PplWare Mobile

Torrentz: Fechou o maior site de pesquisa de torrents


Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

  1. Daniel says:

    e agora? alguem pode listar os melhores sites/torrent da atualidade ainda funcionando?

    Obrigado

  2. Rui Patinho says:

    Apos isto ja telefonei a meo a cancelar os 200mbits, vou passar a precisar apenas de 30 para uso normal. Foram 15 anos a sacar filmes jogos programas sem pagar 1 cent.

    • rjSampaio says:

      Pode ser que agora contribuas para a criação daquilo que roubavas.
      Entre Netflix, spotify, freeware e afins, tens muitas alternativas.

      • Jorge says:

        Pagar por coisas que posso apagar a seguir
        é estupido

        • rjSampaio says:

          apagar a seguir?
          queres dizer que eventualmente vais deixar de usar? entao suponho que acredites na vida depois da morte, pois vai deixar de usar “esta vida”

          se estar a dizer que podes nao gostar, hardware devolvese, cinema sais no inicio, software testas primeiro.

          Não estou a ver o problema.

          • mikeRour says:

            rjSampaio tou mesmo a ver tu nunca teres sacado nada ilegal na tua vida! deves ser daqueles que pede fatura por um café mas se puder fugir ao fisco foge e ainda vais pó tasco gabar o grandioso feito!

          • rjSampaio says:

            @mikeRour Nope ate ter o meu primeiro emprego saquei muita coisa, não necessariamente muita coisa pois o melhor que havia era 56k e adsl 100k
            No momento que tinha emprego, so saquei coisas que não havia cá (99% anime) e isso deixou de acontecer com o chrunchyroll e afins.

        • Santos says:

          Esse comentário é tão estupido.

          Então porquê pagar por comida, se podes cag@r a seguir?

        • rjSampaio says:

          roubaste o lucro do que fizeste download, estou errado?

          • ervilhoid says:

            não necessariamente, se não houvesse forma de ter algo pirata, também não significa que fosses comprar…

            Isto é sempre a mesma história, queixam-se de downloads ilegais de filmes programas e afins mas só os grandes é que se queixam e não vejo nenhum pobre nem a fechar

          • Joao Magalhaes says:

            Não roubei lucro nenhum, pelo contrário, exemplo de bandas de música, se não fizesse o download ilegal, provavelmente nunca ia conhecer e comprar o original, ou ir a um concerto, ou comprar uma tshirt original, etc , graças ao ilegal agora compro o PES legal, e o Dirt, se não os conseguisse jogar ilegalmente, nunca os ia comprar.

        • Santos says:

          Sim, é roubar.

      • Freitas says:

        Então roubamos todos, ou és santo. Eu sou a favor de quem pode pagar paga quem não pode não paga, eu baixo jogos piratas e depois se eu gostar compro, eu não compro o photoshop porque já me sai das contas, se não fosse a pirataria se calhar até hoje nem sabia mexer no photoshop e entre outros. Mas se tens dinheiro para pagar tudo, força ninguém te vai criticar, como eu não critico quem não tem e vai pela pirataria.

      • o gajo says:

        Sim, és um santo. Quando morreres vais para o céu. LOL

      • Ivan Ribeiro says:

        Netflix. Que bosta. Nem game of thrones ou interstellar tem. Imagina que paguei o serviço para ter bostas. Ta longe do spotify…

      • Márcio Zimmermann says:

        Não é proibido baixar arquivos para uso próprio, sem fins comerciais. Está na lei.

      • tusamen says:

        queres dizer contribuir prós chulos que vivem à custa dos artistas, programadores e afins…

  3. JJ says:

    Por acaso era um bom site. Mas tudo bem…

  4. José Rodrigues says:

    Vão andar andar até fechar tudo ou quase tudo. A Internet está a ficar lentamente de forma muito limitada.

  5. Edgar says:

    É com tristeza que se vê mais um fecho, é hora de procurar alternativas.

  6. Quim says:

    ~Com a vinda do spotify , os filmes se começarem a ser disponibilizados com publicidade no meio e mais serviços de aluguer a um preço mais simbólico , quase nem vale a pena sacar.
    Desde que uso o spotify(versao paga e gratis) , nao faço downliad de um cd.

    • TFVP says:

      +1

      Sou da mesma opinião! Eu era desses que usava e abusava dos torrents. Agora uso o Spotify a quase 3 anos, Netflix desde que entrou em Portugal, entre outras plataformas! Prefiro deixar estes euros para quem criou as plataformas e para os artistas do que fazer o contrário.

    • Mylittlelife says:

      O Spotify tem filmes?

  7. Good info says:

    “Assim, à lista do ThePirateBay e KickAss” ? estão muito mal informados, qualquer um destes sites referidos continuam ativos, muito ativos. Para entrar o Thepiratebay usamos uma proxy deles e kickasstorrents pode-se entrar em: kickasstorrentsan.com.

  8. Jorge says:

    A internet está a ficar muito limitada e controlada
    Eu utilizava os torrents (sites) para ficar atualizado e para sacar
    agora……….. 🙁

  9. Bruno says:

    Mais dias menos dia vamos voltar ao tempo de andar a emprestar CD’s e pens ao pessoal de conteúdos que alguém conseguiu sacar 🙁 – Esperemos que não :p

  10. Sergio says:

    Fazer o devido luto e seguir em frente, o que não faltam são alternativas

  11. Paulo says:

    Nesta lista estão os mais usados/populares de 2016. Os primeiros fecharam (kickass, torrentz, etc) mas sobram várias alternativas:
    https://torrentfreak.com/top-10-most-popular-torrent-sites-of-2016-160102/

    Não lhes adianta fechar, pois quem não comprava antes não vai passar agora a comprar. Quem faz download de algo é porque não o pode comprar. Aquilo que eu gosto mesmo compro. Tudo o resto, quando faço download, é porque não tencionava comprar e não. Mas antes morrer “ladrão” (mas não considero bits virtuais coisas reais por isso não é roubar nada que exista de verdade) do que ignorante. Só canta de galo a críticar a pirataria quem não ganha a porcaria do salário mínimo nacional, dos mais baixas da UE.

