Quantcast
PplWare Mobile

Vacina COVID-19: Tem mais de 35 anos? Já não precisa agendar

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Joao says:

    O auto-agendamento para quem tem 23 anos ou mais já está aberto desde dia 12 de julho…

  2. Dexter says:

    Tretas, acabei de ir ao posto de vacinação de Coimbra e a casa aberta é só para maiores de 50 anos.
    Cada um faz a sua maneira.

  3. David Guerreiro says:

    A saber, quem que optar por este meio, tem garantida a vacina da Janssen, se for do sexo masculino acima de 18 anos, e mulheres a partir dos 50.

  4. Andre says:

    Levei com a Jansen na segunda e só tive sonolência durante +- 2h. Não tive cenas como febre ou dores musculares. Mas quando estava a aguardar pelos 30min depois de levar a vacina um gajo caiu para o lado, depois da assistencia por enfermeiros foi para uma maca pelo proprio pé.

    • David Guerreiro says:

      Tombam que nem tordos

    • Manuel da Costa says:

      Os efeitos das vacinas podem variar muito.
      Quando levei a minha segunda dose (Pfizer) 3 pessoas na sala tiveram de receber assistência e uma rapariga (teria os seus 30-35 anos) acabou na ambulância do INEM, devido a tonturas e vómitos. No entanto, estavam 380 pessoas no recobro, entre entradas e saídas o valor deve ter ficado muito perto dos 500 que lá passaram enquanto esperei e fiz o recobro, só esses 3 tiveram reacções.
      No dia seguinte, andei a suar que nem tivesse feito uma maratona e com as pernas gelatina, que precisava de me agarrar ás paredes. Dois dias depois já não tinha nada.

  5. vitor says:

    Como é que o autoagendamento da vacina está aberto para os maiores de 23 anos se eu com 26 não o consigo fazer por já não existir disponibilidade?

  6. Joaquim Sobreiro says:

    O “mantra” que, a partir de agora, a mídia usará de forma generalizada é o seguinte: “JÁ CONHECIDO”. Seu uso será o seguinte:

    1.- “Já se sabia” que, mesmo se você for vacinado, você pode obtê-lo. Falso, quando a campanha de vacinação começou a ser promovida (no início) eles nunca falavam isso, mas o contrário.

    2.- “Já se sabia” que, apesar de estar vacinado, pode transmitir a doença. Também falso, eles nunca disseram isso quando a vacinação começou, muito pelo contrário (“imunidade de grupo”)

    3.- “Já se sabia” que, mesmo que se vacine, você não está livre para adoecer gravemente, entrar na UTI ou até morrer. Falso, eles nos venderam 95% de eficiência, mas nunca disseram que haveria pessoas que ficariam gravemente doentes ou morreriam. Isso foi incorporado ao longo do tempo, quando se constatou que a vacina não evitava o contágio nem a transmissão e, para compensar, introduziram a nova ideia de que se evitava adoecer gravemente.

    A frase que repetiram ad nauseam foi a seguinte: “As vacinas são totalmente seguras e eficazes.”

    4.- “Já se sabia” que o vírus sofreu mutação com alguma facilidade. Falso. A frase que eles reiteraram, sem parar, foi: “Felizmente, este vírus não sofre mutação” e, mais tarde, “dificilmente muda”.

    5.- “Já se sabia” que as vacinas apresentam certos riscos. Mentira. Eles insistiram que estavam completamente seguros, exceto em casos extraordinariamente isolados. (1 milhão)

    Quando apareceram os episódios trombóticos com AZ, eles disseram que já era conhecido, mas que “o risco de tomar aspirina ou anticoncepcional era maior do que ser vacinado”.

    6.- “Já se sabia” que estas vacinas, por serem experimentais e autorizadas por motivos de urgência, poderiam causar efeitos adversos graves não previstos. Falso, nunca sugeriram algo semelhante, pelo contrário, que era uma tecnologia que estava em desenvolvimento há 4 décadas e que era muito segura.

    Diante das evidências de falsidade, eles introduziram a frase: “Os benefícios superam em muito os riscos.”

    7.- “Já se sabia” que deveriam ser incorporadas novas e periódicas doses de reforço.

    Radicalmente falso. Eles claramente nos deram a entender que com uma única inoculação (mesmo que em dose dupla) o problema estaria resolvido, principalmente ao atingir a imunidade de grupo, com cerca de 60% da população vacinada.

    8.- “Já se sabia” que, totalmente, a imunidade de grupo não pode ser alcançada. Absolutamente uma mentira. Eles nos colocam a ideia oposta insistentemente. Uma vez que 60% não pareciam suficientes, eles aumentaram para 70%, 80% ou porcentagens ainda mais altas.

    9.- “Já se sabia” que em pessoas com um sistema imunológico forte ou em jovens, as vacinas podem causar mais problemas. Nova falsidade, eles nunca deram a mínima ideia sobre essa ideia.

    A verdade é que é totalmente lógico que um sistema imunológico forte, típico de uma pessoa jovem, possa sofrer gravemente com a vacina porque o que ela faz é afetar esse sistema imunológico, produzindo uma superestimulação absolutamente desnecessária, que pode causar uma tempestade de citocinas e um inflamação do corpo, especialmente do coração, na forma de pericardite, miocardite e outras patologias que podem causar a morte.

    10.- “Já se sabia” que a proteína spike circulava pela corrente sanguínea, podendo se depositar em diversos órgãos do corpo. Radicalmente falso, o máximo que eles disseram foi que a proteína do pico ficou no músculo na área da punção e foi eliminada rapidamente sem criar problemas.

    11.- “Já se sabia” que a eficácia das vacinas não era superior a 90%. É outro truque impressionante, pois todos os Laboratórios têm insistido, e continuam a fazê-lo, que sua eficiência seja superior a 90% e mesmo que seja mantida com as variantes.

  7. SANDOKAN 1513 says:

    Amanhã,Sexta-feira,dia 23,já vou apanhar a segunda toma da vacina da Pfeizer.Queira Deus que corra tudo bem.Já fico vacinado de vez.Espero eu. 🙂

  8. ElectroescadaS says:

    Em Fevereiro conheci a Astra (1ª), em Maio a Zeneca (2ª). Tirando o ardor do dia seguinte do musculo do braço ainda cá ando…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.