Quantcast
PplWare Mobile

Isenção de IVA para compras fora da UE até 22 euros acaba a 1 de julho

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Bruno says:

    Bom dia, não percebi muito bem o artigo. No caso das Gearbest, Aliexpress e afins, caso se encomende algum artigo com valor inferior a 22€ já se vai ter que pagar na alfandega o IVA é isso? Se assim é, como é que o comprador realiza esta operação? Obrigado.

  2. Elektro says:

    Mas que belo país, até por umas mascaras tive de pagar alfandega + Serviços CTT 😀

    • rm says:

      claro, passaste dos 22€ pagas, qual é a novidade?

      • SSD says:

        A novidade é que devemos ser o único país da UE que complica tanto e taxa tanto, Espanha deve ganhar balurdios com as entregas que tem á nossa pala

        • Motor says:

          as taxas alfandegárias e as regras de cobrança são definidas para toda a União Europeia.

          • SSD says:

            Pah não tenho a certeza sobre isso mas duvido muito. Se fosse assim não havia as priority lines que existem em sites como a gearbest e que fazem as encomendas parar em Espanha ou na republica checa antes de irem para países com mais taxa

          • Motor says:

            Não há nada para duvidar, é um dos fundamentos da União Europeia, uniformização das questões aduaneiras.
            Se existem armazéns nalguns países é para arranjar forma de reduzir custos por envio em “bulk” ou stocks locais – parte dos custos aduaneiros são fixos (com mais carga despachada ao mesmo tempo o custo é diluído). Não é porque as taxas aduaneiras são mais baixas.
            Pelo meio devem também existir esquemas para fugir ao IVA – uma das razões para algumas das mudanças que a UE está a introduzir. E também temos que ser francos, os serviços aduaneiros dos diferentes países não têm todos a mesma eficiência ou rigor, apesar das regras serem as mesmas.

          • Paulo Sobral says:

            Os direitos são os mesmos na UE, quanto ao resto, cada País decide as taxas e taxinhas que querem impor.
            Em Portugal se bem me lembro o valor tributavél de uma mercadoria é Valor do Bem + Transporte + Optativas + Direitos + IVA , e claro que adicionar o valor do trabalho do despachante que foi utilizado no transporte. O que para uma compra de 20.00 EUR vai deixar de ser um processo vantajoso.
            Quando a mim ganha a Europa com esta medida, nada como comprar local.

          • WhiskasSaquetas says:

            Quote “Motor 27 de Abril de 2021 às 11:57
            as taxas alfandegárias e as regras de cobrança são definidas para toda a União Europeia.”

            Eu envio coisas dos EUA para casa do meu primo em França de valores na ordem dos 200 … 400 e até mesmo 800€ e até hoje nunca paguei qualquer taxa!!!!!
            Portugal é um paraíso de impostos …..

    • ElConquistador says:

      Não te esqueças que tudo que é muito barato e tal comprar na china, onde não são respeitados direitos humanos, super poluentes, não pagam metade dos impostos que aqui pagamos, depois é tudo barato e tu vais comprar, estas a mandar dinheiro para fora da UE, a concordar com uma concorrência desleal que empobrece a UE e depois vais andar a chorar ai e tal ganhamos mal, ordenados baixos…
      Se compactuares com este mercado, o nosso para poder competir tem que se ajustas a ele, trabalhar nas mesmas condições.

      • jo says:

        Vais ver os vendedores na europa, não passam de resellers desses produtos chineses. Diferença é o armazem.

      • miguel says:

        lol oh elconquistador, comprando na Europa veio do mesmo local (china) e os direitos humanos não são respeitados enches é mais os bolsos dos políticos nada mais…

      • oiiiii says:

        e poder económico da nossa parte para comprarmos por cá?
        Teria todo o gosto em comprar só produtos produzidos em Portugal/UE, mas se um produto que cá custa 20€ e na china 5€ é uma diferença de 15€. infelizmente para muitos portugueses 15€ já começa a ser dinheiro que faz toda a diferença no final do mês…

      • Tiago says:

        E quem é que fez a deslocalização de grande parte da produção para a China ?! os europeus com certeza para aliviarem politicamente a pressão sobre as alteraçoes climáticas e entrarem alguns no mega mercado da China ! Estes impostos não são mais que uma reação de protecionismo a esse mercado. Já vão tarde !

