Quantcast
PplWare Mobile

DNS4EU: União Europeia vai criar o seu serviço de DNS público para não depender dos EUA

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Digo Eu says:

    A ideia é boa. Mas se for estragada pela aplicação de “censura”, bloqueios, e tentativas de condicionamento de navegação, rapidamente se volta aos DNS da Google, cloudflare, etc, e é mais uma boa ideia que vai para o lixo.

    • Antonio says:

      Pois, o problema é a falta de visão.
      Têm uma ideia que nem custa ass tanto a implementar, mas vão minar aquilo com bloqueios e censuras, e os americanos, que são os grandes “prejudicados” com a chamada pirataria de conteúdos, esses continuam a permitir serviços de DNS sem censura, ou seja, a união europeia a fazer-se de mais papista que o papa.
      É pena, porque o xeque mate na Google e noutras empresas americanas começava exactamente nisto, porque quem controla servidos de DNS controla a internet, e a Google obviamente, como mais algumas empresas americanas, não andam a dormir e já asseguraram o controlo dos serviços de DNS.

    • Gustavo Bastos says:

      Volta antes para o OpenNIC ( https://www.opennic.org/ ), é descentralizado, não tem censura, tem mais Top-Level-Domains, …

      Quase tudo tem alternativa, a malta é que gosta de fazer o as “grandes corporações” lhes dá de “borla”

      • Mike says:

        E o OpenNIC è apenas uma alternativa…
        Quanto ao último parágrafo, é muito por aí. “Borla” não è. Acho que o termo correto è “a troco de…” mas por ser mais fácil, ou toda a gente usa, ou… seja lá qual for o motivo (por vezes válido até, mas…) è para onde o pessoal gravita. Óbvio que não podemos condenar falta de conhecimento

      • Joao Ptt says:

        Não confio nessa listagem, já testei vários dns’s daí e tive de desistir, e não é nada fiável infelizmente.
        DNS’s parece coisa fácil, mas já testei literalmente dezenas de servidores, e a verdade é que a fiabilidade é algo que não pode ser tomado por garantido de todo.
        Google, Cloudflare, CZ.NIC (é europeu), são dos poucos que existem há anos que tenho verificado serem os mais estáveis. Antigamente os da Verisign também eram estáveis, mas agora é a Neustar quem os gere e não sei se mantêm o serviço estável (em teoria têm experiência, pelo que talvez consigam manter um bom serviço).
        Claro que a UE ter um serviço de DNS para o público é o mesmo que dizer que vai ter tudo e mais alguma coisa bloqueado… é da natureza dos políticos, tudo o que não gostamos: no mínimo bloqueamos se não for possível fazer mais nada.
        Claro que nada impede o DNS4EU ter uma lei europeia que o protege de censura, e depois ter vários níveis de serviços desde o sem qualquer filtro a vários níveis de filtragem para que cada pessoa/ instituição escolha o nível de serviço apropriado à sua situação, à semelhança do que fazem algumas empresas privadas (umas gratuitamente e outras a cobrar… e provavelmente todas a monitorizar a utilização e quem sabe a vender a informação sabe-se lá para quem).

    • opah says:

      +1

      O problema é colocar estas decisões nas mãos de velhos do restelo que só usam a internet para o fb e afins.

  2. Pedro L. says:

    Está-se mesmo a ver que a tentação de censurar se vai sobrepor . De qqr modo fica mais uma escolha.

  3. Redin says:

    Desde que não se torne obrigatória, venha ela. Alternativas de escolha são o cerne de liberdade e democracia.

  4. Mamba says:

    já estou a ver a malta que é contra a neutralidade da internet a salivar.

  5. Mais1ComentarioCensurado says:

    Ideia mais estupid@ vai se gastar 14 milhões de euros dos contribuinte europeus, para criar um serviço que já existe, e que são as empresas que têm o interesse de servir.

    A europa está cada vez mais xuxialista, gastar dinheiro onde não faz sentido, e o pior é só para controlar os europeus e aplicar restrições e sanções.

  6. Tonheco says:

    A seguir ao EllaLink (cabo submarino PT-BR para o tráfego EU-AMERICA não passar pelos EUA) este é o passo a seguir para a independência da UE.
    Mas sendo a UE o “moralista” mundial e sedenta de censura politicamente correcta, preparem-se para o que aí vem.

  7. Não digo says:

    Ninguém é obrigado a usar DNS da EU. Não sei qual é o problema, quem quer usa quem não quer não usa.

