Tenha cuidado! Há burla na venda de iPhones em Portugal


Destaques PPLWARE

83 Respostas

  1. RenatoNismo says:

    são equipamentos refurbished que depois são vendidos a preço de novo a estrear ? vindo da RP não é de admirar.

    • Joao says:

      Pelo menos foram recondicionados.
      A Worten mobile vendeu um Huawei “novo” a uma colega minha que tinha fotos do antigo utilizador, incluindo cartões de cidadão e cartas de condução, com datas nos ficheiros que revelavam bem mais de um mês de uso!!! E, quando confrontados com a situação, não aceitaram fazer devolução!!! Só podia ser troca!!!
      Isto das grandes empresas dominarem o mercado em Portugal é uma palhaçada e acaba por ser mau para o cliente! Não só têm margens estúpidas como gozam com a cara de todos!
      Pagam pouco aos empregados e não se percebe como é que no estrangeiro as margens são MUITO inferiores e se ganha mais! Depois o problema é da economia…

    • Oscarwyze says:

      Até hoje tenho tido sorte, pois na RP já comprei um Samsung S2, uma televisão Sony FHD, um portátil HP e uma máquina de café tudo a preços de saldo! E só a máquina de café teve problemas, mas bastou reclamar na loja e trocaram por uma igual, sem problemas e sempre bem atendido. Também é preciso ter sorte e além disso estar atento e informado para poder reclamar e defender-se dos esquemas das lojas em geral.

    • RenatoNismo says:

      não é só RP, como também outras lojas nacionais. já comprei um tlm na MEO e a caixa vinha com dois selos colados, um já aberto e outro novo por cima.

      por isso, quase nunca compro esses pequenos produtos nas lojas nacionais.

    • RenatoNismo says:

      esqueci-me, um amigo meu comprou um tablet na Worten, que vinha com dados do anterior cliente.. e a worten tentava desviar responsabilidades na hora da troca, lá depois resistiu e trocou.

  2. Julio says:

    Deco para quem sofreu este tipo de burlas. Novo é novo. Nao se enganao as pessoas

    • Pedro S. says:

      A DECO é tudo bonito desde que pagues a quota! 🙂 Sinceramente, é livro de reclamações, asae e depois centro arbitral..

      • pintor says:

        E as vezes nem assim.
        O que a maioria das pessoas não pensa é que a Deco alem de todo é um negocio com vistas a obter lucro.

        • Belmiro says:

          Vocês mordem a mão de quem vos ajuda. Mais uma vez mentalidade tuga: acham mesmo que estas entidades sobrevivem se não conseguem pagar as contas ??? Quem lhes paga os telefones, renda, impressoras, PC, Internet, etc?

          Que raciocínio vos vai na mente? Moralmente deve a DECO deve ajudar-vos gratuitamente, fazer testes gratuitamente e vocês, moralmente não precisam de dar uma ajuda? Por acaso até gostava duma resposta …

          • Pedro says:

            Não consigo confiar numa entidade que diz defender os consumidores, mas no fundo só os “reencaminha” para as entidades oficiais (como aconteceu comigo quando fui sócio).
            E que além disso, se queixa das vendas agressivas, quando também as praticam. Todas as campanhas de cartões de descontos a únicas coisa que deu foi telefonemas a tentarem “vender” o cartão deles. Mas o dito cartão de desconto, nem vê-lo.

            No fundo, ajuda tanto como os impostos. Se fossem bem aplicados, sim. Da forma como são, não.

          • Paulo says:

            Mordemos a mão de quem nos ajuda? Ou seja, do ponto de vista lógico e até como fábula, a DECO, é uma entidade altruísta de apoio aos consumidores lesados e que age única e totalmente a favor dos mesmos consumidores com o fim de justificar a justiça que cada consumidor merece por direito e obrigação da lei já existente, certo? Parece-lhe que uma entidade de suma importância e, consequentemente de valor aos lesados, necessita de angariar clientes através de presentes toscos “made in China (não desprestigiando a China e muitos dos seus bons produtos!), mais não sei quantas publicações que falam de tudo e não falam de nada, etc.? Que dispõe de membros associados como: juristas, advogados e mais uma panóplia de áreas abrangentes e que podem exercer influência e assim buscar uma resolução para o consumidor, mas que somente apresenta um porta-voz que vem dizer a toda a gente o que toda a gente já sabe: que é ilegal!? A DECO, como uma entidade de defesa ao consumidor teria a obrigação moral e cívica de actuar nestes casos; não por um ou outro consumidor, mas por todos os consumidores, e para pôr fim ou minimizar ilegalidades como estas, Sr. Belmiro! Quando a DECO “ajuda” algum consumidor, se for associado, este já lhe pagou a “ajuda”, se não-associado, também (se não estou em erro cobrava 10 euros a não-associados, para informações mais detalhadas e alguma actuação.) Acha que é solidariedade?… Obviamente que há casos e casos; se para si foi de uma forma, para outro é de outra maneira. A RP não burlou toda gente, burlou quem comprou os tais iPhones remanufacturados. Assim como a DECO pode ser eficiente para uns e nada eficiente para outros; vai do caso e da sorte.

      • Nonnus says:

        Pago cotas a DECO tive o mesmo problema que é aqui relatado com um iphone adquirido na phonehouse relatei a DECO, ao portal da queixa e a ASAE e a única resposta que recebi é que se queria ver o problema resolvido era mesmo ir para tribunal porque a phonehouse nem queria saber das reclamações deles. Tive o telemóvel cerca de 6 meses, 4 meses passou em reparações e o diagnostico era sempre o mesmo, problemas de software. A partir do momento que pedi que me dessem o valor do telemóvel o mesmo passou apresentar vestígios de humidade. Levei o telemóvel a 3 centros autorizados Apple e todos me disseram que os selos não apresentavam marcas de humidade e num dos centros disseram-me que o ecrã que telemóvel tinha já não era o original. Apresentei estas provas todas e a única solução foi vender o telemóvel. A nossa legislação é uma treta e as empresas valem-se disso, porque sabem que ninguém leva estes casos a tribunal devido ao tempo que leva um processo e ao dinheiro gasto em honorários dos advogados.

  3. Jaime says:

    Tinha uma mão cheia de situações surreais para contar desta cadeia de lojas! São tão surrealismo que eu próprio penso que as sonhei. Daí nunca mais lá ter colocado os pés!! Afinal n tinha sonhado. Tá bonito!

  4. NP says:

    Verdade! Uma cliente minha comprou um iPhone 5S na rádio popular e foi intrujada! O iPhone que pagou com novo havia sido manipulado no ecrã e pior que isso já havia sido activado nos estados unidos 8 meses antes de comprar. Isto confirmado pela assistência técnica da Apple. É só aldrabões!!!

  5. JMRG says:

    Já lá comprei um ferro de engomar pelo site em promoção e aquando do levantamento foi me dado um ferro com caixa aberta e com água ainda dentro do depósito…perguntei à empregada se na fatura dizia usado…ameacei com o livro de reclamações e ela de fininho foi logo á prateleira buscar um artigo novo. Rádio Popular nunca mais.

  6. Flávio Ferreira says:

    Quando comprei lá uma televisão a primeira coisa que disseram foi mandar logo bocas sobre a Worten, por causa de seguros e extensões de garantia, pois nunca mais lá comprei nada compro tudo na Worten e sem problemas

  7. Rui says:

    Hehehe é normal que a RP esteja à a quantidade de auriculares que eu estraguei ,que devolvi na loja e recebi novos é normal que eles estejam mal de economias (it’s a joke)

  8. Pedro S. says:

    Onde fui sempre melhor atendido foi no eBay. Sempre resolvi tudo rápido e da melhor maneira! Nunca tive chatices!

    • Bruno says:

      Está respondido. Melhor que isso não existe simplesmente, de resto todas as lojas são banhadas, querem lá saber do interesse do cliente, tudo o que importa é cumprir metas, e ter sempre mais lucro. Só não vê quem não quer.