    • APereira says:

      Pela tua ordem de ideias se nao tens dinheiro para comprar, vamos lá roubar…

      E o teu patrao quando nao tiver dinheiro para te pagar o salario minimo? Deixa de pagar e tu continuarás lá a trabalhar alegremente.

      • PoCarvalho says:

        Estás a inverter a economia – o que não me admira pois é o que se faz em Portugal com os resultados que estão à vista.

        As pessoas têm de ter dinheiro suficiente para comprarem as coisas senão a economia desaparece (os produtos nem sempre mas a economia sim) porque não há poder de compra, não é dizer às pessoas lá do alto do trono: “Ah… tens pouco dinheiro mas tens de me continuar a comprar as coisas ao preço que eu te disser que é para eu continuar a ter os meus aumentos de lucro sucessivos porque senão não te consigo sequer pagar o salário mínimo”. E sim, a maioria das pessoas se não tiver dinheiro para comprar, vai roubar (o que neste caso até nem se aplica, pois isto não é roubar).

        Ser roubado é ter de trabalhar 50 ou mais horas por semana por 530€/mês. Depois vêm dizer que as pessoas têm de comprar as coisas. Com um ordenado desses eu tenho é de conseguir o máximo de coisas gratuitas que conseguir e o resto são conversas de menino rico ou de patrão ganancioso.

      • Carolina says:

        Isso não é roubar. É como pegar emprestado de um amigo.
        Duvido que você nunca gravou um cd de musicas para um amigo, ou uma fita cassete…
        usou um pen drive para transferir algum arquivo de musica, filme, ect…

        Eu não deixei de ir ao cinema, tenho uma televisão cheia de canais.. as vezes quero assistir um filme fora do circuito, ou assistir um episódio que perder na TV…

        Além disso, tem muitas bandas e filmes que só fizeram sucesso por causa do mercado “negro”.

        Acho que isso faz parte do avanço do mundo. Estamos em um momento de transição.

    • Pedro says:

      paulo no teu raciocínio estas a legitimar o roubo por causa de um baixo salário, imagina que tenho um salário de 3000e mas quero um Ferrari, será legítimo roubar um porque não me pagam o suficiente para poder comprar um?

      • PoCarvalho says:

        Mais conversas de menino rico que acha que poder de compra é coisa que só alguns podem ter.

        Quando dás o exemplo que dás, estás a falar de luxos e de formas de consumo diferentes. Estás a comparar pessoas que têm de escolher entre comer ou não um bife numa refeição ou ir ao cinema nesse mês ver um filme que no mês seguinte já não está em exibição, com alguém que ganharia 3000€ e que quer comprar um Ferrari.

        Se a música e o cinema agora são considerados luxos é melhor começar a dizer isso às pessoas que é para ver se elas percebem que finalmente está decidido que a escravatura se instalou e que as pessoas que ganham pouco não podem ter acesso à cultura nem ao entretenimento, só os ricos podem ouvir a música que gostam e verem os filmes que querem.

      • Pedro* says:

        Até entendo o que dizem mas vocês só fazem perguntas ao rapaz não dão alternativas.

        Expliquem lá como é que uma pessoa com um salário mínimo ou em alguns casos até mais baixo com renda de casa, despesas de agua, energia, comida e outros extras tem dinheiro para pagar para fins culturais, em muitos casos até nem chega para tudo.

        Porque fácil é falar, porque fácil é dizer, pá não tens dinheiro não podes ver um documentário para aprender mais alguma coisa nada vida, um filme divertido para rir um pouco depois de um dia cansativo onde trabalhas por 3 pessoas sendo explorado com um salário muito baixo.

        O pessoal fica preocupado com pirataria mas não se lembra que a maior parte do país é pobre, não o contrário. Enquanto isso os ricos ficam cada vez mais ricos com os seus offshores e vivem cada vez mais a vida porque a maioria dos pobres trabalham para eles.

        Um simples exemplo fictício demonstra isso mesmo, por cada dono rico de uma fabrica ou qualquer empresa que empregue muita gente, existem centenas de pessoas pobres.

        Qual a solução? classe media alta, e alta podem pagar pelos conteúdos, mas são muito menos em percentagem (apesar de terem de serem menos possuem tanto ou mais dinheiro do que todos os pobres juntos). Então pagam os pobres por um filmes de vez em quando, quando existe algum dinheiro de lado?

        A forma mais fácil de resolver isto é aumentarem os salários mínimos para números mais equiparáveis com a media europeia, pelo menos! Depois já há mais dinheiro para o consumo de cultura.

        Digam lá qual é vossa solução.

