Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Mercado online de venda de cartões de vacinação falsos está a crescer

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Alpha says:

    Já perguntei várias vezes se isto é um website de tecnologia ou uma ODE à narrativa dominante.

    Já agora estão preocupados com os falsificadores de cartões do apartheid inaceitável numa democracia, porque não falam dos médicos especialistas que enchem as nossas televisões a recomendar vacinas de empresas que lhes pagão serviços? Conflitos de interesse…?

    • Há cada gajo says:

      Qual é a narrativa dominante ? É que tu não perdes a oportunidade de espalhar a tua narrativa que queres a toda a força que também ela seja dominante. Em que ficamos ? Já no outro dia, e sobre a questão dos médicos, te fiz uma pergunta a qual ficou, claro sem resposta. Mas faço-te outra vez : o que é que tu sabes sobre a profissão “ser médico” ? Esse tem discurso demagogo não tem qualquer sentido. Médicos e farmacêuticas trabalham em conjunto, sabias ? Existem códigos deontológicos, coisa que infelizmente não há noutras profissões. E a velha questão : qual é que é o teu problema com as vacinas ?

      • Sergio says:

        Nem vale apena responder-lhe, pior que ele ser cismado é ele ser desinformado

      • rui says:

        O problema dele é ser do contra.
        Contra as vacinas porque é uma farsa…
        Contra as alterações climaticas porque é uma farsa (que ele fez post com esta afirmação noutro artigo do pplware)

        O que interessa é ser do contra. Ponto!
        Tudo uma farsa. Estamos na Matrix e ninguem ainda percebeu. 🙂 Só ele.

        • roger says:

          > Tudo uma farsa. Estamos na Matrix e ninguem ainda percebeu. Só ele.

          Não é só ele.

          Dr Joseph Fraiman public comment at FDA VRB Product Advisory Committee 9-17-2021
          https://www.youtube.com/watch?v=q3kqTbsrho4

        • Rui says:

          Roger
          O que esse medico pede é para fazer um estudo mais alargado sobre os benefícios da vacina.
          Não é contra.

          Se procurares vais ver que a EMA também quer um estudo mais alargado sobre as crianças assim como a possivel 3 dose.

          Não é bem a mesma coisa sobre dizer que é tudo uma farsa.

          • roger says:

            O que o médico diz é que não se sabe se existe maior risco que benefício das vacinas, em todos os grupos etários.

            Está no título.

            O que tu queres interpretar, desculpa mas não interessa nem ao menino Jesus.

          • roger says:

            E também mostra num dos últimos slides que a informação hospitalar existente, sem se conduzir estudos específicos, que os internamentos por complicações da vacina em hospitais americanos é duas a três vezes superior aos internamentos por COVID, em rapazes de 16 e 17 anos (grupo de exemplo).

          • rui says:

            Roger

            Down boy Down
            O menino Jesus não é para aqui chamado.
            Tu pode dizer o que te apetece e os outros não?

            Parece que não sabes ler. Eu percebi o que ele diz, e tu? percebeste?
            Mais estudos … mas tu só leste que ele diz que há mais riscos…quando ele diz que não sabe (dai mais estudos….)

            Já percebemos que para ti é tudo uma farsa, por isso fica na tua que eu fico na minha, pode ser?

          • roger says:

            roger
            21 de Setembro de 2021 às 16:25

            O que o médico diz é que não se sabe se existe maior risco que benefício das vacinas, em todos os grupos etários.

            Está no título.

          • rui says:

            Pois

            Só lês o titulo.

          • roger says:

            roger
            21 de Setembro de 2021 às 16:30

            E também mostra num dos últimos slides que a informação hospitalar existente, sem se conduzir estudos específicos, que os internamentos por complicações da vacina em hospitais americanos é duas a três vezes superior aos internamentos por COVID, em rapazes de 16 e 17 anos (grupo de exemplo).

