passa, por não falar de que em alguns locais se não tiveres carro, não trabalhas. O nosso governo quer construir a casa começando pelo telhado.

          • Tecnical says:

            @anon Em relação ao transportes, podiam copiar a Suiça. Estive em Zurique á relativamente pouco tempo e é impressionante o sistema de transportes públicos.

          • anon says:

            @Tecnical por mim até deviam copiar tudo da Suiça. Mas isso já é outra conversa.

          • Louro says:

            Tens vários problemas relativamente a isso…
            1 – Em Portugal vivesse muito a cultura do carro, até para ir ao final da rua ou até ao café que fica a 500metros de casa.
            2 – As pessoas em Portugal quando compram um carro, nao compram aquilo que precisam, compram aquilo que acham que vai causar melhor figura perante os vizinhos…
            3 – Devido ao ponto 1 e 2 e com os impostos, os carros em Portugal sao muito caros, muito mais que nos outros países europeus, e se for para o mercado de usados entao nem se fala.

            Outra das coisas é que as pessoas tem muito o vicio de comparar alhos com bogalhos, ainda estes dias andava um aqui a tentar comparar um Tesla com o Golf a diesel dele… isto porque o Tesla era muito mais caro que o Golf e o Golf tinha mais autonomia…

          • anon says:

            Cultura de carro? Só quem vive nas grandes cidades pode considerar não comprar um carro.

          • Louro says:

            @anon
            Se nao houvesse a cultura do carro, haveriam transportes publicos em todo lado e com melhor qualidade.

            Como as pessoas se deslocam de carro, há menos investimento nos transportes publicos logo, menos frequencia e menos qualidade.

        • Manrl says:

          Se estiverem mesmo interessados em diminuir a poluição nas cidades, retirem os automóveis poluentes, mas coloquem à disposição dos habitantes meios de transporte rápidos e eficientes e não poluentes. No Porto poder ex. Já circulam muitos autocarros a hidrogénio.

    • Dani says:

      A conclusão é errada, uma vez que assume que os “combustíveis fósseis” aparecem por magia no tanque do carro. Quando se tem em consideração as emissões da produção dos combustíveis fósseis, a coisa muda (e muito) de figura.

      • mlopes says:

        da produção?
        não só da produção como também da prospeção, da furação, do fraking, da extração, do transporte, da refinação, do processo de distribuição e do retalho.
        se fazem as contas todas desde o início do processo de mineração então façam as contas do mesmo modo com o petróleo

        • Dani says:

          Isso mesmo, obrigado pelo comentário.

        • Eu says:

          Sim, e nada de se referir ao processo de fabrico dos fumarentos!
          E, faltou falar de todos os restantes fluídos químicos usados nos motores térmicos e da extracção dos vários materiais constituintes das variadíssimas peças desses motores!
          Tudo isso foi pelos vistos assumido como dado adquirido nesses “estudos” e não fazendo parte da cadeia de poluição desse tipo de veículos!

    • Bruno M. says:

      Ahhh e não há qualquer problema ambiental na extração do gás e do petrólio, nem na refinação do crude para gasolina e diesel… nem mesmo na fabricação dos plásticos!
      A produção de Electricidade hoje, brutalmente menos dependente de energias fósseis, visto que cada vez mais a energia eólica é efectivamente mais usada!

      Para os aviões e navios, muito provavelmente só quando o “electrico” (veiculos) estiver mais massificado e for o “normal” do dia a dia!
      Por enquanto, ainda é um embrião!

      • anon says:

        Só quando elétrico estiver mais massificado? Então estamos lixados, visto que já saiu nova previsão para mundo acabar em 2050.

      • Lucas says:

        Você sabe quem é que vai mudar realmente a sociedade? É o indivíduo, com sensatez e inteligência. É desses indivíduos que aparentemente os governos têm medo. Quando forem muitos a mudar, vou dar o exemplo, para painéis solares autônomos de edps e grandes corporações, a ladainha do governo muda logo. Eles não nos governam, são cada vez mais governados pela opinião pública… Vou dar outro exemplo: ao que parece a produção agrícola feita por familias e pequenas cooperativas sociais, em todo o mundo é tipo 75% da produção agrícola mundial. É disto que governos+grandes corporacoes têm medo. Por isso a grandessíssima aposta na manipulação da opinião pública! Porque querem fazer pensar as pessoas que a sua acção individual não faz grande moça. Isto é tudo jogo de sombras, isto é tudo política…

    • Louro says:

      Se nao houver necessidade iremos continuar a produzir energia de forma suja, quanto mais carros eletricos houverem nas ruas, mais investimento haverá na tecnologia e mais limpos serao.

  9. anon says:

    Nem mais. Os elétricos para serem considerados mais limpos teriam que ser carregados a 100% da energia renovável. Caso que não vai acontecer no futuro próximo.

    • Al Kab says:

      Sim porque se forem carregados a 80% de renovável já são menos limpos. Gostava de ver esse estudo que diz que só a 100% renovável é que é mais “limpo”

      • Toni da Adega says:

        Para muitos tudo que não é a 100% significa que é mau.
        As Vacinas não são 100% eficazes mais vale nem tomar.
        Contraceptivos não são 100% eficazes mais vale nem tomar.
        Carros como não são carregados a 100% da energia renovável então mais vale nem pensar niso.

      • Ruy Acquaviva says:

        Concordo com você. É absurdo exigir que a origem da energia elétrica seja 100% renovável, sendo que uma das grandes vantagens dos carros elétricos é justamente ter flexibilidade na origem da energia elétrica, permitindo a gradual implantação de fontes renováveis.
        Mas, mesmo que 100% da origem da energia elétrica fosse não renovável, os carros elétricos teriam outras vantagens, menor número de peças, menor desgaste, menor custo de manutenção, maior durabilidade, menor peso, não consumir óleos lubrificantes no motor e na transmissão, entre outras.

    • Eu says:

      Não deves saber qual é o rendimento energético de um VE, pois não?
      O rendimento num VE é de cerca de 90%, e num motor de combustão não chega aos 35%!
      Só por esse motivo já são economicamente viáveis quando comparados com os motores de combustão! Pois, utilizam a energia de forma mais eficiente e racional, e não dependem unicamente de uma única fonte de energia, podendo recorrer à energia eléctrica que é gerada por diversas formas entre elas fontes renováveis (solar, eólica, hídrica).

  10. Bruno M. says:

    Isto faz-me lembrar nos anos 60 em que o tabaco era defendido por médicos, pelos governos, pelas industrias!
    Até havia publicidade a incentivar as crianças a fumarem desde tenra idade!
    Depois de tantos anos, e muitos de contestação veio finalmente a público, e após supostos estudos a sustentarem os benefícios do tabaco para a saúde, que afinal o tabaco faz mal! Hoje andamos a pagar por todos aqueles que fumam!

    Com os combustíveis fósseis e as energias renováveis é o mesmo!
    Tantos anos lutou-se contra as energias renováveis e no caso, contra os carros electricos que supostamente nunca seriam viáveis!
    Hoje já se conclui que afinal, mesmo após TODO o processo de fabrico das baterias e a mineração do litio, sabemos que há menos poluição com as energias renováveis e os carros eléctricos que com diesel e gasolina (bem como a sua extracção)!

    • anon says:

      Acho que percebeste tudo mal.

    • Dani says:

      É isso mesmo. É impressionante como na era mais avançada do conhecimento científico, este tipo de questões ainda dividem as pessoas!!

      É claro como a água, os eléctricos são mais limpos!!!
      Se o gasóleo aparecesse por magia no depósito dos carros (que é o que é considerado neste “estudo), é óbvio que a coisa parece diferente.

      • AP says:

        Os eléctricos são mais limpos desde que a mineração do lítio não seja feita no meio das grandes cidades.
        Enquanto for lá bem longe da vista (que se lixe quem lá mora e os espaços naturais) ah, então é limpíssima!

        • Dani says:

          Acha que a extracção e refinação do petróleo é feito no meio das grandes cidades? É a mesma coisa!!

          A diferença é que uma bateria é utilizada durante vários anos, e depois pode ser reciclada, enquanto o petróleo demora uns segundos a ser queimado e deixa substâncias tóxicas como “souvenir”, nunca mais podendo ser recuperado…

          Agora escolha.

