Quantcast
PplWare Mobile

Vai aproveitar? Acesso à Internet da Starlink já está disponível em Portugal

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


    • Spoky says:

      Isto não é para o pessoal das cidades, ponham isso na cabeça.

      Isto é para o pessoal de aldeias e zonas urbanas onde o acesso a internet é escasso ou inexistente.

      Aqui poderá ser uma boa solução. O investimento inicial poderá ser caro, mas compensa para quem precisa de trabalhar ou ter uma alternativa as existentes.

      Ponto

      • RT says:

        A starlink não é feita para as aldeias, é feita na vista de ser uma rede premium, usada por quem quiser – e puder – pagar…

      • David Guerreiro says:

        E tem de ser pessoal da aldeia com os bolsos cheios, pelo preço que custa…

        • Nuno says:

          Onde, em Portugal, o serviço 4G não chega, nem ADSL??? Este tipo de serviço só justifica para alto mar e ponto final.

          • Samuel says:

            Tens noção que onde eu moro a 20 min de uma cidade, nem tenho ADSL e só chega 3G com velocidades inferiores a 1Mb? Nem toda a gente é privilegiada, agora imagina fazer home office com esta internet, que venha Starlink pra minha zona

          • Gonçalo says:

            tens noçao dos preços da internet no interior claramente não tens ahah

          • airtup says:

            Nem toda a gente vive em Lisboa meu caro.
            Vejo que conhece muito pouco de Portugal.
            Ponto final.

          • Nuno says:

            Caro Samuel, onde mora nenhum operador tem 4G aí?? Será mesmo???

        • Ricardo Silva says:

          Se for a população envelhecida então, estão nas suas sete quintas. Com as reformas de luxo de que usufrui a maioria desta população pagar um serviço deste será peanuts para eles.

          • Antunes dos santos says:

            Acredito plenamente no Samuel, eu em gouviaes tarouca ,tenho o servico unico possivel da zona que é a Nos por satalite e a internet nao chega a 0.8Megas ou seja menos de 1 mega, no telemovel nao existe 4G naquela zona apesar destas pessoas que não sabem o que se passa fora das cidades, existem sim muitas zonas sem cobertura. Esta seria uma boa opcao para quem nao consegue obter internet decente, porque nao existe vontade em colocar fibra naquela zona.

      • lapizrosa says:

        ele limitou-se a responde. No titulo diz ‘vai aproveitar’ e ele respondeu ‘nao’ . Aceita a resposta e nao desconverses

  1. SANDOKAN 1513 says:

    “O preço estabelecido para esta proposta da Starlink é de 99 euros mensais,a que acrescem 499 euros de hardware e 61 euros de envio e Manuseamento.” Como ?? 99 euros por mês ?? Foge,mais vale ter ADSL.É muito dinheiro. 😐

    • Tens de contar com a mobilidade que esta solução te oferece.

    • PORTUGAL says:

      Boa sorte a ter sequer ADSL em maior parte das aldeias . Eu e a minha ex vivemos numa aldeia onde nem rede existe.

    • jonas says:

      “Foge,mais vale ter ADSL.”
      Isso é se tiveres o serviço adsl disponível. Há sítios que nem rede dados móvel tens.

    • Tx2 says:

      Mais vale ter ADSL? entre ter ADSL com velocidades 2mb de download e 200kb de upload e pagar 40€ ou 99€ por um serviço de jeito não sei não

      • Manuel da Costa says:

        Estive com um dos primeiros kits que foi usado perto de Castelo Branco (uma aldeia próxima de Penamacor), e o premium, tem muito que se lhe diga. Ao nascer do sol, ou vais virar a antena e tentas uma nova sincronia, que não a obrigue ficar para este ou horizontal, tens internet, se não, ficas 1 a 3 horas sem acesso. Ao pôr do sol o sinal é tão instável, que até dá jeito criar uma sombra lateral que corte a iluminação.
        Acerca das velocidades, sim, são rápidas mas, também aí há muitas limitações. Por exemplo se usares um programa que use a cloud e faças muitas operações, ficas bloqueado a 1mbs, durante dias, por “abuso de ligações”. E está no contrato que a empresa pode limitar os acessos caso detecte “abuso de ligações”.
        Além de que mesmo os 50mbs são teóricos, pois quantos mais clientes tenha, mais baixa será a velocidade, para manter a latência elevada…

    • Coelho says:

      gastas mais em gasoleo se andares a passear..

  2. ACS says:

    Para quem vive no interior onde não há fibra parece ser um bom negocio. Para o resto muito caro.

    • SANDOKAN 1513 says:

      Onde é que no interior a maior parte das pessoas têm 100 euros para pagar por este serviço ?? E só de internet ?? Se fosse internet+televisão,que é o pacote mínimo que toda a gente mais quer,ainda compreendia(apesar do preço absurdo da mensalidade, completamente desadequado à realidade financeira portuguesa,e logo no interior do país,onde se ganha uma côdea),agora só internet ?? E pagar tanto por ela ?? Não,nem no interior isto vai vingar.E digo mais,se fosse a nível nacional muito provavelmente nem vingava.Falo a nível geral.É que ninguém no seu perfeito juízo estará disposto a pagar 100 euros só para ter um serviço de internet por satélite,e se não me engano,nem dos 350 Mb/s passa.