    • Sardinha Enlatada says:

      Por enquanto. Recordo que ha evolucao das coisas. O primeiro passo e alternativa, os proximos passos sao limitacoes. As coisas estao sempre a mudar. Toda a gente sabe disso. Hoje distribuem bombons e rebucados, amanha so tens direito a pastilhas elasticas.

      • AlexS says:

        Precisamente, o objectivo é sempre o controlo. outro significado da palavra controlo é poder. E quando a política manda não podes dizer mal dela.

  8. Pedro says:

    Quem quer alguma privacidade poderão usar os DNS da nextdns que é gratuito.
    É possível analisar a percentagem de bloqueios de todas as consultas.
    Chega a passar dos 50%.
    Não é de estranhar que a Google seja a mais bloqueada.

    • fisgas says:

      Amigo, tu ja viste a lista de dominios que este serviço que tu falas tem como dominios a bloquear?
      O co-fundador é um ex Netflix… pois, é isso.
      Para quem realmente quer ter acesso a tudo o que for possivel na internet, usa OpenNIC, como foi dito acima. Obviamente que quem tem crianças não pode usar a versão totalmente livre, mas isso é outro assunto.

    • fisgas says:

      Já agora, como serviço, obviamente que quem quer um filtro, é uma opçao totalmente valida, e tem como factor positivo o de ter disponivel muita coisa na sua conta github.
      Portanto, para conteudos que são de alguma forma censurados/bloqueados, este serviço não serve, mas como filtro, por exemplo, para a navegação em computadores de crianças, é uma opção valida.
      Outra coisa interessante é que, com algum trabalho, num sistema operativo Unix like (Linux, ***BSD, macOS, etc), é possivel usar as mesmas listas disponiveis online, e ter o nosso computador a usar qualquer serviço de DNS e bloquear os mesmos dominos das listas.
      Isto é só uma ideia claro, mas obviamente que não serve para a esmagadora maioria dos utilizadores que basicamente usam o seu aparelho de forma recreativa apenas e com ausencia de conhecimentos mais tecnicos.

  9. Manuel says:

    Não tarda que vão obrigar os ISP a utilizarem servidores DNS da UE. Routers vendidos na UE vão ter os DNS da UE como padrão sem poder alterar. Esperem que é isto que vai acontecer.. tudo em prol da “segurança” dos cidadãos europeus.

    • Joao Ptt says:

      Isso não vai acontecer. O que poderá acontecer é os fabricantes incluírem uma listagem onde de fábrica tem essas opções.
      Quem gosta de obrigar a utilizar certos DNS’s são os operadores. Na MEO não deixam utilizar DNS externos no modem deles (pode acrescentar, mas os deles têm sempre prioridade), a pessoa só pode utilizar endereços externos como prioritários se utilizar outro router ou configurar os seus equipamentos manualmente.

      • Pedro F. says:

        Não acho sequer errado a meo só permitir o dns deles no modem deles. Assim como também só permitem a internet deles…
        Isso não te impede de usar um dns à tua escolha ou até não usar nenhum dns e usar antes um dns recursivo teu…

    • Eu says:

      Haverá sempre quem possa colocar manualmente nas opções DNS das placas endereços personalizados sendo que os que estiverem nos routers ficam sem efeito.

  10. azeitetugalia says:

    Se vai ser como eles dizem não vejo problema. DNS-over-TLS (DoT) or DNS-over-HTTPS. DNS encriptado é sempre bem vindo. Coisa que os vossos ISPs não fazem. Alem disso a UE tem apostado bastante na segurança informatica inclusivé fazem auditorias a software opensource. Quanto a possiveis bloqueios h+a sempre maneira de desbloquear não vejo problemas. Tá tudo aqui com areia na greta, não mudasteis o DNS po cloudflare? Então os outros também podem… Eu até sou apologista da criação duma intranet Europeia. Era meio caminho andado para acabar com hacks de Russos, Norte Coreanos, Chineses, Americanos, e afins, que passam a vida a hackar tudo e mais alguma coisa sem repercursões.

  11. André says:

    Se avançar como o projecto Galileu (o “GPS” Europeu)…

  12. Pedro F. says:

    Se fosse possível ter em casa algum aparelho que custasse menos de 1 mensalidade do serviço de internet e que gastasse menos de 10€/ano de electricidade e deixássemos de precisar dos dns de terceiros era tão fixe…
    Ah, lembrei-me agora que um raspberry pi com pi-hole e unbound satisfazem os requisitos e ainda eliminam maior parte da publicidade, serviços de rastreio e sites suspeitos e maliciosos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.