      • anon says:

        Tudo bem, a questão é que se coloca aqui não é essa. Se forem apenas alguns países a adaptar o uso dos elétricos não chega é tudo em vão. E no final quem paga a fatura é como sempre o zé.

      • mlopes says:

        este tipo de questões ainda dividem as pessoas porque estas se movem por interesses, interesses esse que, ainda por cima, são avaliados, na melhor das hipótese, considerando um horizonte temporal igual à expetativa média de vida. “ninguém” vê nada a muito longo prazo

  11. Blackbit says:

    Só mais umas achegas ao tema:
    a) depois de extraído o litio é reciclável (não é fácil mas é possível), o petróleo não.
    b) a produção de hidrogénio é dificil e pouco eficiente. Para a mesma quantidade de electricidade, é mais eficiente usa-la diretamente num carro elétrico do que criar hidrogénio e posteriormente usa-lo num carro a hidrogénio.
    c) o conforte de conduzir um carro elétrico é inigualável, só não acredita quem ainda não conduziu um.

    • anon says:

      Conforto? Qual a diferença entre conduzir um carro à combustão vs elétrico?

      • IDroid says:

        Não é conforto,é conforte.

      • Dani says:

        Muito mais silencioso, menos vibrações, mais força de aceleração (torque), menos cheiros… são assim os aspectos mais óbvios.

        • maxgiger says:

          QUando ao silencio até dou um bocadinho de razão, mas sabes tão bem que isso é algo treta pois os de combustão tambem sao muito silenciosos. Ainda ontem passou um por mim que por segundos deixou-me na duvida. É electrico? mas afinal não era. Menos vibraçoes? são exactamente o mesmo, entao conduzindo nas nossas fantasticas estradas, seja qual seja o carro vai haver sempre vibraçoes.
          Mais força de aceleração? qual a vantagem disso? estamos a fazer corridas?
          E menos cheiros….lol… que cheiros são esses?

          • Al Kab says:

            Já conduzi Leaf, Model S e Model X (o leaf durante algum tempo) São muito mais silenciosos e espaçosos (para carros do mesmo segmento, que tb ja conduzi) e os custos operacionais são muito menores. O silêncio não é comparável por muito mais isolamento que ponham, quer por dentro quer por fora. Principalmente a velocidades/rotações mais altas. Vibrações idem. Em relação ao cheiro, não sei experimente cheirar um escape ou estar numa garagem muito tempo…

          • Dani says:

            Com vibração falamos de vibração do motor. Pouco ou muito, esta existe nos carros a combustão e não existe nos eléctricos.
            Maior aceleração não quer dizer mais velocidade, apenas melhor reacção. É muito útil para ultrapassagens, por exemplo.
            Quanto aos cheiros, experimente abrir a janela ao passar num túnel longo com trânsito (por exemplo, túnel do marquês)… Acho que não preciso de explicar mais…

          • Lucas says:

            Eu no meu renault zoe último modelo, parado no semáforo em arranque coitadinhos dos bmw e mercedes de alta cilindrada, ficam todos a comer pó! Hehe… depois ligo o eco e deixo-os passar para ver a cara de enervados deles. É tão divertido!

          • TwoEyez says:

            “Lucas 5 de Junho de 2019 às 13:21
            Eu no meu renault zoe último”

            Se tiveres um azar de bater de frente contra um desses carros a 70km/h vais ver quem é que se fica a rir… o teu comentário é só triste…

          • mlopes says:

            o comentário do @Dani tem todo o sentido. só quem nunca conduziu um elétrico e um diesel é que não terá alguma dificuldade em perceber.
            tenho os dois em casa e é uma alivio e um descanso quando deixo o diesel (de 2016).
            @TwoEyez esses dois olhos devem estar “fechados”. experimenta bater com qualquer, sim qualquer, carro a 70km/h e ninguém se fica rir!

          • TwoEyez says:

            @TwoEyez esses dois olhos devem estar “fechados”. experimenta bater com qualquer, sim qualquer, carro a 70km/h e ninguém se fica rir!

            Já me aconteceu, alem de terem vindo contra mim ainda saí da estrada e metium poste abaixo e um muro e graças ao carro BMW 320 que nao valem nada como diz o amigo Lucas, a mim sinto que me salvou a vida…

          • Louro says:

            @TwoEyez

            Ele tem mesmo razao, tu deves de ter os olhos fechados e alguma dificuldade de raciocinio lógico…

            Se bateres a 70 de frente desfazes o carro por completo, seja qual for o carro que estejas a falar.

            Imaginemos que vais a circular a 120kmh numa autoestrada, derrepente tens um obstaculo ao qual tu vais reagir e obviamente travar (a menos que tenhas os olhos fechados claro), na verdade nao vais bater a 120kmh mas sim para aí a 50 ou assim, pois houve uma desacelaracao brutal do carro.
            Se travares a fundo a 120kmh, qualquer carro que esteja nas devidas condicoes de manutencao e seja relativamente recente, para em uns 50metros…

            Logo agora vamos fazer umas contas.

            se circulares a 120kmh, a cada segundo fazes cerca de 33 metros, o tempo para reagires ao obstaculo depois de o veres é de cerca de 1 segundo, logo vamos assumir isso como certo.

            33 metros para reagires, mais 50 para parar, o que significa que tens 83metros para ver o obstaculo reagir e parar o carro por completo.

            Mesmo que o teu tempo de reaccao seja dobrado, continuas a nunca bater a mais de 60kmh…

            agora vejamos os crash test…
            https://www.youtube.com/watch?v=LpIEiG5a3yM

            Repara que numa colisao frontal lateral, o cockpit quase nao teve deformacao alguma… toda a frente do carro pode ser usada como zona de deformacao e absorcao de energia enquanto que num carro a cobustao o motor é puxado para trás (dentro do cockpit) e para além disso ainda nao se deforma, passando toda a energia para o resto do chassis.

            Pensa antes de falar.

          • maxgiger says:

            há pessoal que as vezes nao usa a cabeça, principalmente quando são avidos defensores, prontos para defender a causa sem pensar tal como o Al Kad. Amigo, quero saber que cheiros são esses sim senhor e nao o cheiro da ÓBVIA saída de escape que isso já todos temos mais ou menos as nossas experiências.
            O que quero saber é se será o cheiro a gasolina/gasóleo? travões?

            Quanto ao Lucas e ao seu divertido passatempo, vemos claramente para que é a aceleraçao. Apenas para dizer ” sou bom nao sou?” nas suas pequenas e perigosas acelerações. Está é uma das tristes realidades que vamos presenciando….

        • Ze says:

          Só até entrar em vigor a nova norma europeia que vai obrigar os carros eléctricos a produzir ruído para segurança dos pedestres.
          “VROOOOMMMMMMM” “VROOOOOOOOOOOMMMMMMMM”

      • Toni da Adega says:

        Entre muitas coisas o ruido. E para quem nos rodeia faz muito mais diferenca, mas como isso incomoda os outros e não a quem conduz nada interessa.

      • Tiago says:

        Nunca conduziu um class S ou um serie 7. Lol

        • Dani says:

          Com os eléctricos tem essas características até nos mais baratos. Já nos carros comuns a combustão, só em carros de luxo, e mesmo assim não completamente.

          • anon says:

            Um carro de luxo custa tanto como um normal elétrico. Em que ficamos?

          • Bruno M. says:

            Já pode comprar um eléctrico por menos de 30 000 !
            Carros de luxo… depende do “luxo” e da marca do carro!
            Mas acima de 50.000 já pode (ou não) ser considerado luxo!

          • anon says:

            Carros elétricos por menos de 30 mil? E qual autonomia no máximo têm esses carros?

          • Bruno M. says:

            Leaf … 32400 (com desconto vai para menos um quantos mil euros)!

            270Km a 370 +/-!

            Mas há outras ligeiramente mais caras com mais autonomia!
            E não são considerados luxos.

          • anon says:

            Certo, mas por menos de 20 mil compro um bom carro à combustão.

          • Bruno M. says:

            Sim, mas mais poluente. Com mais custos de manutenção, mais barulhento, e com um custo de andamento bem mais elevado!

