Quantcast
PplWare Mobile

TV Pirata: PJ desmantela grupo de criminosos por práticas de cardsharing

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Rui says:

    Continuo a não entender porque nos artigos falam em “perdas mais de …” Nunca são perdas, quanto muito é um valor monetário potencialmente não ganho

    • B@rão Vermelho says:

      Sim, para poderes ter acesso ao serviço necessitas de ter Internet.
      Querem ter o futebol em sinal privado e pedem uma verdadeira fortuna pelos serviços estão à espera de que?

      • João says:

        Se eu vou a um restaurante e no fim da refeição achar que a conta está muito alta fujo sem pagar????
        Eu quero ver o netflix e pago para ter, mas tenho sempre a opção de não pagar e não ter.
        Futebol eu não só não vejo como me recuso a ver, assim como me recuso a ver TV quando estão a falar de futebol

        • B@rão Vermelho says:

          E estas no teu direito, mas compreendes que o futebol é o desporto rei em quase todo o mundo, e que por normas as pessoas fazem coisas pelo futebol que não fazem por outras coisas bem mais importante.
          É normal que um “produto” com tanta procura/paixão ser transmitido em sinal privado é meio caminho andado para tal.
          Acho que ninguém adere a uma coisa destas para ver a novela das 5, ou o programa da Cristina.

        • Luis Baptista says:

          Muito bem. Essa é exatamente a minha postura.

    • ricardo says:

      Exacto, como se 90% das pessoas que usam o ilicito fossem paagar para ter o serviço da forma legal….

      • Hugo says:

        Um ladrão entra numa loja e rouba 10 computadores. Também não são perdas? se ele tivesse de os pagar só comprava 1.
        Percebo a ideia e aqui o produto é efectivamente outro mas se foi consumido foi consumido. Neste caso..foi posto à disposição e isso representa um valor.

        • HF says:

          Se os computadores na loja fossem infinitos e o dono da loja não tivesse forma de saber que estava a ser roubado, a analogia resultava melhor…..

        • TSSRK says:

          Esses computadores foram comprados pelo comerciante, quando roubados perde o dinheiro “investido” nos computadores.

          Nesta treta de tv, musica, filmes, etc se meio milhao partilhar entre si, e ninguém exterior souber disso, para quem produziu o conteúdo nada perdeu. A partilha do conteudo nao corresponde a uma perda de bens nem tao pouco pode ser correspondida com uma redução de vendas, porque nada indica que essas pessoas fossem comprar legalmente o serviço.

          Na minha opinião, o zé povinho é que alimenta isto, se deixassem de subscrever sport tv acabava o quartel da altice, vodafone, nos …

          • Hugo says:

            Acho que fui claro no meu raciocínio.
            O produto/serviço tem um valor. Foi colocado à disposição por terceiros e, neste caso específico, cobrado pelos mesmos. Se acham que isso está certo não tenho mais nada a dizer.

        • HF says:

          Tenho uma música com direitos de autor no meu computador. Se eu fizer um script para fazer biliões de cópias da música até encher o disco, quanto é que eu devo ao autor da música em direitos?
          Resposta: Pelas contas de merceeiro dos “operadores qualificados”, há sérios riscos de o autor da música ter sofrido mais perdas que o somatório de todo o dinheiro existente no planeta…..

          • Hugo says:

            Para quem criticou a minha analogia vais mal. O serviço aqui é disponibilizado e vendido por alguém que não a operadora. VENDIDO.
            As “contas” deverão ter sido feitas por aí suponho. Obviamente que quem pagou X por ano não iria pagar Y se tivesse de pagar 10x mais, no entanto ainda não vi ninguém sugerir uma melhor aproximação.

        • HF says:

          Supões mal. As “perdas” dos “operadores qualificados” não são a quantia dispendida pelos clientes da operadora pirata. São a quantia que eles receberiam se todos os estimados clientes “pirata” fossem clientes da operadora.

          • Hugo says:

            Suponho mal não. Disseste exactamente o mesmo que eu.
            Disse que as contas são feitas pelos utilizadores que usufruem do pirata. Nunca falei no valor que pagam.
            Independentemente disso essa questão nada tem a ver com o que se estava a falar.

        • HF says:

          Estás confuso…..
          A melhor aproximação para cálculo das perdas sofridas pelos “operadores
          qualificados” está implícita no que já foi dito. Perderam ZERO.
          Ao contrário do dona da loja de computadores, eles nem saberiam que estavam a “perder bens” se não lhes dissessem…..

          • Hugo says:

            Então estás tu certo e a pirataria e “supostas” perdas são um mito.
            Se andarem enrolados com a minha mulher sem eu saber também não perco nada nem sou corno LOLOL

        • HF says:

          Noto que as tuas analogias estão a melhorar. Agora, ao contrário dos computadores roubados, já arranjaste uma em que não existem efectivas perdas materiais. Não obstante, ainda podes evoluir mais a analogia.
          Se alguém andar enrolado com a tua mulher, existe um furto de uso. Alguém está a usar algo que te “pertence”. Poderá até existir um efectivo desgaste material. A analogia teria assim a ganhar se imaginares que andam outros enrolados com as irmãs gémeas da tua mulher, quando tu até pensavas que ela era filha única.

