PplWare Mobile

Os videojogos estão em tempo de revolução


O gosto pela tecnologia despertou sentimentos únicos que levaram a escrever umas palavras e a premir o obturador.

Destaques PPLWARE

  1. Paulo Silva says:

    Mobilidade e Centralização (interoperabilidade) são palavrões bastante em voga.

    Considero que a portabilidade das consolas como a PS Vita e Nintendo 3DS terá sempre um cantinho especial no futuro.
    Creio que resta saber é se o espaço dessas consolas não começará a ser preenchido com tablets cada vez mais potentes e flexiveis.

    Acredito também que as consolas de sala permaneçam com a posição de relevo que já têm, mas acredito que começarão a imiscuir-se com o resto da cada tecnológica (sistemas de som, luzes, televisões,…).

    Quando mencionas Realidade Virtual creio que não falas no sentido tácito de Realidade Aumentada mas acredito que as consolas portáteis também têm um longo caminho a percorrer ainda nessa direcção. E talvez nem apenas as consolas portáteis … lembrem-se por exemplo disto:
    https://www.youtube.com/watch?v=ILb5ExBzHqw

  2. ptpedropt says:

    esta é a 1ª parte do topico? xD
    agora a serio.. o titulo está demasiado grande para o topico

  3. Alucard says:

    A questão do online vs. offline é que embora o online seja mais prático para o dia a dia, para que tiver disponibilidade de ter amigos na mesma sala de volta da consola, o offline será sempre mais divertido.

    O que é mais solitário, jogar sozinho com jogadores desconhecidos na rede, ou com 3 ou 4 amigos ao nosso lado de comandos na mão? É uma pena ver os modos multijogador locais serem esquecidos, são sempre um complemento muito válido ao online. Nisto saúdo a posição da Nintendo, que dá igual importância aos dois nos seus jogos.

  4. André Alves says:

    Será que um dia as consolas acabarão e será tudo em pcs gaming(adorava)?

    • Zero Zero Sete says:

      Podes contar mais com o contrário…

      Se assim não fosse, a Microsoft não continuaria com a Xbox, e a Valve não teria o projeto da Steambox, entre outros…

      • JJ says:

        Ao contrario não será… porque as consolas tem de andar muito para conseguir chegar a qualidade de um jogo no PC.

        A questão das empresas continuarem a investir nas consolos de jogos é porque as consolas continuam ser mais praticas para o publico em geral do que um PC Gamer.

        • Hugo says:

          O que é melhor:
          Criar um jogo que funcione para meia duzia de plataformas devidamente testadas e com garantia de funcionar bem, ou criar um jogo para milhares de configurações de hardware possíveis, a maior parte delas não testadas?
          Acho que é óbvio… Para além de que a 1ª torna o desenvolvimento mais simples e rápido.

  5. Tiago says:

    Gostava é que fossem desenvolvidos jogos de estratégia.. Não sei o que se passou mas nunca mais fizeram nenhum.. Age of empires, empire earth, Red alert, desapareceu tudo

    • Ricardo says:

      Isso tem uma simples razão.
      Sem um mercado para esse género, as produtoras não investem nisso.. Para quê lançar um jogo que vai ter um lucro de “x” , se podem investir o mesmo tempo e dinheiro num jogo que lhes dá muito mais lucro de “x” multiplicado por 10?

    • JJ says:

      Não é só uma questão de lucros… é uma questão de qualidade.

      As ultimas versões que saíram desses jogos, foram substancialmente mais fracos que os anteriores. Logo isso põem em causa a continuidade das series.

      Por exemplo, o AoE III é bem mais fraco que o AoE II.

      Mesmo assim, continuam a sair alguns jogos de estratégia, já não são é tão badalados.

  6. Neo says:

    o mundo dos videojogos tornou-se demasiado supérfluo e sem ideias. O que hoje tens num tablet ou smartphone já tinhas no pc à 2 ou 3 décadas.
    A unica revolução que trouxeram foi o modo de jogabilidade, nada mais, já se pode virar um ecrã para fazer uma curva com um carro ou apontar uma arma, who cares….não houve e a dita integração entre os componentes moveis e os fixos. A jogabilidade piorou com os tablets e smartphones. A industria de jogos tornou-se superflua e ganaciosa. Antigamente fazia-se jogos por diversão e inovação, hoje é por tostões. (Quantas variantes do bejeweled, puzzle bouble, etc, existe no mercado).

    É engraçado estar online…so what

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.