Quantcast
PplWare Mobile

Se partilha a conta do Netflix, há más notícias! Será cobrado valor extra a partir de janeiro

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Milhais says:

    Ja ha uns meses que ando curioso como e que a Netflix me vai identificar. Para alguem que passa 80% do tempo fora de casa, o que e que eles vao considerar a minha casa.
    Ou sera que me vai obrigar a comprar mais uns ecras para cada hotel que fico?

    • Carlos Almeida says:

      Querem transformar o Netflix numa plataforma de TV fixa e isso é um total contrassenso e vai contra tudo o que fez com que tivessem o crescimento que tiveram.
      Qualquer dia limitam a utilização à “Apple TV” e à “android TV”.

    • LG says:

      Geolocalização do IP na mesma conta em uso simultâneo… Não consegues estar no hotel e em casa ao mesmo tempo.

      Como o vão fazer? Vamos la ver… O rumor já corre nos últimos 5 anos e até hoje nada

      • luis says:

        mas eu posso estar a viajar e a minha mulher em casa… Se assim for deixa de dar para 4 dispositivos e so da para um.

        • Manuel da Rocha says:

          Se usar o computador habitual, os telemóveis habituais e as tv habituais, não haverá problema.
          Há problema se as suas contas usarem 60 tvs diferentes, 50 telemóveis e 30 computadores, em 45 dias. Porque se você e a sua família conseguem ter centenas de novos equipamentos em pouco tempo, também pode pagar 8000 euros mensais pela Netflix empresarial.

          • Fusion says:

            Olha lá mas quem partilha as contas, no limite só usa tambem 4 televisões ou 4 telemóveis, ser a televisão/telemóvel do meu filho ou o mesmo equipamento de uma conta partilhada é a mesma coisa , como fazem eles essa distinção?

          • Fantasma says:

            Que coisa mais sem sentido!
            No máximo, há 4 acessos simultâneos possíveis.

            Centenas…se isso era uma tentativa de redução ao absurdo, é só mesmo isso: um absurdo.

          • FAR says:

            @Fusion

            Não é difícil pensar num algoritmo que percebe se uma dada conta está a ser usada em 2 TV’s (ou outro dispositivo considerado fixo) e se essas se encontram na mesma localização ou não e lançar um alerta.

            Se for um dispositivo móvel a funcionar ao mesmo tempo que um dispositivo fixo em localizações diferentes já seria permitido, por exemplo.

          • Fusion says:

            @FAR

            Não é possível usar o mesmo perfil em simultâneo, no limite o máximo de ecrãs que poderão estar a transmitir são 4.

            Posto isto, como se resolve o problema de numa família de 4, dois filhos estarem a estudar fora e por exemplo pais a viver em casas diferentes?

            O exemplo que dei acima é o mesmo da partilha das contas, como distingue a netflix família de partilha de contas?

        • Cenas says:

          Streaming at any additional households for more than two weeks, would prompt the account to set up — and pay for — additional “homes,” with a limit on how many additional homes you can add depending on how much you’re already paying for Netflix.

          https://www.cnet.com/culture/entertainment/netflix-will-charge-you-for-password-sharing-subaccounts-next-year/

          • Milhais says:

            Ai e mesmo o problema entao. Quero ver o que e que eles identificam como sendo a minha casa. Eu passo meses em hoteis, em paises diferentes e cidades diferentes. A cada duas semana fora tenho de pagar mais 4 euros, vai ser mesmo interessante.
            Cheira me o que eles querem e que volte a TV cabo.

          • PTO says:

            Essas duas semanas são consecutivas ou cumulativas? No artigo não explica e isso faz toda a diferença.

