Quantcast
PplWare Mobile

Portugal: Incitar terrorismo via internet dá 6 anos de prisão

PUB

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. a says:

    Eu não li o esse novo artigo penal mas pelo que tenho lido nos media acho um autentico ataque à liberdade das pessoas. Começando pela palavra “terrorismo”, qual é exactamente o seu significado? Pode ter uma infinidade de aplicações consuante a perspectiva e objectivos de quem olha para algo. Depois, o facto de alguem poder ser condenado por simplesmente LER um website que pode ser simplemente o wikipedia com um artigo sobre o grupo XPTO que mata sei la quem…. ou simplesmente por engano entrou num site desse a partir de um link todo manhoso…. Eu posso considerar que este ataque à liberdade de uma pessoa é mais um atentado terrorista do que outra coisa e se for para levar a lei em conta, metam estes politicos na prisão.

    • okapi says:

      Se fores ao dicionário encontras a respostas a : “INCITAR” e só por isso é que é condenável e não por ler um artigos sobre terrorismo. O Titulo ” Portugal: Incitar terrorismo via internet dá 6 anos de prisão” diz tudo.

      • a says:

        escrito neste artigo: “…quem aceder a essa informação,” interpretação: abrir um site e ler…..

        • knom says:

          pois…. ter cuidado com o que se lÊ

        • jone says:

          “quem aceder a essa informação, com o objectivo de ser recrutado poderá ser condenado a uma pena até três anos de cadeia”
          E que tal ler a frase toda? Ler apenas não é crime. A PJ terá de fazer prova que leste com esse objectivo. Isso dependerá as posições que tomares depois da leitura.

  2. a says:

    e mais… agora uma pessoa nem pode viajar para um país que possa estar em guerra porque pode correr o risco de ser visto como um terrorista… infelizmente neste momento nem tenho dedos suficiente para poder contar o numero de países em que existem guerras (com ou sem grupos terroristas) que recebem turistas, homens de negocio, ou simplesmente porque alguem lá vai ver um amigo ou assim…..

    • Dumitru says:

      e porque se chegou a este ponto? se não houvesse terroristas não era preciso de uma lei do género, mas claro ficar sempre a embirrar com tudo e com nada na internet é muito fácil! Se alguém conhecido tipo Ronaldo ou ator conhecido diz para um jornalista vai te fuder ou lhe da um soco na cara, pronto é o mau da fita e leva com todo negativismo na internet, pois claro na internet é muito fácil de se dizer tudo que se quiser! É bom ter liberdade de expressão mas quando as pessoas começam a abusar dessa liberdade então não se queixem

    • jone says:

      Outra?
      Viajar por si só nada indica nada sobre a tuas intenções. O que fizeres nesse país é que irá definir os teus objectivos .
      Escusam de vir com o bicho papão! Em Portugal há muito poucos inocentes presos.

  3. Magano says:

    Concordo com a medida, mas estou com receio do que o governo defina como terrorismo.. Ou seja, a partir de agora organizar uma manifestação contra o governo é considerado terrorismo?

    • okapi says:

      Tens uma imaginação bem viva, mas alguém alguma vez vai confundir uma manif, com terrorismo, procura saber melhor a definição . Acredita que às vezes algumas bem parecem, mas até serem consideradas de terrorismo vai uma enorme distancia.

      • int3 says:

        incentivar desordem civil pode ser visto como acto de terrorismo. devias de aprender melhor história porque hoje em dia a desculpa do terrorismo está em todo o lado para fazerem o que quiserem.

        • okapi says:

          Sim tu és um barra nisso , não passas de um convencido então quando escreves sobre a Angola como já li aqui em tempos, é com cada galga só para enganar os parolos que desconhecem sobre a historia de Angola. Não escrevi na altura mas aqui fica o reparo. E queres acreditar que uma manif pode ser um ato de terrorismo. Então a esquerdalha nesse país para ti são uns turras é que os governos de direita nunca os classificaram como tal. Já agora todas as manifs contra governos são feitas com pré aviso, logo não se pode incluir na desordem civil. Quem aqui deve aprender a interpretar alguma coisa és tu que sabes tudo, ou pensas que sabes. Mas eu não levo a mal é próprio da mentalidade tuga complexada que nunca foram nada, até que até hoje ainda pensam no D. Sebastião ou então alguns que subiram uns degraus com a abrilada. Estamos a falar de uma lei em Portugal e não na America ou noutro país qualquer. O titulo é bem claro :- Portugal: Incitar …

          • Vlad says:

            “Então a esquerdalha nesse país para ti são uns turras é que os governos de direita nunca os classificaram como tal.”