      • SANDOKAN 1513 says:

        Até me enganei.Nem dos 150 Mb/s no máximo passa.Estava a ser “bondoso” demais ao acrescentar mais 200 Mb/s.

      • jonas says:

        “Onde é que no interior a maior parte das pessoas têm 100 euros para pagar por este serviço ?”
        1º – Ainda não entendes-te que isto não é um serviço “para a maior parte das pessoas”. ISto não é serviço a pensar nas velhinhas que vivem na aldeia e querem ir ao facebook.
        2º – Na tua ideia, no interior é só pelintras. OMG

        • Samuel MG says:

          Vai ver o valor da pensão rural e percebes logo!! Isto é só para ingleses residentes em Portugal!!

          • Zé Fonseca A. says:

            São 200€, tenho familiares que recebem os tais 200€ e têm mais de 500mil € no banco, poupanças de uma vida de agricultura.
            Não conheço pobreza nos meios rurais, conheço sim formas de vida mais simples, pessoas com cultivos proprios e empregos manuais.

          • Samuel MG says:

            Vai dizer isso aqueles que perderam as poupanças e que só têm a pensão rural!!

      • Hélio Musco says:

        Isto não é para o avozinho que tem cabras no monte. Muitos que preferem trabalhar remotamente vão poder agora ir para qualquer lado sem que a internet seja um problema.

        E sim, 100€ pode ser bastante, mas pagar uma renda numa cidade é muito maior.

        • David Guerreiro says:

          Sim, realmente, é verdade. Em Lisboa pedem 1500€ de renda, vai para o interior e com 300€ aluga uma casa, e mesmo pagando os 100€ da Starlink pode trabalhar à vontade. Mas só mesmo nessas situações de malta que vive exclusivamente de trabalho remoto.

          • tiago says:

            finalmente 1 comentario que faz sentido, claramente as pessoas que estao a comentar este post nao sabem os precos de rendas nas zonas mais rurais nem o quao caro e viver numa cidade e pela tuas contas pessoas preferem pagar 900€ para viver na cidade com boa net do que 400€ e viver no campo com boa net

      • Gonçalo says:

        Sabes o preço da internet no interior ? claramente não fazes a minima ideia

  3. Fabio says:

    Isto é a fase do better than nothing beta…

    Esperem ate o serviço ficar realmente a funcionar em pleno…

    Finalmente alguem a trazer verdadeira competição ao mercado monopolista de internet…

    As grandes opeadoras a ficar de joelhos em 3, 2, 1…

    • SANDOKAN 1513 says:

      “As grandes operadoras a ficar de joelhos em 3, 2, 1…” // “as operadoras ate vão dançar…” Então se as 3 operadoras de telecomunicações têm o monopólio por inteiro entre si acha que um serviço destes é que lhes vai trazer “dores de cabeça” ?? Ó homem,pense bem e não me faça rir.Até a NOWO nem se vai incomodar com isto e o seu quinhão a nível nacional é quase residual.

    • Naopossodizer says:

      Vais ver o prejuízo que eles vão ter…

    • Manuel da Costa says:

      A 99 euros mês e com problemas muito altos, as grandes operadoras vão-se rir.
      Este serviço será mais para aviões, barcos e locais remotos que tenham como objectivo ter redes wifi para os residentes. Mas, a Starlink limita a quantidade de ligações em simultâneo em cada acesso, o que está a impedir este serviço. Segundo consta, estão a preparar um novo, por 599 euros mensais, que não tem essas limitações e irá ter um router e outra antena que permitem cobrir 2km2 com wifi.

  4. Fabio says:

    Quando o serviço custar entre 15 a 20€ mensais e com pings abaixo de 30 ms (com a vantagem de sem fidelização como atualmente ja o fazem) as operadoras ate vão dançar…

    • Nick says:

      Eu aposto que em 5 anos vamos ter Starlink com rede grátis e serviços premium pagos. E’ a disrupção total que esperamos do Musk.

      • SANDOKAN 1513 says:

        “Eu aposto que em 5 anos vamos ter Starlink com rede grátis e serviços premium pagos.” Ora bem,percebo a ironia.Bem mandada essa.

      • Zé Fonseca A. says:

        A Starlink não tem tanta largura de banda que permita a sua massificação para concorrer com um operador, terás serviços premium sim, mas serão ligados a agricultura, industria, muito na base do IoT, será disruptivo porque o que tens hoje é sobre 4G e custa caro, talvez aí possa competir, mas com o 5G a entrar no esquema a concorrência vai ser muita por isso os serviços têm de ser diferenciadores.

    • SANDOKAN 1513 says:

      “Quando o serviço custar entre 15 a 20€ mensais…” Como ?? Mas você acha que um serviço de internet por satélite alguma vez vai custar esse preço ?? E da Tesla ?? Ó homem,ganhe mas é juízo !! Nunca na vida !!

