Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Como está o risco do seu concelho? Saiba já…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. jm says:

    Hoje, 25-01-2021, os dados já pouco têm a ver com estes que são até 18-01-2021 às 23:59.

  2. Miguel says:

    Portugal no seu melhor, finalmente somos os primeiros em alguma coisa.

    A ver:
    Portugal é o pior país do mundo nas taxas de infeção e de mortalidade
    https: //bityli.com/aEEIR

    Portugal é o quinto país da União Europeia com mais pobreza entre quem trabalha
    https: //bityli.com/820GK
    Havemos de lá chegar, já não falta muito.

    Somos os melhores do Mundo, como alguém disse.

  3. Sardinha Enlatada says:

    Mas este virus nao morre ? Xica ja enjoa tanto covid para ca e para la. Sobrevive ao calor a chuva ao sol ao frio ao vento. E um super-virus. Parabens comunicacao social.

    • j says:

      Só morre quando a UE estiver satisfeita com os resultados.

      • Luisão says:

        Ainda se dissesses a China… agora a UE? Não estou a ver o que está a ganhar com isto, sinceramente… investir em fundos perdidos? Reduzir a riqueza dos seus países e consequentemente a sua própria riqueza?

    • Luisão says:

      O que é que queres que a comunicação social diga? “Olhem o vírus já não existe” e os hospitais a receberem doentes covid-19? O vírus não vai acabar por estar sol, chuva ou nevoeiro. O vírus não vai acabar, vai andar por aí como tantos outros, isto segundo virologistas, não sou eu que digo! O que se passa é que não o controlamos, não temos imunidade de grupo, não sabemos ainda muito sobre o vírus e só o tempo e a cooperação da sociedade com a ciência é que podem ajudar. A comunicação social apenas faz o seu papel de informar. Toda a gente está farta de ouvir a falar de covid, admito que se fale até demais. Mas é necessário as pessoas estarem informadas do que se passa nos hospitais, desenvolvimento científico, forças de segurança e tudo o que está relacionado com a pandemia, que tem que ser a nossa maior prioridade

  4. Luisão says:

    Na opinião era copiar literalmente o modelo da Nova Zelândia, fechar tudo e ficar tudo em casa, nem take away ou uber haver. Fechar todas fronteiras, evitar sair de casa ao máximo possível. Se na Nova Zelândia resultou porque é que em Portugal não poderia resultar?
    Ah pois, as liberdades e os passeios higiénicos é que são mais importantes… por este andar temos uma vida que não chegamos a avós.
    Agora estamos confinados, depois saímos todos para a rua feitos doidos e depois da Páscoa voltamos a confinar…

    • Woot! says:

      Sim porque andar na rua a passear sozinho deve ter cá uma taxa de infecção…O problema não é as pessoas que andam com trelas e sem cão a passear, nem os passeios higiénicos. O problema são os ajuntamentos mas não há fiscalização que chegue. Tem juízo.

      • Peace says:

        O problema é tudo junto, é muita gente se achar mais esperta do que o vizinho e não fazer o mínimo que lhe compete. Acredito verdadeiramente que poderíamos não estar em novo confinamento se o nosso povo tivesse 2 de dos de testa e pensasse que só todos juntos é que conseguimos ultrapassar esta pandemia. Quando começarem a levar com os aumentos de impostos, que vão ter de acontecer para pagar isto vão começar a chorar novamente.

      • Luisão says:

        Vai dizer isso para a Nova Zelândia, que depois de ficarem confinados desde novembro não tem casos internos. Não sou especialista na matéria, só estou a falar de factos reais. Se calhar o passeio higiénico e passear com o cão não é problema, mas o tuga gosta sempre de encontrar um “buraco” na lei para escapar

  5. B@rão Vermelho says:

    Enquanto tivermos o pensamento que o problema são os outros, vamos andar nesta cantiga, aqui na minha zona, Cascais, deve estar tudo ok, porque das poucas vezes que vou a rua anda muita gente sem mascaras, porque o problema são os outros.

  6. Dani says:

    já podemos falar da Suécia ou ainda é cedo?

    • SSD says:

      Para dizer que ainda têm mais mortos que nós? Para dizer que também estão a apertar nas medidas? Para dizer que tambem estão com belos milhares de infectados por dia?
      O nosso plano esteve longe de ser o ideal isso é certo mas o sueco também não. Aguentou-se durante algum tempo porque o povo nórdico tem um nivel de disciplina e de consciência que se calhar falta a muito outro pais.
      Alias a prova de que o povo nórdico tem um nível de responsabilidade diferente está nos vizinhos da Suécia, a Noruega e a Finlândia, esse sim com números impressionantes, entre os quais, juntos terem cerca de 1/10 do número de mortos em comparação com a Suécia e 1/5 dos casos, mas como estes também recorreram ao confinamento e a outras medidas não é relevante mencionar.