      • Imf says:

        LG, tu podes estar no hotel a ver Netflix e a tua família estar em casa a ver também.
        Há casos e não são poucos de famílias que desviado ao trabalho só estão juntas ao fim de semana.
        E tu pagas por x utilizadores, o teu filho pode estar na faculdade durante a semana ou até meses na faculdade. Etc haaaa Muitos casos que podem estar em sítios diferentes

      • Sabe-se lá says:

        E o filho ou a mulher? Não pode estar em casa a ver uma série?…

    • Filipe says:

      Sim, tem razão no que diz. Como é que a netflix vai identificar uma pessoa que viaja muito?! se durante um mês tiver em 10 sítios diferentes vou pagar 10×4 euros a mais??? Era o que faltava… acaba-se com a netflix.

    • pois e says:

      Pois é
      assim vai-se ter que deixar de utilizar na casa de ferias ou no tablet quando se vai de viagem

      se assim for adeus netflix

    • Antonio says:

      Sim uma palhaçada este advento do pagamento regular de serviços veio para ficar é meio mundo ou mesmo o mundo inteiro a suportar meia dúzia de milionários seja das séries, seja dos serviços cloud, seja da maioria de licenças de software. É nestas alturas que nos questionamos acerca da mão invisivel do Adam Smith e do que a IL apregoa … a ganância não tem limites, olhe-se para o que se passa com a produção de petróleo ou com o que a Adidas resolveu fazer cá em Portugal.
      Enfim é compreensível não é tolerável que os administradores destas empresas circulem em carros de menos de 250.000Eur … nem residam em mansões com menos de 2500m2.

      • Fantasma says:

        Ninguém é obrigado a ter os serviços! Se não subscrever o serviço, não paga.

      • PTO says:

        A ganância é dos dois lados, do lado de quem quer vender os serviços e do lado de quem os quer utilizar mesmo quando não concorda com as regras.

        Ou seja, se alguém acha que a Netflix (ou qualquer outro serviço) está a criar regras que o prejudicam só tem de cancelar o serviço e deixar de o utilizar.

  2. byebye says:

    bye bye netflix… não entenderam que o problema não está na partilha de contas mas sim nos conteúdos altamente repetitivos e sem nada de grande valor que trazem regularmente. facilmente irão perder ainda mais clientes.

  3. luis says:

    Continuara a ser mais barato do que cada um ter uma conta…

  4. João says:

    Se isso acontecer, para mim chega.
    Passo muito tempo numa habitação “secundária” e sempre olhei para os serviços de streaming como uma alterativa “móvel” à televisão tradicional e acho um perfeito absurdo que tenha que pagar mais para usar um serviço fora de casa.
    Eu não partilho contas com ninguém fora do agregado familiar que por acaso, por motivos escolares, está em 3 zonas do país e não vou pagar mais por isso.
    Vivo numa zona do país, um filho estuda a 100 km outro a 200km e ainda passamos fins de semana e ferias noutro local,,,

    • Manuel da Rocha says:

      O problema não é “casas secundárias”. Será que você arrenda a sua casa todos os dias e oferece o serviço? Ou será que tem 30 casas principais e a secundária? O problema é mesmo o estar em casa, em Braga, o seu filho estar em Lisboa, a sua esposa em Faro e a filha em Viseu. Depois surgem mais 20 filhos que andam fora do país.

      • Sabe-se lá says:

        E se a família, por motivos de trabalho e estudo, estiver mesmo assim distribuída??
        A parte dos “20 filhos que andam fora do país” não percebi…

      • Fantasma says:

        De facto, é tudo em grande. Há por aí alguma teoria relacionada com números grandes, disparatados ou tem ações na Netflix. E mesmo que tivesse, continua a não fazer sentido.

        Mais um absurdo 🙂

      • PTO says:

        Se o limite são duas semanas de utilização fora da morada e depois começa a pagar um extra, qual é a lógica desse raciocínio no caso de um filho a estudar noutra parte do país?

        Ou no caso de ir de férias 3 semanas e deixar de poder usar o serviço ao fim de 2 semanas?