      • jonas says:

        “Mas você acha que um serviço de internet por satélite alguma vez vai custar esse preço ?”
        chama-se:
        Economia de escala.

        Vou explicar com um exemplo muito simples que até tu vais entender:
        1€ de 100 Clientes dá 100€
        0,01€ de 1000000 Clientes dá 10000€

        • Samuel MG says:

          Não se aplica na Starlink!!

          • Meio Parvo says:

            Como não? Foi justamente o que se passou com a Tesla. Primeiro um carro desportivo focado em entusiastas que permitiu a empresa viabilizar a expansão das operações e depois, gradualmente, alternativas mais baratas como o modelo 3. Sem falar no possível IPO da Starlink, podes com certeza esperar por um serviço muito mais competitivo nos próximos anos.

          • Samuel MG says:

            Alternativas baratas? Só se foi na concorrência!! Só alguém sem o mínimo de bom senso vai dar 50 a 100 mil euros para comprar um carro que se incendeia sem motivo aparente 😛

          • Zé Fonseca A. says:

            Tens limitações tecnicas, não podes aplicar economia de escala a uma rede satelite.

          • Meio Parvo says:

            Confudir valor e preço é um erro comum de fato.

          • Meio Parvo says:

            Zé Fonseca A. – A utlização massiva de GPS e Radio e TV por Satélite são exemplos perfeitos do contrário do que dizes.

          • Manuel da Costa says:

            @Meio parvo
            Tens o nick certo…
            GPS, TV e Rádio por satélites NÃO TEM RETORNO!!! Usas meios terrestres que usam os dados enviados por satélites.
            Starlink tem retorno e exige comunicação constante entre uma antena terrestre, 1 a 4 satélites e 1 a 2 bases terrestres.
            Imagina o rádio do teu carro, compara com o teu telemóvel. Sabes que dentro do teu telemóvel está lá uma coisa que se chama cartão de comunicações e que é esse cartão de te regista para poderes usar as antenas que existam na região onde estás? O rádio capta as ondas que estão disponíveis e deixa-te ouvi-las, não precisa de procurar uma antena muito menos identificar-se nela. Um pouquinho mesmo muito muito muito básico era exigível a quem visita este site, parece que não é assim e cada vez está pior…

          • Meio Parvo says:

            Amigo bem podes destilar as tuas inseguranças para outro lado, a questão é adoção dos serviços e não se lhes faltam transmissores ou receptores, a questão de engenharia de melhores e mais eficientes antenas é o tempo e não se é ou não possível. Tendo em vista o número total de satélites previstos por fase de operação do Starlink, em alguns anos isto já será uma coisa do passado. Se és como um cavalo e não consegues usar a imaginação o problema é seu.

          • Zé Fonseca A. says:

            É isso Meio Parvo, e depois começam a apelidar o Musk de Completamente Parvo, precisavas de tantos satelites que não dava para ir à praia sem ter sombra 😀
            Pode ser possivel no futuro daqui a algumas decadas, hoje não é.

          • Meio Parvo says:

            Zé repara que há 18 anos se alguém te dissesse que uma startup fundada numa garagem iria mudar o curso da mobilidade rodoviária e tornar-se um símbolo para a mudança do paradigma energético mundial, poucas pessoas acreditariam. Mas foi o que a Tesla fez, o avanço tecnológico leva décadas até atingir massa crítica mas quando acontece parece que foi da noite para o dia. No caso do Starlink acredito que estejamos somente no início de uma revolução nas telecomunicações, e tal como qualquer tecnologia o Starlink ainda tem muito a amadurecer, seja na dependência de estações terrestres que eventualmente tornem-se menores, mais eficientes e consequentemente mais baratas, às antenas que também deverão ser miniaturizadas ao serviço que deverá passar por melhorias para que se torne mais acessível.

          • Zé Fonseca A. says:

            Mas tu sabes o que são limitações?
            Um dia até podes deixar de ter essas limitações, mas não está no horizonte sequer, nem para chegar a 1 milhão de clientes a starlink vai conseguir nos proximos 10 anos, quando mais para massificar.
            Achar que a tesla fez alguma coisa é pura ignorancia, o que ditou a dita mudança de paradigma foi apenas politica e economia, a tesla calhou estar a brincar no segmento há muito tempo, e mesmo assim já viste que nem com 18 anos conseguem competir com combustão e hidrogenio? Limitações tecnologicas são muitas, e os EVs não são para já nem são para substituir os carros da maioria da população.

          • Meio Parvo says:

            Ai simplesmente calhou da Tesla estar a brincar no segmento foi? Foi ao acaso que a empresa tornou-se das mais valiosas empresas do mundo, que o CEO tornou-se o homem mais rico do planeta, que as patentes tenham sido distribuídas e que grupos como a VW e PSA tenham se juntado a corrida pelos EV.

            Outro erro o H está longe, muuuito longe de se comparar com o EV em absolutamente tudo, esse teu argumento nem sequer faz algum sentido. Em Portugal ainda nem sequer tens postos de abastecimento de H.