  7. Daniel Azevedo says:

    Suécia sem confinamento = 11005
    Portugal (já vai no segundo) = 10721
    A diferença é 284.quando já foi de milhares, quase até o dobro. Basta chegarmos ao fim do mês.

    Apertar nas medidas não é confinamento. Não é obrigatório o uso de máscara e nos por cá usamos há muito (que já se diz por aí, que algumas não funcionam).
    Não há encerramento de actividade nem destruição completa da economia, famílias e saúde mental.
    Fora o exesso de mortalidade, que ainda há para contabilizar.
    E fora sermos um país mais quente.

    Essas história de que as pessoas são pecadoras e cheia de meninos mal comportados, para além de ser uma história antiga, já não pega.

    E os números vão relevando cada vez mais isso. Mas quando passarmos a Suécia, qual vai ser a desculpa?

    • SSD says:

      Repito o que disse antes, ambos os planos falharam mas negar que a população que a população teve culpa é ser ignorante também.
      Tal como disse em cima basta olhar para os vizinhos dos suecos que tiveram medidas parecidas com as nossas e ver a disparidade de números. Agora não são usados como exemplo porque usaram medidas parecidas com as nossas, portanto não dá jeito

    • João says:

      Podemos (e devemos) criticar as medidas do nosso governo de curtas, erradas, tardias, enganosas…. enfim. Um desastre.
      Mas também temos que criticar e muito os portugueses no geral. E juntar a ineficácia das nossas autoridades de fazer cumprir a Lei.
      Basta sair à rua. Eu vejo pessoas no centro da cidade sem máscara. Todos os dias, incluindo quando deviam estar confinados. Mas se calhar foram à mercearia, à farmácia, ao euromilhões ou raio que o parta e todos os dias, à mesma hora, no mesmo sítio vejo os mesmos grupos. Quer haja confinamento ou não. Eu estou por ali porque tenho de estar. Estou a trabalhar num local que não pode fechar. Estamos no país onde a lei é feita para se procurar buracos para escapar. Assim não vamos lá. Há que haver responsabilidade, porra! Eu comecei a usar máscara antes de ser obrigatório. Qualquer pessoa que pense, sabe que usando máscara nos protegemos mas, essencialmente, protegemos os outros. Não precisei que o governo viesse dizer que tinha de pensar nos outros um bocadinho. Como não precisei do governo, da DGS ou do raio que o parta quanto estive adoentado. Não eram sintomas por aí além e não tinha grande razão para suspeitar que fosse covid (mas podia ser, atendo pessoas, vou a serviços públicos) mas pedi dois dias de férias, fiz teste pago por mim e quando recebo o resultado negativo fui trabalhar. Mas fui tranquilo que não andava a inquinar ninguém. Será que ninguém tem consciência que pode andar por aí a matar pessoas? Já depois deste confinamento vi restaurantes a atender pessoas (á mesa). Vi ajuntamentos de várias pessoas sem máscara. Vejo tanta coisa que até me admira não estarmos pior, sinceramente.
      Olhem para o Japão! Cerca de 12x a nossa população. Nunca confinaram nem avançaram com grandes fechos. Têm pouco mais de metade (no global, não comparativamente) dos nossos casos. Serão mais imunes que nós ou serão, individualmente, mais responsáveis? Um país onde, só em Tóquio são 10 milhões em cima uns dos outros e aos molhos nos transportes públicos.
      Cá por Portugal tivemos sorte no início. O virus chegou cá já muito no fim do inverno e, como o tempo aqueceu, foi passando de mansinho. Mas bem me lembro que já na altura o governo estava relutante em ativar medidas mais severas. Foi uma manobra política, certamente a reboque de algum favor, de um autarca de uma terreola onde a saúde local decretou o estado de calamidade. E foi por isso, e só por isso que portugal confinou quando confinou em Março. O governo ficou entalado e teve de fazer de conta que afinal estava de acordo. Passam o tempo a tentar chutar para canto. Primeiro o virus era só uma coisa chinesa. Depois, já a itália estava com a corda na garganta, não chegaria cá (mas também não adotaram qualquer medida de rastreio dos viajantes), depois eram casos isolados cá em portugal. Enfim…. Aqui na minha terra, uma família com pessoas doentes foi ao centro de saúde, disseram que tinham estado em itália e mandaram-nos para casa com ben u ron. Passados 2 dias a mesma coisa na urgência. E à terceira é que se lembraram. Aí já estava o centro de saúde todo contaminado, pessoal do hospital, de uma fábrica e mais não sei o quê. Há um ditado que diz que se deseja sempre o melhor, mas planeia-se para o pior. Cá espera-se que não se passe nada e é isso…
      Eu já corte relações com amigos (amigos mesmo, não eram simples conhecidos) por andarem a bradar aos céus que este vírus é uma farsa e que devemos todos desobedecer e andar por aí à vontade a confraternizar e sem usar máscara. É triste. Deixa-me muito triste. Mas daquilo que me toca não vou esmorecer e vou ser o mais responsável que sei. Vou continuar a trabalhar pois, felizmente, tenho trabalho. Não pode ser feito em casa. Tomo as medidas que acho necessárias para me proteger (e ao mesmo tempo proteger as pessoas com quem me cruzo e a minha família). Sei bem que vou além das recomendações da DGS em alguns aspetos. Tenho máscaras cirúrgicas à borla no trabalho mas comprei várias máscaras de nível 2. Bem acima do que é recomendado, mas nada como estar seguro. Se cada um fizer (ou tivesse feito) a sua parte, estaríamos muito, mas muito melhor. Não devia ser preciso o governo impor tantas medidas. Somos todos crescidos, isto não é uma creche.