            A longo prazo, sai mais caro um a combustão que um eléctrico!

          • anon says:

            Mais manutenções sim mas não precisas de trocar bateria ao fim de não sei quantos anos. Quanto custa uma bateria? Custa tanto que mais um bocadinho e compras um carro normal. Simples. Tudo uma questão de dinheiro.

          • Bruno M. says:

            @anon:
            Preços médios:
            Toyota Prius: 2.350 €;
            Nissan Leaf: 7.080 €;
            Renault Zoe: 7.500 €;
            Porsche Cayenne E-Hybrid: 23.680 €;
            BMW i3: 37.580 €.

      • Al Kab says:

        Já conduziu um eléctrico?

        • anon says:

          Não, daí ter perguntado. Nem penso comprar um tão cedo. Ainda é cedo demais para um cidadão comum.

          • Nonnus says:

            Não conduziu mas pelo discurso parece ser um entendido na matéria (infelizmente não é caso único).

            Já lhe expliquei por várias vezes em outras noticias sobre carros eléctricos as vantagens dos carros eléctricos, mas você continua com a mesmo discurso de quem não percebe nada do assunto, mas opina como se percebesse. Aceite o meu conselho, vá a um stand e peça para fazer um testdrive, não paga nada e sempre vai ter uma experiência nova. Caso não goste da experiência também não perde nada.

            Nunca ouviu dizer, não negue a partida uma ciência que desconhece.

          • anon says:

            Continua a bater na mesma tecla pelo que parece. Além destas vantagens quais são vantagens para o bolso das pessoas ao comprar um VE? Certamente para quem faz menos de 100 km por dia, não compensa.

          • Pedro says:

            Anon,
            1) Não paga IUC (diria 150€/ano num carro do mesmo valor)
            2) Não paga ISV no acto da compra
            3) Não paga estacionamento em Lisboa
            4) Muito menos manutenções: os motores eléctricos têm poucas dezenas de partes móveis contra milhares dos motores a combustão.
            5) Não ten de trocar óleos, os travões gastam-se menos por causa da regeneração, etc etc.

            Final) Mesmo não considerando tudo o que disse acima e fazendo umas contas: Digamos que faz 50km por dia, num carro que consuma 6L/100km de gasolina, são 18250km num ano (1095 litros). Cerca de 1700€/ano em gasolina. Carregando um carro eléctrico num mix de postos grátis com pagos com carregar em casa/garagem não gasta de certeza mais de 500€ num ano. São cerca de 1200€ que poupa por ano. Agora subtraia ao preço do carro os 12000€ em 10 anos a todas as outras vantagens que disse acima e veja acha que chega 🙂

          • anon says:

            OK mas quando fores trocar de bateria, vais gastar tanto como poupaste até lá. Ficamos na mesma.

          • Bruno M. says:

            @Anon, e o que gastas na manutenção de um carro durante 10 anos, podes encaminhar para gastares na troca da bateria de um eléctrico.
            Ficamo na mesma…
            Vá.. quase.. visto que a longo prazo poupas num eléctrico!

          • Nonnus says:

            Pedro,

            Não vale a pena estar com tanta explicação, eu já o fiz noutras ocasiões e simplesmente a matemática nestes locais não é uma ciência exacta.

            Agora a seguir vai vir o argumento que o carro eléctrico tem pouca autonomia, as baterias duram pouco e são caras a sua substituição, que os postos de carregamento são uma miragem (quando muitas vezes passam por um e nem sabem o que é), que só quem tem carros eléctrico é que faz poucos KM ou não saí de casa.

            São todos visionários os que nunca conduziram um VE e os milhões de proprietários de carros eléctricos no mundo são pessoas com pouca visão e do mais burro que pode haver.

          • FAR says:

            @anon
            “OK mas quando fores trocar de bateria, vais gastar tanto como poupaste até lá. Ficamos na mesma.”

            Mas, e eu sei que isto é muito pouco relevante, poupaste o ambiente às emissões do teu carro.

    • N'uno says:

      Produzir hidrogénio não é assim tão difícil, mas sim ineficiente por causa do consumo de energia. Mas não sabemos até que ponto não se conseguirá evoluir para um paradigma em que as renováveis que não conseguimos consumir venham a suprir essa ineficiência, viabilizando a tecnologia. Para se conseguir usar a tal energia eléctrica directamente no carro ter-se-ia que inventar ainda uma forma limpa de o fazer…
      A ausência de barulho nos eléctricos é perigosa nos meios onde há peões e outro utentes vulneráveis da via. Tanto assim é que será obrigatório gerar barulho electronicamente dentro de pouco tempo.
      Para o mesmo nível de preços, os carros a combustão oferecem um conforto equivalente. O único ponto que vejo muito mais interessante é o torque.

    • Não fui eu says:

      O hidrogénio é de fácil produção, o problema está no seu armazenamento, para posterior venda, é mais fácil limpo se produzido pelo próprio veiculo, mas isso não dava lucro a ninguém apenas aos produtores de veículos automóveis lol, dar dava, mas a água destilada devia subir para valores inimagináveis!

  12. Dani says:

    Que os veículos eléctricos têm mais emissões no processo de fabrico, acho que ninguém tem dúvidas. Mas por favor parem com estas patetices de que os eléctricos poluem mais durante a sua vida útil!!
    Se contam com as emissões na produção de electricidade, também têm de contar com as emissões na extracção, refinação e transporte de combustíveis! Que eu saiba, o gasóleo e a gasolina (e até o gás natural) não surgem por geração espontânea no tanque do veículo…

    Tendo a produção de combustível em conta, um veículo eléctrico tem menos emissões do que um veículo a combustível passados alguns meses (carros com baterias pequenas) ou até 2 anos (carros com grandes baterias), tendo ainda assim a vantagem de não poluir as cidades onde a maior parte dos carros estão e onde vivem mais pessoas.

  13. BlackFerdyPT says:

    O real ganho do fabrico deste tipo de automóveis está na perpetuação do mito de que o CO2 é um poluente – pois, o comum cidadão não reflecte sobre para além do que meramente vê.

    E, se o Al Gore e toda a classe política que pede por e aprova estas leis (e as elites que estão acima desta classe) não se preocupam em reduzir as suas próprias emissões de CO2 (dezenas de vezes as do comum cidadão) é porque eles, melhor do que muita gente ignorante e fácil de enganar, sabem muito bem que tais emissões não representam qualquer perigo.

    O objectivo final é criar uma sociedade pós-industrial, onde se possa controlar o desenvolvimento económico (e, consequentemente, também cultural e intelectual) de toda a Humanidade. Pois, o presente modelo impede que tal desenvolvimento seja controlado e ultimamente reduzido. E, entre outras coisas, não interessa às elites a muito inconveniente consequência que é esta história do comum cidadão ter acesso a 90% da informação existente através da Internet e que haja quem tenha dinheiro para nesta rede denunciar o que bem entender.

    Continuem a obedecer a políticos corruptos e mentirosos, sem questionar nada do que estes dizem, que as gerações que vos seguirão irão agradecer por e ser muito felizes em ser pobres – e também ainda mais fáceis de ser manipuladas, por não terem mais acesso à Cultura.

    • Dani says:

      É isso tudo, mais o facto da terra ser plana (flat earth). Realmente estes mitos de que o CO2 é prejudicial ao planeta, e que a terra é redonda… é tudo só para nos controlar!!! Temos de sair do Matrix. Próxima vez que estiver numa farmácia, peça o comprimido vermelho…

      Nota: Comentário extremamente irónico, ao nível do comentário ao qual respondo.

      • mlopes says:

        muito bom! 🙂 lol

      • Sujeito says:

        Dani, pegar num tópico nada a ver para desacreditar o dito em questão é falácia de raciocínio e desconversação que em nada contribui.

        Até agora, pelos seus/teus outros comentários, parece-me um indivíduo dado à lógica e boa conversa, portanto parece um pouco fora de contexto. Quase como se estivesse a resultar toda a propaganda feita exatamente para desligar o pensamento crítico nos assuntos que interessam às tais elites.

    • Lucas says:

      Só faltou falar dos iluminati ou dos reptilianos… Qual é o livro que vc anda a ler?