      • Helder Gomes says:

        Nao China nao sao respeitados diretios humanos…lol ate parece que em portugal sao….

      • Deivid Araujo says:

        Procure validar a etiqueta do Mouse e teclado que esta a utilizar para redigir tua resposta, provavelmente compraste cá e foi feito na china.

        A diferença é que podes pagar 60 euros cá enquanto encontras o mesmo no Aliexpress e se calhar ainda em armazem europeu por pelo menos 10% a menos que o valor.

        Só não compactua quem não tem se quer 1 produto chines a casa (e duvido muito que qualquer um cá não tenha)

  3. Luis says:

    Mas o Socrates é na boa lol

  4. Sergio says:

    Não me importo pagar o IVA, desde que seja só 23%?
    Certamente se comprar algo por 1€ ,o estado vai cobrar mais do que 0.23€.

    O ano passado comprei um aparelho no aliexpress, na altura não encontrava nada disso por aqui, custou 33€.
    Parou na alfandega, mandei comprovativo, link página, etc….
    Cobraram-me 22€, isso representa uma taxa de 66% !

    É claro que ao cobrar taxa enormes, vai obrigar aos malabarismo das mercadorias pararem 1º num país da CE.

    • tuga esperto says:

      o que pagou por esse “aparelho” não foi apenas o iva … o valor cobrado incluí a taxa de desalfandegamento (isto é, o trabalho dos ctt ou de outra empresa) …

      • Sergio says:

        Então, ao encomendar um produto fora da UE, como fazermos para pagar só o IVA ? sem taxa de desalfandegamento?

        • Motor says:

          Por que é que haverias de pagar apenas IVA dum bem importado de fora da UE?

          • Sergio says:

            Por que é que haverias de pagar mais do que o IVA?

          • Motor says:

            Porque estás a importar doutro país com outras regras, e outras políticas económicas que afectam preços dos produtos que vende, e que também aplica taxas a produtos importados de Portugal.

          • Miguel Nóbrega says:

            Porque não preciso que eles desalfandeguem 😀

          • Sergio says:

            Pelo o que estás a dizer, por exemplo a Worten pagou mais do que 23% de taxas aos estado ao comprar telemóveis Samsung?

          • Motor says:

            Sergio, assumindo o teu exemplo (esquecendo que é a Samsung que importa através duma subsidiária ou distribuidor local), uma empresa que importa tem sempre que pagar taxas alfandegárias.
            O IVA é outra questão à parte, já que o IVA não é suposto incidir sobre bens para revenda, de modo que empresas que importam podem receber o IVA de volta. O IVA só deve ser pago pelo consumidor final.

        • RM says:

          O ideal seria pagar logo na origem, assim as encomendas chegavam mais depressa, sem ter que passar na alfândega.

          • AS says:

            Pois. O problema é que se for um bem com IVA dedutível. Se comprares um bem chinês, a China recebe o “IVA” desse produto e Portugal tem que “entregar” esse IVA a quem comprou.
            Até se pensa em acabar com a isenção de IVA nas vendas dentro da UE.

    • Motor says:

      todos os países da União Europeia cobram taxas alfandegárias e IVA. Os malabarismos dos armazéns é porque se reduz o peso das taxas alfandegárias quando empresas de importação adquirem bens em grandes quantidades… imagino que também se aproveitem para fazer algumas falcatruas nos pagamentos de IVA, como já se constatou nalguns casos!

    • SSD says:

      Vais pagar mais porque vais pagar logo os 12€ pela abertura do processo

    • PauloT says:

      O problema foi mesmo esse, … quando nao existe cá, a alfandega utiliza uma tabela comparativa para saber o preço real do bem em portugal, se o bem em portugal custa 55 euros e tu compras-te por 33 euros, iras pagar a diferenca, o que leva a que apartir da alteração da lei e melhor validar a diferença de preços, para saber se a taxa a pagar compensa. 🙂 … a alternativa e comprar um bem e na caixa/fatura escrever a referencia de outro que em portugal o valor seja identico ao do comprado via web.