  5. Infinity says:

    Losing clients 101

  6. Fusion says:

    Toda a minha vida de estudante (e inicio de fase adulta) recorri a pirataria para series, filmes, música etc até que saiu um dia o Spotify e depois a Netflix, uma vez que os preços eram acessíveis fiquei fã e disse a mim próprio, bem olha com isto acabou a pirataria e não vou voltar por esses caminhos..
    Quase 10 anos depois a sensação neste momento é o oposto, cada vez mais me sinto tentado a cancelar e voltar a pirataria e a culpa é toda deles.
    Eu partilho a minha conta mais mais 3 pessoas (comigo 4) e já falamos entre todos, no dia que subir cancelamos a conta e voltamos aos torrents e afins

    • Shyjuggernaut says:

      X2… quando isto acontecer, os torrents voltam e o raspberry com um bom disco para servir de armazenamento

    • windows says:

      O mal disto foi eles terem deixado que fosse possivel aceder a conta por varios utilizadores, agora claro que querem limitar isso, e vai acabar por acontecer, mas por mais que o pessoal diga que vai cancelar o serviço quanto mais passar para o pacote mais pequeno pois já não justifica pagar o maior.

      Quanto a voltar há pirataria, as coisas hoje em dia já não são com torrent’s isso é coisa do passado, ninguém perde tempo a fazer descargas, existe outras alternativas também sem stream online, mas lá está mais uma vez é hoje tens amanhã não se sabe.

      • Fusion says:

        Concordo contigo! Alias esse foi o grande trunfo na Netflix no inicio permitir que as pessoas partilhassem a conta para conseguirem cimentar a marca no mercado e crescer.

        Entendo tambem que eles queiram maximizar os lucros impedindo partilha de contas, no entanto eles não podem ficar a espera que as pessoas aceitem que eles mudem as regras a meio do jogo.

        Netflix compensa a pagar em conjunto, se for para ter uma conta individual prefiro outros serviços, e julgo que não estou sozinho nisso

        • Fantasma says:

          Não esquecer que a Netflix é caríssima!

          Netflix 15,99 (4 eqps UltraHD; mais barato: 7,99 1 eqp SD/HD a partir de Novembro)
          HBO Max 5,99 (3 eqps UltraHD; quem já tinha a 3,99 manteve preço)
          Amazon Prime 4,99 (3 eqps UltraHD)
          Apple TV+ 4,99 (5/6 eqps FamilyShare ?! UltraHD)
          Disney+ 8,99 (4 eqps UltraHD)

          À parte da Disney+, e mesmo assim distante, os preços da Netflix são absurdamente puxados para cima.
          E vem aí mais uma plataforma! Skyshowtime.com que chega a 25/Outubro. Mais concorrência…

          • pois e says:

            por esse preços é melhor cancelar a netflix e ficar com o prime e disney

          • luis says:

            HBO Max 5,99 (3 eqps UltraHD; quem já tinha a 3,99 manteve preço)
            mantinha até cancelarem o serviço pq não conseguiram cobrar lol a netflix conseguiu… reative… a 5,99 lol

          • Fantasma says:

            Sim, na hbo max para manter o preço é preciso manter sempre a subscrição ativa (paga). É estranho não terem dado uma segunda chance para “regularizar” o pagamento. Se calhar é de propósito 🙂

    • PTO says:

      Já não tens fontes de pirataria de qualidade, é melhor ficares como estás.

  7. Joao Ptt says:

    Se isto acontecer mesmo, vou… continuar a não ser cliente/ utilizador do serviço, como nunca o fui, está tudo bem.

  8. cK says:

    Vejam se percebi. + €4,00 por cada utilizador. Para quem tem conta premium partilhada por 4 utilizadores, dá 8 euros cada um mensalmente, certo?