  14. M3D2 says:

    Provavelmente a Alemanha tem razão mas só contesta porque com os eléctricos estão cada vez mais a perder o domínio de mercado.

  15. Rui says:

    É uma evidência que ambas as soluções têem aspectos positivos e negativos.
    O que nós devemos fazer, é muito bem as contas do que queremos, porque mais consumo de energia eléctrica não significa que toda ela é limpa. Já agora, uma hídrica desde quando é uma central de energia limpa?

    Já agora que insistem no lítio, como o futuro el dourado português!!!! Se for para trazer para cá as fábricas de baterias e se possível automóvel, acho uma boa aposta. Se é só para esburacarem os nossos recursos naturais e deixaram enormes buracos a céu aberto, transformando o país num mero exportador de matérias-primas sem qualquer valor acrescentado, não muito obrigado! Ainda por cima, grande parte das reservas existem no Gerês!!!!! Vão lá perguntar a quem lá mora se quer a sua paisagem toda destruída!!!! Não decidam em Lisboa!!!!!

    • Dani says:

      Quando se diz “limpa” quer dizer, em termos gerais, sem emissões. As centrais de energia hídrica não têm emissões, logo são “limpas”. Isto não é o mesmo que impacto ambiental, pois é óbvio que uma barragem tem um impacto ambiental elevadíssimo no local.

    • Toni da Adega says:

      Se tudo correr bem a exploracao de petroleo na Costa Algarvia vai avante e com isso pode ser que recue na exploracao de Litio.

    • Eu says:

      E nas baterias não há necessidade de se usar unicamente o Lítio! Até já se diminuiu muito a sua quantidade no fabrico das baterias e até pode-se recorrer a outros materiais que não causam tanta poluição! Tudo depende da evolução no fabrico de baterias!

  16. Jonas Jovial says:

    O petróleo, os óleos e os componentes dos carros de combustão nascem nas árvores.. Toda a gente sabe isso e que estes processos não poluem nada…Os derrames de petróleo no alto mar até ajudam a fauna a andar mais rápido…

    • Dani says:

      Muito bom comentário!

      +1!!

    • Rui says:

      Assim como os acidentes nas centrais nucleares, que também abastecem o país (importado sobretudo da França), é tudo energia limpa. As hídricas também não têem nenhum impacto nos rios, etc, etc.

      • Rui says:

        E já agora, um carro eléctrico nem tem pneus, nem baterias, nem pintura, nem pláticos, nem tecidos sintéticos, é tudo verde e não poluente!

        • Dani says:

          Neste aspecto, é igual aos carros com motor de combustão que pretende substituir… logo não é pior, é o mesmo.

        • Nonnus says:

          Em que parte de se dizer que um veiculo eléctrico (VE) é MENOS poluente que um veiculo a combustão é que não percebe?

          Ninguém disse que o VE não é poluente, seria muito estúpido alguém afirmar isso , até porque um VE usa muito dos componentes dos outros veículos, excepto o uso de motor de combustão que queima combustíveis fosseis, e é isso que faz a diferença.

          O seu comentário mostra o quanto tendencioso é. Estar a dizer uma coisa que ninguém no seu perfeito juízo alguma vez disse ou escreveu para mostrar a diferença entre duas tecnologias. A palavra MENOS ≠ NÃO.

          Já agora, você tem noção que as refinarias e as bombas de gasolina também precisam de energia eléctrica (e não é pouca)?

          • Rui says:

            Não me diga que fez um estudo académico, com um inquérito válido, de que um é menos poluente que o outro.
            Não me diga que a Tesla faz a suas gigafábricas à luz da vela. As baterias não são poluentes!
            Alguém que demonstre que produzir um carro eléctrico é menos poluente que um carro a combustão! Porque eu vejo exactamente os mesmos processo que passa um e outro e ambos têem de passar pelos mesmos processos até ser vendido.
            Por fim, 50 KW de energia eléctrica são menos poluentes que a produção de 50Kw de energia gerada por um motor a combustão?

          • Rudi says:

            Rui, 50Kw num carro a combustão são muito mais poluentes.
            Só o para-arranca é um assassino, o motor nunca está no seu pico de eficiência, para isso precisava de estar a uma velocidade constante sem transição de mudanças.
            Um motor a frio é extremamente poluente até ter o catalizador à temperatura adequada.
            Nem todos os motores dos carros têm manutenção adequada, logo filtors, oleo, injectores, tudo importa na eficiencia.

            Numa produção de electricidade os motores estão sempre numa carga quase constante, com filtros de topo, manutenções regulares, porque quem produz quer eficiência senão a conta do combustível é muito alta.
            Produção de energia consegue ser entre 20 a 50% mais eficiente que um automovel de CI.

          • Nonnus says:

            Rui, agora fiquei baralhado! Você tem noção do que se esta aqui a discutir?

            Então não é um pseudo estudo que estamos aqui a discutir?

            Você ao menos leu a noticia?

            Agora percebo o que escreveu, você não faz a mínima ideia do que se esta aqui a discutir dai não perceber a diferença entre NÃO poluir e ser MENOS poluente.

          • Toni da Adega says:

            @Rui
            se 50 KW de energia eléctrica não são menos poluentes que a produção de 50Kw de energia gerada por um motor a combustão.
            Entao mais vale ligar para a EDP para desligar a energia e colocar um gerador a diesel na Sala para alimentar na sala, assim já está a ajudar a melhorar o ambiente.

          • Louro says:

            @Nonnus,
            Nao vale a pena…

            Isto é quase como quem desdenha de marcas, no fundo até queriam um mas nao tem dinheiro nem estao dispostos a fazer algo para o poderem comprar… logo nao presta.

          • Nuno V says:

            @Rui
            Os cientistas especializados na área já efectuaram múltiplos estudos sobre a eficiência e poluição dos carros eléctricos e dos carros com motor de combustão interna. Quando se compara os dois tipos de veículos, a quase totalidade dos estudos demonstram que o primeiro é mais eficiente e menos poluente que o segundo, sendo este o concenso entre os cientistas.

          • Nuno V says:

            @Rui
            kw não representa energia, mas sim potência. Eu presumo que querias dizer 50kwh. E sim, para gerar 50kwh, as centrais eléctricas, mesmo as termoeléctricas, são significativamente mais eficientes e menos poluentes que os motores a combustão interna.

          • Sujeito says:

            Nuno V,

            A “quase totalidade desses tais estudos” pode ser uma grande falácia.
            Estando a assumir que foram todos feitos para o mesmo objectivo de estudo, surgem 3 hipóteses:

            – Os que não confirmam “o consenso”, estarão eles a ser financiados pelos lobbies a quem não interessa?
            – Os que confirmam, estarão eles a ser financiados pelos lobbies a que interessa?

            Essas hipóteses assumem parcialidade e corrupção.

            Assumindo que não parcialidade nem corrupção, havendo outliers que negam as outras confirmações significa, por método científico, que então nada está assente, pois uma prova em contrário é suficiente para descredibilizar as restantes assunções.
            A não ser que se esteja a fazer investigação amadora.

            Tudo aspectos importantes a ter em conta que a malta deixa passar ao lado. Assim como a quase permeabilização total dos lobbies em todas as áreas, inclusive, e principalmente a de investigação científica.

          • Nuno V says:

            @Sujeito
            Meu caro, o consenso científico representa o conhecimento humano mais preciso sobre a realidade. Isto não significa que este seja imutável, ou que até não possa estar errado.

            É verdade que existem casos de fraude perpetradas por cientistas, mas estas foram sempre desmanteladas por outros cientistas. E o número de fraudes são muito poucas. Tu nunca trabalhaste como cientista. Eu já. E a nossa reputação é algo extremamente importante durante o nosso trabalho. Porque se formos apanhados a citar factos que não são factos ou a distorcer factos, isso conta para a nossa reputação. Haver estudos contraditórios não significa que haja interesses por de trás, ou até mesmo desonestidade. Pode acontecer que um cientista esteja honestamente errado. Por isso é que o processo de revisão de pares é extremamente importante, bem como a discussão em fóruns após o lançamento do estudo. Se este estiver errado, eventualmente é dada a sua retração.

            Na realidade eu por acaso não tenho conhecimento de uma única publicação revista pelos pares que apresente os carros elétricos como mais poluentes que os movidos a MCI.