            Eu compraria um par de óculos, limitada é a sua visão.

        • Manuel da Costa says:

          ERRADO.
          É que a rede que está montada, actualmente, permite pouco mais de 250000 utilizadores em simultâneo. É que a economia de escala que falas, ainda faltam montar 585 das 591 estações terrestres necessárias para a cobertura de 60% do planeta. Além de faltarem 130000 satélites. Basta ver que na Europa, o limite de adesões está fixado de 31000, pelo menos até Novembro deste ano. É que a estação francesa ainda não está totalmente operacional e há 2 que já deviam estar construídas mas, existiram queixas dos habitantes das proximidades que estão a atrasar a montagem. As 3 que são para montar em Espanha, ainda estão só no papel. A da Alemanha deve ficar operacional daqui a 1 ano. As 2 da Polónia e as 4 da Turquia devem ficar operacionais em 2024. Ainda precisam de mais 27 para cobrir toda a Europa.
          É que não é só terem os satélites lá em cima, são precisas estações terrestres para gerir o tráfego de dados, quantas mais estações melhores são os resultados… que terão um preço alto.

      • AJ says:

        Se daqui 5 anos o serviço custar 49€ é excelente para quem não tem nenhuma alternativa…
        No meu caso tenho a sorte de ter 4G da NOS basicamente no meio do mato. Só para o acesso de internet são pouco mais de 25€…

        • Ricardo says:

          Mas se não respeitam as leis portuguesas, vai ser abusos capitalistas atrás de abusos capitalistas…. Se fizeres pirataria eles cortam-te o serviço mesmo que já esteja pago. A lei deles é a americana.

          Da mesma forma que abusam com as empresas como o google e facebook, em que atropelam todas as nossas leis de privacidade e liberdade de expressão, por a empresa ser americana, da mesma forma de que até o serviço de internet vai ser fornecido á maneira capitalista….

          • rjSampaio says:

            ” Se fizeres pirataria eles cortam-te o serviço mesmo que já esteja pago. A lei deles é a americana.”
            ha portanto, aqui em portugal é na boa então…

    • David Guerreiro says:

      Vai sonhando…

    • tiago says:

      15 a 20 onde e que arranjas isso nem 4g nem adsl teem esses valores

  5. SAMUEL says:

    Ola. Inscrevi-me em Fevereiro no beta. Também recebi esse email mas não consigo terminar a compra. Continua a dizer que só meados a fim do ano. Alguém conseguiu finalizar a compra?

    • Manuel da Costa says:

      Já atingiram os 31000 disponíveis para a Europa. Tens de esperar que abram mais vagas (provavelmente só depois de colocarem mais 240 satélites em orbita).

  6. Starnaute says:

    Ora aqui está a solução para eu trabalhar online a partir do meu barco no meio do oceano.

  7. Omg not again... says:

    Cuidado com a questão da mobilidade porque segundo me lembro das regras deles… O serviço fica “bloqueado” ao local de inscrição. A menos que isto tenha mudado… Não podem aceder de outros sítios.

  8. Nuno Miguel Fernandes says:

    Pessoal paga 40 euros para ter ADSL de 2mb e acha caro e cão pagar 100€ para internet satélite? Vai lá vai!e nas aldeias que é só gente rica

    • jonas says:

      O problema é que há quem não tenha acesso a ADSL, será assim tão difícil de acreditar?

      Convém sair um bocadinho da cidade e ver o que se passa à nossa volta…

    • Ângelo says:

      Quem está na cidade provavelmente paga 700-1200€ para alugar um T1-T3… Na aldeia, paga 300-500€, poupa o suficiente para investir um pouco mais na internet, numa alternativa ao ADSL ou rede móvel, que podem nem sequer conseguir ter em certas regiões.

      • Luis says:

        Isso era tudo muito bonito, se o pessoal que vai para o interior não fossem aqueles que vão porque a vida tornou-se demasiado cara para o ordenado deles na cidade

    • tiago says:

      internet que realmente funciona

  9. João Plácido says:

    Já existem há muitos anos sistemas de internet via satélite (geoestacionário) de vários Operadores (Eutelsat, etc.) com distribuidores que por sua vez comercializam “pacotes” de acesso com várias características (algumas muito interessantes).
    São a única alternativa para muitos que nem ADSL, nem 2, 3, 4 ou 5 G têm e estiveram isolados durante décadas (tinham que ir a um café a longos quilómetros para “actualizar a sua ligação ao mundo”).
    Apesar de ter vários defeitos, esta internet via satélite só “descolou” quando os preços ficaram à volta de 19,95€/mês já com IVA e com a capacidade de não “parar” por limite de tráfego (situação irritante que também existe em vários Operadores convencionais).
    Velocidades de 16 a 100 Mb/s (download, porque o upload para o público em geral é fraquito: 1 a 6 Mb/s) e tráfegos preferenciais (“priorizados”) de 8 a 350 GB/mês (consoante os Operadores/tarifários) e a capacidade de não desligar da rede por excesso de tráfego.
    Alguns tarifários são bem mais caros, mas o de 20/25€ por mês é muito popular. E inclui nalguns casos o aluguer de harware a 0€ e a oferta de instalação convencional por um profissional. Até surgem campanhas em que nem taxa de activação única inicial se paga.
    99€/mês com 550€ de hardware, mais a instalação (nem toda a gente tem capacidade/habilidade/conhecimentos para instalar convenientemente), só vai ter sucesso para Empresas no interior que necessitem de baixa latência, velocidade simétrica, e dados totalmente ilimitados.
    Também as pessoas com grande capacidade financeira irão mandar instalar e 99€/mês para eles é como 50 cêntimos para nós.
    Alguns apaixonados da tecnologia vão fazer um esforço para pagar essa quantia desajustada da realidade portuguesa.
    Não que 99€/mês não sejam justos para um sistema destes, mas o mercado habituou as pessoas a preços muito mais acessíveis e o Starlink vai ser um nicho de mercado.
    Ainda por cima, por enquanto, e tal como a tendência dos outros Operadores de internet via satélite (geoestacionário) o sistema está limitado (por controle de coordenadas via GPS) a um único local (não se pode usar na autocaravana ou levar para férias. Talvez libertem essa possibilidade no futuro, para o público em geral, mas não vai ser o mesmo preço).
    Primeiro apanham o mercado que tem necessidade ou dinheiro e depois vão ajustar tarifários (com menos velocidade, por exemplo) para captar clientes adicionais.
    Um trunfo é contratar com Operadores convencionais do tipo PT, etc.:
    Aí já vão ter um volume grande de vendas porque o Operador vai subsidiar ainda mais todo o conjunto (o hardware custa cerca de 1500 $ para produzir e é vendido altamente subsidiado, senão quase ninguém comprava).
    Para quem não está por dentro dos assuntos, aqui fica uma resenha do panorama actual e um pouco do futuro.

    • P says:

      Obrigado pela clarividência.
      Realmente estou a ver este tipo de soluções em:
      – Herdades (que por acaso são no interior e normalmente detidas por pessoas que até podem pagar os 100€/mês).
      – remote workers (creio que na zona de Monsanto/Idanha-Castelo Branco) há alguns, em que são pagos aos preços globais e trabalham em aldeias remotas
      – Explorações agrícolas onde os NBIoT ainda não chegam lá

      Já me aconteceu estar a trabalhar sem rede 4G e ter de fazer 5Kms para ter 7Mbps de 4G… tem de se planear com antecedência o que é que se quer fazer quando se tiver ligação à net! mas isso foi há praticamente 10anos…

    • tiago says:

      “necessitem de baixa latência” o que achas que 500ms e pouco

  10. Alex says:

    Então quando o sinal estiver mais estável aos fulanos que moram em aldeias é só dividir com os vizinhos , fazem la uma mini rede e todos ficam felizes :P.

    • Manuel da Costa says:

      Se forem poucos vizinhos e poucos equipamentos dá…
      O serviço tem muitas limitações no número de ligações permitidas. Imagina que abres 5 janelas do browser, o teu vizinho abre outras 5, mais as ligações de um telemóvel que está a verificar se há actualizações e em contacto com as bases das apps, vais atingir o limite e o serviço bloqueia a ligação para 1mbs e que só te permite ter 100 ligações em simultâneo (pouco mais do que o que faz um telemóvel normalmente).

  11. Andre Silva says:

    O pessoal por aqui acha que os acessos á internet é tudo como os caseiros. É ligar para o operador e instalam o acesso de borla.
    A NOS cobrava pela instalação de fibra quase 8000€ mais a mensalidade, SÓ de Internet. Isto numa localização remota sem fibra de qualquer outro operador. Ainda acham a starlink cara.
    Além de que num acesso empresarial pagam o aluguer do router do Operador.

    • Naopossodizer says:

      Mas esse preço é normal, porque se eles não cobrarem pela passagem da fibra iam estar sempre no prejuízo, nas grandes cidades esse custo é divido por todos os clientes da zona.

  12. Rui says:

    Acho piada a malta dizer que isto é caro a comprar com fibra, obviamente que é, mas isso não é o mercado que concorre, concorre com ADSL de 2 ou 4 mb, em que há muita pessoa disposta a pagar mais para ter melhor, isto porque sim, há pessoas no meio do nada com dinheiro para isso, depois há as empresas e coletividades em áreas remotas, em que provavelmente já pagam isto ou mais para uma linha ADSL dedicada com performance muito inferior.
    É depois existe aquele público, que passou a estar em teletrabalho a 100% e que paga uma renda elevada numa grande cidade que pode ver nisto uma forma de se mudar para a casa de campo que a avó tinha no meio do nada, em que deixa de pagar 800 euros de renda e provavelmente faz um empréstimo de reabilitação de imóvel por 200 ou 300 mês…
    Existe mercado, agora só porque a solução não é de encontro às necessidades de 70%+ da população não venham dizer que não faz sentido…

  13. Naopossodizer says:

    Quando alguém fizer as contas ao custo de levar os satélites pro espaço, o custo dos satélites, e duração de vida do satélite que é 3 a 5 a anos, custo da infraestrutura aceder a NET (porque paga se), o número máximo de pessoas ligadas a cada satelite, e o número máximo de pessoas que vão aderir ao serviço.
    Vão ver que algo não bate certo.
    Já existe concorrentes com serviço mais barato, mas com pings maiores, não dá pra jogar mas nenhum jogador vai jogar por satélite na mesma….