    • Paulo says:

      Resposta a quem respondeu ao meu comentário a dizer que pela minha lógica estou a legitimar o roubo: errado, a vossa lógica é que está exagerada. Roubar é retirar algo de alguém. Por exemplo: tu tens 3 pães, se eu te retiro 1 sem o teu consentimento vais ficar apenas com 2 – isto é roubar, e há prejuízo direto. Sobre esta história da pirataria estamos a falar sobre coisas que nem sequer existem no mundo real! Estamos a falar de bits virtuais… Eu faço download de um filme qualquer – roubei quem? Quem é que ficou com menos 1 filme?? Ninguém, porque é uma coisa digital, com possibilidade de cópias infinitas, por isso ninguém ficou com menos nada! Pelo contrário, eu fiquei a ganhar e não prejudiquei ninguém diretamente. Tudo o que existe aqui é especulação das empresas, de que fechando os torrents as vendas irão subir – isto é mentira. Exemplo simples: todos os filmes que me interessam, eu vou sempre ver ao cinema fala chuva ou sol! Adoro cinema, vou com alguma frequência. Ainda esta semana irei. Mas só vou ver coisas de jeito! Um Tarantino ou do George Miller, por exemplo, é sagradinho, e às vezes vou mais do que uma vez rever! Se as reviews são boas, o trailer e argumento interessam, é garantido. Agora filmes medíocres, ninguém me apanhará a ver no cinema, nunca. E o cinema é a principal fonte de receita (Tv e DVD’s é uma ninharia nas receitas, por isso nem vou falar dessa parte). Os filmes que saco acabam por ser filmes medíocres que de outra forma nunca os veria, só para passar tempo, ou no caso de um filme bom, é só para rever aquilo que já tinha visto no cinema. Por exemplo, o filme do Dragon Ball, é uma porcaria tremenda, mal vi o trailer decidi que não o veria nunca no cinema porque é uma bosta e as reviwes comprovaram, mas acabei por sacar e ver no pc só para comprovar o quanto bosta era, e não vi todo sequer que não aguentei. Podiam fechar toda a internet mundo fora, que os meus hábitos de cinema não mudariam. Em portugal ganha-se mal ainda por cima, e embora eu não ganhe o salário mínimo, só estou disposto a gastar em cinema 1 vez por semana, por isso só irei ver os melhores. A lógica das grandes empresas é culpar a pirataria por causa da fraca qualidade do material que produzem, é aqui que está o erro maior. Na música é igual, as bandas ganham dinheiro é com os concertos principalmente, a pirataria até ajuda as boas bandas pois atrai novos fãs (há bandas que nunca teria conhecido e ido a concertos de outra forma, sem um 1º contacto). Nos videojgoos os preços são apenas absurdos (60 euros?! com os salários de portugal? antes pirata). É claro que hoje há mais facilidades, serviços com o spotify, netflix e steam estão a revolucionar as coisas, sinceramente com estes serviços tenho notado que as pessoas têm pirateado menos automaticamente, eu próprio incluído (passei a ter hábito de comprar videojogos com as promoções de verão da steam por exemplo; netflix só ainda não tenho porque a fibra ainda não chegou à minha região, com net instável de 4 a 8 megas irreais não vou meter netflix, pois a rede ia ficar com latência para quem usa a net aqui em casa). A luta contra a pirataria faz-se com estes novos serviços, não com censura e proibições tolas. E não me venham dizer que download é roubar, porque isso são apenas idealismos exagerados, não consigo considerar copiar bits um roubo.

      • TwoEyez says:

        +1 totalmente de acordo, Há 20 anos não se sacava nada da net assim de filmes e musicas eu simplesmente não via tudo o que vejo agora via no cinema o que valia apena e comprava os albums que valia apena, agora se bloquearem tudo vai ser igual apenas o que interessa é que se compra e o resto pede-se ao amigo a ver se tem… era assim

        • me and me says:

          e ha 20 anos havia mais qualidade

          • TwoEyez says:

            não se trata da qualidade de conteúdos, por outro lado havia vídeo clubes que com a internet e alugueres por televisão acabaram por fechar, mas mais uma vez era muito raro ir alugar um filme pois o que eu gostava mesmo e queria ver era ao cinema que ia, o que não passava no cinema era muito ranhoso para ver e nem sequer pensava nisso…

      • Pedro says:

        Tens direito a tua opinião, mas se eu não considerar o assassínio um crime a minha opinião nao vale nada, podes dizer que os bits são virtuais, não são estao convertidos e registados em suportes físicos, podes dizer que a net flix não funciona em redes de 4 ou 8 megas mas os bit rates sao cerca de 2mbps (e nao me des tanga pq sou responsável técnico numa cdn que presta serviços à netflix, a latência de 10 ou 1000ms num serviço de streaming é igual ao litro), podes ir ao cinema ver 20 filmes bons mas não legitimiza que vejas 100 maus filmes sem pagar. se queres acesso a cultura podes ter com obras em public domain, software open source, musica com publicidade, etc. Em vez de usares a versão paga do spotify para ouvir Britney Spears usas o tradio e escutas um artista que não está nos circuitos comerciais (e assim realmente ajudas um artista) . em vez de usares Windows passas a usar linux, e com um bocado de esforço passas a entender que não é preciso piratear nada e que existe milhões de alternativas na cultura e no software. a pirataria no fundo ajuda a manter as pessoas nos circuitos comerciais sem conhecerem as alternativas.

