Quantcast
PplWare Mobile

Trabalho remoto não tem um impacto negativo na produtividade dos trabalhadores

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. ZeDasCabras says:

    depende do contexto e realidade.

  2. Filipe Profissional de Praia says:

    Curiosamente em Portugal gosta-se do chamado “presencialismo”, isto é, se os patrões, directores ou lá quem seja, não vir a vossa “carinha” das 9:00 às 18:00, é porque não estão a trabalhar e muito provavelmente estão na praia, shopping…

    Curiosamente, mesmo que vocês estejam a engonhar não há problema, porque o “patrão” já viu a vossa cara. É assim uma espécie de trabalho de “corpo presente”. E depois há quem seja mestre nisto do “presencialismo”, ou seja, são tipos que fazem muita “fumaça” e não fazem nada, desenvolvem trabalho inútil só para encher os olhos do patrão a demonstrar que estão a trabalhar…

    • Helena Isabel says:

      É bem verdade. Na Accenture existiam mesmo aqueles que eram peritos em começar a trabalhar por volta das quatro da tarde, que era para estarem a trabalhar muito ao final do dia e depois fazerem noitada. Caso contrário não estavam dedicados ao projecto porque tinham tudo feito a tempo e horas e saiam a tempo de ir jantar a casa.

    • Marquete says:

      +1
      Idem por aqui no Brasil. Posso produzir muito no HO que abro as 8:30h ao invés do presencial e enrolar o dia inteiro pois cheguei atrasado e cansado em uma sexta-feira às 11h da manhã

    • eu says:

      Excelente resposta. Like a glove.

  3. Elsa Romano says:

    Claro que não afecta, quem nada faz no escritório continua a não fazer nada em casa.
    Quem realmente trabalha sabe que no escritório é muito mais produtivo. Não apenas de forma individual, mas igualmente como empresa, porque as empresas não são apenas pessoas fechadas em casa a trabalharem, mas sim pessoas que se juntam para criarem sinergias.

    • Jane Doe says:

      Tugas no seu melhor… Jesus Christ!
      Deve ser daquelas que gosta de ir mas é para o paleio e em casa, sem ninguém para falar, aborrece-se e começa a trabalhar. Também deve gostar de perder tempo em viagens para o trabalho.
      É uma pena não haver ferramentas de colaboração para as pessoas se juntarem e criarem sinergias, não é?
      Enfim…

      • Inês Tavares says:

        Deve ser disso.
        Olha, o trabalho remoto até é bom, porque assim facilita na seleccão de quem se despede.
        Quem estiver em teletrabalho é sempre o primeiro a saltar fora…. porque são aqueles que se substitui mais facilmente e por um ou dois indianos baratuchos.
        Normalmente ninguem nota que foram despedidos porque como no escritório raramente são vistos nem sequer se sente a falta.

        Isto até seria giro se não fosse real…. claro que sendo Portugal um pais socialista é quase impossivel despedir as pessoas, mas nos paises desenvolvidos os despedimentos são reais e muito faceis de efectuar. Em Portugal é apenas preciso pagar para mandar as pessoas embora e por vezes preferem meter as pessoas sem fazer nada a olhar para uma parede que despedir.

    • Vasco says:

      Sinergias constroem-se desde que exista vontade. Tanto faz presencialmente, como remotamente. A minha experiência é que na maioria das empresas se perde demasiado tempo na pequena conversa e também.em reuniões onde se faz é refaz o planeamento. E se sair da empresa e for a um cliente, muitas vezes é mais do mesmo: quer trabalhar e sair e acaba por ser incomodado com conversas de circunstância e comentários sobre assuntos colaterais, que teriam cabimento num almoço ou jantar mais descontraído, mas não em horário de trabalho. Muito antes da pandemia comecei a fazer muito teletrabalho e posso-lhe dizer que do meu lado no aspecto da produtividade pessoal, saí bem beneficiado. Com as ferramentas adequadas e principalmente com a vontade de realmente trabalhar o teletrabalho permite até maximizar as sinergias.

      • Inês Tavares says:

        Maximizar sinergias claro que não.
        Mas isso das conversas é bem verdade.
        Mas cada um conversa se quiser. Eu quando trabalho não ando em conversas, porque…. estou a trabalhar. É bem fácil de se fazer.

        O teletrabalho em breve vai desaparecer porque serão as próprias pessoas a deixar cair isso. Quem vê a sua posição como fazendo uma tarefa á distancia será facilmente substituível por alguém mais barato a fazer o mesmo desde a India, China ou Paquistão…. existe sempre alguém mais barato. A qualidade do trabalho sofre mas as empresas não querem saber porque poupam imenso dinheiro com isso.

    • Toni da Adega says:

      Curiosamente é nos países com melhores ordenados, mais produtivos e mais inovadores que mais se trabalha em casa.
      Provavelmente estão errados e em Portugal é que trabalha a sério.

      • Helena Isabel says:

        Completamente errado. Aliás, da minha vasta experiencia de trabalho remoto é que os meus colegas passam mais tempo com status ausente ou nem seque online do que com status presente….. são daquelas coisas que não se explica.
        Aliás, em como tenho muita experiencia a trabalhar noutros países sei bem que esses países mais “produtivos” trabalham bem menos do que em Portugal. Por exemplo, na Suíça as pessoas chegam à hora da saída e já estão a caminho de casa, muitas vezes o trabalho era deixado por fazer e muitos poucos fazem…. mas os ordenados são elevados e o mito da alta produtividade continua bem vivo.
        Na Alemanha é mais um problema de mentalidade, eles têm muita fama de eficiência mas da minha experiencia para cada problema um tuga arranja uma ou duas soluções, mesmo que sejam medidas rápidas, enquanto o alemão vai encontrar mais dois ou três problemas adicionais. Eles são completamente incapazes de lidar com imprevistos.

