Quantcast
PplWare Mobile

67% considera que as empresas devem pagar as despesas dos funcionários em teletrabalho

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Cláudio Andrade says:

    e tambem devem pagar a quem se desloca para o trabalho.. pagar as despsas do carro por exemplo .. é com cada uma

  2. JJ says:

    Também deviam pagar o combustível ou o transporte para a empresa para quem não pode fazer teletrabalho… enquanto outros da mesma empresa fazem teletrabalho e não tem esse custo… e já agora um subsídio extra para aqueles que tem de fazer tarefas de quem está em teletrabalho…

    • Jonny says:

      Pagas café, agua, ar condicionado, electricidade no trabalho?

      • Chupaqueedeuva says:

        És obrigado a ter net em casa?és obrigado a ter pc ? Que eu saiba não!
        Não pagas isso nas empresas mas já levas o tombo ao fim do mês com o ordenado da merda mínimo !
        Outra coisa, quem são os responsáveis do crescimento duma empresa ? 😉

      • Esmitrófia Albitxeca says:

        mas qual café e água? isso não faz sentido. só a electricidade é que faz sentido considerar como despesas acrescidas pelo trabalho, o resto é mordomias. E mesmo assim, a electricidade é diretamente comparável aos custos de deslocamento para o trabalho

        • Joao says:

          Não podes fazer do teu caso o exemplo a ter em conta..depende muito de caso para caso. Posso-te dizer que eu gastava € em deslocações e agora tenho de pagar a electricidade a mais e a factura do gas veio um tombo que nao imaginas, porque agora tenho de ter o aquecimento ligado todo o dia. E não é uma ordomia, onde vivo faz muito frio.

  3. Rui Pedro says:

    Estou em teletrabalho desde Março do ano passado. Ando a poupar muito em gasóleo e portagens….e vou me queixar da luz de um portátil e net do serviço de TV de casa?

    • Jonny says:

      Eu não ando a gastar muito em luz e net estou limitado

    • José Fonseca Amadeu says:

      Só o facto dos restaurantes estarem fechados poupo cerca de 1000€ por mês.
      Não ter ido de férias para fora poupei cerca de 15.000€, fora os fim-de-semanas em hoteis que deixei de fazer cerca de 10k, em 1 ano poupei quase 40k.
      Isto para um agregado familiar de 4.
      Tenho mais dinheiro poupado e estou mais miseravel que nunca, preferia ter gasto tudo e ter usufruído.

    • Esmitrófia Albitxeca says:

      exato. só faz sentido se forem pagas ambas as coisas (electricidade e deslocamentos)

  4. ADALBERTO RIBEIRO LIMA says:

    As empresas devem pagar sim. Aqui no Brasil algumas empresas oferecem ajuda de custos, mas estas são uma exceção à regra.

  5. Nightingale says:

    Adoro esta gente que põe as empresas todas no mesmo saco. Quer seja uma PME ou a Google. Deixem estar que as empresas estão todas cheias de dinheiro. Por estes números facilmente se percebe facilmente como a esquerda consegue tantos votos. Não custa pedir. Onde se vai buscar o dinheiro é que não explicam. Amigos: isto não é os EUA em que não faltam incentivos para as empresas. Durante a pandemia, muitos dos patrões estão até a vender bens pessoais para manter a empresa aberta… Até parece que não gastavam mais só em transportes para o trabalho… A questão do telemóvel é o único que para mim faz sentido a empresa pagar. De resto, não sejam oportunistas. “O gasto de aquecimento???” O que gastam em combustível não dá para aquecer a divisão onde vão trabalhar? E que tal cair sim em cima do governo por sermos um dos países da UE com a energia mais cara? Até parece que Portugal não é um dos países onde morrem mais pessoas por não terem aquecimento (temperaturas negativas dentro de casa em alguns casos…) Não, vamos continuar a cair em cima do coitado que é dono de uma PME. Tanto se critica a corrupção em Portugal, mas quando há a oportunidade, não faltam interessados em se aproveitar da situação. O que muda é a escala, o princípio é o mesmo.

    P.S.: Não sou dono de nenhuma empresa nem nenhum familiar meu o é, simplesmente tenho olhos na cara e não olho só para o meu umbigo. Em Portugal a maior parte das empresas são pequenas, não se esqueçam disto…

  6. Manuel Peralta says:

    Mas vocês dos comentário anti-contribuição são patrões ou acham que trabalhar remotamente é só maravilhas?