        • Paulo says:

          Quando falei em latência, referia-me a jogos online principalmente, aqui em casa, com a antiga net Sapo 8 Megas (agora Meo) – não há melhor na zona infelizmente – se um usa a net para carregar um vídeo no youtube no pc de outro familiar na casa a net borra-se toda e se estiver a jogar um videojogo multiplayer online chapéu, fica pendurado com lag/ping. As latências já são tão más aqui mesmo sem ninguém estar a usar nada, que com outros serviços em cima só ia piorar, por isso ainda não meti netflix. Mas não estou a usar como desculpa, só falei na netflix para louvar, pois é um bom serviço e uma ótima solução. PS: já uso linux, não há coisinha melhor :p Infelizmente não sempre por causa de coisas do trabalho, mas quem me dera conseguir usar sempre, bem melhor que o windows. Quem me dera que a sociedade também fosse toda ela open source, isto como está em uqestões de política ainda é muito rudimentar, para mim o futuro ideal passa por robôs/máquinas trabalharem por nós e todos os seres humanos terem direito a alimentação, casa, roupa, cultura, ensino e net gratuitos. Um dia acredito que lá chegaremos 🙂

        • Pedro* says:

          Em parte tens razão mas não em toda. Não encontras documentários específicos em domino publico, nem tão pouco os filmes específicos ou series de certa qualidade. Concordo que existe bastante material livre mas agora querer equiparar as coisas é quase ridículo.

          O pouco que existe é pelo bom senso das de algumas pessoas neste mundo. Além disso só respondes a alguns pontos ignoras outros de preposto. A mim parece-me que para ti só a classe media alta e alta deve aceder a conteúdos pagos os pobres podem viver a vida toda sem cultura ou com a pouca que existe no domínio publico.

          O problema está nos salários auferidos pelos portugueses, se ganharem muito mais e os seus empregos forem considerados de muita importância para a nossa população/sociedade nada disto acontece. Se ninguém limpar casas, limpar ruas, trabalhar em fabricas ou qualquer tipo de trabalho que é considerado de pouca importância o mundo estaria muito mau e nem os CEOs das empresas com salários numa mês que dava para alimentar centenas de famílias num ano estavam tão ricos.

          Eles que deixem de ser gananciosos e paguem melhor a toda a gente e logo o consumo aumenta. Agora querem que pobre fique cada vez mais pobre trabalhe mais para lhes dar lucros e ainda paguem por tudo.

          Por favor menos hipocrisia. o exemplo que parta de cima.

          Em relação à musica concordo que existe boas alternativas para aceder aos mesmos conteúdos e não a conteúdos alternativos.
          E acho muito interessante o sistema em que se descobre novos artistas quando se quer ouvir outro mais popular. Se calhar isto era um bom exemplo para industria cinematografia. Publicidade como no Spotify ou premium para ricos/classe media alta ou obrigavam-te a ver outro filme desconhecido entres filmes que queres ver.

          Acho que esta questão da pirataria é muito complexa e depende muito da classe social a que se pertence. Não se pode reduzir a questão ao total bloqueado do conteúdo aos pobres para vida toda, a solução passa pelos sistemas alternativos ou pelo aumento do salário e consequente melhoria de qualidade de vida dos mesmo.

          • David says:

            Cultura? Isso come-se? Sabes, existe pirataria há pelo menos 20 anos, e não vejo quem a usa mais culto, bem pelo contrário. As pessoas queixam-se do salário minimo, mas depois gastam 50€ em Meos, 100€ em tabaco, e 100€ em euromilhões. Roubar bits virtuais? A palavra está. Lá: roubar. E mesmo sendo virtual, existem humanos envolvidos na sua concepção, que se calhar mtos deles também ganham o salário mínimo!

          • Pedro says:

            desculpa mas o que dizes é uma falácia, em public domain tens todos os bons documentários (experimenta buscar um tema no YouTube), o que nao encontras em public domain são comercias com procura criada artificialmente de forma a perpetuar o consumo de lixo. o Justin Bieber ganha muito mais com a pirataria que ze da esquina que tem muito mais qualidade que ele, no entanto nunca sera conhecido porque a existência de uma plataforma de marketing associado ao acesso sem limites faz com que um artista sem acesso a mesma plataforma de marketing tenha sucesso. é o mesmo esquema que a Microsoft utilizou nos seus sistemas operativos nos anos 90. todo o software que fiz é open source, se um dia quiser fazer um que não seja estou no meu direito de pedir o valor que ache justo pelo meu trabalho e tu terás a obrigação legal de me pagar pela sua utilização. se não quiseres não usas, acho que o conceito é bastante simples. o valor ou justeza do valor não é definida pelo cliente mas pelo fornecedor.

      • Luthor says:

        “Eu faço download de um filme qualquer – roubei quem?”
        Há uma coisa chamada de direitos intelectuais… Quando o Bill Gates roubou a ideia do “Windows” ao Steve Jobs (SJ), ele prejudicou o SJ. Este último não perdeu a ideia e explorou a mesma, mas perdeu muito dinheiro porque a ideia lhe foi roubada.

        Os filmes custam a fazer e há muitas pessoas envolvidas. Quando se faz um download ilegal está-se a roubar as empresas que detem esses direitos. Eu não vou ser hipócrita e dizer que nunca fiz downloads ilegais, mas a realidade é esta. Propriedade intelectual também tem valor. E correctamente.

        Agora podem dizer que não faz porque é um pobre (como se toda a gente que fizesse download ilegais fosse pobre…) a roubar a um gigante… isso é uma generalização que me parece incorrecta mas – mesmo que fosse assim – será que há justificação legal de um pobre roubar a um risco? No nosso sistema legal não existe. Se é justo ou não… não sei, deixo para os mais inteligentes que eu filosofarem sobre isso.

  12. David Guerreiro says:

    O The Pirate Bay não está fechado

    https://thepiratebay.org/

  13. Alvaro Costa says:

    Pesquisem no Google ou Bing adicionando “torrent” à pesquisa.
    Depois é uma questão de filtrar ainda mais a pesquisa: como por exemplo “1080p”
    🙂 Há tanta forma de contornar….