          • rui says:

            Titulo: “help reduce covid 19 vacine hesitancy”

            A minha interpretação é que ele não é contra a vacinação. Quer é um estudo maior para provar o benificio e reduzir a hesitação das pessoas.
            Pode não a mesma interpretação que tens, mas esta é a minha

            Sobre os dados dos jovens. Ele fala disso, mas não mostra de onde tirou os dados. Deve ter de algum lado, mas não encontro.
            Também não fala de qual a vacina responsável por esse aumento…
            Pelo que li, era apenas a Pfizer que tinha essa possibilidade, em numero muito reduzido.

          • roger says:

            roger
            21 de Setembro de 2021 às 16:25

            […]

            O que tu queres interpretar, desculpa mas não interessa nem ao menino Jesus.

          • Rui says:

            Roger

            Deves ser muito católico pois estas sempre a falar no menino Jesus
            Estas a espera que ele te protege?

            As tuas teorias não interessam nem ao menino Jesus e nem a pessoas informadas.
            Continua a espalhar a tua narrativa e fica contente que de certeza és o maior da tua rua!

            Beijo nas coxas

    • Manuel Costa says:

      Se você pagar 10000 euros por um cartão de vacinas que garanta que tem todas em dia, vai a um hospital privado, paga 600000 para ser tratado… a uma doença que estava vacinado, poderá ir exigir 700000000000000000000 euros ao governo, por a vacina não funcionar?

  2. António M. says:

    Ainda não percebi porque as pessoas querem os certificados falsos, quando deviam era estar a lutar pelos seus direitos e liberdades, já que quem tomou a vacina também o fez livremente, ou não.

    https: //observador.pt/2021/08/07/covid-19-protestos-contra-o-certificado-de-saude-em-varias-cidades-francesas-pela-quarta-semana-consecutiva

    • ToFerreira says:

      Quem não a quer tomar também é livre de o fazer,tem é de assumir naturalmente as consequências. Liberdade sem responsabilidade pelas consequências dos seus actos é libertinagem, que é o que muitos defendem, disfarçando-a (mal) de “liberdade”.

      • Antonio says:

        “Quem não a quer tomar também é livre de o fazer, tem é de assumir naturalmente as consequências”. E quais são as consequências? És tua que as propões?
        Metam as vacinas no sítio ….
        A minha filha foi hospitalizada o dia seguinte à 2ª toma. Mas nãos e passa nada. São efeitos das vacinas experimentais. Está tudo bem, é para ter o “passe”. Enfim, “os benefícios superam os riscos”, é a narrativa oficial, então temos que acreditar nos carneiros que nos “conduzem”.

        • ToFerreira says:

          As consequências são decorrentes das atitudes, não da minha vontade, tal como o balanço do risco e benefício é decorrente dos factos de ambos e não de “carneiros”. Alguns parece é que preferem seguir alguns “pastores” iluminados, que sem factos nem razão apregoam uma religião negacionista que muitos seguem agarrados à fé.

        • CRP says:

          @Antonio não vale a pena gastar saliva com formatados, que mais parecem um disco riscado, aos poucos as verdades vêm ao de cima.
          Sendo eu vacinado já mudei de opinião.
          Quase se atropelam na tentativa de ocultar a verdade, os especialistas que os formatados veneram.
          https://youtu.be/2zV2sqh_IDo

          • ToFerreira says:

            Para que saber os factos quando temos a CMTV?
            😀

          • rui says:

            ToFerreira

            Melhor canal de informação! E Muito fiável!

            🙂

          • António M. says:

            O importante não comenta vocês que é a noticia , com exposição real daqueles factos, que até podia ter sido a RTP a dar a noticia só que não pode porque depois não recebem o subsidio.
            Deixem-se de desvios, porque a jornalista fez um bom trabalho ao expor um dos cambalachos.

          • meister says:

            Claro que não ė fiavel,se fosse fiável teria seguido a cartilha e esta reportagem nunca teria sido publicada.

            https://www.google.com/amp/s/www.publico.pt/2020/05/19/politica/noticia/vao-distribuidos-15-milhoes-euros-destinados-media-1917205/amp

            Provavelmente da próxima vez não recebem nada.