    As empresas deixaram de gastar dinheiro com escritórios (água, eletricidade, climatização e outros perks existentes) para dar essa responsabilidade e encargo aos funcionários.

    Ex:
    Eu mudei-me para próximo do escritório para não ter de pagar carro, combustível, deslocações.
    Não possuía Internet fixa. As poucas horas que passava em casa, um plano de dados móvel chegava.
    Não gastava muita eletricidade já que passava pouco tempo em casa.
    A empresa fornecia alguma comida, facilmente fazia bons pequenos almoços e bons lanches (economizando nas outras refeições).
    Tinha contacto social, arejava, via pessoas novas, etc…

    Em casa as contas subiram, nada poupei por deixar de andar de carro/combustível (já não o fazia mesmo).
    Morando num T1, não tenho espaço para ter um escritório(mal dá para uma secretária), durmo no quarto, trabalho e vivo na sala.
    O apartamento é de construção antiga, péssimo isolamento de barulhos e/ou climatização.

    Agora digam-me lá… Nesta transação, quem ficou a ganhar por eu ter de trabalhar remotamente?

    • Nightingale says:

      Basicamente tinha algumas facilidades/regalias que deixou de ter. A empresa não tem culpa se antes conseguia evitar algumas despesas “básicas de uma casa”… Quanto às condições do teletrabalho, infelizmente é comum à maioria dos que vivem nos centros urbanos. É verdade que cada vez mais, qualquer cubículo dá para arrendar e a preços exorbitantes.

  7. Sardinha Enlatada says:

    Mas alguem tinha duvidas que o pessoal que esta em teletrabalho ia dizer que sim ? A minima oportunidade aproveitam o oportunismo para fazer barulho. Porque carga de agua e que devem pagar a luz, AGUA ? telemovel e afins ? O perfil de pessoal que anda em teletrabalho nao deve ganhar tao pouco como isso. Porque nao e uma pessoa da restauracao que anda em teletrabalho.

  8. Sardinha Enlatada says:

    Advogadps, programadores, etc. Nao conheco a maioria de trabalhadores em teletrabalho mas alguns deles tem esse perfil. Certo falei por alto mas nao me enganei muito.

  9. Fernando says:

    Eheh. Grandes discussão. Isto é para pedir ? A pedir que venha também ultra subsídios, almoço, lanche e jantar. Subsídio de manutenção de peso, pelos quilinhos ganhos. Mensalidade para massagista, por causa da dor de costas e ombros por não ter uma cadeira e secretária iguais á do escritório. Valor extra para café e chá, já que não se pode beber da empresa à borla. Pagamento de empregada de limpeza, ao andar a espalhar migalhas por casa e passar mais tempo lá tende a ficar mais suja. Ehehehehhe

  10. Ola says:

    Eu desde que é às tou em teletrabalho tenho poupado bastante. Por isso não concordo. No entanto há aqueles que moram a 5minutos do local de trabalho….

    • Esmitrófia Albitxeca says:

      mas esses são minimos e podem continuar a ir para o trabalho na mesma. por terem melhores condições para trablalhar lá podem usar isso como justificação. certamente não é o chefe que os vai impedir de ser produtivos

  11. B@rão Vermelho says:

    Eu notei um enorme aumento do custo da electricidade, e como tenho tudo eléctrico em casa, não utilizo gás, como tal, sim o aumento foi grande, tenho refeitório no local de trabalho pago 1.80€ por almoço e agora cozinho em casa e isso faz aumentar e muito a conta, mas acho que o patrão ñ tem de me pagar a luz.
    Trabalho a 10 minutos a pé do meu local de trabalho também não era por isso que poupo mais, Internet já tinha e tenho tlf de serviço, em relação a água acho que ela por ela, acabamos por lavar menos roupa.
    Eu já acabei com a mama dos sindicatos, andei a pagar mais de 20 anos para nada, para o sindicato é tudo muito fácil, mas quando o jornalista fez a pergunta, no sindicato ninguém recebo o ordenado mínimo, a resposta foi, “que não, há muita gente com ordenado mínimo por uma questão de igualdade”
    Assim estão algumas pessoas, já li aqui num outro dia sobre o mesmo assunto alguém que diz que se vestir mais roupa por causa do frio não consegue trabalhar e com uma ventoinha ligada para se arrefecer constipa-se, enfim, é a mentalidade que temos.
    Querem que o patrão pague a Internet, e quando estão no local de trabalho e consultam páginas de Internet para “uso” pessoal, devem de descontar no ordenado o tempo que passam nisso.