  5. miguel says:

    Eu não me importo de pagar o iva na alfandega, o problema é o costume.
    – Burocracia (mais tempo a encomenda a chegar), muitas das vezes so para tratar desta treta são 2 semanas.
    – Muita das vezes ignoram o valor original e metem idênticos em Portugal, quando na realidade só custou metade do que metem no valor.

    • Motor says:

      O problema é que há muita fraude nos valores declarados para as encomendas! Já devem ter aprendido a lição…

      • Miguel says:

        Fraude comentem eles na alfandega ao atribuir preços elevados a belo prazer apenas para extorquirem mais dinheiro ás pessoas.
        Quem depois não quer devido ao alto preço de impostos e taxas eles agradecem pois ficam com prendas para o natal.

        • Motor says:

          pelos vistos não é a belo prazer já que dizes terem preços de referência em Portugal. E o facto é que há muita fraude nos valores declarados, com a conivência de quem compra.

    • RM says:

      Ignoram o valor original ?
      Mas não podem ignorar o valor que está na prova de compra, pois não ?
      Afinal, o que conta é o valor que se pagou e não o que está declarado nas encomendas.

      • Joao Ptt says:

        O que conta é o que efectivamente pagou… mas não tem como provar tal, primeiro porque nem sabe a que se referem quando lhe pedem comprovativos, e depois mesmo que saiba, como vai comprovar quanto pagou se nenhuma desses mercados virtuais emitem documentos assinados digitalmente, e nem os bancos e outros intermediários de pagamento emitem tais documentos assinados digitalmente… como vai a alfândega acreditar nos valores declarados? Impossível. Se fosse agente alfandegário, não teria como acreditar em capturas de ecrã, já que podem ser facilmente editados… talvez acreditasse em serviços como icanprove.de, mas de resto é muito difícil.

  6. B@rão Vermelho says:

    Mais uma vez olham para a árvore e não para a floresta, o que vai acontecer é a “China” vai arranjar um parceiro fora da UE, mas com acordos as descargas vão ser feitas nesses países, e as taxas passam a ser cobradas nesses mesmos países, a UE vai perder a receita das descargas em troca de meros cêntimos do iva, quando fazem as contas é sempre a pensar que do outro lado vai ficar tudo como está.
    Vejam o casa da Ilha da Madeira, na altura o Paços Coelho fez as contas e ia cobrar mais milhões de € com o fim da zona franca, resultado, as empresas foram embora e acabou por arrecadar muito menos menos.

    • Motor says:

      ??? Se o país é fora da União Europeia continuam a estar obrigados a passar pela alfândega e a pagar taxas para entrar na União Europeia. Os acordos com países terceiros que há não elimina isso

      • Ad9 says:

        Eu diria que fraude é os 12€ que pedem para iniciar o processo e esses 12 serem juntados ao iva final que vai ter que se pagar.
        Eu nem me importava de pagar uma taxa pelo transporte da mercadoria agora 12€ dá para encomendar uma encomendas á minha avó no outro lado do país

        • Motor says:

          E quem é que vai pagar o trabalho da alfândega e as inspeções? O resto do povo?

          • Ad9 says:

            E achas que já não pagas?? Ou são os meus 12€/anuais (já evito mandar vir de fora) que resolvem a situação toda? A menos que ganhem o suficiente através das empresas não é o que cobram ao Zé Povinho que compensa. Tal como disse não discorde que se pague alguma coisa (embora já esteja a chumbar o iva mas pronto), agora esse valor devia ser variável conforme o trabalho e a despesa de deslocação. Na maior parte das vezes se não for no próprio dia, no dia a seguir já tenho toda a documentação enviada, se existe uma demora por parte deles, eu não tenho pagar uma taxa por eles não terem pessoal suficiente ou porque o produto teve de ficar no armazém ou que seja.