            Apelar a uma conspiração para defender a tua posição é que constitui uma falácia.

      • Toni da Adega says:

        Junto á Refinaria de Sines ou junto á barragem do Alqueva?
        Em termos ambientais qual é o melhor local para se residir?

        • Sujeito says:

          Há mais algum termo sequer?
          Definitivamente Sines. Tens ótimos festivais de música na zona e quando acaba, corre-se com a malta de lá para fora.
          No Alqueva não tens festivais e ainda correm é contigo de lá para fora.

    • Ze says:

      Sim, e produzir baterias de lítio é um processo muito ecológico e pouco perigoso.
      Faz lá um furo na bateria do teu telemóvel ou do portátil e depois conta-me como correu!

  17. Juka Piruças says:

    Andem a pé. Um carro é um lu(i)xo que a humanidade não precisa.

    • anon says:

      Para quem vive ao pé do trabalho e comércio é a perfeita solução. Mas infelizmente nem todos vivem nestas condições ou não querem.

  18. B@rão Vermelho says:

    Eu pessoalmente não acredito que o futuro passe pelas baterias, eléctrico sim, mas com sistema de carregamento diferente, exp “https://www.turbo.pt/revolucao-carro-eletrico-1000-km-8h21m-recarga-liquida-10-cent-litro/”
    Quanto a poluição, um dos maiores poluidores, são os navios, e esses sim uma verdadeira ameaça a segurança de todos.

  19. Gerardo says:

    Qualquer dia para provarem que os eléctricos são mais poluentes vão entram em linha de conta até com o lixo que os trabalhador da fábrica da Tesla produzem para ir trabalhar, tipo o papel higiénico e o embrulho das sandes

  20. TugAzeiteiro says:

    Estudos, estudos e mais estudos… agora basta saber quem paga quais!!
    Ou acham mesmo que o lobby do petróleo vai estar quieto enquanto vê uma grande fatia do seu lucro cair por terra? Basta verem a constante guerra à Tesla… quase todas as noticias são para deitar a baixo… inclusivamente a Tesla já veio dizer isso em público.
    Agora posto isto de parte…. o veículo electrifico vem finalmente trazer algo favorável, que é a estabilização da rede electrifica e a produção cada vez maior de energias renováveis. Infelizmente ainda vai demorar umas boas décadas para pelo menos 90% da energia produzida ser renovável… até porque há muita tecnologia suprimida por patentes do lobby do petróleo!
    Portanto não encaremos os carros eléctricos como maus… e as baterias de lithium são apenas a solução para o “agora”, já há novas tecnologia de baterias a caminho…. aguardem mais uns 5 anos e vão ver que as autonomias e os tempos de carregamento irão ser coisa do passado, tal como aconteceu com os primeiros carros a combustão no início do século passado, que não tinham grande autonomia, eram pouco fiáveis e a rede de gasolineiras era muito reduzida. Como tudo na vida, há que dar tempo para implementar e desenvolver… o que estamos a viver neste momento é simplesmente um nova revolução, mas não é de mobilidade, é energética!

  21. Sw4rtz says:

    Alemanha: “Carros elétricos poluem mais”…. Também a Alemanha: https://pplware.sapo.pt/motores/alemanha-abre-a-primeira-estrada-eletrica-para-camioes/

  22. Vitor says:

    Mais uma vez fico com sensação que o pessoal do Pplware escreve artigos com pouca isenção onde claramente se nota a opinião do escritor.

    • Dani says:

      O jaguar, segundo esse estudo, emite 14 mg/km de NOx.
      Esse valor, apesar de ser abaixo do limite legal actual de 80 mg/km, é infinitamente mais elevado do que qualquer carro eléctrico, já que os eléctricos emitem 0 mg/km.

      Continua a ser mau, apenas é “menos mau” do que os outros motores a combustão que poluem mais ainda.

  23. Rudi says:

    Antes de mais adoro o conceito de hidrogénio, contudo é uma péssima ideia.

    Vamos por pontos
    1 – o hidrogénio é 1/3 menos eficiente que baterias em armazenamento de energia
    2 – O hidrogénio é 1/3 menos eficiente que baterias em conversão de energia
    3 – em ambos os casos isto é o melhor cenário para hidrogénio
    4 – Hidrogénio é a molécula mais pequena que existe, uma rosca mal apertada, um furo, uma mangueira em fraco estado e temos o que se pode chamar uma bomba
    5 – com todas estas ineficiências precisaríamos de 2/3 de mais produção de energia para alimentar os mesmos veículos, não sei como alguém me explica esta falha no estudo.
    6 – hidrogénio pode ser uma maneira barata de armazenar num sitio estático, contudo já existe uma empresa que consegue capturar dióxido de carbono do ar e transformar num hidrocarboneto puro, prefiro esta ultima a hidrogénio por razões óbvias.
    7 – as baterias conseguem ter uso até 20 anos, lá por perderem 50% de carga não quer dizer que não servem para alimentar uma casa como a Nissan fez, o problema de espaço já não se põe
    8 – daqui a 10-15 anos temos de fazer reciclagem de baterias em larga escala, coisa que está a ser estudada hoje!
    9 – estudos provam que mesmo numa produção de energia a CARVÃO, um carro electrico de 30-40Kw de bateria em apenas 3,6 anos de condução já é mais limpo que qualquer outro carro, se for 100% renovável demora 4 meses isto na pior das hipóteses considerando reciclagem, fabrico, carregamento, etc.

    O nosso problema actual é produção de energia limpa, se formos adotar métodos super ineficientes não estamos a progredir estamos a meter um remendo ainda pior num sistema que está em colapso.

    portanto para aqueles que não gostam de carros electricos provavelmente porque nunca conduziram nenhum, pesquisem antes de tomarem julgamentos por estudo feitos por outras pessoas que claramente se esqueceram e de forma bastante óbvia de certos factos.

    Videos bastante educativos para os mais duvidosos.
    https://www.youtube.com/watch?v=6RhtiPefVzM

    https://www.youtube.com/watch?v=f7MzFfuNOtY

    https://www.youtube.com/watch?v=xU-LDZ0HTGc

    • José Maria Oliveira Simões says:

      Os melhores carros a nível de eficiência e energia limpa, são o carros a vapor. Pena não serem práticos, pois demoram mais de 10 minutos a estarem operacionais.

      • Rudi says:

        E eficiencia dos carros a vapor, tecnologia muito antiga fica muito proxima de uma central energética antiga, mas é muito impratica e levaria a mais custos e problemas, mesmo que meter um motor sterling que é mais eficiente tens o problema do torque.

    • Dani says:

      Excelente comentário, obrigado pela boa informação!

  24. LA says:

    Ainda me pergunto, porque é que ainda se constrói motores atmosféricos, a gasolina e a gasóleo, quando já se conclui-o que os motores com turbo, para além de mais eficientes, são também mais ecológicos, na emissão de CO2 e mais económicos, no consumo de combustível.

    • Rui says:

      Ainda há motores atmosféricos a gasóleo? Só se forem para geradores, com esta nova regra do Euro 6 Temp não conheço nenhum que não tenha um Turbo

      • LA says:

        Rui, tem razão. A gasóleo, tirando os geradores e alguns veículos mais antigos, penso que já não haja nenhuns. Agora a gasolina não entendo o porquê da pouca implementação, dos turbos.

        • Louro says:

          Porque as pessoas quando ouvem falar em mais potencia (dos motores a gasolina com turbo) acham que vao consumir mais… o que é uma total mentira…

          Mentira tao similar a um motor a gasolina consumir muito mais que um motor a diesel equivalente…

      • Louro says:

        Nem de Diesel vive o mundo, ele referiu e muito bem Diesel e gasolina.

  25. AP says:

    Tal como alguém já comentou mais atrás, acho que estes estudos por se centrarem em duas tecnologias – uma que tal como a malta dos velhinhos CD’s e cassetes não se quer deixar morrer e outra porque já foram gastos milhões em investimento – não consideram alternativas que estão em estudo e são nitidamente promissoras.

    https://www.topgear.com/car-reviews/quantino/first-drive
    https://emagazine.nanoflowcell.com/technology/bi-ion-energy-of-the-future/

    • Dani says:

      Não se fie nesse. O CEO dessa empresa é conhecido por ser um charlatão e ter pregado uma bela “peta” na indústria dos painéis solares no início do século XXI.