    • Shyjuggernaut says:

      Se não estou errado, ficará 15.99€ (o único que permite ver em mais que 1 dispositivo em simultâneo) x 12€ (4€ por utilizador, sendo que o principal não deverá pagar estes 4€) = 28€/mês … Mas corrijam me se as contas não estiverem certas

      • Fantasma says:

        O plano standard (11.99) permite 2 acessos em simultâneo, não é só no premium (15.99) que permite mais que um.

        As contas estão certas para 3 “casas adicionais”.

        O que eles pretendem é que se subscreva o número de “casas adicionais”. A definição de “casas adicionais” só deverá restringir equipamentos “fixos” (SmartTVs, boxes), se é que consigo ler bem nas entrelinhas.

  9. Alfredo Barthel says:

    Fácil, cancelar tudo, consumir entretenimento de plataformas livres e amigas do utilizador, deixar a Netflix e outras cair.

  10. Fabio says:

    Ladroagem é o que tenho a dizer. Tenho um trabalho itenerante, por sua vez a minha mulher tambem tem, o meu filho vive comigo mas passa muito tempo na cidade da universidade. Somos uma família que vive toda na mesma casa mas que viaja bastante. Temos de pagar esta taxa porque?!

  11. José says:

    Podem indicar as fontes destas informações/datas?

  12. PoPeY says:

    Eles devem limitar o acesso pelo mac adress do dispositivo provavelmente.

    Ou seja, aquele mac adress pode estar em 1001 sitios durante o mês… O que não devera ser permitido é um utilizador ter 3 ou 4 mac adress diferentes associados.

    Se não for assim, nao estou a ver outra forma de garantir a portabilidade do servico sem haver problemas

  13. PorcoDoPunjab says:

    Nunca vi tanta gente preocupada por algo que facilmente se resolve.
    Vejo tudo o que quero, de todas as plataformas, imagem hd e não pago nada.
    O engraçado é que mesmo podendo ver tudo, não vejo quase nada porque não tenho tempo ou mal começo a ver alguma coisa adormeço no sofá e só acordo lá paras as tantas da manhã todo desorientado sem saber muito bem o que estou ali a fazer…

    PorcoDoPunjab, o porco com sono e tb encantador de burros

  14. Miguel Carvalho says:

    Ou seja, mesmo que seja eu a usar a minha conta posso ter de pagar uma taxa se aceder à minha conta fora da minha morada?

  15. Luis says:

    Vamos é ver quando (e se) isto for para a frente, quantos vão realmente fechar as contas?
    Por vezes é o deixa andar, a preguiça, o não querer saber e vai-se a ver no deve e haver a Netflix ficará a ganhar….
    Da minha parte fico com a HBO que chega-me bem e estamos numa excelente altura para cortar despesas supérfluas.

  16. António says:

    Então e se usarmos uma vpn e nunca souberem onde estamos? Está alguma coisa mal explicada. Vamos esperar

    • Sabe-se lá says:

      O outro estava em Espanha e tentou ver a RTP Play e o sistema disse que fora de Portugal o serviço não estava disponível…
      Imagina se eles bloqueiam a conta ao país associado á mesma? E depois cobram outra taxa se quiseres acesso internacional, tipo “roaming”? 🙂
      Eu estou-me a rir, mas nunca se sabe…

    • Fantasma says:

      Se limitarem por IPs, com VPN será difícil (ou mesmo impossível) limitarem.

      O problema é usar as VPNs a partir de smarttvs, boxes. Em dispositivos móveis, é trivial.

      Fica a “dificuldade” de se ter de implementar o servidor de VPN in-house.

      Sendo a validação feita para restringir por IPs, fica a questão de como lidam com possíveis alterações do IP atribuído pelos operadores, já para não falar de que hoje em dia os operadores já estarem a nao atribuir endereços públicos aos seus clientes não empresariais (o que também é um problema para implementar o tal servidor de VPN in-house)

      • ClickRapidix says:

        CGNat e muito comum em vários países da UE, principalmente França/Suíça/Luxembourgo e RU. Na minha experiência com familiares a viver nesses países e estarem com um CGNat arruina VPNs que alguns usam para ver I*TV, etc

        • Cenas says:

          CGNat pode arruinar VPN’s? Como assim? Quem coloca CGNat? As operadoras? Não há volta a dar?