          • ToFerreira says:

            Antonio,

            Quais factos?
            O facto dos negacionistas agora darem razão aos especialistas? Afinal as Ordens dos Enfermeiros é dos Farmacêuticos são idóneas ou não? Onde está a coerência?
            E pegar na opinião sobre a vacinação em crianças para tentar descredibilizar toda a vacinação, quando na verdade esta é totalmente apoiada pelas referidas Ordens? A honestidade fica pelo caminho, junto com a coerência.
            A RTP recebeu do Estado para dizer mentiras, mas a CMTV não, pois não? Foram só quase 2 milhões que lhe foi parar ao bolso. Abra os olhos e veja os factos, já lhe disse.

          • Rui says:

            Meister

            Qual é o canal de informação que não recebe dinheiro do estado?
            E por isso todos eles dão informações falsas??

          • meister says:

            Rui.
            “Qual é o canal de informação que não recebe dinheiro do estado?”

            Praticamente todos recebem, penso que só o Eco e o observador e que recusaram.

            “E por isso todos eles dão informações falsas??”

            Não digo que sejam falsas… Agora que a narrativa promovida é única isso parece-me evidente.
            Não se promovem debates de ideias, tínhamos o prós e contras da RTP1 que era um excelente programa mas até isso acabou.

            Ninguém ousa questionar nada sobre a pandemia sobre pena de ser rotulado de negacionista.

            Talvez estejam condicionados consciente ou inconscientemente pelos ditos subsídios.

            No caso da reportagem da CMTV:

            Não se deve recusar uma mensagem pelo facto de não se gostar da cara no mensageiro.
            A mensagem pode ser valida ou não cada um avalia como entender.

            Agora que faz falta mais jornalismo investigativo e corajoso que exponha certas coisas isso também me parece evidente.

            Antes que me rotulem de negacionista devo dizer que não sou contra as vacinas, pelo contrario, tenho duvidas em relação a estas em especifico, duvidas que se prendem com factos vivenciados dentro do meu circulo de amigos.

          • CRP says:

            Covideiros
            Não vale a pena estarem espumar pelo cantos da boca, porque isto é só inicio.
            Infelizmente havemos de espumar do cérebro, lá mais para frente (anos), em que eu me incluo (malditas duas doses).
            Argumentem o que quiserem, mas Povo já não cai na 2º.

            Sera que estes números estão corretos? (O Povo desconfiado)
            https://theworldnews.net/pt-news/23-mil-jovens-entre-os-12-e-15-anos-faltaram-ao-agendamento-da-segunda-dose-da-vacina-da-covid-19-no-fim-de-semana

        • Nuno Teixeira says:

          Estudo do CDC que mostram a segurança da vacina entre jovens dos 12-17:

          https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/mm7031e1.htm

          Resumo do número de mortes: 14 (onde duas das mortes foram suicídio) em 129059 = 0.00010847751%

          • António M says:

            Pois, provavelmente nenhuma dessas 12 mortes é teu familiar.
            Se desses 0.00010847751% alguém fosse teu familiar directo, queria ver-te a dizer “a segurança da vacina entre jovens”.
            Pimenta no C|_| dos outros é refresco no meu.

          • CRP says:

            @Antonio peço desculpa, mas diria doutra maneira a estes microcefálicos.
            Pelo teu comentário e a tua falta de empatia, demonstra o tipo de pessoas que são os covideiros.
            Pois, provavelmente nenhuma dessas 12 mortes é o teu filho, irmão/ã, primo, etc…. Se desses 0.00010847751% algum jovem fosse teu familiar direto, queria ver-te a dizer “a segurança da vacina entre jovens dos 12-17”.
            Afirmas portanto que estas mortes são um mal necessário, para que tu e restantes covideiros fiquem bem.
            Pimenta no rabo dos outros é refresco no meu.