  9. Waaazzzuuuppp!!! says:

    A nível de venderem materiais usados a Worten também não fica atrás. Há relativamente pouco tempo comprei na Worten um teclado e rato sem fios da Asus por 40€. Quando chego a casa vejo que faltava o receptor wireless, faltava as pilhas e que as protecções plásticas tinham sido arrancadas do teclado. Devolvi sem problemas e acabei por comprar o mesmo teclado e rato noutra loja de informática por 20€ 😉

  10. Nuno Pereira says:

    Eu no outro dia fui comprar um KIt TDT Complementar (Satélite) a uma loja da MEO por 70€ que deveria ser novo e quando abri a caixa o receptor satélite estava todos amolgado e riscado, era claramente usado. Escrevi no livro de reclamações e em resposta mentiram com todos os dentes. A verdade é que a MEO pega nas box samsung velhas que retira dos clientes satélite (recondiciona-as) e depois as vende para os desgraçados que nem tem TDT terrestre têm. Vergonhoso.

  11. Nelson Simões says:

    Ha dias estava num balcão resolve da Worten, quando ouvi um dos técnicos a comentar com um colega, que tinha em mãos um TLM da Samsung S4 clone. A copia era tão perfeita, que so deu por ela quando recebeu resposta da garantia Samsung que o equipamento não era original. Por isso muita atenção a todas as marcas…

  12. tiago says:

    A radio popular até pode ter bons preços em certos e determinados produtos mas o apoio pós-venda e a qualidade dos produtos e serviços… é uma bela m(…)

    De lá a única coisa que compro, e quando está em promoção, é os phones para ouvir musica…!

    E cada vez que ouço alguém a dizer que vai comprar algo á RP, digo logo para não o fazer porque ainda se vão arrepender… mas também quem manda irem comprar Iphones á RP? Não existem lojas oficiais? Ou MEO? Ou Vodafone?

  13. Prodígio says:

    Basta ver a gente que ocupa o lugar no conselho de administração da RP…

    Estavam à espera de quê? Que fossem honestos? Ahahah

  14. darth says:

    nunca confiei na Radio Popular. Sempre que ha promos, esses artistas no dia antes retiram da loja os artigos mais populares, e em dia de promo so ha trampa

    este tipo de tacticas nao me surpreende na RP. nunca la meto os pes por causa disso

  15. upk says:

    deixa eles fazerem uma promo bombástica que os tugas aparecem la de novo

  16. NT says:

    hooooooo ivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
    iiiiiivvvvvvvvvvaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
    …..

  17. Sérgio. M says:

    Não é uma situação tão estranha quanto possa parecer à primeira vista!… Seria muito mais estranho o comércio (e outras actividades) serem transparentes e honestas em Portugal! Em relação à “Rádio Popular” não posso propriamente dizer se é ou não verdade o que consta, mas que têm uma campanha de marketing (spam) agressiva, lá isso têm: alguém que faça um registo nos seus serviços e forneça contactos (no mínimo o e-mail) nunca mais se vê livre dos senhores – ou senhoras -! E concordo inteiramente com o senhor Pedro. S; a “DECO” é uma entidade muito eficiente nas publicações e “brindes – isco” para a angariação de associados, e em seguida, é útil – ou não – a esses mesmos associados (já por isso é que são associados…); caso contrário, é uma entidade nula, nem a uma simples questão respondem (caso não seja associado, claro, mas esforçar-se-ão para que seja um! ).

    • Belmiro says:

      Sérgio, isso não é verdade suje a deco. Já tive vários problemas, enviei uma carta para a deco e SEMPRE recebi um esclarecimento. O único que disseram é que SE quiser respostas jurídicas, mediação por eles, etc, tenho que ser associado mas tratam de escrever um texto jurídico e tratam eles de tudo.

      Uma Vez por causa da Internet tratei eu e o provedor nem me respondeu. Associei-me à deco, eles tomaram conta do caso e passado um par de semanas já tinha uma resposta positiva do provedor.

      Agora se acham que o mundo anda a trabalhar para aquecer porque vocês sãouns “gajos fixes” então é porque são muito novos e inocentes…

      • Tonho says:

        Sou associado da Deco e resolveu-me um problema em 24 horas. Colchões manchados e esfiados. Eles ligaram ao fornecedor. Tiro e queda!!!