            Alguma vez ouviste falar na “União Nacional”, ou no “Estado Novo”. Era um governo de direita. As manifestações embora não fossem considerados actos de terrorismo, eram considerados actos de desordem civil, pago com cadeia e muitas vezes com a vida.

  4. ptpedropt says:

    forum errado

  5. Nuno Azevedo says:

    Nós aqui em Portugal estamos perto de grupos terroristas, a começar pelo nosso GOVERNO, onde aterroriza o povo, por essa razão deviam acabar com o governo e todos que lá estão deviam ir presos, palmas PORTUGAL lololol.

  6. Rui Martins says:

    O problema, nesta questão, reside no conceito. Invariavelmente, os “terroristas” para uns, são “heróis” para outros. Vejamos; podemos ou não considerar “terroristas”, quem sob alegações que se provaram ser falsas, invadiu o Iraque e com isso ter provocado a morte a centenas de milhar de pessoas cuja única “culpa” foi viver no sítio errado da barricada? Para quem provocou tal mortandade, essas pessoas, pais, filhos, netos, velhos e crianças, não passam de “danos colaterais”, justificáveis em nome da democracia, da liberdade, do modo de vida ocidental. Este é apenas um exemplo entre muitos, que nos devem fazer refletir. Espero que o que escrevi não sirva para ser acusado de terrorismo … 🙂

    • knom says:

      pergunta aos média eles é que alteraram o conceito de terrorista e terrorismo..
      é como o bullying hoje em dia tudo é bullying.. não podes brincar já é logo bullying, uma palavra mal entendida é logo bullying… com o terrorismo passa-se exatamente a mesma coisa.

    • R o B says:

      Tens provas do que falas ou estás apenas a incentivar o terrorismo?

  7. hsl says:

    “Any society that would give up a little liberty to gain a little security will deserve neither and lose both” – Benjamin Franklin

    O conceito “terrorismo” é subjectivo , quando se aperceberem vivem numa sociedade onde a privação da liberdade é a máxima.

  8. Benchmark do iPhone 6 says:

    “Ah e tal, não sei quê, sabe-se lá qual é a definição de terrorismo”. De facto é difícil, este fim de semana houve três definições:

    – Em França, um gajo cortou a cabeça ao patrão, espetou-ã numa grade, tirou um selfie e atirou uma viatura contra bilhas de gás comprimido e gás tóxico, que por sorte não explodiram
    – Na Tunísia, um gajo pegou numa kalashnikov e saiu a matar turistas, matou 39, feriu 36
    – No Kuweit um gajo fez-se explodir numa mesquita xiita, matou 25.

    Pois, quem facilitar ou aplaudir este tipo de coisas não me parece que deva ter liberdade de opinião e de fazer o que entende.

    • Rodolfo says:

      O problema está no possivel abuso dessa definição. “terrorismo” pode ser usado para classificar qualquer tipo de critica ao governo, por exemplo…

      • Benchmark do iPhone 6 says:

        – Mataste alguém do Governo? – é terrorismo. Por acaso uma coisa sem graça no terrorismo é que nem se esforçam por matar os do Governo, matam quaisquer inocentes que estejam mais à mão.
        – Incentivaste alguém para matar alguém do Governo ou alguém que esteja mais à mão? – é terrorismo.
        – Disseste que os do governo (este ou outro) são uns “barda-merdas” – é liberdade de expressão, que te pode trazer problemas, mas não é terrorismo.

        Acho que não há grandes dificuldades em distinguir.

        • Manuel Varatoujo says:

          Ahh matar alguém do governo é terrorismo?!? E porque fazer algo merecido àqueles fdp’s tem direito a ser terrorismo e quando matas um cidadão comum é apenas assassinato ou homicídio????
          Porque aqueles meninos são uns santinhos que nos defendem e defendem “SEMPRE” os nossos interesses e o bem estar do povo como maioria é “SEMPRE” prioridade. TERRORISTAS, BANDIDOS E LADRÕES são eles, não é o EI nem a Jihad que vem para PT roubar, matar e dissecar-nos aos poucos. O que eles nos fazem é exploração e obrigam-nos a uma escravidão “legal”, estão sufocando o povo lentamente. OS TERRORISTAS EM PORTUGAL ESTÃO NA SUA QUASE TOTALIDADE NA ASSEMBLEIA E ARREDORES!

    • Vlad says:

      E que tal adicionar isto à tua definição de terrorismo? Um exercito que entra dentro de território alheio e mata os seus habitantes aos milhares! Estilo Israel ou EUA? Ou isto já não é terrorismo?