  14. Emanuel Barros says:

    100€ é bastante razoável. Internet é um dos maiores impedimentos de arranjar uma casa longe de um centro urbano! E quando digo longe não é preciso ser muito longe…. Até para empresas.

  15. Gonçalo says:

    Eu vou, finalmente posso trabalhar da terrinha e poupar 300€ de renda e ainda fico com um qualidade de vida melhor

    • Vitor Tavares says:

      Se trabalhares online…senão a essa “poupança” de 300€ tens subtrair também o gasto em deslocações para o trabalho e outras despesas inerentes! No fundo e contas bem feitas…não poupas nada! E o mais certo é a despesa aumentar em vez de diminuir…

  16. António says:

    E quando há uma falha? Recorremos a quem? Há apoio pós venda?

    • Vítor M. says:

      Penso que para operarem em qualquer país t~em de ter todos os recursos obrigatórios. O pós venda é um deles. Agora, tudo online, parece-me. Mas não difere de grande parte dos nossos serviços que temos por cá.

    • Manuel da Costa says:

      O serviço deles é online ou por telefone (daqui é preciso saber francês/inglês e pagar uma chamada para França, em breve será possível fazer para Espanha, talvez antes do final de 2022 seja possível ligar para o Brasil, para usar o português).
      Falhas, costumam ser temporárias. Há alturas do dia em que a antena falha, devido à incidência do sol. Há o outro problema que é a antena ter de ficar fixa e não se poder deslocar para outros locais, o que será uma limitação para auto-caravanas.
      Além de que exige uma fonte de 450w para ligar o router e a antena.

  17. Filipe C says:

    Sistema muito caro, com mensalidade estupidamente cara, sendo que nem garante estabilidade dado que irá ter periodos de blackout, provavelmente como em tudo o que dependa de satélites, poderá ter interferências consoante o estado do tempo…
    Se alguem está mesmo entusiasmado com isto por cá, só pode ser por fanatismo. Com 50 euros já se tem tarifários com trafego ‘ilimitado’ de operadoras moveis podendo ser usado em qualquer parte do país onde haja cobertura de telemóvel, sem depender de eletricidade (usando no telemovel, hotspot, etc), nem de mini parabólicas.
    Claro que temos zonas sem cobertura 3G e 4G onde nenhuma das 3 operadoras lá chega nem por ligaçao telefónica, apesar deste cenário ser algo muito muito raro hoje em dia.

    • Vítor M. says:

      Sem dúvida, é muito caro para o que temos em alternativa. Mas tem algumas aplicações muito interessantes. Por exemplo, temos um grupo de amigos que duas vezes por ano faz umas expedições por algumas zonas montanhosas e quase sempre internet (assim como sinal de GSM) é para esquecer. Este tipo de serviço pode ser muito importante. Como podemos comprar e suspender e reativar como quisermos, pode ser uma mais-valia em muitos cenários. Para o dia a dia em zonas urbanas e mesmo suburbanas, até mesmo em zonas do interior menos equipadas, é estupidamente caro.

      • Vitor Tavares says:

        Nesses cenário (e outros parecidos) estou de acordo que pode ser bastante útil! Mas acho graça a alguns comentários acerca da utilidade em “zonas remotas” em que a tecnologia existente é “lenta”! Nessas “zonas remotas” isto só será útil para empresas ali localizadas…porque todos sabemos que o chamado “interior” do País está cada vez mais isolado e é habitado (maioritariamente) por pessoas idosas,com muita iletaracia e a que esses serviços de nada valem. Se até as agências dos CTTs e bancáris vão encerrando aos poucos…

        • Vítor M. says:

          Essa parte temos de avaliar com algum cuidado. O interior norte, onde cada vez há mais turismo de habitação e turismo rural, não está assim tão desertificado. Mas não me aprece que seja algo, pelo menos para já, que vá ser uma “salvação”.

          • Vitor Tavares says:

            Continuo,em parte,de acordo…mas também sabemos que o turismo rural é,por enquanto,bastante sazonal e mesmo o chamado turismo de Inverno na Serra da Estrela é em muitos anos,talvez devido às alterações climáticas,quase inexistente na sua forma “normal”! E neve artificical não é a mesma coisa…abc. O Douro vai aguentando…mas por lá os problemas de conexão são muito raros!

          • Vítor M. says:

            Sim, é sazonal, é verdade. Tens o Carnaval, tens as férias de Páscoa, tens as férias de verão, tens a passagem de ano. Há ali alturas em que se facto estas nossas fantásticas zonas do interior são bastante mais povoadas. Contudo, lá está, esta tecnologia da SpaceX vai fazer falta, mas não nestes preços.

