Quantcast
PplWare Mobile

China: Ações de algumas empresas de jogos caem por serem “drogas eletrónicas”

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. JR says:

    Creio que seja tudo questões de hábitos ganhos ao longo do tempo.
    Jogos são vistos como uma forma de alivio para muitos, incluindo eu mesmo, após um longo dia de trabalho / stress etc…
    Podemos também ver que muitas pessoas usam esses mesmos jogos para conseguir algum tipo de relação social.
    Creio que não será com proibição que alguma coisa irá melhorar…
    Não é assim que se consegue melhorias nos hábitos já há muito implantados nas pessoas.
    Só irá resolver temporariamente…

    • SANDOKAN 1513 says:

      “Podemos também ver que muitas pessoas usam esses mesmos jogos para conseguir algum tipo de relação social.” Como ?? Mas você acredita no que está a dizer ?? Só faltava essa !! 😐

      • Hugo says:

        Velhos a dizer velharias.
        Não se trata de acreditar mas sim de aceitar a realidade. Vê lá que até conheço um casal que se conheceu num jogo há imensos anos. Estão juntos desde então e até já têm filhos.
        Podes beber vinho para passar um bom momento de lazer ou para destruir a tua vida. É aplicar essa mentalidade a tudo o que acontece no dia a dia e voilá… és uma pessoa moderna.

      • JR says:

        Existem diversas formas de se possuir uma vida social
        Eu mesmo criei bastantes amizades dentro e fora do pais a partir de jogos e redes sociais.
        Essas mesmas que ainda mantenho apesar dos anos que passam.
        Ter mos uma mentalidade fechada para algo não o resolve, apenas complica.

    • Maria says:

      Por vezes “não vou à bola” com opiniões do Hugo e do Sandokan (grande série) , mas agora têm razão. O que for com peso e medida não faz mal.
      Antigamente iam para os salões de jogos meter moedas nas máquinas, durante horas. Agora o Salão está em casa. Se antes havia pessoal que passava lá a vida no vício e faltava às aulas, outras iam só nos intervalos.
      A pessoa tem que ter consciência do ter de ter descanso, minimizar problemas nos olhos e posturais. Não é por causa disso que não se fazem amigos, companheiros, camaradas e afins

      • Zé Fonseca A. says:

        Tenho muitas moedas investidas em arcades e muitos carregamentos no cartão da fun center que ainda guardo comigo, os jogos em casa não tiram o culto dos salões de jogos, isso sim era algo social onde ias com os amigos ou onde fazias amigos só porque te viram jogar ou queriam jogar contra ti. Bons tempos esses de faltar às aulas para ir para as arcades.

        • Maria says:

          Ai o papá a pensar que o filho estava nas aulas… bem aplicado…

          • Zé Fonseca A. says:

            “a pensar” até chegar a carta a casa a dizer que estava a chumbar por faltas.
            De qualquer forma, hoje em dia nenhum deles tem razão de queixa, é prova que na vida toda a gente passa por fases e que as fases devem ser vividas na altura e no momento certo para poderes aprender e crescer com elas, erros e não erros.
            Hoje em dia os pais simplesmente não querem saber, por isso com os meus filhos promovo habitos saudaveis de jogo, podem jogar todos os dias 1 hora por dia, desde que seja depois de fazerem as tarefas deles, sejam escolares ou domesticas. Felizmente isso proporciona que ao fim-de-semana prefiram passar os dias na rua.

  2. kodiakshadows says:

    …”após um longo dia de trabalho / “… E os jogos é que resolvem?
    Um bom sono e relaxante, isso sim, nunca ouvi dizer que Monitor/TV era uma boa solução. Nada melhor que deitar cedo e cedo erguer, 22h e levantar ás 6 da manha e fazer uma corrida de 30m até ao ginásio isso é que põe firme para o dia de trabalho e sem ‘stress’

    • Filipe says:

      Ginásios só são para tirar fotos nos espelhos e stories para o instagram.
      Não podes ver as coisas pelo lado que te agrada quando se toca a dar opiniões. Tens que ver o bolo todo. Assim só comentaste parvoíce. Se tiveres um trabalho que te deixe exausto mentalmente, não é com “deitar às 22 e levantar ás 6 da manha e fazer uma corrida de 30m até ao ginásio” que sais desse mundo e limpas a cabeça. Muita gente não joga apenas porque sim ou pelo “vício”, como muitos pensam que é.

    • Hugo says:

      Imagina só existirem pessoas diferentes de ti, com experiências de vida diferentes da tua e gostos diferentes dos teus….wow

    • Luis says:

      Típica conversa de ” Avós ” kewk

    • JR says:

      Para muitas pessoas sim ajuda porque criaram um hábito ao qual recebem uma “recompensa” ao qual se sentem aliviados após x tempo a jogar ao fim do dia.
      Essa de deitar cedo e cedo erguer é algo que eu mesmo sigo…
      Levanto me todos os dias as 5h da manhã, treino durante 30m, faço meditação e dai despacho me para ir trabalhar. Chego a casa as 20h + coisa – coisa e dai tenho várias formas de relaxar ao qual 1 delas é jogar.
      Cada pessoa é um caso e julgar as mesmas por isso não faz de ti melhor mas sim pior.

    • FAR says:

      Eu faço esse horario e faço gym logo pela manhã e isso em nada interfere com a minha necessidade de descomprimir um pouco ao fim do dia. E faço-o a ver uma série, ler um livro ou jogar videojogos. Essa mentalidade de ver toda a gente pela mesma perspectiva que nos vemos a nós é gritantemente egocêntrica.

