Quantcast
PplWare Mobile

Zaporizhia: Estivemos a um passo de um desastre radioativo

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. SPr says:

    Culpem o Kadyrov (os mercenários que a Rússia contratou e planeou antes de fevereiro nos quais coordenaram tudo)

    Se houver alguem aqui pro-russo, é fácil de anular. Fazer bases militares em centrais na casa dos outros. Usar o grupo Wagner para terrorismo e Kadyrov como propaganda.

    Mas há algum pro-russo que aguente com este tipo de argumentação? Nenhum. Basta tocar nestes assuntos que eles calam-se ou vêem com a treta do nazismo e bases militares da Ucrânia em hospitais e civis.

    Meus senhores nenhum deles justifica a utilização de mercenários como Kadyrov, Grupo Wagner, bases militares em centrais nucleares em país que não são deles.

    Para quem quiser ler noticias que não aparecem nos jornais de noticias e televisões e ficar a APR de tudo. Este canal é certificado e confirmado pela Ucrânia.

    Um bom canal das forcas ucranianas. No telemovel se pressionarem sempre é possível traduzir (ou indo as configurações e habilitar isso) automaticamente faz a tradução para português
    https://t.me/SBUkr

    E para quem diz que é noticias falsas se pesquisarem Kadyrov saiu hoje nas noticias e na comunicação social, porem no Telegram oficial das forcas ucranianas é tudo dito com mais detalhes.

  2. Jonas says:

    “O Armagedão. Zelenski anunciou que os russos estavam a provocar o fim do mundo com uma explosão atómica na central de Zaporija, que eles, russos, controlam desde Março e que, não se sabe porquê, nem Zelesnski se digna explicar, começaram a bombardear estando lá.
    A farsa era óbvia e foi passada pela propaganda ocidental como verdade irrefutável. Quem duvidava era putinista.
    Agora, na véspera da visita de uma delegação da agência da ONU para a energia atómica, o pequeno charlatão diviniizado, já fala de termos estado à beira de uma catástrofe atómica. Safámo-nos segundo o locutor. ” 🙂

    • Manuel da Rocha says:

      O zelesny tem exagerado no entanto, é verdade que os russos obrigaram os 183 trabalhadores ucranianos a ficar a trabalhar, é que a Rússia não tem 1 única pessoa que seja capaz de trabalhar com aqueles reactores. Devido à modernização (made in USA) os russos ficaram perdidos. Quase 700 funcionários de 3 centrais nucleares russas foram destacados para lá. A única coisa que fizeram foi levar 740kg de urânio enriquecido, para a Rússia, pois não sabem usar a sala de controlo de cada reactor. Com as limitações e bloqueios, a Rússia ainda tentou que o Irão e a Síria conseguissem arranjar alguém que já tivesse feito alguma formação na energia atómica… até agora nada. Daí que só 2 dos 6 reactores estão a operar.

  3. john says:

    É impressionante o quanto estes ucranianos mentem com a ajuda do ocidente. Toda a gente sabe que são os ucranianos que estão a bombardear a central nuclear de forma a criar um incidente nuclear que afete países da NATO. Ao afetar países da NATO esses países podem invocar o artigo 5 envolvendo assim a NATO no conflito. A preocupação com a integridade territorial da Ucrânia por parte da NATO é tanta que só se entende pelos interesses obscuros que os EUA possuem nesse território.
    Tenho pena que a NATO não se preocupe com a integridade territorial da Sérvia ao considerar o Kosovo como território independente. O Kosovo pertence à Servia desde tempos em que nem os EUA existiam. O pior é que na Sérvia já está em vias de eclodir outro conflito.
    Censuram os órgãos de comunicação russos de forma ao Zé Povinho engolir todas as mentiras que lhes enfiam pelos olhos e ouvidos a dentro e com isso os países ocidentais terem o apoio das suas populações para enviarem armamento para a Ucrânia. Uma tristeza de mundo baseado em mentiras.

    • Rui says:

      Se existir um acidente nuclear a Ucrânia vai desaparecer como país. Explica lá qual será a utilidade de fazer isso para a NATO entrar se já estaria tudo perdido?
      Alem disso simulações mostram que se houver um acidente nuclear neste momento os ventos trariam a radioatividade para o lado da Europa e não da Rússia. Então quem se beneficiaria com isso?
      Só falta dizeres que a culpa é Ucrânia e não do país invasor.