          • Nuno Teixeira says:

            Eu percebo o ponto mas posso usar o mesmo argumento se esse jovem infectar alguém que acabe por morrer. E o facto de ser novo não quer dizer que não possa ter consequências graves ou fatais.
            Já sei que vais dizer que a vacina não impede a infecção mas reduz a carga viral e daí reduz a taxa de infecção

          • Nuno Teixeira says:

            Como o estudo foi feito nos EUA vou comparar com os dados de mortes por Covid com o total de 587825 mortes

            https://covid.cdc.gov/covid-data-tracker/#demographics

            12-15: 145
            16-17: 116

            261/587825 = 0.00044400969

            Qual é o que tem a taxa mais baixa comparada com os riscos da vacina?

          • Nuno Teixeira says:

            @CRP achas que alguém no seu perfeito juizo é apologista de matar jovens como se fosse só um efeito colateral?
            O que é comparado são os riscos. Apesar de a mortalidade ser mais baixa nos jovens ainda assim também correm esse risco.
            Agora que coloquei os dados compara lá os riscos de fatalidade da vacina comparada com o do vírus. E isso é só um ponto, o outro é que o facto de se vacinar contribui para a imunidade de grupo

          • António M. says:

            “Nuno Teixeira” provaste a tua falta de empatia e a prova viva que és um formatado, com esses dois últimos comentários.
            Bem sei que a microcefalia não tem cura.
            Saudações para Ti e restante Família.

          • Nuno Teixeira says:

            @António M
            Eu apresento os estudos que baseiam o porquê de se estarem a vacinar os jovens e tu vens com ataques pessoais.
            Passa bem…

          • António M. says:

            Ó “Nuno Teixeira” tiras-me do sério, mas quais factos, quando um tratamento, um medicamento, uma vacina, etc, mata pessoas e se aceita isso com a maior das normalidades, e não se tem empatia por essas situações.
            Pior que isso é que essas pessoas(a maior parte) estarem a ser coagidas. Obriguem as farmacêuticas a assumir a responsabilidade dos efeitos secundários, a ver vamos se essas vacinas vêm para mercado.
            As vacinas obrigatórias que se dá as crianças e que todos já tomamos, tivemos que assinar algum termo de responsabilidade?
            Porra, a vossa mentalidade já chateia, tenham é empatia pelos casos graves que pode ser alguém da vossa família.
            Se compreendo o que me apresentas, sim compreendo, mas nada se justifica, quando pode originar uma morte.
            Passa bem…, que eu faço o mesmo.

          • Nuno Teixeira says:

            Quem é que disse que não tenho empatia? Na minha família também tenho jovens com essa idade e que tomaram a vacina. Achas que não tenho receio disso? Claro que tenho!

            Só que tenho a noção que as vacinas têm riscos e isso nunca foi escondido pelas farmacêuticas e os próprios estudos mostram isso.

            Agora devemos ter consciência disso e comparar os riscos da vacina com o risco do próprio virus. Pelos dados que mostrei dos EUA o ratio da vacina é 4x mais baixo.
            Por muito que custe trabalhar com números quando se trata de vidas são estes que decidem e definem estratégias.

            Um exemplo extra covid que ocorreu na minha família. Um familiar quase morreu por uma reacção alérgica à penicilina mas conseguiu recuperar. Por causa disso, achas que devemos abolir a penicilina que já usamos há anos?

            O mesmo deve acontecer com esta vacina. Devemos ficar atentos a qualquer reacção depois da toma especialmente se essa pessoa já tiver tido alergias e se tem problemas cardíacos consultar o médico de família para se saber se vale o risco.

          • António M. says:

            “Nuno Teixeira”
            Para que possamos finalizar esta troca de ideias, e compreender o sua pessoa, faço a seguinte questão?

            Vacinaria um filho seu com a probabilidade de 0,0001% de morrer, sabendo que esses 0,0001% era o seu filho e este ia morrer?

            Pretendo uma resposta directa (se assim o entender), sem outros argumentos. Sim ou Não?

          • Nuno Teixeira says:

            Muito provavelmente SIM porque não quereria sentir-me culpado caso ele (ou alguém que tivesse contacto) apanhasse covid e tivesse efeitos graves ou fatais.

            Eu percebo totalmente o teu ponto! Claro que entendo que nos sentíriamos ‘culpados’ caso ele viesse a falecer. Mas temos de ver o outro lado. É esse o ponto e acho que devemos ser pragmáticos e entender os riscos.