  14. David says:

    Dizem que estamos a evoluir que somos atualmente modernos e criam a ilução de liberdade na internet. Há também quem acredite que cada vez mais será possível ter maior conteúdo disponível. Eu sempre defendi que não. Cada vez mais o capitalismo ficará mais agressivo e veremos não só estes sites de partilha a fechar como injustiças em formatos de impostos – como já acontece a taxa sobre os discos rigidos.

    Defendo que guardem tudo o que poderem. Nunca se sabe se amanhã teremos a mesma oportunidade de ter os mesmos ficheiros disponíveis.

    A internet veio a democratizar o conhecimentos. Acredito que além de instruir e entreter uma grande camada da sociedade também veio a apaziguar as novas gerações.

    Nas escolas não ensinam todos os instrumentos musicais. Tudo bem que há cursos online gratuitos mas nós sabemos que muito do material é pago inclusive softwares. Não me choca saber que jovens pobres aprendam desta forma e um dia quem sabe paguem e promovam os materiais onde aprenderam.

    É esta camada que defendo. Uma pena não existir na classe politica mais pessoas que defendam o conhecimento e sejam mais tolerantes a estes assuntos. Contava os U2 que os seus albuns estavam a ser baixados na internet e então devido a esta nova realidade concentraram-se nos concertos. Quem é fã dos U2 e que já baixou musica deles não iria a um concerto?

    É mais fácil mandar prender fãs chamando-os de criminosos e fechar projetos que democratizam conhecimento. É uma pena!! Senti e sinto muita falta dos abelhas. A maior comunidade portuguesa. Não acredito que venhamos a encontrar um site em português de Portugal tão bom como aquele. Modernos? Só mais gananciosos!

  15. Waaaaazzzzuuuupppp says:

    Isto não seria a mesma coisa que encerrar o motor de busca do Google, caso o mesmo dê links para sites de armas, pornografia, drogas e de tudo o que encontramos à vemda na Net?
    É que o TorrentZ só dava links para os sites em si, que eu saiba não alojava qualquer torrent… :/

  16. cabecinha pensadora says:

    já vai tarde a melhores no mercado

  17. Sara Vian says:

    É muito fácil falar em spotify e em netflix..e nós que vivemos em países que não temos acesso a estes serviços?! Sempre fui utilizadora do torrentz e estou em choque :O !! E agora?!

  18. paulobraveheart says:

    ENGANO..TODOS OS SITES CONTINUAM ABERTOS EM NOVOS ENDEREÇOS.
    portanto a informacao e insuficiente e incorreta.
    devia ser, tentaram acabar… mas nao conseguiram, nem conseguem.
    ora aqui esta o famoso kikass fechado.
    https://kickass.immunicity.win/full/

  19. Nuno says:

    só uma pergunta… existindo trackers privados com conteúdos de maior qualidade, velocidades de download superiores etc… porque raio ainda se faz uso de trackers públicos?

    • rjSampaio says:

      já respondeste… porque são públicos.
      se todos pudessem entrar nos privados, não seriam privados, e rapidamente seriam fechados.

      • Hugo says:

        Não é por ser privado que dura mais ou menos tempo.
        Os privados têm é regras muitos mais estritas que os públicos. Aliás…têm regras…ao contrário dos públicos 😛

        • rjSampaio says:

          Indirectamente é, quanto maior o tracker, mais rapidamente o fecham (piratebay/kickass/etc) portanto um privado que tem meia duzia (100k ou o que for) users, não é grande o suficiente comparado aos outros.

          • Hugo says:

            Sem dúvida que sendo públicos têm um maior impacto.
            A verdade é que os privados têm melhor qualidade. Não há fake’s e as velocidades são brutais.
            A malta tem é que partilhar lol…e aí se vê a ganância das pessoas….para além de serem a favor de “roubar” depios ainda acham mal ter de partilhar lol

        • Paulo says:

          A razão é simples: porque não conheço quem me arranje convites para os privados xD Por isso privados uso poucos. Não me queres arranjar convites, eras grande xD

          • Paulo says:

            PS: btnex não vale, esse todos já conhecem e infelizmente já não é o que era. Mas mais do que o tracker tenho saudades do fórum nos tempos primórdios, com o Hyriu e companhia, agora está morto 🙁

    • Rui Patinho says:

      Diz me o nome de um private decente..e que o btnext esta pessimo

    • metro says:

      Eu tenho contas btnext e prefiro usar o torrentz.
      No torrentz tudo o que quero tem, BtNext nem por isso 😉

  20. Bruno says:

    Qualquer dia isto está como a China ” censura” em peso. O povo é como cordeiros , só vão para onde o pastor (governo) quer !!! Por outro lado conheço muita gente que não não tem paciência para sacar, streaming directo está a ganhar força os tempos estão a mudar…

  21. Rui LUX says:

    ehh pahh.. era sempre o que eu usava 🙁

  22. Jorge says:

    Quem tá a forçar isto tudo é a apple facebook spotify netflix ect

  23. Patriota says:

    No fundo a considerar-se roubo, na maioria, é a produtos dos EUA, logo… é menos dinheiro que sai de Portugal, mais empregos que se podem criar cá, e ficamos com menos défice externo e balança comercial mais saudável. PIRATEAR É PATRIÓTICO;

  24. Vasco says:

    Mas mas… E agora… Onde vou sacar as minhas séries com qualidade e no proprio dia em que saem nos estados unidos? Preciso de uma alternativa! O cerco está fechado! Agora ou Netflix ou nada.