      Pesquise um pouquinho sobre “nunzio della vecchia” e maravilhe-se… digamos que credibilidade não é o forte dele…

  26. Asdrubal says:

    Desde que não tivéssemos que ficar dependentes do petróleo que os states vai roubar, por mim tudo bem.

  27. Marco Cézar says:

    Várias análises podem ser feitas. Nos países que tem fontes renováveis abundantes (como energia solar e eólica aqui no Nordeste do Brasil) torna-se extremamente viável. Eu mesmo já produzo toda energia de minha casa com sistema fotovoltaico desde 2017. Agora os carros elétricos tem preços abusivos por aqui e são poucos.

  28. int3 says:

    A história repete-se. Lembram-se quando a gasolina era carregado de chumbo e havia “estudos” que provavam que não havia nenhum impacto negativo na saúde? Pois, a indústria automobilística ataca NOVAMENTE.

  29. Nuno says:

    Fiquei sem saber os carros tradicionais nao se produzem nao poluem a serem produzidos? o petróleo nao é extraído? entao um estudo vê a produção de baterias eletricidade tudo mas nao faz as contas com a extração do petróleo refinamento transporte para os países transporte para as bombas de combustivel ? enfim o estudo ser da Alemanha já da cana so por si

    • Sergio says:

      O estudo não refere isso, não tenta transmitir uma imagem limpa por parte dos automóveis de combustível fóssil.
      O estudo pretende sim, explicitar que a produção e utilização de eléctricos neste momento ainda não é destacadamente mais limpa do que os outros.
      Aliás esta noticia do pplware pelo menos pra mim foi bastante importante para clarificar em que ponto se encontra os eléctricos e a sua produção, na minha cabeça já seriam bem mais vantajosos para o meio ambiente.

  30. Edson Augusto Abou Hatem de Liz says:

    Artigo fraco. Só comparar a extração de Lítio com a de Xisto ( q vai suprir até 50% do petróleo mundial nos próximos anos). Além disso, não dá de comparar uma tecnologia emergente com uma que está no mercado a 100 anos. É óbvio q a extração de Lítio, magnésio, cobalto ainda tem problemas, também é óbvio que não se descobriu todo potência das células de lítio. Tem muito chão ainda pra vc começar a comparar.

  31. Alfredo Miguel says:

    Não existe um único carro elétrico com autonomia aceitável abaixo de 50 mil euros. (novo)
    Com 50 mil euros dá para comprar um BMW ou um Mercedes usado, a diesel, com muito conforto, com o que sobra tirar o filtro de partículas para não pegar fogo, reprogramar para os 220cv e ainda andar uns bons anos a gasóleo simples. Carro elétrico para quê mesmo? Quando a Renault tiver um elétrico a 19mil euros (com autonomia decente) e a Mercedes um a 35 mil (sem extras) já dá para falar de outra forma. Até lá, o partido dos Verdes não vai a lado nenhum.

    • Nonnus says:

      Qual a autonomia aceitável?

      • Alfredo Miguel says:

        800 Km mínimo. E sim eu atesto sempre os meus carros.

        • Rudi says:

          Andas 800 km todos os dias?

          • Alfredo Miguel says:

            Nem sempre mas por vezes acontece, Setúbal – Vila Real ou Porto, e não não aceito para parar horas para abastecer.

          • Rudi says:

            Quantas vezes ao ano?

            É que se for uma ou duas vezes por ano, a Nissan oferece-te um Qasqai durante duas semanas uma vez por ano por 8 anos.

            95% da população portugueses no seu dia a dia casa trabalho não faz mais de 50Km por dia, e ao fim de semana raramente faz 100km num dia.

            acho que qualquer carro com 250 a 300km é mais que suficiente, se tiver garagem ou forma de abastecer no apartamento ainda melhor, é como um telemóvel, acordas com o deposito cheio.

          • Rudi says:

            mais informo que carregamento rapido dependendo das marcas são 30 minutos até 80% da bateria.

            nesse caso ia para um Hyundai Kawai de 60Kw, a bateria é arrefecia activamente ao invez do Nissan Leaf que é passivamente, O nissan é pior com muitas cargas rapidas.

    • Bruno M. says:

      A Autonomia é subjectiva!

      Posso comprar um carro que com o depósito cheio faço 500Km, ou 700km ou 400Km!
      Tudo irá depender do uso que lhe damos e das nossas necessidades e claro, como qualquer carro de qualquer combustível, tudo dependerá da condução para gastar mais ou menos (ter mais ou menos autonomia) !

    • Bruno M. says:

      P.S.: Quantas pessoas em cada abastecimento, atestam o depósito mesmo?

      Eu sei que atesto o depósito, mas também sei que a larga maioria, poe 20 € aqui + 10 acolá, esporadicamente abastecem 30/40€ de uma vez!
      Pode-se dizer que são minorias que atestam o depósito.

      • Alfredo Miguel says:

        800 Km mínimo. E sim eu atesto sempre os meus carros, para além de ter um parado 5 dias por semana, o que fazer a esse? Liga-lo à corrente permanentemente? Os eléctricos não são para todos…

    • Rui says:

      A Renault já tem esse eléctrico a 19 mil euros com autonomia decente 300kms

  32. Ze Carlos N says:

    “Naturalmente que, mesmo sem qualquer análise, é percetível a qualquer pessoa que, na base de um ou de outro sistema está a atividade humana. Logo, há impacto ambiental quer na extração de petróleo, na sua refinação, como há na extração e manipulação dos elementos que compõem as baterias. Contudo, após estes processos, avalia-se nas estradas quem polui e quem não poluiu.

    Desta forma, para qualquer mortal, um carro elétrico na estrada nada poluiu. Por outro lado, os carros a gasóleo ou a gasolina, pelo escape libertam gases até mais perigosos que o CO2.”

    A ignorancia vai matar o planeta.

  33. César says:

    O estudo não existe , é notícia falsa montada … até as marcas alemãs estão abandonar o diesel , como é o caso da Porsche que já abandonou…
    Nada é mais poluente do que os combustíveis fósseis e o uso de gasóleo que tem uma combustão impura !

    Trabalho na indústria de transporte de pessoas , autocarros e todos os novos projectos já são considerando a mobilidade sustentável , ninguém usa motores a diesel actualmente …

    Estupidez de notícia que só gera confusão desnecessária .

  34. José Maria Oliveira Simões says:

    Os carros eléctricos poluem mais que os carros a gasolina ou a gasóleo, é um facto e isso é uma afirmação inegável. Quer durante o fabrico, quer durante o carregamento do carro eléctrico, há maior o impacto ambiental. Mas, isso também ninguém o pode negar. Depois, no abate dum carro eléctrico, a poluição é mais gravosa, devido às baterias de lítio, mas não só. É claro, que agora é moda dizer cobras e lagartos dos carros com motor de combustão interna. Os senhores do marketing, são pagos a peso de outro para impingir estas ideias nas cabeças das pessoas. Aliás, é um facto, que alguns políticos de esquerda, vem com estas e outras ideias peregrinas e muito revolucionárias. É verdade, que hoje em dia, o motor eléctrico, bate em alguns aspectos, o motor a combustão interna, conseguindo-se assim, maiores prestações (torque, potencia). Penso que também tem uma maior longevidade, devido a não terem tanto desperdício de energia devido à fricção, inercia e à perda de energia calorifica.

    • Rudi says:

      Facto não é porque tudo num carro electrico é reciclável, se fores ver o meu comentário e os estudos feitos mesmo numa zona que gera a CARVÃO, um Nissan leaf no seu todo é menos poluente que um carro a gasolina em menos de 4 anos.
      Se carregares o teu carro à noite em portugal onde muita da energia renovavel não é usada, sim temos um excedente de energia renovável à noite, o carro electrico torna menos poluente que um a gasolina em 4 meses, isto na pior das hipoteses!

      Contra factos não há argumentos, e o que disseste não são factos, são esquecimentos do custo de produção do combustível e as revisões todas que dali advém, entre outras coisas, como fabrico de peças extremamente milimétricas de alto desgaste, portanto por favor pesquisa bem e faz a pergunta “do que se esqueceram”.