          • Nuno Teixeira says:

            Só para acrescentar que tens o direito de não vacinar os teus filhos.

          • Rui says:

            Antonio M

            Falam de % muito mas mesmo muito pequenas.
            Agora pergunto eu :
            Tem alguma filha?
            Sabe que quando (se) ela tomar a pilula, a probabilidade de ela poder ter algum problema grave é muito maior do com a vacina?
            E por isso não vai tomar?

            Outro: já alguma vez se deu ao trabalho de ver as bulas do paracetamol? Do nimed? Voltaren?
            Veja quais os possiveis efeitos adversos.

            Cada um sabe de si e se quer ou não vacinar os filhos, agora vir com % sem ver o resto que o pessoal toma aos montes sem controlo nem sequer receita medica….

          • António M. says:

            “Nuno Teixeira” as 14:06 publiquei mas não saiu, vamos ver se sai agora.
            “Nuno Teixeira”
            Para que possamos finalizar esta troca de ideias, e compreender o sua pessoa, faço a seguinte questão?

            Vacinaria um filho seu com a probabilidade de 0,0001% de morrer, sabendo que esses 0,0001% era o seu filho, e este ia morrer?

            Pretendo uma resposta directa (se assim o entender), sem outros argumentos. Sim ou Não?

          • António M. says:

            “Rui”
            Respondendo a todas a suas questões com uma pergunta.

            Do referido por si, quais tenho que assinar o termo de responsabilidade para fazer a toma?

          • Nuno Teixeira says:

            @António M

            Saiu e já respondi.

          • António M. says:

            Postei no sitio errado.

            “Nuno Teixeira” respeito o teu SIM, mas no meu mundo és nefasto. Obrigado pela tua resposta sincera mas nunca seremos compatíveis de ideias, pois eu amo os meus acima do que outra coisa qualquer, só tomando essa atitude se a pessoa em causa estivesse em sofrimento.
            Não vou intervir mais contigo, contudo obrigado pela troca de ideias.

          • rui says:

            António M
            o problema é assinar um termo?
            Eu assinei porque quis e confio na vacina….

            Da mesma maneira que o pessoal toma esses medicamentos e nem se preocupa em assinar um termo.

            Exemplo:
            se for fazer um TAC com contraste assina um termo…. porque confia ou tem duvidas?

    • Manuel Costa says:

      O pagar 500 euros por um certificado falso (em que o QR funcione, durante 90 dias) poupa umas violações pela zaragatoa, para entrar em bares (futuramente em discotecas), além de poder dizer que cumpriu o “dever cívico colectivo”.
      Acerca dos protestos em França, atenção que 99% dos protestantes são os mesmos dos coletes amarelos e só lá estão para assaltar lojas e queimar prédios para filmar para as redes sociais… pelo meio tentam ser agredidos pela polícia e poderem avançar com processos que lhes dê fama televisiva.

    • António M. says:

      “Nuno Teixeira” respeito o teu SIM, mas no meu mundo és nefasto. Obrigado pela tua resposta sincera mas nunca seremos compatíveis de ideias, pois eu amo os meus acima do que outra coisa qualquer, só tomando essa atitude se a pessoa em causa estivesse em sofrimento.
      Não vou intervir mais contigo, contudo obrigado pela troca de ideias.

      • Nuno Teixeira says:

        Como já disse, o SIM não é uma resposta fácil, ainda por cima sendo um filho, por isso, também respeito a tua opinião.

        Outro ponto que se pode levantar, aqui em Portugal, é até que faixa etária será necessário vacinar dado já termos uma alta taxa de vacinação.

        Poderá ser discutido quando se questionar isso, num futuro post. Como vês eu não compro tudo feito. Todos temos de ter o nosso sentido crítico mas baseando-nos, dentro do possível, de dados de fontes confiáveis e oficiais.

  3. Eu sei lá says:

    A notícia é sobre cartões de vacinação (imagem do post, de facto não parece difícil falsificá-los).
    Pelo meio passa-se para certificados de vacinação (e em post anterior falava-se em falsificação dos certificados).
    Convém não confundir – por cá os cartões de vacinação não servem para nada.

