Quantcast
PplWare Mobile

YouTube bloqueia canal do parlamento russo e enraivece as autoridades do país

                                    
                                

Fonte: Reuters

Autor: Marisa Pinto


  1. Técnico Meo says:

    É preciso urgentemente falar com a empresa exportadora da pomada Voltaren para as dores, para não enviar mais para a Rússia.

    É que podem esgotar o stock mundial em poucos dias pelo caminhar da carruagem 🙂

  2. Vrael says:

    A Russia anda muito nervosa ultimamente… irrita se facilmente

  3. Thomas says:

    Fazem coisas que nao gostamos!!! e Querem estar na boa? NAO! Continuem com este tipo de accoes até a guerra acabar e a russia admitir que errou e que pague pelo que esta a fazer!!!

  4. Memória says:

    Não sei como é com vocês em Pt, mas eu posso ver tudo o que está bloqueado por intermédio do grátis VPN
    incluído no Opera browser, a minha direção virtual é nos USA

  5. Mouro says:

    LITERALMENTE 1984

  6. Secadegas says:

    É extremamente importante para o ocidente bloquear tudo o que venha da Rússia… Não vão os “maus” provar que afinal nem tudo é azul e amarelo…

  7. Patati says:

    Há um problema nisto.
    Não há manifestações anti-guerra na Rússia. O regime prendeu os que se manifestavam. Todos os órgão de informação independentes ou com alguma independência foram encerrados. O regime transmite desinformação permanente e a popularidade de Putin subiu.
    Na Rússia não se fala em invasão nem em guerra, o regime diz que é uma “operação especial” e que o ocidente desencadeou uma guerra de desinformação, de que faz parte a Google, neste caso, por via do YouTube. Por certo o passo seguinte é impedir o YouTube na Rússia – é o que quer dizer a citação do post: “Salve os conteúdos e transfira-os para plataformas russas. E apresse-se.” Isto vai limitar ainda mais o acesso da população a informação que não é do regime.
    Tem que se distinguir o que é “dizer” (informação) do que é “fazer”, seja em termos económicos, seja em termos militares. A censura da informação não é um bom meio para aplicar sanções.

    Quanto à duração da invasão, não há solução rápida, está para durar. Como dizia um ucraniano: “Ou Putin morre, ou o matam, ou nós matamos os soldados dele”.

  8. Louro says:

    Nao tinham sido eles que bloquearam o acesso ao Youtube, queriam o canal deles lá para que?

    É que para que os cidadoes deles possam ver, nao é de certeza…

  9. jota says:

    Continuam todos a forçar por todos os meios uma terceira grande guerra mundial…

    • Patati says:

      Há um país invasor e um país invadido.
      Só há um país que está a forçar por todos os meios uma terceira guerra mundial.
      Deixava-se Rússia ocupar a Ucrânia e problema resolvido? Se se deixar a Rússia fazer isso, a seguir ataca outro país. Se os ucranianos estão a lutar corajosamente pela independência do seu país não merecem ajuda?

    • Jane Doe says:

      Continuam alguns a forçar os outros a aceitar pacificamente que um país possa invadir outro só porque é mais forte.

    • Samuel MGor says:

      Andas a ver muitos filmes…. Não vai existir uma terceira guerra mundial pois a Rússia já só tem a Bielorrússia do seu lado. Até a China está neutral a isto. Se a Rússia atacar a Nato então vai ser um desastre para a Rússia pois os misseis balísticos que a Nato estão todos apontados a ela.

      • Manso says:

        Acreditas mesmo no que dizes?
        Um simples ICBM Russo é suficiente para destruir a Europa como a conheces, e não existe nenhum tipo de defesa eficaz que funcione… Excepto nos filmes de Hollywood.
        E eles “só” têm 5000 desse tipo que se saiba.

        • iDroid says:

          É verdade, mas os EUA estão taco a taco em termos de armamento, e não me parece que eles não contra-ataquem nesse caso….o Biden inclusivamente já disse que o Putin não podia permanecer no poder.

        • PTO says:

          Os misseis ICBM apenas se diferenciam dos outros missies no alcance que possuem (acima de 5500 kms). Fora isso nem sequer são dos misseis mais modernos ou mais destrutivos. E há muitos mais países com ICBM’s e que seriam todos lançados contra a Russia… que tb não tem defesa eficaz contra eles.

  10. Profeta says:

    Nao entendo o porque de bloquear o canal do parlamento. Eu acho que este pessoal e instituicoes so precisam e de pretextos para fazerem o que quer que seja mesmo as coisas mais absurdas.

  11. Cunha says:

    Ainda gostava de saber o porquê de AINDA se dar importância ao paleio do governo russo!

    • Joao Ptt says:

      6,257 ogivas nucleares é o porquê de ainda se dar importância ao paleio do governo/ estado Russo. Eles podem literalmente destruir todo o planeta várias vezes com ogivas nucleares.

      E a retaliação? Eles acham que tanto eles políticos e militares de topo se conseguem proteger dentro de bunkers militares especialmente reforçados, assim como a maior parte da população Russa conseguirá salvar-se nos abrigos subterrâneos que existem por toda a Rússia. Por tanto para os Russos uma guerra atómica pode ser perfeitamente ganha e sobreviverem a ela.

