Quantcast
PplWare Mobile

Vacinação: 30.500 SMS enviadas apenas 55% das pessoas responderam

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Jonny says:

    Eu realmente não percebo esta gente. Se não tem vacina é porque ainda não existe se já existe e podem ser vacinados não querem. Para além do mais que oportunidade só exista um se não aproveitarem já foram…

    • Ze Nandoooo says:

      Leste na notícia que a maioria da população a vacinar são idosos? Quantos não terão números desatualizados e/ou não tenham quem os ajude na resposta…

    • Artur Peralta says:

      Estás a supor que as pessoas que recusaram andaram no ultimo ano a dizer que “só uma vacina é que nos salva”. Certamente quem não quer tomar é porque não se sente seguro com uma vacina desenvolvida tão rápidamente, e estão no seu direito.

      Se as próprias farmaceuticas não se responsabilizam por efeitos colaterais… porque havemos de nós correr esse risco? Quem quer correr o risco que a tome, quem não quer, que não a tome.

  2. Rebenta anilhas says:

    O (des)GOVERNO em vez de mandar sms, que mande mas é equipas para o terreno. Tá-se mesmo a ver que se querem é livrar de pagar reformas a estas pessoas…

    • Michael J. says:

      Lá por não terem respondido ao SMS não quer dizer que não tenha sido possível entrar em contacto com estas pessoas.
      Aprenda a ler e a interpretar.

    • fak says:

      e tens pessoas no terreno, tens as forças de segurança a fazer sensibilizações.
      agora, claro que não vão mandar equipas médicas para vacinar, é um risco extremo tanto para as equipas como para os idosos. O virus é invisivel, hoje estás bem, amanha podes ter o virus… agora imagina uma equipa médica que hoje tá com 50 pessoas, amanha 30, depois de amanha 40, etc. agora imagina se um, por ventura apanha covid…
      dia 3 50 pessoas estiveram em contacto, dia 4 30 pessoas, e por aí a diante… depois tens um SNS a rebentar com chamadas e os hospitais a rebentar com pessoas para fazer teste covid…

      há que pensar um bocado no longo prazo, eu percebo a tua ideia, vacinar o mais rapido possivel… o problema é que se o pior acontece… vai tudo para o esgoto.
      e relembro que a vacina não torna ninguem imune ao covid, só faz com que os sintmas sejam menos mortiferos. mesmo depois de tomares a vacina, podes apanhar e propagar o covid na mesma.

  3. g0tH1c.X says:

    Não aprenderam nada com o setor da aviação e outros…?! OVERBOOKING!!! É a melhor estratégia! *face palm*

  4. Flavio says:

    Mandar sms a idosos e esperar que eles saibam ler mensagens é um bocado ridículo. Deviam era ligar a essas pessoas ou mandar a gnr a casa deles.
    Os meus país com mais de 86 anos não sabem ler sms e tenho de ser eu a verificar diariamente se receberam sms.

    • Paulo Martins says:

      Isto é uma primeira fase, supostamente vai haver uma segunda tentativa de SMS e depois senão houver resposta os centros de saúde vão ligar aos utentes.

      O processo de ligar e marcar será muito mais lento, se eles tentassem logo ligar e marcar muito provavelmente teria agendado nem metade das vacinações.

    • Eu says:

      Exactamente o que eu pensei.
      Neste governo existe mesmo gente mal intencionada ou com muito poucos neurónios.
      Idosos e SMS não fazem qualquer sentido na sua grande maioria, e toda a gente de bom senso sabe disso perfeitamente.
      Só se safam os poucos que sabem mexer no bicho e aqueles que estão sempre acompanhados pelos mais novos!
      Muitos deles têm daqueles telemóveis de teclas grandes e mal os sabem usar, usando quase sempre a marcação do número completo, pois nem uma agenda de contactos sabem usar.

    • Tx2 says:

      A junta entrou em contacto com os idosos da minha freguesia para a vacinação os que quiseram já levaram a primeira dose na semana passada

  5. F Gomes says:

    Eu sou “idoso”. Tenho formação técnica na área de informática quer em software, quer em hardware. Sou eu que instalo, monto e reparo as minhas máquinas. Ah! E também sei ler e enviar SMS’s. Será que tudo o que é idoso é analfabeto digital? Em ordem ao artigo, não sei como responder (se receber SMS) porque não é contemplada a resposta NIM…

    • Eu says:

      Mas, a maioria do pessoal dito “idoso” mal sabem usar um telemóvel, fazendo marcações pelos números decorados ou anotados em papel, sem usar a lista de contactos, quanto mais ver ou usar as SMS!

      • Eu says:

        Mas, a maioria do pessoal dito “idoso” mal sabe usar um telemóvel, fazendo marcações pelos números decorados ou anotados em papel, sem usar a lista de contactos, quanto mais ver ou usar as SMS!
        O seu caso é uma excepção que deve representar menos de 0,001% da população portuguesa!

  6. Daniel says:

    Mais uma prova que as SMS da Proteção Civil não funcionam. Não é o sistema correto.
    Temos aqui o exemplo como as SMS são descartadas por dificuldades na leitura ou mesmo acesso às mesmas. Se a informação surgisse no ecrã do telefone no caso das SMS da Proteção Civil, a informação seria sempre recebida. Quem vai enviar SMS, ou telefonar tem de olhar sempre para o DIsplay.