      • A.M. says:

        Nem mais!!…que manias desta gente querer mostrar que está contra a corrente só porque sim!! Os russos são os invasores, os destruidores de um país que não é deles, não há argumentos possíveis, como acabar com o nazismo e outras tretas!! Os ucranianos apenas se defendem do invasor, defendem o que é deles, e claro que nunca iriam atacar a sua própria central nuclear, poqre eles não são loucos. LOUCOS são os outros, ou melhor “o outro”!!

        • Ninho de cucos says:

          Nunca lutes com um porco. Ambos se vão sujar e no fim o porco ganha. A Rússia está a usar a central nuclear como escudo, uma atitude nojenta mas previsível. Defender esta escumalha que enriquece à custa do povo que não tem sequer direito a manifestar o direito à vida é muito triste. Um país governado por mafiosos e escumalha do KGB é certamente a vítima em toda esta situação.

      • Manuel da Rocha says:

        Infelizmente há por aí vários “influencers” como ali o John, que se andam a vender a empresas de marketing, que pagam MUITO bem a quem obtenha 400000 seguidores e faça 3 milhões de comentários online, que criem indecisão sobre as situações.
        PSD, IL e Chega investiram 11 milhões de euros nesses serviços, os empreendedores viram outra oportunidade de negócio e vá de irem andando a comentar com LIXO, para chamarem a atenção para os seus posts nas redes sociais e para vídeos no tiktok. Já que a máquina está super financiada, é um extra.

        • john says:

          Meu caro, não me confunda. Esta guerra para mim é demasiado suja porque está cheia de mentiras desde o início por parte do ocidente. Como especialista na área militar compete-me falar a verdade e não me comportar como as comentadeiras que empurram para as televisões ou como pseudocomentadores como o senhor.

          • RPG says:

            Uma guerra sem mentiras de ambos os lados ainda está para vir… só alguém que anda por cá há 2 dias fica indignado com tal sucessão de eventos lool.. No entanto, do lado Russo, para além de mentiras constantes, existe ainda opressão e censura constante.. Só um cego n vê.

          • LR says:

            É especialista em que área militar, mais concretamente? E, sendo qual for a área, em que é que isso o torna um expert neste caso? Será que é como aquele comentador de um dos canais de TV, que por ser militar, também é especialista em técnicas de construção de centrais nucleares?
            Pelo menos, terá razão numa coisa: esta guerra está cheia de mentiras, sendo a primeira de todas a justificação e classificação da Rússia a esta invasão e agressão a um País independente e soberano.
            Já gora, sendo um expert na área militar, não sabe que a informação e a contra-informação são das armas mais perigosas que se pode ter?
            Para terminar, em que é que a sua “verdade” é diferente da verdade dos outros, ou das “comentadeiras” ou pseudo-comentadores”, que tão bem decalca? Compartilhe conosco essas informações, o pessoal ficará agradecido, e já não fará juizos de valores “errados” dos seus comentários, nem o “confundirá” com nada.

    • Manuel da Rocha says:

      A Rússia colocou 11 batalhões (7300 soldados) e 8 grupos de artilharia (165 peças) dentro da central. Além de existirem 260 tanques e centenas de outros veículos, dentro do perímetro da central. Isso já foi observado por imagens satélite, assim como 800 mercenários do Daesh, usaram o rio, em frente à saída de água de arrefecimento, para atravessar e tentarem conquistar uma cidade. Terá sido a ajuda americana, que permitiu aos ucranianos bombardearem a ponte de 11 barcaças e meia dúzia de pequenos barcos, que terão morto boa parte desses mercenários e a razão para a Rússia desligar 1 dos reactores da rede ucraniana, cortando a electricidade a 6 cidades, a norte.

      • john says:

        Mentira. Circulou por aí um vídeo gravado por um funcionário ucraniano da central nuclear onde se via apenas uns 3 ou 4 camiões de transporte de militares. É perfeitamente normal existirem lá esses camiões ou a central nuclear não estivesse sob o controlo dos russos desde o início do conflito. Nem as empresas com capacidade de tirar imagens de satélite através das nuvens ainda conseguiram tais imagens porque simplesmente não existem.

        Agora os ucranianos que colocam militares e armamento pesado em zonas residenciais, escolas e hospitais tornando esses lugares em alvos militares já são uns santos e nenhuma imagem de satélite aparece por aí pois não?

        Já agora, e os bombardeamentos com granadas de pétalas efetuados pelos ucranianos a populações civis nos territórios ocupados pela Rússia? Sabia que essas granadas de pétalas são proibidas pelas convenções internacionais?