      • José Maria Oliveira Simões says:

        O excedente de energia renovável, não existe ! Portugal IMPORTA electricidade pois não tem capacidade de gerar e disponibilizar para consumo mais energia eléctrica do que aquela que é exigida pelo consumo. Na pior as hipóteses vai recomendar, que se deixe o carro em casa e se ande de burro. (Mas aonde é que eu já ouvi isto ?)

        Quanto à reciclagem, deve-se comparar os carros de motor a combustão interna (que usam hidrocarbonetos como combustível) com os eléctricos . Não me parece que no que toca às baterias, fiquem baratos.

        • Rudi says:

          Ta bem o que dizes está certo apesar de ser contra todos os estudos e relatórios apresentados pela REN, EDP, universitários e cientistas.

          Já percebi que és do contra, mas pensa que se eu estiver errado o maximo que acontece é que passamos todos a andar de electrico, se tu estiveres errado a proxima geração vai pagar uma factura que nenhum de nós vai querer ver, e vais ser julgado por isso.

          Se um medico te diz que tens um problema, e a tua vizinha beata diz que não reza a Deus que está tudo bem. Faz me lembrar as pessoas que dizem que os médicos querem é dinheiro quando dizem que o tabaco causa cancro.

          Continua na tua, e muito honestamente espero que a tua teimosia e casmurrice esteja certa, porque se estiver errada espero que sejas o primeiro a pagar a ser julgado pela proxima geração!

          • José Maria Oliveira Simões says:

            Ó Rudizinho, aqui debaixo do chapéu, ainda existem um ou dois neurónios a funcionarem. Já pagamos todos a factura. Aquela que chega todos os meses a casa, e que incluí uma data de impostos, taxas e taxinhas. Vem-me ao bolso, para depois darem uns subsídios aos amigos e aos “tadinhos”. Assim, também eu sou perdulário, com o dinheiro dos outros (claro). E ainda por cima, sou “o melhor da rua”. Sempre com o dinheiro dos outros, com o meu não, pois custa a ganhar ! (palavrão auto censurado retirado do texto). Querem lá ver que o Rudizinho me quer pendurar no Pelourinho … Eu ainda sei pensar pela minha cabeça e não sou a Maria que vai com as outras.

          • Rudi says:

            Para já não me conhece de lado nenhum para me tentar infantilizar, isto é argumento de quem quer ter razão ao tentar rebaixar outra pessoa tentado passar idade como autoridade.
            Golpe baixo e honestamente só prova o quanto equivocado e ignorante é em relação a assunto, sem apresentar provas apenas a sua inabalável opinião que mais parece religião.

            Eu não o preciso de pendurar em nenhum lado, a vossa ignorância e falta de qualquer raciocínio já o faz por mim.

            isto tudo e ainda continua sem apresentar provas nenhumas de que tem efetivamente razão. pois Bem mariazinha… tenho muita pena da sua ignorância, por quando fala um ignorante juntam-se dois ou três, e assim o mundo vai de vela e o resto da humanidade também.

            Pelos nossos filhos… não espere… pois para si que se lixe, já não está cá!

  35. Sergio says:

    Parabéns pela noticia, aprendi mais um bocado com o conteúdo da mesma e com alguns comentários 😉

  36. José Rodrigues says:

    Deixai toda a gente aderir ao elétrico e depois quando for para colocar uma bateria

  37. Rui says:

    Basta dois dedos de testa para perceber que o que a Alemanha diz que é verdade, isso a juntar ao processo de fabrico do próprio carro… enfim de ecológico não tem nada, o futuro são os carros a hidrogénio e não o eléctrico puro. Se houvesse mesmo vontade dos estados era por aí que já deveríamos de estar a caminhar !

    • Bruno M. says:

      Claro que não tem…
      Emite poluição… aliás, em circulação é mais poluente que um a gasólleo ou gasolina (até mesmo a gás)!
      O processo de fabrico do carro é igualmente mais poluente..
      O carro eléctrico até tem mudança de óleo!
      Bem… e se compararmos com um a combustão na estrada até é mais barulhento. Nem a poluição sonora se safa!

      ## COF COF ## Só que não!!

  38. Marqs says:

    Os Alemães querem é mamã, agora que ela está a acabar, ainda andam a tentar dar a Volta ao que já não tem retorno possível. O problemas deles é que dominavam mercado com os seus carros, e tinham imensas fábricas na Alemanha, agora com os eléctricos muitos vão ficar no desemprego pois os motores eléctricos têm muito menos peças logo é o preciso menos mão de obra (será que fizeram o estudo de impacto ambiental na questão da redução de fábricas que n vão ser necessárias no futuro, bem como na redução de exploração de metais que também vai reduzir nos eléctricos? não me parece), ainda que para já nesta os eléctricos necessitem que seja feita exploração de lítio, num futuro não muito distante não será necessário, assim que os supercapacitadores estiverem na fase final de desenvolvimento o lítio é baterias não serão mais necessárias. É mais uma nota que vai dominar no futuro os eléctricos será a china, o medo é tal que começaram as fusões de grandes construtores automovéis. Cumps

    • Eu says:

      Exacto! Este estudo é demonstrativo da preocupação das empresas alemãs do segmento da indústria automóvel exclusivamente baseada nos motores de combustão.
      Já empresas como a Siemens ou a Bosch, não estarão grandemente preocupadas! Antes pelo contrário, estarão altamente motivadas e a investir nesta área dos VE.

  39. Vago says:

    Um físico e um meteorologista ;

    Energias Renováveis: Energia solar fotovoltaica – Vantagens e desvantagens.

    https://m.youtube.com/watch?v=9oCR_qW_CjA&feature=youtu.be

  40. Ze says:

    No dia que Portugal e os outros países tiverem condições para que existam carros eléctricos(tradução: postos de carregamento, infraestruturas para lidar as baterias usadas (sim porque em algumas marcas só duram 1 ano), rede eléctrica adequada e electricidade barata) aí sim, será possível pensar em ter um carro eléctrico. Sejamos realistas, ter um carro eléctrico hoje é como ter um telemóvel de uma certa marca com uma maçã, é para o estilo!
    Como na pratica só existem umas centenas de carros eléctricos a circular em Portugal, tudo o resto é como a musica daquele anuncio de um banco: bla blaaa blaaa… blaa blaaa blaaa blaaa

  41. Alvega says:

    Boas pessoal, acabei finalmente de ler todos os posts acima, encontrei bons argumentos e opiniões validas do meu ponto de vista, mas vou deixar as minhas impressões, como sempre:
    1º Qual a similitude entre:
    -Armas de destruição maciça (Iraque)
    -Huawei e a nóvel tecnologia 5g (alegadamente insegura e que espia)
    -Carros eléctricos vs combustão interna
    Podia fornecer mais analogias, mas a minha opinião é que o que as une e torna comum sao os estudos, inquéritos, ENCOMENDADOS, que apresentam resultados segundo os interesses de quem PAGA, muitos dos estudos, TRAVES-TIDOS de trabalhos científicos, com fundamentação…enviesada, tendenciosa, e refém de quem MANDA \ PAGA.
    Sou desde a muito adepto de que algo tem de ser feito a bem do nosso Planeta e da nossa actual e futura vida em comunidade, mas e como alguém referiu acima nao existem alternativas 100% viáveis \ seguras, actualmente, nao sei se existirão no futuro, mas ainda assim algo que nao é 100% nao quer dizer que nao seja de APROVEITAR, e para finalizar, porque nao MESCLAR \ CONVIVER o uso das várias tecnologias, adaptando caso a caso, usando a que for mais rentável \ com menor impacto, em determinada situação, e outra tecnologia em situação diferente. O que me custa é os defensores de ALGO quererem IMPOR aos restantes o seu “way of life” , como se tudo o que está para trás tivesse sido um erro de casting, NAO FOI, foi isso sim APRENDIZAGEM, nada acontece por geração expontanea, nem sequer o conhecimento.
    Os eléctricos sao bons….sim talvez em algumas circunstancias, vao ser o futuro?
    Nos tempos mais próximos…sim até existir algo mais apelativo, fiável e de menor custo.
    Ninguem quer saber, mas eu digo; vou comprar um veiculo eléctrico ?
    Nao, pois as vantagens para mim nao JUSTIFICAM os CUSTOS, a curto \ médio prazo.
    Se fico com peso na consciência devido ao mal que provoco ao ambiente \ restante população ?
    Claro que sim, mas eu sofro igualmente na pele os desmandos e MÁS decisões de muitos outros e tenho de aceitar e calar.
    Bom tópico e melhor discussão.