    • Eu says:

      +1
      Este governo julga as pessoas todas pelo mesmo nível de conhecimento e acesso aos meios tecnológicos e depois faz coisas absurdas como querer a obrigatoriedade da App STAYAWAY COVID.
      Só falta dizer para todos usarem um Magalhães!

  7. Miguel says:

    Cerca de 500.000 portugueses são analfabetos (info de 2011), nem sequer estamos a falar em termos digitais! Creio que com grande incidência na população alvo da 1 fase de vacinação.

  8. David says:

    Tendo em conta as fraudes que aí andam como é que as pessoas, principalmente idosos, vão saber que esse SMS é fidedigno…

  9. Eu says:

    O que isto demonstra mais uma vez é que está tudo a ser gerido por gente muito incompetente, como já aconteceu anteriormente na gestão do Plano de Vacinação Covid-19.
    Já se cometeram erros de palmatória ao permitir que se abrissem novas embalagens sem terem pessoas prioritárias disponíveis no local, vacinarem pessoas não prioritárias primeiro que as prioritárias e outras coisinhas mais…
    Esperemos que alguém esteja atento e corrija mais uma vez estas situações pouco pensadas!
    Existem muitas pessoas inteligentes neste país que até poderiam dar uma mãozinha a organizar situações destas com muita eficácia. Mas, não me parece que estejam a ser usadas neste Plano. Infelizmente para nós!

  10. Samuel MG says:

    Existem pessoa com certas idades que não sabem ler sms, é o caso da minha mãe. Em vez de mandarem sms mais vale telefonarem.

  11. Revolução says:

    Com tantos funcionários do estado que não têm nada por fazer, têm tanto tempo para contactar as populações para serem vacinados.

  12. Do que sei says:

    De acordo com o Plano de vacinação, disponível em https://www.sns.gov.pt/wp-content/uploads/2021/01/Apresentacao_PlanoVacinacao_2020.01.28_VFINAL.pdf , a 1ª Fase de vacinação abrange diversos grupos prioritários, prevendo-se a vacinação de 811.000 pessoas até final de Março.

    Relativamente a dois grupos prioritários “com 80 anos e pessoas dos 50 aos 79 com determinadas morbilidades associadas ” pode-se consultar a lista para comprovar se constam da 1ª Fase em https://covid19.min-saude.pt/vacinacao , botão “Verifique aqui se consta das listas para vacinação da 1ª Fase “ (Há também um simulador para a data prevista de vacinação nas situações não abrangidas na 1ª fase).

    A lista refere-se a pessoas de que o SNS tem informação. Outras pessoas, com 80 anos ou dos 50 aos 79 com essas morbilidades, devem obter do médico uma prescrição eletrónica para passar a integrar a 1ª fase (Ver o Plano de vacinação, link acima).

    A marcação da vacinação é comunicada por SMS através do número abreviado 2424, atribuído ao SNS/SPMS para o efeito, com o texto: “COVID19: (PRIMEIRO NOME) vacinacao (data/hora/local). Responda SNS. NUMERO UTENTE.SIM/NAO até (data) Ex: SNS.111111111.SIM

    O SMS não é o único meio de contacto. Os Centros de Saúde também contactam pessoas por telefone.

    • Do que sei says:

      Do que sei … e porquê…
      Recebi o SMS que refiro, nem sabia que pertencia a um grupo prioritário.
      “2424? Qu´é qu´é isto? Será que é verdadeiro?” – foi a primeira reação.

      Acabo de receber uma chamada do Agrupamento de Centros de Saúde da minha área a confirmar a hora de vacinação.

      Deixem de ser c*nas e falar mal do vosso país. Este governo – ou outro qualquer que estivesse no seu lugar, faz o melhor que pode com as vacinas que vão sendo disponibilizadas. Informem-se, vejam se estão, ou os vossos familiares, na vacinação da 1ª fase – e se não estão e deviam estar, o que devem fazer, como digo acima. E confirmem se o SNS tem o telefone de contacto.

  13. Rui says:

    Se estão a mandar SMS através do numero que consta no cartão de cidadão tem tudo para dar errado, muitos idosos já não tem o numero ou sequer puseram qualquer numero no cartão de cidadão

    É muito mais certo que conseguiam chegar a essas pessoas através dos centros de saúde que tem os números atualizados seja da pessoa ou de algum agregado familiar

  14. Ricardo says:

    Os meus pais com 70 há não sabem ler nem enviar SMS… Acordem

    • Michael J. says:

      Lá por não terem respondido ao SMS não quer dizer que não tenha sido possível entrar em contacto com estas pessoas.
      Aprenda a ler e a interpretar. O SMS é apenas a primeira tentativa de contacto.

  15. sfma says:

    Apenas 55%? Das 30500 SMS que a minha mulher, se respondi a meia-dúzia foi muito!

  16. Black Russian says:

    A Ti Jaquina com 93 anos vai mesmo responder a uma SMS com a palavra SIM em maiúsculas, lol !!!

  17. informado says:

    O problema é também o facto de um telemóvel ser caro para alguma população e, mais ainda, ter cartão e pagar para ter serviço ligado ao telemóvel. Mas o governo não quer saber disso para nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.