  8. Sardinha Enlatada says:

    Bom entao vamos la fazer um boneco de media de mortos durante o periodo de Março 2020 a Janeiro de 2021. Actualmente existem 11012 mortos nesse periodo, que da uma media por mes de 1001 e uma media por dia de 33. E e isto que se reflecte nos hospitais cheios de covid ? Agora nao sei exactamente quantos hospitais existem em Portugal e coloquem la esses numeros a ver se os hospitais ficam cheios. Vao dar banho ao cao que o pessoal agradece. E nao os infectados nao interessam para nada nestas contas. Por isso nao inventem numeros onde nao existem.

    • SSD says:

      Se fosses tu dar banho ao cão e deixasses os assuntos sérios para os adultos é que fazias bem!
      Os infectados não contam, porque os hospitais ficam cheios de pessoal não doente, não é? É para isso que eles servem. As unidades de cuidados intensivos então,deve ser para os que têm febre acima de 38…
      Neste momento somos uns dos piores países nível de infectados, como é que podes dizer que não contam?? Para além de que um maior número de infectados costuma levar a um maior número de mortos, só costuma…
      O número de mortos ainda não é MUITO preocupante sm comparação com outros países mas é o suficiente para ser neste momento a principal causa de morte em Portugal. 33 mortos por dia não é preocupante??
      Já sabemos que nos videojogos tu até mais mas a vida real é um bocadinho diferente e sim é um número preocupante!
      E se calhar se tu e outros se deixassem dessa bosta de discurso e começassem vocês sim a abrir os olhos para o que se passa á vossa volta, se calhar a situação estava melhor

      • Sardinha Enlatada says:

        Para ti es um caso perdido nem com desenhos vais la. Estamos conversados. Deves-te achar o sabichao ou sera o papagaio de servico ? Por acaso nos outros anos que sempre existiu taxa de mortalidade tambem choraste o numero de mortos ? Deixa-te de demagogia barata. So com o aparecimento do covid para voces e que agora a morte e uma catastrofe. Sem desrespeitar os familiares das vitimas mas a morte sempre fez parte da vida, nao sei qual e o drama que voces fazem so porque esta associado ao covid. Uma vez mais vao dar banho ao cao.

        • SSD says:

          Mais uma vez, argumentos contigo é para o teto! Desde que não morra metade do país está tudo certo!!
          Situações como tiveste no Amadora Sintra de andares a ter que transportar doentes á pressa é tranquilo!
          Tu és a real definição, de “pimenta no cu dos outros para mim é refresco”!
          Da forma que falas nitidamente não tens nitidamente em grupos de risco.
          Tu é que és o sabichão de serviço, afinal quando o pessoal médico diz que a situação é preocupante e temos-te a ti a dizer que é normal, não sou eu que estou a ir contra a palavra de quem sabe e de quem está a lidar com o problema…

          • Sardinha Enlatada says:

            Espera ai estas a repetir o que os medicos dizem ? Ok obrigado pela informacao papagaio de servico. Uma dica: olha para os numeros com olhos de ver e nao engulas o que te dizem a toda a hora na comunicacao social, sabichao.

