Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Tem mais de 45 anos? Agende já a sua vacina

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. PORTUGAL says:

    Não tenho.

  2. Test User says:

    Correu mal, deu erros durante grande parte do dia. Vi as noticias, fui verificar e apanhei a reiniciarem o servidor.

    Pelos vistos têm de alterar várias coisas, não é só alterar a idade. O processo ainda não esta afinado.

    https ://tvi24.iol.pt/sociedade/vacinacao/erro-no-site-autoagendamento-para-pessoas-com-mais-de-45-anos-ainda-nao-esta-disponivel

    https ://www.noticiasaominuto.com/pais/1768702/apos-erro-no-arranque-auto-agendamento-para-mais-de-45-comeca-esta-tarde

  3. DataSmurf says:

    A vacina meningocócica protege o indivíduo da bactéria Neisseria meningitidis (meningococo) que provoca a meningite e protege evitando a infeção e a sua consequente transmissão, a vacina contra a tosse convulsa que é uma doença infecciosa causada pela bactéria Bordetella pertussis, protege o indivíduo dessa mesma bactéria evitando a infeção e a sua consequente transmissão, a vacina da gripe protege o indivíduo das variantes do vírus da gripe que foram adicionadas à vacina desse ano, e evita a infeção e a consequente transmissão dessas variantes do vírus da gripe, e assim por diante, este é o objetivo duma vacina. Ora a “vacina” da covid-19 não evita a infeção do coronavírus e por conseguinte também não evita a sua transmissão, funcionando apenas como um supressor de sintomas no indivíduo que foi imunizado, então porque razão continuamos a chamá-la de vacina? E pior, é uma cena experimental!! Muitos dos seus efeitos a curto, médio e longo prazo são ainda desconhecidos. E vários especialistas, todos eles ridicularizados ou censurados pelos media mainstream, já vieram afirmar que é um tremendo erro estar a vacinar a população mundial durante uma pandemia, quando o vírus está mais activo entre a população, e ainda para mais com uma não “vacina” que não evita a infecção e deixa espaço para que o vírus sofra mutações mais perigosas, pois encontra as condições ideais para sofrer essas mutações, e poder à mesma continuar a infectar outros indivíduos, podendo até pôr em risco a própria humanidade, pois estamos a criar as condições para criar um super vírus que precisa de poucas horas para se replicar/reproduzir e não existe laboratório no mundo que consiga acompanhar em tempo útil essas mutações! É por essa razão que as autoridades estão tão relutantes em desconfinar e em facilitar o não uso de máscara, mesmo a pessoas já vacinadas. O certificado digital é uma dessas cenas que vai ter uma vida muito curta, em meu entender, quando se começar a aperceber, se é que já não o sabem, de que algumas variantes já se tornaram imunes às vacinas que estão a ser administradas às populações.

    • Pouco anónimo says:

      Eu já tive oportunidade de dizer isso mesmo em comentários anteriores. Não estamos perante uma vacina até porque NUNCA ninguém isolou o SARS-CoV-2 até ao momento. É uma “vacina” que se baseia única e simplesmente na produção da proteína spike. Para atingir esse fim, umas usam o adenovírus (vírus que provoca a gripe nos macacos) e outras o mRNA . O problema da dita “vacinação” em massa e em plena pandemia é que, como o vírus está em constante mutação, corremos um risco extremamente elevado de surgir uma variante que leve a que a dita “vacina” seja ineficaz. Na verdade, parece que os que tomaram a vacina baseada em mRNA depois não podem ser dadores de sangue porque, ao que tudo indica, o sistema imunitário de quem a tomou fica comprometido. Cada um faz o que entender, mas é importante referir que os que a tomaram depois não pressionem quem a recusou. É que enquanto sonhava li algures que o objetivo deles é vacinar pelo menos 50% da população mundial e que depois esses 50% seriam suficientes para pressionar quem recusou a tomá-la. Apenas deixo aqui uma nota: se as coisas correrem mal a médio e longo prazo vai ser bonito.

    • Joao Ptt says:

      É realmente intrigante… não previne a pessoa de ficar contaminada com o vírus e desenvolver a doença, nem de a passar aos outros, seja a versão original seja uma modificação ocorrida dentro de si.

      No fundo o objectivo é tentar que o corpo reconheça o vírus e que não fique em tão mau estado que tenha de ir para as urgências para não morrer.

      Do ponto de vista do estado faz sentido, só por dizer que não resolve o problema em si, apenas o disfarça um pouco, um pouco como os medicamentos para quem já está com a gripe… não cura nada mas faz com que a pessoa passe menos mal aqueles +/- 7 dias.