    • Esmitrófia Albitxeca says:

      +1
      Mas o refeitório no trabalho é mordomia, é uma “oferta” da empresa para cativar as pessoas. Não é uma obrigação delas pagar/providenciar essas coisas. Isso é comparável aos custos de deslocamento para o trabalho para quem não pode ir a pé e neste caso ninguém paga nada a ninguém por obrigação (há empresas que oferecem perks em relação a isso no entanto).

      • José Fonseca Amadeu says:

        É mordomia obrigatória para empresas com mais de 300 pessoas…
        Mordomia é ir ao restaurante, refeitório é uma forma de comer razoavelmente bem por pouco dinheiro.

  12. Crucificados pelo Sistema says:

    Sim e Não.

    O empregador deverá garantir as ferramentas de trabalho necessárias/obrigatórias (Computador, Internet e telemóvel), no entanto e como trata-se de uma despesa avultada, deveriam dar uma compensação pelo uso de equipamento pessoal (não pagar na totalidade, se o funcionário já possuía os bens), e no caso de telemóvel fornecer um plafond mensal. O motivo de o empregador compensar o funcionário é muito simples, ao usar o equipamento pessoal acaba por causar desgaste sendo que essa compensação deveria sempre existir, ou então simplesmente fornecer o equipamento para evitar essa compensação.

    As despesas como àgua, luz, gás não deveriam ter de o pagar, pelo facto de não serem ferramentas obrigatórias para o trabalho, e o aumento de uso das mesmas ser um dano colateral da situação que passamos e não porque simplesmente o patrão decidiu que trabalhar em casa era fixe.

    • Esmitrófia Albitxeca says:

      como é que a luz não é necessária? (água e gás não são)
      Esse argumento é válido, um subsidio pelo desgaste de equipamentos pessoais faz sentido. No entanto isso é exatamente a mesma situação dos deslocamentos para o trabalho (carro próprio ou passe) onde tens de gastar dinheiro teu e por vezes desgastar o teu carro e arriscares-te a acidentes e riscos e etc para poderes ir trabalhar. Se é para ser dado um subsidio/bens a uns porque é que não é dado aos outros também?

    • Pedro V says:

      Ratos de Porão. Grande faixa.

  13. Narciso Miranda says:

    A questão do inquérito foi mal elaborada, deveria de ser, “Devem as empresas DAR AJUDAS DE CUSTO aos trabalhadores em teletrabalho?

    O português infelizmente só sabe ver subsidios à frente.. quanto menos fizer e mais subsidios tiver, melhor. E o bom exemplo vem de quem nos governa.

    Estou em teletrabalho desde Março do ano passado, passei a ter um consumo ligeiramente maior de água somente. Luz pouco ou nada se nota.

    Mas nao passei a ter, tempo de transito, desgaste do carro, combustiveis. Claro que a empresa acaba por poupar mais do que eu, por ex a minha empresa, de 6 pisos que detinha, cada piso com cerca de 300 pessoas, passou para 3 pisos somente, um custo de media de 5k em electricidade por mês, por piso, passou para pagar somente 3 pisos, fora 3 alugueres de 6k ao mês por piso que tambem deixa de pagar.

    Isto podia reflectir em parte nos ordenados dos colaboradores.