    • rjSampaio says:

      Se as series que queres estão no netflix porque te vais andar a chatear?
      O preço é tão baixo, podes ser um bocado aldrabão e partilhar uma conte com 3 amigos, por 3€ mensais, gastas mais electricidade por deixar o pc ligado a fazer downloads.

      • Pedro* says:

        O netflix em Portugal é muito fraco( tem pouco conteúdo e muito limitado) para o preço e para pessoal pobre que já paga Internet isto não é fácil de gerir. Além de que se partilhares uma conta com 3 amigos estarias a cometer outro crime.

  25. o gajo says:

    Existe tanta escolha pela net. Basta procurar.

  26. Messias says:

    É a lei da selva. O problema é de quem se habituou a esta facilidade de acesso à informação.
    Apesar de ser um utilizador deste tipo de conteúdos compreendo a posição de quem os produz.

    Não nos podemos esquecer que alguém produziu algo e que temos que pagar o valor estipulado desse produto, moderado ou não. O problema é que nos habituámos ao acesso fácil e grátis a este tipo de informação. Todos sabemos que é ilegal desde o primeiro dia que o fizemos, certo? desde a primeira música que demoravam largos minutos a sacar que sabiamos que era uma ação ilegal.
    Já nos primórdios dos tempos se trocavam bens como forma de pagamento, porque deveria ser diferente agora?

    O exemplo do Ferrari que alguém deu mais atrás está bem enquadrado.
    Outro bom exemplo é se tiveres um terreno e tiveres o trabalho de o cultivar, mas não tens uma boa vedação, quem tiver interesse pode ir apanhar os frutos do teu trabalho e não deixar nada em troca. No entanto chega a uma altura em que sabes que enquanto não levantares uma vedação bem alta, que proteja o teu trabalho, o teu esforço, não vais lucrar com o que estás a produzir. É o que está a acontecer.
    Hoje começa a ser mais facil ter este tipo de “vedação” que permite os respetivos autores obterem frutos do trabalho.

    Se os valores praticados são os mais adequados? Não são.
    O problema é que querem enriquecer depressa. E para esse tipo de ganância a resposta é a pirataria.

    Alguém mais atrás considerou o acto de pirataria como roubo, e com razão. No entanto também podemos considerar como extorção os valores que alguns produtos chegam aos mercados, na granda maioria das vezes sem culpa dos autores.
    Faz lembrar a vida dos pescadores, que se matam a trabalhar para venderem o peixe 1€ e a lota depois vende a 10€ aos comerciantes, que vendem depois a 18€ ao consumidor.

    No dia que se tornar um mercado justo, não precisam andar a correr atrás da pirataria. Ela por si só deixará de fazer sentido.

    • Pedro* says:

      Os exemplos físicos, são na verdade, limitados.
      A questão digital é mais complexa, a cópia digital pode ser ilimitada porque a Internet em si é também ilimitada. Parece-me uma questão pertinente, e concordo consigo quando diz ser ilegal mas também tem de haver uma atenuação do “crime” em si quando se fala de pessoas pobres ou de classe media baixa. Não existe maneira das pessoas acederem a estes conteúdos quando precisam do dinheiro para pagar as suas contas essenciais e comer.

      Concordo que parte do problema passa pelas empresas que distribuem o conteúdo, editoras publicadores etc. O produto poderia ser vendido a um preço mais em conta e ir quase a 100% para quem o criou.

      Mas as pessoas em Portugal continuam com salários muito baixos, o salário mínimo continua muito baixo. Sem um bom salário fica difícil a qualquer pessoas poder pagar por conteúdos.

      Por um lado é bom que exista acesso para quem menos pode, e para os que podem, isso sim já é outra historia. Os que podem pagar devem pagar.

      • Messias says:

        Pedro, obrigado pelo comentário sério. Vê-se com cada um por aqui que por vezes não passo da primeira linha.

        Quanto ao teu comentário: “Os que podem pagar devem pagar”

        Este é um daqueles temas que dão muito que falar. No entanto, e excluindo casos de corrupção em que certos individuos enriquecem ilicitamente, esse tipo de abordagem de “os que podem pagar devem pagar” não é o mais correto/justo.

        Vamos imaginar o típico caixinha de óculos inteligente que dedica a sua vida aos estudos, a aprender, a desenvolver o seu intelecto. Desenvolve algo fantástico e contribui ativamente para a sociedade.
        Agora imaginemos o típico baldas, que se pudesse não punha os pés na escola, não tem uma boa base de educação, e acaba por ir para um trabalho que recebe pouco mais do salário mínimo.

        Seria uma sociedade justa que o caixinha de óculos tivesse que pagar o que os outros roubam, só porque tem mais dinheiro? Acho que todos concordamos que colocando nesta perspetiva não seria justo, certo?

        Mas como disse inicialmente este é um tema sensível e que daria muitas horas de debate interessante, principalmente porque vivemos numa sociedade corrupta. Onde cada um rouba o que pode e o que consegue, independentemente se ganha pouco ou muito. As pessoas banalizam o acto de “piratear”, pois não é visto como um crime grave diria eu. Não estamos a apontar armas a ninguém, não pomos a vida de ninguém em risco (duvido que alguém morra à fome porque devenvolveu um produto e devido à pirataria ficou sem nada). Simplesmente mexe nos bolsos de muita gente. Gente essa que já têm bolsos fundos, mas a natureza humana é lixada.