      • Manuel da Costa says:

        Não ajuda grande coisa. Ao mover a antena mais de 1km para fora da zona de registo, o sistema bloqueia o serviço até ser possível fazer uma reactivação… por telefone ou internet.
        Dá para terem uma no acampamento e pouco mais.

      • Manuel da Costa says:

        Falta dizer que precisam de levar um gerador para a montanha… são precisos 450w de potência para ligar o equipamento. Nem a bateria da maioria dos automóveis consegue suportar o que é preciso.
        Isto é mesmo para estar fixo numa casa de uma zona rural.

    • tiago says:

      trafego ‘ilimitado’ a 1 mega nao e trafego ‘ilimitado’

  18. francisco says:

    Fiquei genuinamente interessado, até ver o preço.

  19. Chacal says:

    Se pagar um dinheirão por NET é solução, então Portugal não está em crise.

  20. Ivo Pinto says:

    Boa! 100€/mês é um bom preço. Cá na aldeia um contrata o serviço e partilha com 3 vizinhos. 25€/mês a cada um é um preço bastante razoácel.

  21. Joaquim Pedro Gonçalves Silva says:

    Too expensive

  22. R!cardo says:

    O pessoal do interior que mora perto de alguma cidade não podem fazer algo tipo isto?

    https://youtu.be/5bo5yyIcjlc

  23. Daniel says:

    Anda aí muita confusão!
    O Starlink é um produto para um nicho de mercado… neste momento…. não é para fazer concorrência, pelo menos para já às operadoras nos centros urbanos ou em zonas já cobertas com ADSL ou fibra.
    Este produto é uma alternativa para zonas remotas normalmente rurais onde as operadoras consideram não ser viável investir em infraestrutura moderna para meia dúzia de potenciais clientes.
    Em Portugal, se calhar, nem nos podemos queixar muito, uma vez que comparado com outros países da Europa até nem estamos muito mal na cobertura de telecomunicações salvo em algumas regiões do interior.
    O alvo deste produto são regiões remotas em terra e por exemplo oceanos.
    Se fizerem um esforço, e pucharem pela carola, vão perceber que há um mercado de biliões para o Musk explorar só em transportes marítimos, ferroviários, aéreos e até nos carros tipo os Teslas ou concorrência.
    Se quiserem ler um bocadinho vejam este artigo one a SpaceX pede autorizxaçõa antenas de alta performance para uso em veículos, uso maritimo e aereo:
    https://min.news/en/tech/a38ae861b4728e4e3be2dd5c686ab28c.html
    Chamo a tenção também para este documento oficial da FCC one vem tudo explicadinho ao detalhe:
    https://fcc.report/IBFS/SES-LIC-INTR2021-00934/3877177.pdf

    Em relação ao que já tenho visto escrito sobre os sistemas VSAT, penso que muito provavelmente nunca trabalharam com um sistema desses porque estamos a comprar literalmente a Estrada da Beira com a beira da estrada.
    Começo por clarificar que além de outras funções, sou administrador local de uma rede IT a bordo de uma plataforma petrolifera a operar no Golfo Pésico, onde neste momento o nosso elo de ligação ao mundo (onde estou neste momento a escrever este texto) é uma ligação VSAT.
    As características de ligação são as seguintes:
    Downstream 4Mbps / Upstream 2Mbps ,latência média 650ms, jitter 32ms.
    Este serviço tem de dar para 20 computadores de trabalho, servidores, telemetria dos furos e respectivo equipamento de perfuração, além de serviço de internet para uma média de 80 pessoas (pode chegar às 120) a bordo.
    Escusado será de dizer que a internet nlaguns periodos do dia é uma miséria.
    Mais, se sonhassem quanto a empresa paga…. para não revelar dados confidenciais concretos, posso só dizer que a caução do Luís Filipe Vieira não chega para pagar a conta da internet da frota da minha empresa por ano.
    Claro que o serviço inclui, não só o link mas também serviços de segurança entre outras coisas, mas o grosso do montante vai para o VSAT link.

    O que posso dizer é que a comunidade offshore está bem atenta a esta tecnologia, e estamos na linha frente para Beta testers and Arabia Saudita assim que as autoridades locais permitirem o serviço
    Se quiserem ter uma ideia de quantos navios e infraestruturas marítimas estão em tempo real activas vão ver o site https://www.marinetraffic.com e imaginem só 10% a usar o sistema quanto é que este negócio não vai render só no mar, e poder financiar a evolução para um produto mais robusto, mais barato e no futuro a médio prazo poder a capacidade de dar uma tareia em algumas operadoras, nacionais e estrangeiras.

    Não fiquem ofendidos, pelo Musk pedir 500 paus pela antena e 100 paus pela mensalidade, se vivem na cidade, ou perto este produto não é para vocês, além disso neste momento o Starlink também não é para quem quer, é só para quem pode, e está disposto a ser Beta Tester com todas as vantagens e principalmente todas as desvantagens de estar a testar uma nova tecnologia!