          • SSD says:

            Médicos, não comunicação social, médicos!!
            Eu percebo que é chato estares á uma ano sem puderes ir para o roça roça mas os médicos também andam a fingir agora? Nah, espera aquilo são atores que puseram a farda, pegaram no estoscopio e foram para a frente do hospital dizer qualquer coisa não é?
            Em bom português, deixa de ser burrinho e casmurro. E ao menos tenta arranjar argumentos melhores. É que o governo até já está a subir de nível, a acabar com o oxigénio e tal…

  9. Dani says:

    Essa conversa das mascaras também já não cola… A maioria das pessoas usa, estamos confinados e temos vivido de restrições… Ou então isso realmente não funciona.. E olha.. Estamos a 120 de passar a louca Suécia onde não há nem houve confinamento e máscaras. E está hein?

  10. Sardinha Enlatada says:

    Realmente acusas de meus argumentos mas os teus sao fantasticos a justificar este numero de mortos anual. Nem consegues debater isso com olhos de ver. Ja percebemos o teu ponto acreditas em tudo o que te dizem. So para tua informnacao, nao e a primeira vez que a comunicacao social mente as pessoas e nao vai ser a ultima. Criar teatro nos orgaos de comunicacao social ? E tao facil, mas nem todos conseguem ver isso, tu es uma dessas pessoas. Boa sorte a controlares os teus medos. Se ja tens cabelos brancos agora, imagina quando a CS comecar a falar da nova estirpe. Nessa altura vais perder uns quilinhos. Melhor comprarem uma armadura para irem sair a rua. Enfim.

    • SSD says:

      Claro, é tudo mentira. Quando começou a doença era mentira, agora os hospitais cheios é mentira, realmente, o excelentíssimo deve ter visto demasiado Truman show…
      Não nem tudo é mentira, não não me acredito em tudo o que vem na caixinha a cores. Acredito sim nas pessoas que estão a tratar do problema. Acredito porque tenho 2 pessoas, uma a trabalhar no Porto e outra em Londres que me confirmam que aquilo que ouvimos os médicos, enfermeiros, diretores clínicos é o que se está a passar. Não me acredito porque o canal x ou y fez um PowerPoint engraçado.
      Mas pronto os infectados não contam apesar dos hoapitais cheios e dos apelos DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE, os 300 mortos/diários que é a situação que estamos a passar agora não contam.
      Só gostava de saber o que conta então

      • Sardinha Enlatada says:

        Por acaso sabes o que aconteceu ao virus da gripe A ? Iam comecar a arrancar com uma campanha como esta com o virus covid mas depois veio a recessao economica e o virus desapareceu. Esta certo ha coisas engracadas que ninguem presta atencao, mas o maluico sou eu claro. As caracteristicas deste virus eram exactamente iguais ao da Gripe A e as recomendacoes as mesmas, mas por obra e graca do espirito santo nunca mais se ouviu falar da grpe A, mesmo engracado como a comunicacao social brinca connosco. E por acaso ja paraste para pensar que todo este panico gerado pode nao ser apenas de covid por os hospitais estarem cheios ? Pessoas que entram em panico por estarem com febre e vao a correr para o hospital e depois entopem os hospitaos, nao e o virus era outra coisa qualquer. Os numero de mortes covid estao ai, toda a gente sabe interpretar aquilo menos tu. Parabens. Nota: Quando encontrares o virus da gripe A da um toque.

        • SSD says:

          Sim, isso é verdade mas antes de serea colocado numa das zonas covid que são separadas, para prevenção, é feita uma triagem. E esses unidades, tal como as unidades de cuidado intensivo e aí garanto-te que não vais parar por uma febre só.
          Quanto ao resto, desapareceu, tal como “desapareceu” a poliomielite, a peste espanhola, a peste negra… Não sou especialista mas talvez por não serem “doenças naturais” ou endémicas (ainda) como é o caso da gripe, visto serem modificações de outras doenças quando finalmente consegues travar o contágio, ela desaparece. Daí que o número de infectados conte e muito neste caso, enquanto não travares a corrente, estás a jogar ping Pong com um virus que não se vai cansar.

        • SSD says:

          Oh e a gripe A não desapareceu, tens casos todos os anos, ainda não apareceu foi mais nenhuma estirpe que infecte humanos, mas continua ai a passear nos animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.