        Quando “dar o nif quando se vai beber um café”, “terem acesso à minha conta bancária”, “saberem constantemente onde eu ando” se torna um problema é porque muita gente anda a esconder algo, certo?

        Imaginem total abertura apenas nestes 3 pontos? já imaginaram ser totalmente claro de onde vem o dinheiro que os grandes personagens políticas ganham? já imaginaram se toda a gente cumprisse com o seu dever cívico de declarar todo o seu consumo? Já imaginaram haver registos de onde cada pessoa esteve em cada momento?

        Eu não tenho receio disso. Pelo contrário, tinhamos todos a ganhar. Isto claro que fosse aplicado a todos, sem qualquer exceção, fosse quem fosse.
        Ainda é pior que haver pena de morte. Com a pena de morte há sempre uma possibilidade de fuga. Imaginem haver registos do que cada pessoa fez, no que gastou, etc. Ia haver muita gente corrupta (e não falo apenas em políticos, mas principalmente esses) que iriam começar a pensar duas vezes antes de agir.

        Não tenho dúvidas que um cenário destes iria acabar em muito pouco tempo com as discrepâncias entre ricos e pobres. Dinheiro há muito, está é mal distribuido.
        Iria tornar-se uma comunidade mais justa. Os mais esforçados eram mais recompensados, assim como os mais baldas eram menos recompensados. Não iria, no entanto, existir a discrepância que existe.

        Este é daqueles temas que serve apenas para um debate interessante, mas que no final temos que descer à realidade. Nunca existirá uma sociedade equilibrada, os que estão lá em cima não lhes interessa. E para nosso azar são eles que ditam as regras.

        Abraço e bom fim de semana.

        • Pedro* says:

          Note-se que estudei bastante este tema e a percentagem de pobres “baldas” como diz são uma minoria, além de que automaticamente quando se bloqueia o conteúdo e em muitos dos casos ao acesso a uma educação igual já se está a dividir as classes com certos interesses no que toca ao controle da população ao manter a maioria numa ignorância profunda.

          Neste momento se formos pelas estatísticas publicas existem varias situações a maior parte delas vão dar a uma pobreza enorme. Poucos são aqueles que conseguem ter acesso universitário e mesmo os que conseguem acabam por sair de lá e não ter um emprego fixo ou na sua área de estudo, precariedade salários baixos muitas vezes com dividas porque tiveram de pedir credito para pagar os seus estudos ou mesmo com sacrifícios enormes de estudo e trabalho, muitas pessoas acabam por ter imensos problemas psicológicos.

          E pelo que estudei muito ao contrario do que pensa ou pelos menos faz transparecer a maioria dos portugueses que são pobres não o são por serem baldas ou por não trabalharem no duro, isto é uma falsa idea, a pobreza existe também porque como já disse não é dada importância a empregos onde o salário é mínimo ou ainda pior do que isso.

          Se não existem as mesmas oportunidades é muito difícil os pobres na sua maioria conseguirem pagar por cultura. Para mim a alternativa passa por aumentar os salários e aumentar o poder de compra consequentemente além de que depois também os filhos destas pessoas podem ter acesso a uma educação que neste momento é limitada, não só pela pobreza das famílias que muitas das vezes desistem dos estudos para trabalhar porque não há comida no prato mas também pela pressão social que vem muitas vezes de cima.

          Além disso acho que ainda que se considere um crime que um pobre roube para comer ou mais precisamente neste caso para fortalecer o seu conhecimento na área cultural em comparação com os milhões de euros que os RICOS que já são RICOS roubam não existe no meu ponto de vida consciência para poder comparar os dois, se um exemplo é apenas e simplesmente para sobreviver e ajudar outros a sobreviver e se fortalecer a nível cultural o outro é apenas e só ganancia pura.

          Para mim o exemplo deverá partir de cima, a percentagem de pessoas ricas é pouca em comparação com a percentagem de pessoas pobres mas eles conseguem ter tanto ou mais dinheiro que todos os pobres juntos e acho muito injusto que façam de tudo para se aproveitarem dos pobres.

          Acho uma hipocrisia enorme compara a corrupção que vai lá em cima com a os crimes de fugas ao fisco cá em baixo, que ponte assente não deveria existir em qualquer uma das partes, mas pelo que leio e leio muito ninguém convence que os crimes que existem pelo meio dos pobres é muito por causa exactamente dos ricos.

          E concordo que alguns empregos sejam premiados com salários maiores, mas não se vê isso, vê-se discrepâncias de um fundo a 5% com um topo a 95% sendo 5% um salário mínimo. E não acredito que muitos desses empregos justifiquem essa discrepância, nem de longe nem de perto.

          Ajustem as coisas aumentem os salários mínimos e empreguem medidas mais justas e tudo melhorará agora culpar os pobres por serem todos baldas é a típica desculpa para justificar a pobreza e esconder as verdadeiras causas da mesma.

          Ainda que a nível informal obrigado pela abertura para este debate que é muito complexo e importante, apesar de desacordamos não significa que não possamos ser educados.

  27. Bernardo says:

    Confesso que é um serviço “ilegais”, mas é útil para testar os jogos no meu computador, quando não se tem a certeza que o mesmo vai correr fluído.
    O último caso que me aconteceu foi o do jogo GTA V em que fiz download da versão pirata para saber até que ponto o meu pc era compatível.
    Assim que percebi que rodava bem, comprei o jogo.
    De resto só para porn 😛 eheheh

  28. metro says:

    Uso o torrentz.ch e continua a bombar

  29. me and me says:

    apenas digo que lentamente estao a matar a internet..
    daqui nada so podemos aceder a sites de noticias, que foram editadas e escolhidas por algumas pessoas para nos manter em ordem qual rebanho de ovelhas

    • Pedro says:

      a internet no futuro será apenas para controlar as pessoas, nunca foi um espaco livre apesar de ser idealizada como tal. Nao fosse a musica pirateada ainda se usavam cds, ninguem compraria ipods ou smartphones. Nao fosse a piratearia ninguem compraria ipads, desktops de gaming. Se quero comprar jogos compro uma playstation 4. Investi mais de 2000euros num pc gaming topo, nao vou gastar mais nos jogos.