    Quanto aos re-nhó-nhós habituais dos anti-vacinas , a pergunta a fazer-lhes é: “Muito bem, não se querem vacinar – mas para acesso a locais de trabalho e serviços ao domicílio, estão dispostos a pagar, do vosso bolso, testes frequentes à COVID?”

    • andre says:

      é normal que quando não conseguem atacar os argumentos que ataquem o mensageiro, é uma falacia típica e normalmente demostra que a parte atacada tem razão.

      que então assumam a hipocrisia e digam que as vacinas experimentais são obrigatórias.
      Agora dizer que é voluntário mas ir constantemente dificultando o dia a dia de modo a que obrigatoriamente a pessoa acaba por ter de se vacinar, isso é ditadura encapotada de democracia.

      eu também não tenho direito de exigir que todos os meus colegas de trabalho façam testes a doenças que me possam transmitir para alem do covid?

      Não entendo é como é que as pessoas têm uma mentalidade tão pequena que não entendem que com este tipo de práticas existe uma perversidade e um poder que dão a um governo o caminho e o poder de tornar o nosso pais numa coreia do norte , provavelmente a maioria dos coreanos acha que o presidente está a fazer tudo para o bem deles.

  4. Marco Duarte says:

    A ocasião sempre fez o ladrão

  5. SayWhat12 says:

    Acho muito bem, eu tenho viajado com testes falsos feitos em photoshop desde marco e nao pago 1 centimo, o mundo é para os espertos!

  6. robin says:

    Com uma percentagem tão alta de vacinados, se fosse politico não dormia descansado.
    Se existirem contra.indicações graves a medio e longo prazo, teremos o País na merd…..a atiram-se todos para o desconhecido, o bom senso aconselhava prudência mas ninguem quer pensar nisso se alguem faz um alerta é negacionista , vamos ver o que vai dar, esperemos que corra bem.

  7. Luisão says:

    Problemas do 3º mundo, enquanto noutros países protestam para ter vacinas, aqui na Europa e Estados Unidos andamos a protestar contra. Não temos doenças como a ébola, zika, malária, febre amarela, cólera, etc. vivemos no nosso “mundo” bonito, em que ficamos revoltados quando temos internet lenta, ficamos sem luz por 10 minutos uma vez por ano, ter que trabalhar a partir de casa, basicamente damos tudo por adquirido. Não sei quem prefere comprar um certificado a expor-se a um vírus desta natureza…. enfim. Estes sites que vendem estes certificados não podem ser fechados pelas autoridades, como fazem com os sites que transmitem jogos de futebol por exemplo?

  8. Joaquim Sobreiro says:

    Todo e qualquer proposta de estudo científico sério para tratamento será oficialmente recusado. Propostas Há várias. A preocupação com efeitos secundários será sempre indiferente para manter a situação conveniente a todo e qualquer governo ou farmacêutica.

  9. Joaquim Sobreiro says:

    Seja qual for a possibilidade de se ter um efeito indesejável e com a informação existente, considerando a mais ou menos fiável, os únicos responsáveis são os pais. Indústria farmacêutica, governos, e pessoal médico não assumem qualquer tipo de responsabilidade.

    • Rui says:

      Isso é ser Pai e Mãe
      Se lhe deres um brufen ou outro medicamento, de que é a responsabilidade? Nem sequer precisas de um médico para ires comprar.
      Todos esperamos tomar as melhores decisões com os filhos.
      Compreendo os receios, e respeito quem não quiser vacinas os filhos, mas a responsabilidade é e será sempre dos Pais.

      • Joaquim Sobreiro says:

        Iatrogenia medicamentosa, uma realidade que não consta nos meios massivos de informação, que pode ser a 3° causa de morte no mundo da medicina farmacológica.

  10. Joaquim Sobreiro says:

    A única opinião com que estou em desacordo, a de tomar obrigatoriamente ou sob coação, algo que ainda não resolvi fazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.