  42. R says:

    1 – a tecnologia (componentes) das baterias terá de mudar, o que poderá ser complicado devido ao lobby do lítio. Existem estudos, alternativas mas parecem não sair dos laboratórios
    2 – muito maior consumo de electricidade implica mais fornecimento. Actualmente as renováveis ainda não conseguem ser suficientemente eficazes
    3 – a energia nuclear continua ainda a ser a solução
    4 – mas como a maioria das pessoas tem ideias pré-concebidas e só lê títulos e artigos duvidosos, o tema nuclear passou a ser tabu
    5 – espero que um dia as renováveis possam ser suficientes mas para já é uma utopia
    6 – provavelmente irão existir comentários impróprios
    7 – por esse motivo não deverei responder.

  43. Ganebe says:

    Ser mais poluente ou menos poluente ainda é cedo para se afirmar uma coisa ou outra , uma coisa é certa a economia do carro electrico em comparação de um concorrente a combustão ( gasolina , gasoleo ou GPL ) neste momento não existe e futuramente menos ainda . O maior problema dos electricos é o impacto na economia e muitos países já estão muito preocupados , menos peças , menos manutenção e a redução do impostos gerados pelos combustiveis , muitos poucos países estão a salvo deste impacto nas contas fiscais . Agora eu pergunto : – onde vão os países europeus buscar a perda da receita fiscal dos combustiveis ? o mais certo será ao proprietário do carro eléctrico , um IUC bem mais alto e aos carregamentos ou seja um carro eléctrico ser economico é apenas uma miragem……..

  44. prf says:

    Treta! Claro que a gasolina e o gasóleo brotam do chão e juntinho aos postos de abastecimento! Ora bolas quando compramos um litro de gasóleo qual é a pegada de carbono que o mesmo já tem, extrair, transportar o crude, refinar e transporte para os vários postos de abastecimento, isso não conta?

  45. Mig says:

    Os 6 maiores navios de carga do mundo, produzem tanta poluição quanto todos os carros a circular no mundo! Fonte: National Geografic

    Às viaturas vendidas para África são Euro 2 ou 3.
    Fonte: Sites das marcas, por exemplo Toyota África do Sul

    O que têm a dizer sobre isto?

  46. ninguém says:

    Me falem sobre o quanto limpo e amigos do ambiente os carros elétricos são daqui a 15 anos quando eles começarem a chegar ao fim de vida que vem muito mais cedo que os a combustão e juntar está quantidade imensa de lixo electrónico altamente poluentes a já gigantesca montanha de lixo electrónico impossível de reciclar e que são despejados nas lixeiras públicas do ocidente que por curiosidade, não está no ocidente mas sim em África e Ásia. Usuário de carros elétricos hoje em dia são os ricos ou excêntricos que gostam de dar um tapinha nas próprias costas e mostrar ao mundo o quão melhores eles são que os “porcos”queimadores de combustíveis fósseis.
    Ah! As logo não abrem mão de uma escapada de avião ou de um belo cruzeiro nas férias.

  47. Zé Duarte says:

    Tanta treta mais vale fechar todas as empresas automóveis e andarmos todos em bicicletas movidas a esquilos.
    Pensem nas possibilidades.

  48. José Ramos says:

    Estes alemães mafiosos e aldrabões…

  49. José Rodrigues says:

    Já agora gostaria de saber quanto é que vão pagar em Eletricidade quando o tem a carregar em casa.

    • Rudi says:

      Na minha região, com tarifa tri-horaria de 0,10 cêntimos por Kwh que está cara, e um pé relativamente pesado a entrar em rotundas e via rapida. 15€ por 1000Km… pior das hipoteses.
      Deixo-o ligado durante a noite, de manha tenho carga completa.

  50. informado says:

    Isto é de rir. Uma coisa é certa. Não permitir a exploração de minas do que quer que seja em Portugal. De lítio e de todas as outras. O páis é demasiado pequeno e não é possível. Quanto a carros eu acho que deviam apostar nos carros movidos a água. Aliás foram os prim eiros a serem inventados e não percebo pq nós todos humanos não adoptámos essa via. Foi um erro tremendo. Quanto aos veículos eléctricos , não são poluenters. Isto não passa de estudos encomendados para desacreditar- Este tipo de estudos acontecem também na agricultura com estudos que defendem o GLIFOSATO quando se sabe que é profundamente cancerígeno ou quando se defende a energia nuclear quando é notório que quem vive perto de centrais ou numa faixa de milhares de quilómetros é atingido pelos efeitos e sofre com doenças por causa disso. Veja-se em 2011 no Japão em Fukushima quando a central nuclear explodiu as mortes que isso provocou e que continua a provocar ainda hoje.

    • Nuno V says:

      Mostra-me um único veículo movido a água que não tenha sido demonstrado que é/era uma fraude. Vais ver que não existe um único. Portanto quando dizes que os carros a água apareceram primeiro que os a combustível fóssil cá digo que estás a falar do traseiro.

      O glisofato não é profundamente cancerígeno. Mais uma vez estás a inventar. Existe sim a possibilidade de este ser realmente um cengerigeno, mas se o for a taxa de risco é minúscula. Por isso é muito difícil determinar se é ou não um cancerígeno. Se fosse profundamente cancerígeno já o tínhamos detectado. Para já é considerado um possível cancerígeno.

      Mais uma vez errado, uma central nuclear não afecta a população. As únicas pessoas em risco de serem afectadas com uma doença, aquando o funcionamento normal da central nuclear são os trabalhadores. E esse risco é marginal. O que tu estás a referir são a desastres nucleares, que até agora, ao nível de Fukushima apenas aconteceu outro, o de Chernobil.

      • Frederico P. says:

        Desculpe a intromissão mas só para complementar, na produção de energia nas centrais nucleares há ainda, e sempre existirá, a questão dos resíduos resultantes do processo. Mesmo com um elevado nível de segurança durante a produção, o lixo radioactivo precisa de ser corretamente armazenado. Esse é, para mim, o grande problema da energia nuclear.

  51. Ganebe says:

    Alguém vai pagar a factura dis eléctricos isso é certinho , menos venda de combustíveis menos impostos que serão compensados em outra carga fiscal em outros produtos .

  52. MRibas says:

    Curiosamente ninguém comenta o negócio ( que irá certamente ser o negócio do século).
    Ninguém comenta de que vão viver os Árabes, da guerra certamente.
    Ninguém comenta o desemprego que vai gerar no sector da reparação automóvel.
    Ninguém comenta que neste país não há dinheiro para subsidiar a substituição do carro.
    Ninguém comenta os transportes à diesel, comboio, barco, já para não falar nos aviões.
    É tudo muito bonito, mas quando todos tivermos carros eléctricos, o valor do kW vai subir para o nível do diesel, e depois em nossas casas a fatura da energia será maior que a do supermercado. Se é necessário baixar os níveis de poluição, não falem só dos carros, a China polui mais que o resto do mundo. Negócios…

    • Pereira Lagos says:

      Claro que a questão do Ambiente está na moda e, os oportunistas tudo farão para tirar partido e, encher a sua conta bancária. Aqueles que, se dizem preocupados com o Ambiente não passam na sua grande maioria de hipócritas e, pessoas tendenciosas como nos clubes da bola……

  53. Frederico P. says:

    Mas que tem muitas vantagens, tem. Vejam só este exemplo, no parque de estacionamento de um hospital público.
    https://photos.app.goo.gl/mayrTk7EbnHPyaec9

  54. Frederico P. says:

    Mas que tem muitas vantagens, tem. Vejam só este exemplo, no parque de estacionamento de um hospital público.
    https://photos.app.goo.gl/mayrTk7EbnHPyaec9

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.