      • me and me says:

        sabes que isso é conversa da treta certo rjSampaio?
        a distribuiçao digital é tao cara quanto a fisica… so é mais barata no pc porque sempre foi mais barata…
        os jogos que realmente interessam sao caros e ainda por cima, ja noutro tema, cheios de bugs…

        o streaming so é bom com internet “fixa”… fora isso nao serve de nada. nao vou ver netflix no tablet ou tlf a gastar banda larga.. nao ganhava para pagar.

        chears
        gastar 60€ num jogo continua a ser muito por exemplo

        • Risos says:

          Tens bastantes sites onde podes comprar os jogos a metade do preço (gog.com, g2a.com, cdkeys.com)..

          E Não digas que todos os jogos que custam 60€ nao valem a pena..

        • me and me says:

          nao disse que todos custam 60€ mas que os que interessam custam…
          tb compro no steam.. se apanhar promoçoes… o que quis dizer é que quando um jogo sai nao o compras a 50%… so se eles cairem do camiao

        • Hugo says:

          Estás completamente errado.
          E sim…há jogos a sair a custar 50% do valor de uma worten. No entanto nao vejo a steam como uma alternativa barata sinceramente, tirando realmente uma promoção ou outra.

        • me and me says:

          hugo estas a dizer que por exemplo o GTA V estava a 50% na worten… porque se estava fui enganado ao ter comprado a versao para PC no steam.

          os ditos jogos AAA, que no fundo sao os que interessam minimamente e que sao pirateados a grande, nao acredito que esses estejam a 50% quando sao lançados….

          mas sim um fifa, pes, e outros do género acredito é nos 25% a 30% de desconto.. com a entrega do jogo antigo….

        • Hugo says:

          Não. Versões digitais a 50%.
          O gta não foi um desses (penso eu), mas há muitos jogos que chulam logo 60€ nas grandes superficies e versões digitais encontram-se a 30-40€.

      • me and me says:

        futuro? infelizmente já assim o começa a ser.

        eu acredito que em tempos a internet era puramente livre.. nos dias de hoje nem por isso.
        so esta restriçao que temos nos sites de partilha é ridicula no minimo. até a UE disse que nao faz sentido.. e no entanto ca estamos.

        mas pronto ela, a internet, continua a morrer lentamente…

      • Risos says:

        Investiste mais de 2000 euros num pc de gaming porque não o podes sacar.. porque se pudesses..

        Desculpa mas a tua conversa não faz sentido… Porque motivo é que não existiam ipads nem desktops de gaming se não fosse a pirataria? Então a tecnologia e os jogos desenvolvem-se a partir da pirataria? Ai que grande LOL

      • David says:

        Compras um carro de 50000€ porque gostas do carro. Vais roubar a gasolina para o poder conduzir?

  30. joao says:

    Continua aberto.

  31. me, myself and I says:

    A solução para salvar a internet ou uma criar uma nova: descentralização, encriptação e ofuscação.

  32. Ricardo M. says:

    Acho que sim malta. Baixem tudo o que puder de graça.
    Pagam impostos pesados, trabalham horas a mais, e salários muito abaixo do esperado.
    Se Portugal quer que vocês parem, que vos dê condições para isso, que vos dêem condições para poder pagar músicas, filmes, jogos etc.
    Estou a trabalhar no estrangeiro. Não há impostos, e ainda há uma pensão para quem não trabalha. Por isso, só digo, em Portugal e outros países somos roubados pesado.
    Ganho mais que 30 mil, e faço downloads. O estado português não merece aqueles 23%!!!

  33. Velha guarda says:

    eMule

  34. Luis says:

    agora ando a ver onde posso sacar

  35. Bob says:

    Mentalidades de não quererem pagar por conteúdos de outras pessoas à parte, digo isto:

    Hail Hydra!

  36. AFPB says:

    Nunca ninguém ouviu falar em Kodi? Já utilizo há 3anos e nunca me falhou… E para música spotify

  37. Ricardo Rosado says:

    O direito de autor é uma área que se encontra fundamentalmente errada, este tipo de decisões só prejudicam quem está realmente interessado na divulgação artística, artistas e consumidores, em favor de vontades alheias (dinheiro, lucro…) de grandes corporações, publicidade e distribuição, alienígenas.

  38. Léo Cunha says:

    Se foi um gigante. No mínimo 10 anos de convivência praticamente diária. E Sem reclamar! Nunca me pediu nada em troca. Nunca me pediu p esperar 60 segundos, nunca me pediu p por códigos desgraçados e intermináveis, nunca nem ousou em me pedir dinheiro.
    Só estava lá. Presente, a qualquer hora do dia. Sempre humilde, singelo, sem pop-ups nem janelas abusivas.
    Antes de qualquer porra de modinha Netflix pensar em existir, vc estava lá, suprindo todas as minhas carências e necessidades nos momentos mais difíceis. Foi mais que um parceiro, foi um exemplo.
    Um verdadeiro Robin Hood virtual.
    Farewell <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.