  14. Celso says:

    Não concordo que sejam as empresas a pagar os custos, até que porque não foi imposição destas para que os seus colaboradores ficassem em teletrabalho. Se o Estado impões algo aos seus cidadãos e empresas, tem o dever (mais não seja moral) de ressarcir os mesmos dos encargos que agora têm de suportar. É o que acontece em vários países da Europo (Alemanhã, França, etc…). O que acontece é que os países onde isso acontece têm possibilidades e fundos para o fazer, não é o Caso de Portugal, onde esbanjaram o que tinham e o que não tinham e agora “sacodem a água do capote”, como aliás o sr. Costa e companhia sabem tão bem fazer.
    Passar a imagem de que as empresas devem suportar estes custos quando foi o Estado que impôs essa condição é, no mínimo, ridícula. Em vez de passarem a “batata quente” para a mão das empresas, o Estado deveria era rever os impostos, diretos e indiretos que estão implícitos na eletricidade e nos combustíveis. Para aqueles que não sabem, ou preferem não ver, mais de 60% do que pagamos, por exemplos, em combustíveis vão diretamente para o estado.
    para terminar, desde que me lembro de ser alguém, que só vejo dois partidos a governar este país e que já levaram, pelo menos três vezes, o país à bancarrota e tiveram que chamar o FMI para intervir. Sempre fui votar, em todas as eleições, e no meu boletim de voto sempre existiram mais de 5 opções de voto. Mas pelo que me dá a entender, a maioria dos boletins só deve ter duas opções. Ainda vamos a tempo de mudar este “estado” de coisas.

  15. Outra vez ?! says:

    Penso que se alguma firma ou empresa quer que os seus funcionários trabalhem apartir de casa deve pagar quer os equipamentos necessários como parte de todo o resto, como por exemplo parte das contas que teria e deixa de ter… afinal de contas essas mesmas firmas podem ter apóios quer do Estado como da U.E. Já o funcionário além de ganhar pouquíssimo tem que pagar os impostos que as firmas não pagam porque fogem a tudo o que é responsabilidades. Se todos os trabalhadores passarem a ser empresas sediadas nos Offshores talvez as coisas mudem … existem situações na área laboral que o funcionário recebe x por km caso se desloque no seu carro particular, etc, etc … convém não fazer confusões e discutir seriamente as questões, sem subterfúgios e com honestidade intelectual, coisa que muito gestor ,chefe ou mesmo patrões não têm. Se existem funcionários que são chico-esperto e o patrão ou chefe deixa , que dizer?! Certo dia assisti a uma cena caricata. Um funcionário jogava as cartas no seu computador e o chefe sabia e nem reparo fazia, mas já não tolerava se esse funcionário fosse subcontratado… Despedime no dia seguinte. Trabalhador que use o seu material normalmente são bem mais caros e trabalham tipo free Lancer o que dá mais “autonomia” a um “discutir” certas coisas que muitos não querem fazer. Qualquer um teria uma empresa com os outros a pagarem as contas que a esses lhe cabe … Enfim.

  16. Jorge Carvalho says:

    Tantos comentários e nenhum refere que isto está na lei de trabalho.

    Abc

  17. Jorge Carvalho says:

    Esqueci-me de referir :
    Porque acham que a Liberty passou quase 2 mil caramelos para remoto ?
    Pagam mais 660€ ano para ajuda de custos.
    Acham que a empresa ficou a perder ( foram 4 paises incluindo portugal ) ?
    Esquecem-se que com esta “novidade” em portugal já empresas a procurar trabalhadores em outros países dado que descobriram que afinal em remoto também funciona e não estão limitados ao mercado nacional ?

    Abc

  18. Pedro V says:

    Quer exponha perdas ou ganhos quando entro nestas comparações, sendo residente e trabalhador nos Países Baixos, partilho a minha experiência:
    sem mínimos ou máximos de distância, o meu patrão paga-me 19 cent por km para eu me deslocar, na minha viatura, para o trabalho. Se por ventura quiser que eu dê boleia a um colega meu, passa para 38 cent.

    Fora de contexto, pela minha conta no ing, pago mensalmente 3,55 eur. Ponto. Não me cobram mais nada. Nem um cêntimo pelo cartão. Nas compras, mesmo que a despesa seja de cêntimos (pão), pago com o cartão ou telemóvel (via própria APP do banco). Ninguém levanta ondas pelo valor. Não me recordo da última vez que andei com papel-moeda.

  19. Joao Magalhaes says:

    Claro que os oportunistas vão dizer que sim e de certeza que não contabilizam o dinheiro que gastam ao terem de se deslocar para o trabalho mais o tempo perdido. Na realidade os que têm trabalho podem se dar por contentes.

  20. SANDOKAN 1513 says:

    “Por outro lado, 33% respondeu que não concorda que sejam as entidades empregadoras a pagar estas despesas aos seus funcionários que se encontrem a trabalhar a partir de casa (1.007 votos).” Eu votei nesta.E é a que se devia pôr em prática,simplesmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.