      @Filipe “Ginásios só são para tirar fotos nos espelhos e stories para o instagram.”
      Mais um que julga toda a gente pelo que faz (ou vê alguns fazer).

  3. Luis Rosalino says:

    Mas a questao da baixa taxa de natalidade na china não é um boa noticia para todos nós?

    • RPG says:

      A deles está baixa, mas bem mais alta que a nossa. Agora pensa.

      • FAR says:

        O que o Luis disse continua a ser pertinente, independentemente da sua afirmação.

        Pense nisso também.

        • RPG says:

          Como presumo que tenha andado por cá nas últimas décadas, a taxa de natalidade na China já é “positiva” para “todos nós” há muitos anos devido à política de apenas poderem ter 1 filho, que começou em 1980, e durou até 2015. À custa de vários milhões de vidas, pelo menos por aqueles lado, como é habitual, foi feita alguma coisa para contornar o problema. O mesmo não poderá ser dito por exemplo da Índia, que muito em breve ultrapassará a população da China, e na qual continuam a multiplicar-se como se não houvesse amanhã. Qualquer das formas, só acho irracional, concluírem-se coisas apostas para o mesmo paradigma. Se uma baixa natalidade em Portugal é negativa, especialmente para as futuras gerações, obrigatoriamente terá de ser negativa noutros estados também. Isto já para não falar que parece ser sempre bom para a nossa sanidade mental, distrair-mo-nos com os problemas dos outros, quando temos exatamente o mesmo e mais grave, entre nós.

          • Zé Fonseca A. says:

            Baixa natalidade é positivo em qualquer país, menos para os políticos e os político logos e sociólogos que vivem de balanças demográficas e económicas.

          • RPG says:

            Se considerares o colapso da economia, e de vários sistemas essenciais da nossa sociedade, como a segurança social, algo positivo, então certamente estás correto LOL. Por este andar, os teus netos descontarão o dobro do que descontas, para te pagarem a reforma no futuro lol. Muito positivo.

          • Zé Fonseca A. says:

            O colapso economico é apenas uma miragem capitalista, facilmente ajustas o modelo economico mundial para maior cunhagem de moeda e uma sociedade equilitaria QB de forma à inversão da balança demografica não representar um colapso economico nem social, pura e simplesmente não existe essa vontade em nenhum país do mundo (talvez o Butão seja excepção).
            Mais preocupado do que aquilo que os meus netos descontam preocupo-me se os filhos dos meus netos vão conseguir respirar, se vão conseguir ver animais fora de zoos, se vão poder nadar no mar, etc etc.
            Achar que mudar para electricos e fontes de energia renovaveis e deixar de comer carne resolve alguma coisa é ideologia politica que apenas serve para manter o capitalismo ainda mais vivo e a pretensão do aumento da natalidade mais acesso.
            Se não se impuserem limites de filhos por casal em todos os países do mundo, não tenho duvidas que a humanidade irá quase toda perecer no proximo seculo, só sobrevivem os mega ricos que compraram os terrenos na NZ com acesso a fontes de água potavel e com mega mansões autosuficientes e com bunkers.

    • Maria says:

      A baixa taxa de natalidade da China vem por razões normativas do Estado.
      Lembre-se que um famoso arquiteto português “trabalhava” durante o trabalho. Não jogava, mas já recorria a novas tecnologias…

  4. SANDOKAN 1513 says:

    “Comparando os jogos online ao “ópio espiritual”, o artigo referia que “nenhuma indústria, nenhum desporto, pode desenvolver-se de uma forma que destrua uma geração”.” Muito bem.Concordo em absoluto.

    • FreakOnALeash says:

      E mesmo assim ainda é patrocinado pelo estado o grande ópio do povo o merd@bol…conheço gente destruída da cabeça por causa dessa droga e não há ninguém que venha à praça anunciar os malefícios disto:
      – Violência doméstica;
      – Alheamento da sociedade;
      – Violência verbal e física para com os da cor contrária;
      – Só se levantam para ver o autocarro do clube;
      …etc;

      • B@rão Vermelho says:

        Concordo plenamente com o que diz do futebol, eu adoro futebol, mas tenho olhos na cara para ver o “mal” que o futebol faz a nossa sociedade, o futebol tem um poder que não vos passa pela cabeça, então em Portugal é incrível, a própria federação portuguesa de futebol é a 1ª a não dar o exemplo.
        Quanto aos vídeo jogos, então e como ficam os pais desses jovem que os deixam jugar o dia todo?

  5. Miguel says:

    Acho bem que seja para continuar. Tem de se acabar com os putos viciados que não querem vergar a mola e vivem ás custas dos papás até aos 30 anos.

    #GetaRealLife

  6. Adeus says:

    Os jogos são uma droga para muitos. Mas para outros é algo de bom. É tentar equilíbrar a coisa. A mim o que me faz confusão é aprovarem jogos com microtransactions que mais parece roletas russas.
    Não se pode dizer que o bêbado só bebe porque quer só para encher os bolsos à classe capitalista. Quem desenvolve os jogos tem uma equipa que estuda como viciar as pessoas nos jogos e pior ainda nas microtransactions. É são estas coisas que tornam o mundo podre e ensina crianças a ser idiotas.

    • FAR says:

      Ora nem mais. Mas infelizmente para que haja este tipo de equilibrio lá tem de entrar o governo (com legislação e fiscalização) pois as empresas existem para faturar e estão-se nas tintas para o bem ou mal que causam na sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.