Quantcast
PplWare Mobile

Serviço de Internet Starlink da SpaceX por $99/mês já terá mais de 10 mil utilizadores

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Ricardo Gonçalves says:

    Boa finalmente

    • Ricardo Gonçalves says:

      Em quanto não vier o 5g para o interior da aldeia isto é a melhor solução

      • Bruno Mota says:

        A velocidade (largura de banda) do 5G, tal como as outras tecnologias, tem a largura de banda dividida pelo número de utilizadores.
        Eu tenho 5G, e onde resido a velocidade máxima durante o dia não ultrapassa o 3Mbps.
        Durante a madrugada pode por vezes chegar aos 65Mbps, mas nunca mais do que isso.
        Em algumas zonas, tenho mais largura de banda com 3G do que aqui em casa, especialmente na área periférica da cidade.
        Quando estive em Portugal durante o Natal, tinha mais velocidade em 4G do que alguma vez tive em França. As redes em Portugal são razoáveis.

        • Ricardo Gonçalves says:

          eu percebo mas nas aldeias existem poucos utilizadores, dai o facto de não investirem na rede móvel

          • Bruno Mota says:

            Cidadãos de primeira e cidadãos de segunda. As empresas deveriam ser obrigadas a investir especialmente nas pequenas localidades quando lhes são atribuidas as licenças.

  2. Nuno says:

    É pena cá ser demasiado caro pode ser que com o tempo baixe o preço era de vez que largava os operadores

  3. Pedro Liz says:

    Se houver uma tempestade solar ou chuva de meteoritos ou alguma nave alien a chocar contra um dos satelites e ficam sem net. Cabo fibra parece me muito superior.

    • Gerardo says:

      Cada tecnologia tem os seus pós e contras. Experimenta ligar um cabo de fibra no meio do Sahara ou no Pacífico

      • Pedro Liz says:

        Ninguem mora no sahara ou no pacífico.

        • Nuno says:

          Sim porque uma chuva de meteoritos vai acertar em todos os satelites ou vai mesmo haver uma na alien muito mais provavel, e já agr os satelites nao ficam inutilizados com tempestades solares

        • rjSampaio says:

          o sahara tem 2.5 milhoes de habitantes.
          e o pacifico tambem deve andar nos 2 milhoes.

          • Manto D'Agua says:

            Sim 4.5Milhoes num mundo com 7bilioes valem mesmo 10mil satelites..Alem do mais no sahara as pessoas preocupam-se mais com ter agua do que internet.

        • Não Obstante says:

          As ligações são flexíveis e os satélites ligam-se aos mais próximos, se alguns se inutilizarem as ligações passam a outros.

        • Jorge says:

          A ilha da páscoa tem 7750 habitantes, imagina queres aceder à tua conta de email ou ver as novidades do pplware…boom! Starlink!

        • PML says:

          A grande vantagem é mesmo essa – ter internet em qq lado e flat rate geográfico. Se viajares para alguns países mais remotos a net lá é lentíssima e cara. Navios da marinha mercante, cruzeiros, viajantes para locais remotos, sitios sem cobertura – há um sem número de utilizadores que estarão interessados (talvez por um valo mais baixo). Vejo potêncial. Agora é preciso ver se os débitos acompanham as restantes tecnologias. Daqui a uns anos estes valores podem ser pouco face à tecnologia existente no mercado.

    • Ze says:

      Realmente, caso houver uma forte tempestade solar, uma grande chuva de meteoritos our uma visita alienigena ficar sem net seria muito chato…

      • Pedro Liz says:

        Tempestades solares afetam satelites mas nao nos afetam a nos pos estamos protegidos e apenas vemos uma aurora bucal

      • Nuno says:

        Concordo ainda a semana passada ia pôr vodafone ca em casa mas depois de saber que se houver um terramoto e a minha casa cair fico sem net já nem quis

        • NotMe says:

          Nem é preciso tanto…
          Obras na rua, tempestades, o gato/cão a roer o cabo, o visinho que muda a pass da net xD…
          muita coisa pode acontecer

        • Rui Costa says:

          Eu estava para comprar uma casa, mas depois de saber que um tornado, terramoto ou incendio eu fico sem casa, já não comprei. Prefiro viver na rua.. Mas pensando bem, tenho de arranjar outro sítio para passar o tempo porque algum evento catastrófico pode fazer desaparecer a estrada……E estava a pensar em viver mas depois lembrei-me que a morte me pode tirar a vida. Vou ali cortar os pulsos….

      • Louro says:

        Pensei exactamente o mesmo, mas depois lembrei que esta malta caso aconteca alguma coisa deste genero saca logo do telemovel para fazer um live…

    • Paco says:

      Ou estás a ser sarcástico ou então é mesmo conversa de quem não tem nada acrescentar que possa beneficiar o debate, aliás, mal da mentalidade portuguesa em todos os fóruns.
      Se, Se, Se….
      Se a minha avó tivesse tomates não era minha avó mais sim era o meu avô.
      Haja pachorra !!!

    • Pirata das cabernas says:

      a fibra tambem arde, ja fiquei sem fibra uns dias porque os cabos arderam

  4. Berto says:

    Só quero que chegue, mesmo a esse preço.

  5. Tatso says:

    Não basta existirem apenas. Para comercializarem precisam de aprovação, licenciamento, regulamentação (comercial, consumidor, fiscalidade) etc. Vamos ver, o que acontece.