  9. double says:

    Usando alguns comentários, se numa manif na AR tentarem subir a escadaria da mesma (a não ser que sejamos polícias) é desobediência civil, e quem está lá dentro pode sentir receio pela vida por causa de uns quantos marmanjos a subirem as escadas, logo estão a ser “atacados”. A partir daí, falarem em desobediência civil ou chamarem de terrorista é uma linha muito ténue, a verdade é que vais preso por subir escadas (já ias) agora com a agravante de te chamarem terrorista.

  10. hsl says:

    Nelson Mandela esteve na lista do terrorismo do FBI até 2008.

  11. NT says:

    Já agora onde é que anda o CS que disse que têm que ter um mandato para monitorizar os que andamos a fazer na internet?
    Ora o incitar é uma coisa(6 anos segundo o artigo) depois «… quem aceder a essa informação, com o objectivo de ser recrutado poderá ser condenado a uma pena até três anos de cadeia.» Agora como é que irão emitir um mandato para saber quem vai aceder?(Já conseguem prever o futuro?) E será que aceder a um site desses tem que ser obrigatoriamente para ser recrutado, não podemos estar apenas a ver o outro lado da ‘propaganda’?
    Mais uma vez continuamos a sacrificar a nossa privacidade e liberdade por causa de alegados ataques terroristas.
    E mais uma vez pergunto se isso é mesmo para evitar ataques terroristas, Franca já tem muitos sistemas de “vigilância” para os seus utilizadores da net como é que foram acontecer ataques? E já agora que “terrorista” é o gajo que corta a cabeça do patrão? Não estou a dizer que o pessoal da Alcaeda e/ou regime talibã estejam certos, porém não estou a ver eles a fazer isso… E já agora qual é mesmo o resultado final da investigação do acontecimento que fez arrancar a guerra ao terrorismo (9/11)? As torres caíram em queda livre por causa do peso? Foram acusados terroristas que ainda hoje estão vivos (depois de terem espetado um avião contra um prédio) e que nada tiveram a haver com o caso…
    Sejamos mais críticos quando nos enfiam com estas coisas e dizem que é para o nosso bem…

  12. R o B says:

    Vocês começam a divagar no significado de terrorismo e a presente lei diz o seguinte:

    Lei 58/2015, de 23 de Junho
    Sumário

    Vigésima terceira alteração ao Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de fevereiro, atualizando a definição de terrorismo

    i) «Terrorismo» as condutas que integram os crimes de organizações terroristas, terrorismo, terrorismo internacional e financiamento do terrorismo;

    j) …

    • Anarca says:

      Novamente, “organizações terroristas, terrorismo, terrorismo” está aberta à interpretação. A constituição e leis têm sempre interpretações não objectivas. Vê-se isso nos IEFPs e afins em que cada um interpreta as leis à sua maneira.

  13. Fernando says:

    Acho correto. Se bem que isso só não chegará para reduzir esse “problema”. Acontece que isso ao que parece é mais uma “ideia”. Tal como muitas outras, isto é uma crença dessas pessoas. Haveria de ser feito alguma espécie de contra-informação, de preferência que ataque na juventude, para os incentivar a não seguir esses caminhos. Porque medidas “pesadas” como “ameaças” de prisão e afins, só irá tornar a “ideia” mais real. Basta ver nas noticias, sempre que existe alguma operação da NATO/USA no terreno, existem dezenas de atentados da parte deles.

  14. NT says:

    Já agora uma pequena achega… Se investissem menos em “medidas de segurança” e em armamento/tropas e mais em pessoal que fosse falar, educar e debater se calhar não tínhamos problemas de terrorismo (é facto que grupo extremistas é quase impossível convencer do contrário).
    Por exemplo o caso lá do jornal francês, acusam de atos terroristas quando alguém já farto de ser ofendido (na sua religião) e após vários pedidos para ‘acabarem’ com as referências à sua religião ter entrado por ali adentro e matado elementos do jornal. Porém não é considerado terrorismo que pessoas que seguem a sua religião (e o profeta…) terem que ‘levar’ com piadas difamatórias todo o santo dia contra tudo o que acreditam. Se queremos que sejam tolerantes quanto ao nosso modo de viver(digamos o Europeu e/ou americano) também nos teremos que ser tolerantes. Não chega dizer que temos liberdade de expressão quando depois não deixamos os outros ‘presos’ às nossas ideias.

    P.S. Acho que matar não é a solução! Tentem entender como eles funcionam e aprendam a viver com isso! Acho que ninguém gosta que digam que a sua religião, marca, clube desportivo etc. seja difamado. E já agora o pessoal das claques que se meta a jeito pois estão incluídos nos atos de terrorismo quando (por um ou dois elementos) desatam à porrada e a arremessar objetos e rebentar ‘petardos’ contra outras pessoas.

  15. dajosova says:

    Vá pessoal… a sério. Ponham uma bomba no Parlamento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.