        • Pedro Coelho says:

          Eu sou associado há muitos anos, já ganhei algum dinheiro com os descontos e protocolos para associados, mas infelizmente não tenho nada boa opinião do aconselhamento / mediação da Deco nos problemas de consumo. Nos meus problemas nunca se ofereceram para mediar (e num deles até era com a Gold Energy ao abrigo do protocolo coma Deco…). Essencialmente sempre me deram conselhos algo vagos e fraquinhos sem grandes soluções.

  18. Simão says:

    Radio Popular é uma vergonha de loja.
    Apanhei umas situações com eles que nunca mais lá vou, nem aconselho a ninguém.
    nem que estejam a dar os produtos à borla

  19. João Santos says:

    ——-
    afinal afinal…muitos são os que falam que as grandes superficies é que sao seguras e fiáveis…. aqui têm!! lol
    para quem nao viu a reportagem, https://www.youtube.com/watch?v=zWNCuS1UiQk

  20. João Sousa says:

    Há anos que ando a aconselhar amigos e familiares a não meterem os pés na RP, desde que conheci uma pessoa que lá trabalhou e que me explicou que os funcionários recebem comissões por venderem artigos específicos de algumas marcas, e que obviamente acabam por ser impingidos aos clientes.

    Além disso já me aconteceram também casos surreais, por exemplo, uma vez ia comprar ums headphones, e pedi ajuda a um funcionario, após ter escolhido o produto que queria o funcionário retirou-mo imediatamente da mão e disse que ele próprio o levava á caixa e assim fez, e juntamente entregou uma ficha que provava que ele é que tinha feito a venda. Achei uma falta de respeito esta autêntica caça á comissão, virei as costas e fui-me embora. Desde esse dia nunca mais lá pus os pés.

  21. joao magalhaes says:

    Não entendo a noticia. Mas os Iphones avariam?????

  22. GiL says:

    Com a Vodafone trata-se do mesmo, quando um iPhone é dado para garantia este é trocado por um “novo” que já foi ativado no passado mas que garantem ser um equipamento novo, que vem dentro de uma caixa retangular branca com o símbolo da Vodafone. E aliás nem à Apple chega a ir, vai a un centro “autorizado” da Vodafone

    • flavio says:

      A Vodafone fez-me o mesmo com um huawei. Nada de caixa do equipamento, era caixa da Vodafone e o equipamento já tinha marcas de uso. bye bye vodafone

      • Belmiro says:

        A Microsoft, Apple, etc trocam um equipamento por um recondicionado em 99.9% das vezes salvo ruptura de stock de recondicionados. Eu próprio comprei um SP3 novo, tive problemas e a MS enviou-me um novo recondicionado. Eles deram 2 opções: ou ia à loja trocar por um novo dentro dos 30 dias; como já tinham passados uns meses, recebia recondicionado. Escusado será dizer que vinha como novo: zero problemas, zero riscos, meia dúzia de ciclos de bateria usados. Até hoje impecável.

        Não confundir recondicionado por dádiva de garantia com vender gato-por-lebre. Isto é um esquema entre distribuidores para vender usados como novos ao “Zé povinho”.

  23. Luis says:

    Comigo, fartaram-se de gozar por causa de um telemóvel que comprei. Fui lá 4 vezes no período de garantia, porque estava constantemente a ter problemas dos mais variados tipos. Era o sistema, descolavam-se uns frisos que tinha na lateral,… e cada vez que me o devolviam, vinha igual e sempre temperado com umas palavrinhas de gozo por “uso intensivo”, “material growing já se sabe como é”,…! Foram 8 meses dos quais 6 foram passados na loja para reparação! Um dia, disse chega e na cara da funcionaria da loja, destruí o telemóvel ali mesmo. Fiz reclamação grossa e dura no livro de reclamações e saí para nunca mais la voltar. Gastei lá milhares de euros para Telemóveis, eletrodomésticos e informática que sempre ajudei a comprar na família próxima e amigos chegados que me pediam ajuda, mas nunca mais lá volto! Só gasto dinheiro com gente séria, nem que tenha de pagar o ” O IVA!!!”

  24. Luis says:

    Foi em 2014…

  25. Amaral says:

    Não podem afirmar que não estão avisados! A maçã está ratada…

  26. luis santos says:

    é sempre bom saber destas informações … Evitar ao máximo as compras neste tipo de lojas ..