        E os crimes de guerra perpetrados pela Ucrânia e descritos no relatório da AI e que não é aceite pelo ocidente pois vai contra a narrativa que querem vender?

      • john says:

        Relativamente ao Daesh só demonstra que não percebe nada de nada pois caso contrário saberia quem financia o Daesh e quem os está a treinar neste momento para os levar para a Ucrânia. Se não sabe quem os está a treinar neste momento eu digo, é a CIA!

        Quanto ao bombardeamento da central hidroeléctrica esse bombardeamento é feito pela Ucrânia pois é de lá que vem a água para o arrefecimento da central nuclear.

        A Rússia meteu-se na Síria precisamente para combater o Daesh que estava a fazer o trabalho sujo dos EUA e de Israel.

      • john says:

        Outra questão. Quando a Rússia ocupou a Crimeia a Ucrânia cortou-lhe o fornecimento de energia elétrica. Não quis saber do habitantes da Crimeia para nada. Agora que os russos cortaram o fornecimento da energia elétrica produzida na central nuclear à Ucrânia já é um problema. Sabe porque é um problema? Porque essa energia representa 20% de toda a energia consumida na Ucrânia. Além disso, a interrupção do fornecimento dessa energia elétrica tem impacto na estabilidade do sistema elétrico europeu e no respetivo funcionamento das centrais.

        Para finalizar, a invasão da Crimeia foi como um passeio para os russos porque mais de 70% dos militares ucranianos estacionados na Crimeia passaram para o lado russo.

    • john says:

      Sobre a Rússia ter invadido a Ucrânia esta tinha e tem imensos motivos:
      1- A expansão dos EUA/NATO para as fronteiras da Rússia violando todos os acordos previamente estabelecido com a Rússia.
      2- A futura adesão da Ucrânia à NATO e consequente instalação de mísseis da NATO nas fronteiras da Rússia.
      3- A intenção da Ucrânia produzir armas nucleares representando uma ameaça para o território russo.
      4- A existência de terras raras na Ucrânia, e tão cobiçadas pelo ocidente, leva a que os EUA/NATO financiem uma guerra que a Ucrânia terá que pagar no futuro.

      Como disse em cima noutro comentário, a dualidade de critérios por parte dos EUA/NATO em relação à Sérvia e a constante expansão da NATO para as fronteiras da Rússia é que tem que ser travada.

      Os EUA invadiram o Iraque matando mais de 100 mil pessoas devido à alegada existência de armas químicas que ainda hoje ninguém as viu.

      Vêm com a narrativa de que todo o mundo está contra a Rússia, mas em que mundo vivem? Do lado do ocidente temos um pouco mais de 700 milhões de pessoas. Do lado da Rússia (China, Índia, Irão, África do Sul, Brasil, etc.) temos mais de 3300 milhões de pessoas. Desde quando a maioria do mundo está contra a Rússia?

      O bombardeamento desta central nuclear por parte da Ucrânia não passa de uma false flag para justificar a intervenção da NATO à semelhança de muitas outras false flags criadas no passado pelos EUA como no Vietname, Iraque, Afeganistão, etc.

      • Palavra do senhor says:

        Portanto:

        1- A expansão dos EUA/NATO para as fronteiras da Rússia violando todos os acordos previamente estabelecido com a Rússia.
        2- A futura adesão da Ucrânia à NATO e consequente instalação de mísseis da NATO nas fronteiras da Rússia.

        Tanto o ponto 1 como o 2 não aconteceram.
        Justificar a invasão da Ucrânia com base na possibilidade do ponto 1 e 2 acontecerem é ridículo.
        É como dizer que vou começar a bater nos meus vizinhos antes que eles me batam a mim.

        John, argumentos destes vindos de um suposto especialista militar…dá para ver que afinal todos podemos ser especialistas.

        Tenha um bom dia e aproveite para viajar para a Rússia. Eles estão a precisar de soldados para mandar para a Ucrânia. Força nisso!

        • john says:

          Se não sabe o que é uma guerra preventiva não vou perder o meu tempo consigo. Tenha um bom fim-de-semana e semana.

          • Palavra do senhor says:

            De acordo com o artigo 51 da Carta das Nações Unidas, o direito de legítima defesa é exercido no caso de ataque armado. A guerra preventiva é demasiado controversa para ser vista da forma como o senhor está a ver.
            Não se admire se um dia levar do nada um murro nos dentes: afinal, estamos apenas a ser preventivos e a atacar antes!