          • ClickRapidix says:

            Certos protocolos de VPN não conseguem establecer ligação (L2TP/IPSec certos PPTPs por exemplo embora poucos usem PPTP, e ha casos onde nem OpenVPN se tiverem a usar UDP funciona). Sim e o operador que aloca CGNat mas falo por experiência própria que é uma dor de cabeça.

  17. Fantasma says:

    Eles não pretendem limitar nos dispositivos móveis para resolver a questão das viagens e afins,
    Em dispositivos “fixos”, como smarttv, boxes é que deverão limitar pelo endereço IP destes dispositivos.

    A intenção de começar a usar este método de controlo já a partir do início do próximo ano está mencionada numa informação aos acionistas.

  18. Pedro Durão says:

    Adeus Netflix… Fácil!

    Ficam a perder mais do que ganham….

  19. Cenas says:

    Streaming at any additional households for more than two weeks, would prompt the account to set up — and pay for — additional “homes,” with a limit on how many additional homes you can add depending on how much you’re already paying for Netflix.

    https://www.cnet.com/culture/entertainment/netflix-will-charge-you-for-password-sharing-subaccounts-next-year/

  20. Luis says:

    já chegou o e-mail.
    Para já desactivei a transferência de perfis. Espero que seja uma forma de ficar tudo na mesma…

  21. ClickRapidix says:

    Se fizerem restricao por GeoIP entao mais vale colocar um servidor VPN em casa … job done.

  22. O outro JOTA says:

    Stremio, tem tudo e mais um par de botas.

  23. Márcio Pego says:

    Mesmo com a conta partilhada…o valor já é demasiado alto, o conteúdo não justifica (na minha opinião). Com esse aumento de preço, ainda menos.

    …é uma questão de tempo, mas vou com certeza cancelar o serviço.

  24. Luis says:

    Portanto, eu tenho a minha conta na minha tv e na tv de casa dos meus pais onde costumo ir ao fim de semana. Só eu é que uso e portanto nem chegam a estar ligadas em simultâneo. Espero que tenham algum método para validar quem está a usar naquela altura (há uns tempos falava-se num codigo enviado para validar), porque não vou pagar mais para isto de certeza…

  25. Daniel Pimenta says:

    Parece que 1,398 mil milhões de dólares de lucro não chega e ainda querem mais, principalmente em Portugal porque aqui ainda não existe o plano mais barato, aquele com publicidade. Viva Portugal!

    • Fantasma says:

      Claro que querem mais! Obviamente.
      Providenciam um serviço não essencial, estamos no meio de uma crise económica/financeira/energética sem fim à vista, há concorrência. Veremos como o mercado reage a isto. Está nas mãos dos consumidores premiar ou não esta decisão da Netflix.

      Eu sei o que vou fazer quando chegar a hora de me pedirem mais dinheiro pelo mesmo serviço. Estou curioso quanto aos resultados da empresa após esta implementação.

  26. Rufia says:

    Estão a esquecer-se de uma coisa:
    Acredito na veracidade desta notícia, mas… para que eles o façam, legalmente, são obrigados a informar o utilizador com o mínimo de 30 (acho que é mais) dias, não fazendo abilitam-se a serem processsados por “burla”…

  27. PTO says:

    “…estava já a ser cobrado um valor que rondava os 4 euros por cada utilizador que acedesse fora da morada da conta.”

    Essa é boa. Então agora não posso ir para outra parte do país em trabalho ou em férias e usar o meu acesso Netflix no meu tablet ou laptop?

    Sim posso meter conteúdos offline para levar comigo, mas se estou num sítio com internet e de repente vejo algo que quero ver e que não tenho em offline tenho de pagar mais?

    Isso é completamente absurdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.