    • Paco says:

      O mais certo é o cartel dos 3 operadores ( agora 4, com a entrada da MásMóvil para o 5G ) arranjarem maneira (da forma que todos sabemos) de em conselho de ministros rejeitarem a entrada desse novo operador.
      Atenção que eu estou de acordo com a entrada da StarLink, mas a preços de Portugal, não preços de Americano. Enquanto para os portugueses esse valor representa 15% do ordenado mínimo, enquanto que para os americanos representa 5%. Acho os $99 mais os $499 pelo equipamento, muito elevado para os nossos padrões.
      Mesmo assim é de considerar pois onde vivo só temos um ADSL miserável.

      • Test User says:

        12,36% (82,25 EUR = 99 USD/ 665 EUR)
        Salario Minimo 2021 =665

        • Paco says:

          Isso era preciso que as empresas americanas fizessem a conversão do valor para para euros. Muitas vezes um produto a $99 nos EE.UU, na Europa custa €99. Daí os meus valores não serem convertidos.

      • David says:

        Dúvido que isso aconteca, o que eu acho que vai acontecer é que quando isto ficar muito grande e chegar ca realmente cá 99€ é demasiado caro entao diria que as operadores é que vao fazer contratos com a starlink e nao as pessoas em si qual é o interece da meo em vender ADSL lenta se tiverem um contrato com a starlink podem vender eles aquilo às pessoas a um preço mais amigavel

  6. Mario says:

    Moro nos EUA e pago 120 dólares por 300/30 mB para ter só net em casa… Por isso não acho que seja caro 100 dólares para ter net global…

    • Pedro Liz says:

      Em lisboa pagas 39 euros por 1000/400 gigabit fibra. Ainda falam mal de portugal..

    • David says:

      Sim nos EUA 100 dollars é um valor muito razoavel mas ca é muito mais caro em relação ao que existe

    • David Guerreiro says:

      Para o poder de compra do norte-americano não é uma fortuna, mas para um português é. Mas vejo isso ser útil para organizações governamentais, como a Proteção Civil, bombeiros, etc, podem estar online em qualquer local (quando a rede estiver completa). Já existe Internet por satélite, mas é distríbuida pelos operadores de telefonia como a Iridium, é super lenta, cara e não funciona num PC normal.

  7. Não Obstante says:

    Só acho que pôr no espaço 4k – 11k satélites é investimento muito alto para amortizar. O preço de tarifa nunca pode ser baixo.

    • Rui Costa says:

      Talvez, mas este serviço não está circunscritoao país, mas sim ao planeta. Se a starlink conseguisse 500M de clientes, diria que o break even diminuiria bastante.

  8. Samuel MG says:

    Exagero de numero de satélites e ainda interferem com o sinal de TV por satélite!! Ainda vai existir mais colisões com os satélites que são mesmo necessários.

    • IonFan says:

      Se fosse à superficie da Terra, a densidade de satélites seria de um por 46372.73km2 (510 100 000km2 / 10 000 satélites). Como as orbitas são nos cerca de 1500km de altitude, a esfera e área são maiores e a densidade menor. Resumindo, não me parece que as colisões sejam um problema, principalmente porque as órbitas podem ser calculadas com vários dias de antecedencia e corrigidas se necessário.

      Quanto às interferencias, achas mesmo que um pontinho minúsculo a passar no céu é suficiente para bloquear um sinal de un satélite? Se fosse assim a tua Euronews via satélite parava de cada vez que uma mosca aterrasse no prato da parabólica…

      • Samuel MG says:

        Enquanto as colisões vai dizer isso a ESA, que teve de desviar o satélite por causa de um da Starlink.

        • IonFan says:

          Obrigado por confirmares que as orbitas podem ser corrigidas se necessário. E só o facto de, quando há milhares de satélites em orbita, uma correcção fazer noticia, confirma a raridade destas situações.

  9. s_junior says:

    Por curiosidade, o que acontece aos satélites desactivados? Caem ou ficam a deriva no espaço?
    Pode ser benéfico para alguns, mas o ser humano já lixou o planeta e prepara-se para lixar o espaço…

    • eu2 says:

      Caem.

      “At end of life, the satellites will utilize their on-board propulsion system to deorbit over the course of a few months. In the unlikely event the propulsion system becomes inoperable, the satellites will burn up in Earth’s atmosphere within 1-5 years, significantly less than the hundreds or thousands of years required at higher altitudes.”
      https://www.starlink.com/

      • iDroid says:

        Espero bem que seja verdade o que anunciam. Mesmo assim, com o número gigantesco que estão a planear pôr em órbita, não está fora de hipótese acontecer um kessler syndrome…

    • IonFan says:

      Nesse aspecto são muito melhores que os sistemas anteriores. Mesmo sem intervenção acabam por reentrar passado poucos anos. Um satélite geo-estacionario, por exemplo, vai manter a sua posição por provavelmente milhares de anos. O que se faz nesses casos, caso ainda haja controlo depois do fim de vida, é mudar para uma orbita de “cemitério”, vagando assim aquela posição para um eventual substituto.

    • Samuel MG says:

      Caem e já houve um caso de uma mulher levar com um bocado (menos de 2 polegadas), felizmente não foi o primeiro caso de uma mulher ser assassinada por um satélite.

  10. ToFerreira says:

    E as opções já existentes?

  11. António Paulo says:

    Bom, na minha opinião o “problema” ponto negativo é mesmo o preço, ou seja se a intenção é que quem vive em sítios mais remotos/isolados aonde há dificuldade em fornecer a internet com o que existe para o efeito esqueceram que normalmente as pessoas que vivem nesses locais na sua maioria não têm condições económicas para pagar esses preços. Por isso a não ser que os mais ricos lá dos locais subscrevam o serviço e partilhem pela restante população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.