            Sinceramente, eu até acho que uma pessoa como você só vem aqui fazer barulho para meter a malta a falar. Se é esse o objectivo, está a conseguir!!

      • J says:

        Pronto john, já vou acreditar em ti, já que és perito nisso. Agora descansa um pouco antes de ires fazer o próximo copy & paste deste texto, para outro caixa de comentários qualquer. Não desanimes e continuação de bom trabalho a espalhar as tuas “verdades”.

      • Jose Martins says:

        Vejamos: Ponto 3 – Se a Ucrânia tinha intenção de produzir armas nucleares porque carga de água entregou as que tinha à Rússia sob promessa de Putin que nunca atacariam a Ucrânia? Lógica disto? Apenas uma: Putin faltou com o acordado com a Ucrânia. Esclareça por favor porque apenas refere o Afeganistão ligando o caso aos EUA e não refere que os primeiros a invadir o Afeganistão foram os Russos (Ex-URSS) porque estavam interessados nas “terras raras” daquele país que na altura era um povo de cabras e montanheses. O que fazem tropas russas na Síria e Mali? Dois países com regimes ditatoriais e condenados na ONU por genocídios, opressão, corrupção? Será ajuda humanitária? China, Irão (África do Sul e Brasil é questionável) mas poderia ter referido por ex a Coreia do Norte que inclusive ofereceu tropas à Rússia. Também “democracias” onde não existe opressão, repressão e violação de direitos humanos. Tal como na Bielorrussia e Tchetchénia aliados da Rússia. De facto, os parceiros da Rússia são todos “boa gente”. Mas sobre isso nada diz. Nem Russos nem Americanos são santos…

      • joaomatos says:

        O John não é parvo!
        Sim existe uma veia nazi que veio ao de cima, na EU, desde 2014 e em especial nota-se desde Fevereiro de 2022, para cá.
        Vivemos na pior ditadura desde os regimes nazis do Salazar, uma inquisição completamente imposta pela comissão Europeia, que alias segue o mesmo modelo Político da União Soviética, com uma grande diferença… a União Europeia são nazis.

        Essa Ursula Von der Leyen, deve ter tatuado o símbolo da Raça suprema…num sitio que eu cá sei!
        Depois há o Borrell, espanhol ditador de m*rda, tem um focinho que parece um porco.Depois vem os abusadores dos Ingleses, que são uns cobardes mas mesmo assim querem lutar contra os Russos de uma forma indirecta claro…de outra forma seriam completamente esmagados pelos Russos…e os Ingleses sabem bem disso, por isso é que usam os Ucranianos como carne pa canhão…o Zelinsky só quer saber do seu povo..aquele que está em Israel..
        Os Ucranianos, tirando os nazis, são os únicos que eu não entendo…estão a ser puxados para uma guerra que eles não querem, e em vez de se revoltarem contra o regime nazi…vão morrer na guerra..ho my god..

    • ERUS says:

      Impressionante é haver aqui alguém como tu que nem sabe o que diz.

      • Francisco says:

        Olha que não. Esse john parece-me saber bem o que diz. Na verdade bem demais.

        • Profeta says:

          O problema de algumas pessoas aceitarem a verdade do John e porque vem tanta informacao na televisao que ja a dao por verdadeira. Concordo com o John que de facto nesta guerra e so mentiras e a CS ajuda a fomentar isso, e os carneiros batem palmas a favor da Ucrania e contra a Russia. Assim vai o mundo satanico destas pessoas.

  4. Sapo says:

    Os russos são mesmo maldosos, ocupam uma central nuclear tomando o controlo e ainda jogam bombas pro ar pra cair em cima dela.

    É…. Faz todo o sentido. Muito mais do que a ukrania bombardear a central pra tentar destruir a Europa e tentar jogar a culpa na Rússia

    • luisa says:

      Ignora, já me apercebi que aqui na terra dos incompetentes tens tolos que comem o que dá na tv hora a hora!! A verdade escrita pela europa e pelos estados unidos tem de ser aceite por todos ou então és considerado pro russo!!

      A principal frente de uma guerra é convencer o povo de que o lado em que estão é o mais justo!! Conclusão ambos cometem atrocidades em nome da defesa do seu povo e culpam o inimigo!

      • john says:

        Ora aqui está um comentário sensato. As guerras estão repletas de atrocidades cometidas por ambos os lados.

        O que mais me repugna nesta guerra é o ocidente ter retirado aos seus cidadãos o acesso ao contraditório através da censura dos meios de comunicação russos.