    • Manuel da Costa says:

      A operadora faz a queixa pela ideia base que “se pagou a outrem para ver é porque iria subscrever o nosso serviço”.
      Também é por isso que as penas pecuniárias costumam rondar os 15% do valor pedido pelas operadoras.

  2. B@rão Vermelho says:

    Esta gente é mesmo burra, se querem enriquecer, estudem e vão administrar um banco, e ai podem roubar a vontade que ninguém vos prende

  3. Carlos Fernandes says:

    O problema não é ver televisão, é ver jogos de futebol….mas com o “fim da Pandemia” volta a ser gratuito ver futebol nos cafés. Sim porque vale mais pagar 30 euros no café da esquina do que à SportTV.

  4. mojorisin says:

    muitos até têm o legal, até porque para ter estes serviços é preciso internet e a maioria tem internet subscrita com tv incluida.
    isto acontece meramente por causa dos canais de desporto, que são carissimos.
    logo, as perdas não são da subscrição mas maioritariamente na assinatura dos canais premium de desporto

    • João says:

      Eu não pagaria um cêntimo nem gastaria de sola de sapato para ver um jogo de futebol, mas não concordo que os canais desportivos sejam caros.
      Os meios envolvidos numa transmissão de tv de alta qualidade em direto são enormes e se há jogos grandes que devem ter uma boa rentabilidade, imaginem o retorno de um jogo entre o Nacional e o Farense…
      Além disso os entusiastas gostam que os operadores paguem fortunas aos seus clubes mas têm de ter em conta que uma parte do que pagam acaba nos clubes sob a forma de patrocínio.

  5. Online_fjo@hotmail.com says:

    Estou super preocupado com as perdas das operadoras. Em vez de faturar 500 milhões por trimestre, poderiam faturar 500 milhões e 600 mil.
    É pena de facto.
    Ainda bem que pagamos a internet (ou uma das) mais cara da Europa.

    • Manuel da Costa says:

      Também temos da internet mais rápida da Europa. Vá para uma região espanhola, passe para uma cidade dos arredores de uma grande, o limite máximo de velocidade, em fibra, é de 20mbs, por 30 euros mensais. Se quiser 200mbs paga 180 euros mensais e é necessário apresentar um início de actividade que confirme que é para utilização profissional.

  6. manike says:

    Vejam lá se estes gajos têm ligações aos de Aveiro.

    • Joao says:

      Fico de boca aberta ver pessoal aqui a defender as operadoras, coitadinhas, a dizer que não é caro, que temos boa e barata internet..
      Fico realmente preocupado.
      Talvez seja por isso que temos o país que temos em que muita gente vota nos corruptos.

    • SANDOKAN 1513 says:

      “manike”,foi a primeira coisa que quis saber,kkk. 🙂

  7. Zé Duarte says:

    Card sharing lol. Mas ainda estamos em 1997?

    • Manuel da Costa says:

      99,99999% dos sites que você usa para ver os jogos ou IPTV são provenientes de cardsharing. Ou acha que a emissão funciona através de ligações web básicas? Mais um que acha que o Meo Go permite 70000000 clientes a usar o mesmo IP base para ver televisão. ROTFLLLLLLLLLL

  8. pikachut says:

    vou criar uma instituiçao de caridade para angariar dinheiro para destribuir pelas operadoras por causa dos pejuizos… quem pode doar 600 000€?!?!?!?!??!!??!??!?!? kakakakaakakakakaka

  9. Danyyel says:

    é só baixarem os valores de forma a não se justificar ir pela opção pirata.
    Enquanto justificar, a malta arrisca.

  10. SANDOKAN 1513 says:

    Ai agora foi para os lados do Cartaxo,na zona do Ribatejo ?? Não vale a pena,seja onde for,a PJ caça-os mais hora menos hora e depois vão fazer “cardsharing” para a pildra. 🙂

  11. ervilhoid says:

    muito esporádicamente lá assisto 1 jogo sem pagar, se não tivesse forma de o fazer ia contratar 1 serviço? claro que não.

    querem ganhar €? forneçam 1 serviço tipo 1 jogo 1 € ou coisa assim, um pay per view justo e pago com todo o gosto agora nem me incluam como uma perda de receita porque se não tiver forma de o fazer nem me preocupo, não vejo jogo nenhum e tá feito

  12. Pintor says:

    Utilizo o mesmo serviço a mais de 10 anos sendo melhorou largamente em conteúdo e velocidade. Tendo o preço se mantido durante todos esses anos.

    Em relação a internet e telefones móveis pago actualmente mais do dobro e tenho menos minutos apesar da velocidade ser superior na internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.