      • Carlos Fernandes says:

        acho que a noruega tem acordo comercial.

    • PauloT says:

      … por vezes não compreendo porque e que a malta queixa-se de pagar uns centimos no iva da encomenda!? … porque não se queixa das estradas, das pontes da ida ao hospital publico fazer uma operação de 3000€ e so pagar no máximo 400€? Eu cá prefiro pagar taxas pequenas aqui e acolá e ir ao hospital e pagar só 400€ e ter uma ponta para passar o rio tejo. 😀

      • Zé dos Azeites says:

        Não é um centimos de iva, se agora depois desta desta fores comprar algo no alixexpress de 1€ vais pagar o IVA + 12€ para o processo de desenfalgamento.

      • Patanisca says:

        O problema não são os cêntimos do IVA, mas o total juntando a esses cêntimos os 12€ de impostos alfandegários + IS.

  7. Miguel says:

    Vamos começar a ver armazéns massivos (tipo aqueles de roupa no porto alto que não pagam impostos) por toda a europa.

  8. Ze says:

    Cada vez somos mais espremidos, enquanto tiver sumo é sempre a espremer.

  9. Arl says:

    Quem vai pagar o iva somos sempre nós, quem o entrega ao estado vão ser as plataformas mas Para isso elas têm que se registrar na ue. Se não o fizerem e fizermos lá compras corremos o risco de pagar não só o iva como as taxas de desalfandegamento e para valores acima de 150€, taxas de importação.
    Quem compra na Amazon está habituado a que o preço mude um pouco no final pois eles anunciam o preço com o iva do país. Quando dizemos que a entrega é em Portugal eles fazem o acerto do IVA pois em Espanha, França e Alemanha, o IVA é mais baixo. 16% na Alemanha.

  10. CPU Lord says:

    Veio complicar bastante a vida a quem manda vir, do eBay e similares, componentes básicos de electrónica. Resistências, transistores e afins são infinitamente mais baratos lá. Pelo preço de 1 transistor cá compras 10 no eBay vindo da China (exatamente o mesmo Id e inclui portes grátis). Enfim é bom para lixar os hobbyists e outros use cases. Mais burocracia para cima, horrível.
    Uma estupidez de lei.

    Escrito por um CPU ARM.

  11. FP says:

    sempre que vejo um politico vejo um ladrão…. bolas lá estou eu com o meu mau feitio…. vou mas é aproveitar e comprar mais btc enquanto não é taxado. buy the dip

  12. zeze says:

    Ainda estou para descobrir a tabela que indica especificadamente o valor a cobrar por um determinado artigo, por exemplo: parafusos, vao cobrar o que ao certo? metal? peso dos parafusos? é impossível enquadrar parafusos numa determinada tabela e definir um valor taxativo á mesma. parafusos podem ser para construcao, eletrónica, arte, etc, isto é uma autentica panelei.. para assaltar o contribuinte, que realmente muitas vezes nao contribui e faculta comprovativos de pagamento editados de modo a nao ser taxado, no entanto acho esta medida realmente drástica. Nem o brasil taxa todas as encomendas..

  13. Ola says:

    A única coisa boa que vejo é que após a nova lei a alfandega não vai conseguir tratar de todos os pacotes e por esse motivo menor vai ser a probabilidade de um produto cair na alfandega.
    Portanto para quem já costuma arriscar acima dos 22€…

  14. sergio miguel says:

    Eu já pressentia isto. Devido à Pandemia o comércio online aumento, agora os governos todos Europeus querem criar mais taxas e lucrar $$$.
    Isto vai trazer milhões de euros em novos impostos e quem se lixa é o pequeno cidadão (pois os corruptos que desviam milhões nunca são punidos).
    Quem tiver que pagar alojamento web de um site, ou encomendar um livro na amazon, já vai pagar impostos extra certamente (além do que já pagamos actualmente que eles nos cobram, o VAT: value added tax, que é o IVA estrangeiro).