  27. BD says:

    acho que é engraçado que todos condenam mas direito a resposta a RP não teve, será que era do conhecimento da RP que se tratavam de equipamentos refurbished? pk será que essa menina cliente é jornalista da RTP e apenas é apresentada como cliente, necessidade de mostrar trabalho lá dentro? pk não é ela a dona da reportagem, e passasse por cliente?
    as situações foram resolvidas e assumidos os erros por parte da RP, não culparam fornecedores?
    porque é no caso do rapaz, ele referiu que apenas a RP lhe ligou a pedir desculpa e nada mais!? quando lhe foi dado um telemóvel em fev 2016, sei de fonte segura!
    agora sou cliente RP e sempre serei erros todos cometem e venha o primeiro atirar pedras!
    fica a ideia não me parece muito justo condenar uma insígnia quando está mesmo não deixou ninguém com o produtos por resolver!
    sejam justos, importante é quem sabe resolver e da a cara por todas as situações!
    fica a minha opinião!

  28. Celso says:

    “Os iPhones são os smartphones mais vendidos em Portugal. ”

    Fonte?

    • F.D. says:

      “Ouvimos dizer que era o mais vendido e acreditamos.” Está ai a fonte. Anyway é o smartphone do zé povo, portanto é bem capaz de ser verdade.

    • Pirata says:

      Realmente…
      Eu vou a Portugal passo num café toda a gente tem. Smartphone, mas muito poucos tem iPhone.

      • ze_pirata says:

        Estás numa zona pobre do pais só pode.

        • Celso says:

          LOL.

          Essa do iPhone ser só para ricos já deixou de ser verdade há muito tempo.

          Por menos de 300 € já compras um 5S novo (claro que é preciso ter cudados com maroscas como esta da RP) e nas operadoras podes comprar a prestações.

          Eu no dia-a-dia ainda já vejo bastantes pessoas com iPhone, mas ainda vejo muitas mais com Samsung e, nos últimos tempos, Huawei.

          Mas até pode ser verdade o que foi dito no artigo, daí eu ter questionado se existe alguma fonte oficial ou se foi simplesmente um palpite.

          Talvez no café preferido do Pedro Pinto existam bastantes pessoas com iPhones 🙂

  29. José Lopes says:

    É triste isto acontecer, em especial em empresas como RP e VOR.
    Como fazer confiança nestas Empresas?
    Eu não faço ….

  30. João Cerqueira says:

    Para quem não sabe…Um dos administradores da Rádio Popular é deputado do PSD…É o mercado, filho…

  31. just a normal guy says:

    a worten em telemoveis e pulseiras de fitness,vende os como novos quando mtos sao trocados pelo cliente e eles mesmo com as caixas abertas vendem nos como novos,deviam levar uma multa brutal,eu sei disso porque cheguei a comprar uma pulseira da garmin quando ia para emparelhar com o meu telefone,ja estava associada a outra conta.mas claro quando se vai a worten nem sabem o que se passou porque nunca aconteceu nada assim la.lololol sempre a mesma tanga.

  32. Miguel says:

    Se noticiassem fora de fazer verificação antes da compra isso sim seria informação útil.

  33. João Fernandes says:

    Grande parte destas lojas ao efectuarem as trocas por satisfação ao cliente, acabam por elas próprias recondicionar os aparelhos para voltarem de novo para venda em loja. Para todos os efeitos os clientes acabam por comprar aparelhos usados, mesmo com pouco uso, não deixam de ser usados. Falo principalmente da Worten, em que os técnicos, ou supostos técnicos pois muitos nem formação possuem para desempenhar a função, é uma das suas tarefas, o recondicionamento de aparelhos.
    No caso da Apple vão para um reparador, a Satfiel, que passa quase todos os aparelhos a orçamento para ganharem uns troços, dando desculpas absurdas para retirarem a garantia ao aparelho, o mesmo acontece nas lojas onde “obrigam” os tais “técnicos credenciados” a passarem os aparelhos a orçamento com o desculpa que as avarias são de software e que o mesmo não é coberto pela garantia, blá, blá…
    Todos teem esquemas manhosos para enganar os clientes. Basta ir a uma loja e verificar a quantidade de caixa abertas ou novamente “seladas” por cima do original.