      Vale lembrar que a maioria das pessoas que apanhou o vírus passou um pouco mal e depois recuperou, mas enfim, dizem que quem toma a vacina tem maiores probabilidades de recuperar sem passar tão mal, pelo que pelo menos pessoas de risco poderão de facto beneficiar… mas daí a ser “a” solução ainda vai uma distância.

  4. antonio duarte says:

    Tem menos de 60 anos e querem se vacinar????…força eu apoio….eu levo vos ao centro de vacinação…eu cuido de voces caso tenham algum efeito normal de pós-vacinação (dores e febre ligeira).
    mas …..por favor…..parem de impingir as vacinas a quem não as quer tomar !!!!!!

    • Eu mesmo says:

      Olá António, em que país é que estão a impingir a vacinação a quem não a quer? Por mim podem não ser vacinados. E, também por mim, não deveriam ter direito a tratamento no SNS no caso de infecção de Covid 19. O SNS não deveria dar assistência a quem não tem vontade de se proteger.

      • Rui Cordeiro says:

        Pela mesma linha de pensamento os alcoólicos, os fumadores, os diabéticos, os doentes oncológicos não teriam direito a tratamento. Quem paga impostos tem direito ao tratamento. Leia a constituição da República e deixe de mostrar a sua ignorância.

        • Pouco anónimo says:

          Excelente comentário, mas olhe que é por aí que vão pressionar quem recusa a vacina.

        • LR says:

          Em relação a diabaticos e doentes oncológicos, nada a dizer, estamos totalmente de acordo.
          Agora, em relação a fumadores e alcoólicos, a coisa já muda um pouco de figura. Será que todos os que fumam, e não param, não poderão ser equiparados aos que se recusam a tomar a vacina? Eu fumei durante muitos anos, mas chegou a um ponto em que decidi que era a altura de parar, e prezar mais a minha saúde, e a dos que me rodeiam. Não será a vacina a mesma coisa? Alguém que decide se proteger e proteger os que o rodeiam?
          É que, enquanto nestes dois casos, podemos até argumentar que muitas vezes as pessoas não conseguem parar (pelo vicio e dependência), não creio que haja vicio ou dependência que leve pessoas a participar em ajuntamentos ou não cumprir as regras de contenção.

        • Hugo says:

          Depois de uma comparação falhada a resposta “Excelente comentário” diz muito sobre a inteligência de alguns leitores

      • Sardinha Enlatada says:

        Indirectamente fazem-no. Pessoas que queiram viajar tem de ter o tal certificado, entao nao ha muita opcao para essas pessoas. Vacinacao ou a treta dos testes ou quarentena. Uma brincadeira que sai caro a muitas pessoas.

  5. Eu mesmo says:

    Rui Cordeiro, concordo consigo. Quem faz algo que cientificamente está provado fazer mal ao humano, deveria ter que se desenrascar. Disse sempre DEVERIA porque conheço bem a Constituição Portuguesa. Ignorância é não querer acreditar no que está provado cientificamente

    • Hum says:

      Mas provado o quê?
      Acha que são mesmo estas vacinas que vão acabar com o vírus? O vírus está em constante mutação, não parou nem vai parar tão cedo.
      O meu irmão é virologista, sei do que falo.
      Mas descanse, vai ser bonito ver as pessoas todas aflitinhas quando virem que o vírus modificou e que estas vacinas de m**** não funcionam para nada

  6. Eu mesmo says:

    Os doentes de diabetes e oncológicos não deveriam receber tratamento porquê?? Que ignorância a sua!

  7. Sardinha Enlatada says:

    Nao descansam enquanto a mentira nao vingar na maior parte do mundo. Parabens comunicacao social, ja sei que nao posso confiar mais em ti quando precisar. Criou-se um clima a nivel nacional e mundial para que a maioria embarque nesta mentira, e os que pensarem o contrario apontam-lhes logo o dedo, somos as bruxas do sec XXI. A confusao ja esta criada, o resto vem por acrescimo. Descobriram a formula para andarmos todos as turras uns com os outros, enquanto o plano deles segue de mansinho.

  8. Gil says:

    Eu acho que já começam a crescer caudas a quem foi vacinado. Aliás acho que num futuro próximo a Alemanha irá clicar no botão e todos os que foram vacinados com pfizer e moderna serão escravos digitais.
    Tou só a avisar…

  9. OdeioBichasModernas says:

    Eu tenho mais de 45 e não quero vacina nenhuma.
    Desconfio de uma vacina que foi criada em poucas semanas ou meses quando o normal é demorar anos.
    Ainda irão aparecer efeitos secundários daqui a algum tempo.
    Alguém pode provar que tal não poderá ser possível?
    Podem nascer caudas, cornos, orelhas grandes tipo Spock, largueza disso.
    OdeioBichasModernas, não gosto de ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.