        Sim, trabalho remoto é trabalhar pouco e cagar nos colegas…. sei bem do que falo, infelizmente.

    • Daniel Albino says:

      Aceito a sua opinião, no entanto não concordo. Pois ai depende muito das pessoas, eu por exemplo tenho trabalhado remotamente e tenho mais produtividade em casa, pois não existem distrações.
      Mas acredito que depende de cada pessoa e da sua forma de gerir tanto o tempo como o trabalho.

  4. Manuel Silva says:

    Vês, vês chefinho!?… Amanhã fico em casa!

  5. Jane Doe says:

    Nada como trabalho presencial…
    Chegar, “picar o ponto” ligeiramente antes da hora e a seguir ir tomar café com os colegas até meio da manhã. Depois dá-se umas voltas para parecer atarefado e é hora de almoçar, em companhia, que sozinho é uma seca. Mais um cafezinho depois de almoço e dois dedos de conversa e a seguir mais umas voltas para ver quem trabalha ou não. Entretanto vem o lanche, sempre em companhia e a seguir está na hora de ir embora. Com o trabalho que não se fez durante o dia, acumulado, é hora de fazer alguma coisa, até para mostrar que se trabalha muito e se fica a trabalhar até depois da hora.
    Siga para casa, desperdiçando mais algum tempo na viagem e ao chegar há sempre aquele “estou exausta, até tive de ficar até mais tarde, com tanto trabalho”. Amanhã há mais do mesmo!

    • Rute Mendonza says:

      Interessante. Então a tua opinião é que uma pessoa que nada faz no escritório vai passar a trabalhar arduamente em casa…. interessante!
      Deve ser magia mas das boas.

  6. Sergio says:

    Em trabalhos em que a criatividade,a discussão e o debate assume outra relevância no surgimento de ideias, o teletrabalho pode afectar e muito. Tem que haver ainda mais estudos e mais anos neste regime, na minha modesta opinião o sistema híbrido na maioria dos casos parece me o mais eficaz

    • iDroid says:

      Concordo, depende dos trabalhos e das pessoas.

    • Helena Isabel says:

      Exacto, mas alguns “iluminados” não conseguem pensar fora das suas mentalidades tacanhas.
      Já existem muitos estudos pois o trabalho remoto nada tem de novo.
      Vários colegas dizem que trabalham melhor em casa do que no escritório, mas depois explicam que é porque no escritório são interrompidos por outras pessoas….. como se o problema fosse esse, dado que podem perfeitamente fechar a porta do escritório quando precisam. O mesmo efeito do que em casa.
      Mas depois quando é preciso perguntar alguma coisa a eles….. é esperar e esperar e esperar que apareçam online, porque quando estão em casa passam mais tempo ausentes do que disponíveis.

      Eu sempre lhes expliquei que se eles consideram o seu trabalho como meramente fazendo uma tarefa em casa , que em breve ficarão desempregados, porque a empresa consegue encontrar 2 ou 3 indianos para fazer o mesmo que eles, mas muito mais barato. Porque quem trabalha em casa tanto faz estar num pais super caro ou ser um indiano super barato…. enquanto que quem está numa empresa a colaborar com as outras pessoas, a trabalhar presencialmente e sempre que é preciso, está efectivamente a ser um membro da empresa, não é apenas uma tarefa que se pode fazer outsourcing.

  7. José Matos says:

    Este estudo não se aplica ao universo público…
    Não tenho nada contra o universo público. Só contra a inércia, a ineficiência, a não meritocracia e a ditadura do Estado

    • José Matos says:

      Este estudo não se aplica ao universo público…
      Não tenho nada contra o universo público. Só contra a inércia, a ineficiência, a não meritocracia e a ditadura do Estado

  8. Narciso Miranda says:

    Posso dizer que sou mais produtivo em casa do que no escritório.

    • Nao perco tempo em transito a ir e a vir;
    • Poupo no combustivel e desgaste da viatura;
    • Não tenho aqueles colegas de trabalho que qq coisinha é tema de conversa e uma pessoa distrai-se;
    • Não tenho sempre alguem a entrar na sala do open space, e inconscientemente perde-se um pouco o foco
    • Não tenho conversas cruzadas que nao produzem qualquer cultura geral;
    • Faço das 8h às 17h;

  9. compro essa também says:

    Os donos das funerárias também dizem que não querem o mal de ninguém, mas querem que a vida lhes corra bem….e o mesmo dizem os das empresas de quimicos e farmacêutica, etc, etc, etc …

    Até na pandemia se pode ver que o impacto da falta de contato humano gera problemas na saúde do humano, talvez porque o humano é um ser social.

    Subversão é o que andam a fazer … claro está que cada caso é um caso ….

    Se ainda ninguem deu conta o que se passa é que quer Estado como patrões querem passar o ônus das suas responsabilidades para os empregados e cidadão… e não falta exemplos, é só ter atenção ao que se tem passado e se passa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.