    • Satfiel – Imprensa says:

      Caro Sr. João Fernandes, a Satfiel não se revê nos comentários que redigiu relativamente à nossa empresa e rejeita-os, considerando-os falsos.
      Enquanto Centro de Assistência Autorizado Apple o nosso desempenho é continuamente monitorizado pela marca e, por esse motivo e por outros, a prática sistemática que refere não passa de um mito.

  34. NT says:

    Estou intrigado com uma coisa, ora as lojas dão a possibilidade de troca de produtos quando o cliente ‘não gosta’ depois o que fazem a esses produtos? Deitam fora? Quer dizer já perderam porque o produto foi devolvido e depois deitam o produto fora?
    É lógico que voltam a vender o produto, agora aqueles que querem redução no preço porquê? Se o produto corresponde a nível de todas as características a um novo.
    Não importa de ser na RP, Worten, FNAC, ti manel da esquina. Se fossem consumidores informados e as lojas não fizessem troca do equipamento (e não estou a falar por falta de conformidade) queria ver essa reportagem na RêTêPê ou na CM que dão canelada a torto e a direito.
    No caso da reportagem até a própria RP pode ter sido enganada por um fornecedor. Mesmo assim deveriam ter mais atenção aos fornecedores e tendo em conta que a Apple tem a sua cadeia de fornecedores não deveriam ter ido ao ‘armazém’ do lado.

    • Nonnus says:

      Eles podem vender esses produtos desde que informem que o produto é usado. A burla esta em dizer que o equipamento é novo quando já é usado.

    • Rosso says:

      Importante também é perceber o motivo pelo qual as lojas admitem essas trocas ou devoluções. Antigamente quando era atendido por um profissional competente rarissimas vezes tinha possibilidade de solicitar a troca de um produto depois de adquirido, porque a escolha tinha sido feita conscientemente e de forma informada.
      Hoje nestas lojas muitas vezes as pessoas compram sem qualquer aconselhamento, logo é necessário que exista uma política de trocas e devoluções. Ainda assim sai-lhes mais barato que contratar funcionários com conhecimentos técnicos adequados.
      Agora o que fazem aos produtos não tem de ser preocupação do cliente. Se compra novo, tem de ser novo, não usado e recondicionado.

  35. Mr. Antunes says:

    É preciso ter muito cuidado com a RP! Os preços às vezes compensam mas depois podem vir a ter problemas…

    Uma das situações mais caricatas: tentaram-me vender o “peixe” que o prazo de reparação em garantia era 30 dias úteis… lol

    • Bruno Ibiza says:

      loooool.
      E é mesmo…. “ATÉ” 30 DIAS
      “A falta de conhecimento na legislação não iliba a falta de cumprimento da mesma”
      Manda um mail ao Rebelo de Sousa para fazer uma lei só para ti amigo 😉

  36. Amilcar Alho says:

    Nunca tive problemas na RP.
    Comprei um hibrido na RP em Alverca, o mesmo teve problemas, accionei garantia na RP de Loures e tudo correu bem.

  37. Alex says:

    Isto é TUDO uma vergonha, o nosso sistema no geral está uma vergonha. Está tudo na mão de quem tem poder (entenda-se €€), temos N casos, desde as cadeias de supermercados (e as lojas de tecnologia a elas associadas), a passar por a área automóvel (basta lembrar o esquecimento que o “Dieselgate” da VW levou em Portugal), passando por fornecedores de serviços (os 3 grandes fazem o que querem dos clientes – MEO, NOS, Vodf), e até os serviços de básicos e de 1ª necessidade (agua, luz e gás), já tive problemas nos mais diversos quadrantes, e apesar de sócio DECO as resoluções foram 0, é toca de encaminhar para X ou para Y entidade.
    Só é pena em parte não sermos tão “burros” como os Americanos, que por qualquer coisa processam as entidades, se assim fosse por cá, talvez se ouvisse mais o consumidor/cliente final, mas coitados de nós que dependendo da velocidade dos tribunais (lento ou parado) ainda morríamos à espera de uma resolução aos nossos casos….. (tipo os Hospitais)
    Assim vai o país!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.