      E os políticos Europeus sabem que a Ucrânia é o único país na Europa com capacidade militar mínima real para enfrentar os Russos, por exemplo porque é na Europa o único que tem tanques suficientes para preocupar a Rússia. É por isso que todos andam a ajudar à descarada e a dizê-lo ainda antes da invasão, porque sabem muito bem, que cada meio militar Russo destruído é menos um que será utilizado para atacar o resto da Europa… e todos sabem que se a Rússia decidir amanhã atacar a Europa, a mesma será devastada pelos Russos facilmente… mais facilmente se decidirem usar armas nucleares, menos facilmente se não decidirem usar armas nucleares.

      E a Europa precisa de cada dia que conseguir, para restabelecer relevância militar, porque na Europa só talvez os Franceses é que têm investido mais a sério nas forças militares nas últimas décadas, e mesmo assim são relativamente irrelevantes perante o poderio Russo… mas integrados na OTAN/ EU, já são uma força considerável que os Russos não podem ignorar. A Suíça também estará um pouco melhor a nível militar devido à preparação da população, mas sobretudo pela geografia… mas certas áreas serão tomadas sem qualquer dificuldade se os Russos decidirem avançar… sem falar que nenhum país na Europa tem uma força aérea realmente capaz de enfrentar os Russos numa situação de 1 para 1… a Europa conta o apoio mútuo para ter alguma hipótese…. mas isso cairá por terra logo nas primeira horas porque todas as bases aéreas serão alvos prioritários dos mísseis Russos… e tanto quanto sei a maior parte (ou mesmo todos) não tem sistemas de defesa anti-míssil adequados aos mísseis mais avançados dos Russos… o que é uma falha extremamente crítica de segurança perante um adversário que pode destruir tudo na Europa sem sequer meter um militar fora do território Russo…. só com sistemas terra-terra e ar-terra.

      A coordenação, já se fala que os Russos terão satélites com armas que serão lançadas sobre os céus da Europa para provocarem picos electromagnéticos que destruirão no mínimo as redes eléctricas e com isso vai todo o suporte de guerra à vida, porque está tudo baseado na rede eléctrica que é extremamente frágil e vulnerável. E mesmo que isso dos satélites com armas seja falso, os Russos têm tais armas que podem lançar facilmente na vez de uma arma atómica.

      Tudo isto, e muito mais, explica o porquê de se dar importância ao paleio do governo Russo.

      • Razingolho says:

        Parei em “a Ucrânia é o único”

      • Memória says:

        Alguma estatísticas sobre a Ucrânia, sendo que algumas já não são válidas devido à destruição da guerra:

        Para aqueles que perguntam: “Por que a Ucrânia é importante?”

        É um dos maiores países da Europa com 41 milhões de habitantes, onde os altamente qualificados (35,3 milhões) são altamente motivados para o trabalho.

        Como classificar a Ucrânia:

        1º na Europa em reservas comprovadas recuperáveis de minério de urânio;

        2º lugar na Europa e 10º no mundo em reservas de minério de titânio;

        2º no mundo em reservas exploradas de minério de manganês (2,3 bilhões de toneladas, ou 12% das reservas mundiais);

        2ª maior reserva de minério de ferro do mundo (30 bilhões de toneladas);

        2º lugar na Europa em reservas de minério de mercúrio;

        3º na Europa (13º no mundo) em reservas de gás de xisto (22 trilhões de metros cúbicos)

        4º no mundo em valor total de recursos naturais;

        7º no mundo em reservas de carvão (33,9 bilhões de toneladas)

        A Ucrânia é um país agrícola:

        1º na Europa em área de terra arável;
        3º no mundo por área de solo preto (25% do volume mundial);
        1º lugar no mundo na exportação de girassol e óleo de girassol;
        2º lugar mundial em produção de cevada e 4º lugar em exportação de cevada;
        3º maior produtor e 4º maior exportador de milho do mundo;
        4º maior produtor de batatas do mundo;
        5º maior produtor de centeio do mundo;
        5º no mundo em produção de abelhas (75.000 toneladas);
        8º no mundo em exportações de trigo;
        9º no mundo em produção de ovos de galinha;
        16º lugar no mundo em exportação de queijos.

        A Ucrânia pode atender às necessidades alimentares de 600 milhões de pessoas.

        A Ucrânia é um país industrializado:

        1º na Europa em produção de amônia;
        2º e 4º maior sistema de gasodutos de gás natural da Europa no mundo (142,5 bilhões de metros cúbicos de produção de gás na UE);
        3º maior da Europa e 8º maior do mundo em capacidade instalada de usinas nucleares;
        3º na Europa e 11º no mundo em extensão de rede ferroviária (21.700 km);
        3º no mundo (depois dos EUA e França) na produção de localizadores e equipamentos de localização;
        3º maior exportador de ferro do mundo
        4º maior exportador mundial de turbinas de usinas nucleares do mundo;
        4º maior fabricante de lançadores de foguetes do mundo;
        4º lugar no mundo em exportação de argila
        4º lugar no mundo em exportação de titânio
        8º lugar no mundo nas exportações de minérios e concentrados;
        9º no mundo na exportação de produtos da indústria de defesa;
        10º maior produtor de aço do mundo (32,4 milhões de toneladas).

      • iDroid says:

        Os EUA têm um número muito semelhante de armas nucleares…

      • PTO says:

        LOL, andas a ver demasiados filmes.

        Escondem-se nos bunkers e abrigos sunbterrânes e depois, vão viver de quê?
        Onde vão arranjar fontes de água não radiioativa?
        E alimentos não contaminados pela radiação?
        E filtros para respirarem o ar radioativo que cercará todo o planeta?
        E proteção do frio extremo criado pelo inverno nuclear?

        Quanto ao resto do teu post… É como te disse antes, vês demasiados filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.