    • Miguel Sousa says:

      Falas muito mas sabes pouco da realidade do país. Não é só no interior. Moro no Algarve, onde o povoamento é em geral DISPERSO. Sabes de algo? Não há net decente aqui na EN125. PONTO. Só nas cidades. A melhor internet aqui é ADSL com velocidades de download de 1Mb/segundo e upload de 400kbs. A 4G dá 300ms de ping, e baixas a menos de 1MB, a 3G idem. Pago o mesmo que todos os portugueses pelo pacote MEO, NOS ou Vodafone sem tirar proveito porque até a box da TV tem lag!. Starlink e é para já!

  24. Ale says:

    A quantidade de parvalhões portugueses que não conhecem Portugal é incrível.

  25. pj Correia says:

    + 1 x u l o….

  26. Luís Espírito Santo says:

    Portugalé um país sui generis, habitado por um povo ainda mais especial. Leio muitos (esmagadora maioria) comentários em que os que os produzem estão muito preocupados com o acesso à Internet nas suas regiões visto que a oferta actual os deixa descontentes. E vêm no Tesla da Internet a sua salvação. Pagar 1200 euros por ano por um projecto de Internet que nem conhecem não os preocupa. Pagar 1/6 do salário mínimo só para aceder à Internet é “peanuts”. Se o pão aumenta 1 cêntimo “cai o Carmo e a Trindade”. O Costa sabe bem como deve “rebenhar” este povo. Ainda falavam dos 3 F’s…..

    • tiago says:

      sabes que muitos portugueses pagam cerca de 9600€ so para poderem viver na cidade enquanto no campo podias pagar simplesmente 3600€ mas isto so sou eu a dizer certo

  27. pj Correia says:

    totalmente de acordo.
    há muito tempo que acho o mesmo, em Portugal querem todos andar de “nikes” quando o país (todos nós) nem produz para umas “sanjo”.

    • Ricardo Silva says:

      Outra coisa não seria de esperar quando uma considerável “maioria” segue voluntaria e descontraidamente o programa de obsolescência programada que as empresas implementam em muitos aspectos da vida quotidiana. O exemplo das comunicações móveis com os telemóveis é gritante. Sai o “novo modelo” e o que têm já é um charuto que não serve para nada (mesmo que a maioria das pessoas não aproveite 70% da capacidade de processamento do modelo em questão), e nesse caso, dois anos de utilização é literalmente tempo demasiado para usar um modelo “velho”. Depois queixam-se que existe muito lixo no planeta. Depois são todos a favor de “solucões inovadoras” (a salvação do povo) e os outros que sigam a tendência.

      Bom senso e caldos de galinha neste PT à beira mar plantado estão em baixa de stock – infelizmente.

      Novo riquismo instituido – o que cai bem nos propositos das empresas.

  28. Brinkley says:

    Já sei disto há pelo menos cerca de um mês, na altura a única forma de consultar a cobertura era usando as coordenadas GPS que o Google Maps dava.

    Seja como for, não compensa minimamente, penso até que hajam outras soluções satélite mais baratas (seja como for, embora a solução da Starlink possa ser um pouco mais avançada, não compensa o preço, tendo em conta os avanços tecnológicos a nível de cobertura das telecomunicações em Portugal).

    Isto só será útil para casos extremamente excepcionais (áreas remotas e extremamente isoladas).

    Estou certo que tecnologias como a fibra óptica em Portugal vão chegar a um ponto de cobertura de quase 100% em todo o território, reduzindo assim a utilidade e potencial deste serviço (Starlink) em Portugal (a conversa só poderá ser outra, se falarmos de Google Fiber ou algo semelhante, só aí é que haveria potencial para maior competitividade).

    Isto poderia ter utilidade em países de terceiro mundo (África ou assim), mas não sei como iria ser viável (a menos que houvessem financiamentos por partes de governos, como aconteceu com a Tesla/SpaceX que foram ajudadas/financiadas pelo governo americano, mas os EUA são um caso excepcional, ao contrário deles, nós na Europa temos regras e menos flexibilidade para as mudar).

    • tiago says:

      tais como locais onde as empresas portuguesas acham que existe pouca populaçao e nao querem por fibra mas continuar a sonhar e sempre bom eu ja vou fazer a minha reserva porque 8 anos a esperar de fibra ja e demais

    • Miguel Sousa says:

      Não sabes do que falas. Apenas as cidades e algumas localidades tem cobertura ACEITÁVEL aqui. É a melhor solução para muitos no Algarve. Não há sequer fibra aqui e moro mesmo ao lado da EN125. A ADSL dá um lag descomunal, nao aguenta sequer a TV. 3G e 4G baixo a menos de 1mb/s. Alem disso para alugarmos casas a turistas sem internet é como vender carroças no sec21. Não são zonas tão excecionais como o que dizes. Agora que tenho opção, ou a NOS e a MEO me baixam o valor da conta PROPORCIONALMENTE à velocidade que tenho de Net ou perderam um cliente. Starlink all the way.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.