        Hoje em dia no ocidente quem quiser ter acesso a informação minimamente isenta tem que recorrer aos meios de comunicação indianos. Porque é que o ocidente tem tanto receio que o seu povo oiça a outra versão? Porque têm receio que tenham acesso à verdade e se revoltem. Da mesma forma que estão cheio de receio com possíveis revoltas que possam ocorrer quando chegar o inverno. Já não falo na omissão completa de manifestações na Alemanha e França contra o fornecimento de armas à Ucrânia.

        A Ucrânia e o ocidente farão de tudo para tentar obter alguma vitória, principalmente do ponto de vista energético, antes do inverno.

        Os EUA e o ocidente em geral não se importam de manter esta guerra por procuração porque não são os seus cidadãos que se estão a sacrificar. Eles vão alimentar esta guerra até ao último ucraniano.

        Repare que quando ocorreu o cerco ao complexo industrial de Azovstal esconderam a todo o custo a existência de militares franceses nesse complexo de forma a evitar que o Macron perdesse as eleições. Enfim, uma vergonha.

      • joaomatos says:

        Luisa, john,Sapo,
        Bons comentários, de alguém com um cérebro para pensar

        • jota says:

          Bons pensadores, criticam todos os que “papam” propaganda ocidental, e depois vêm para a qui papaguear e passar a cassete da propaganda russa, i.e., fazem o mesmo daquilo que criticam.

        • Palavra do senhor says:

          Vocês são é o típico anti: estão sempre a remar contra a maré.
          Com ou sem razão, se o correcto é ir para cima, vocês vão para baixo. Só para ser diferente e marcar a posição de “não somos mais uma ovelha do rebanho”.
          Isto é malta das anti-vacinas (que entretanto já têm a 10a dose se for preciso).

          Larguem a wikipédia e se querem ser levados a sério comecem a colocar fontes que suportem o que dizem.

          Força nisso!

          • joaomatos says:

            “Vocês são é o típico anti: estão sempre a remar contra a maré.”

            Eu acho que a maioria dos comentários de pessoas equilibradas que tenho visto a única coisa que são anti é anti-nazi, mas eu não vejo isso como um defeito mas sim como uma qualidade!

            Agora o facto de você ver isso de uma forma diferente, pode defacto ser indicativo daquilo que você é..

  5. Jorge says:

    Mas o urânio ainda está na central ?

    Ou já foi ?!

    • joaomatos says:

      Ainda está na central, desligar uma central nuclear por completo pode levar uns 3 meses..
      Tu podes desligar o núcleo, e dessa forma evitar que ele derreta, mas os rods de combustível radioativo ainda lá estão e eles provocam calor também, mas acima de tudo podem eles também provocar um derrame radioativo que contamine a região..

      Mas o mais importante é a quantidade de residuous nucleares que existem na central…permitem criar bombas atómicas, tal é a quantidade do mesmo!
      Por esse motivo a Rússia não abandona a central!
      Agora, o que eu acho é que a Rússia mais cedo ou mais tarde vai ter que retirar da Ucrânia quantidades brutais de redidous, se não quer ver a Ucrânia a criar bombas atómicas..

      Pela Lei internacional, os Países que fornecem o combustível nuclear teem a obrigação de retirar os residuous de lá, mas a Inglaterra não o faz, ou seja está em violação da Lei Internacional!

      Eu não quero ver uma Ucrânia, virada do avesso e com armas nucleares!

  6. Francisco says:

    Olha que não. Esse john parece-me saber bem o que diz. Na verdade bem demais.

  7. secalharya says:

    Isto para mim não passa de uma históriazeca para meter mais medo ao povo de forma a justificar os preços altíssimos.
    Nunca houve um perigo real de haver um desastre.

    O povo acredita nas histórias, paga e vota nos mesmos para a próxima.

    • Oscar says:

      Aconteceu-me o seguinte esta semana. Fui a um hipermercado de uma marca muito conhecida fazer compras e as prateleiras de um determinado produto estavam praticamente vazias. Chamei uma funcionária, que por acaso até conhecia, e perguntei-lhe se o produto estava esgotado. Sabe o que ela respondeu? Disse-me na surdina que existia muito produto lá dentro no armazém, mas que a chefe dela não a deixava colocar no produto nas prateleiras.

      Assim se justificam a prática de preços altos alegando escassez do produto devido à guerra, pandemia, etc.

      Não tenha dúvidas que anda muita gente a ganhar muito dinheiro à custa da pandemia e da guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.