  15. Atento says:

    A verdadeira razão é a operacionalidade da nova «rota da seda» que já estava a conseguir entregas em volume e tempo que estavam a desequilibrar, ainda mais, a já desequilibrada balança comercial com a Ásia … a pandemia apenas acelerou a implementação da medida (que até já estava prevista para Jan 2021).
    Acredito que isto vai potenciar o comércio interno na UE.

  16. D.A says:

    Lá vai o meu modelo no Paint deixar de funcionar. Até agora era só editar as faturar para menos de 22 eur, e voilá. Já cá cantava. Até um tablet 19.99 já passou.
    Vamos lá orientar outra falcatrua. Ladrão que rouba ladrão… 😉

  17. DL says:

    Dúvida: comprei no AliExpress um produto que tinha o preço de de €23 mas tinha um cupão de €1,5 de desconto pelo que só paguei no total €21,5 pela compra. Os portes fora gratuitos.

    Vou ter problemas com a alfândega? Se me vierem com conversas tenho os comprovativos que só paguei €21,5 tanto pela página do AliExpress onde está detalhado o preço, descontoz e portes gratuitos e também o comprovativo de pagamento pelo banco mas prevalece o que paguei no total ou o valor original do produto sem desconto?

    Ainda escrevi ao chinês para quando enviasse a encomenda referir que foi apenas €21,5 que eu paguei mas pela resposta que recebi deles (2 smiles) parece que nem sabiam o que escrevi.

    • D.a says:

      Pelo sim pelo nao. Se parar na alfandega, vais aqui https://www.sejda.com/pt/pdf-editor e editas as faturas. Mete 19 eur que ninguem te diz nada, e assim ficas garantido.

      • Ola says:

        Claro assim somos

      • Ola says:

        Claro assim somos todos criminosos

        • D.a says:

          Criminoso?! Quem es tu p m chamar de criminoso pah?!
          Crime é os chulos dos ctt e da alfandega levarem taxas de 20 eur p desalfandegar um misero produto de 22 eur. Pagas 1 eur de iva, e mais 20 de taxa. Pra que, para pagar o tempo que o produto leva a retido, esquecido numa prateleira 2 semanas. Sim, esquecido, porque ja entrei la dentro e vi como fica o correio que vem de fora.
          Mas pronto, se és rico, ou politico, ou tens um tacho no governo, paga que podes! Agora nao me venhas chamar criminoso.

          • Ola says:

            Uma coisa é o que está mal na alfandega e nos CTT. Tens meios legais para reclamar. Agora adulterar documentos e entregar faturas falsas, e ainda por cima incentivar os outros a fazê-lo é crime punível na lei.

        • D.a says:

          Crime é roubar e matar. Ladroes e drogados é o que mais há prai e tasse tudo a cagar p eles.
          Pagar 20 eur pouco a pouco a alfandega, so para encher os bolsos a corruptos do governo, desculpa mas nao! Dá imensa comida p por na mesa!

          • Ola says:

            É a lei que dita o que é crime ou não. Não és menos criminoso quando adulteras documentos e ainda por cima incentivas os outros a fazer o mesmo. Vai dormir sobre o assunto.

  18. Luis Lopes says:

    Bom era:
    Se compra FORA tem de: PAGAR AGECOP / TAXAS SILIAM, ELECTRAO/PONTO VERDE, e DECLARAÇÕES A IGAC isso que era de valor e de TUGA. Devia o pplware por bom informador que é criar uma notícia sobre isso.
    A lei diz que: o primeiro importador tem de declarar tudo isso obrigatóriamente se for empresa, se o tuga do estado quiser trabalhar bem era aplicar isso a particulares e já terão dinheiro nos cofres. Fazer as leis e não as aplicar para que continuo a pagar se a loja da esquina não paga as taxas e fico fulo mas como até o conheço não me vou xibar. Há que fiscais andarem. Vão ver o errado chegam a lojas escondem tudo.
    Devem:
    Ver faturas nos contabilistas, tem uma fatura ES, FR, pagou as taxas? não pumba já foste. Parece que temos de insinar os fiscais a trabalhar. Não dou mais dicas as coisas estão na lei

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.