Quantcast
PplWare Mobile

STAYAWAY COVID: Dos 403 códigos gerados apenas 113 foram usados

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Spoky says:

    Outra vez, vocês são pagos para promocionar esta App esta mais que visto! É só copy & paste “em resumo”.

    Por amor a santa!

  2. Ze says:

    Em resumo: Não serve para nada

  3. dgfgfdg says:

    Eu li bem, 400 000 euros?

  4. Miguel says:

    Qual é a novidade?
    Nenhuma.
    Bem diz o Rui Rio ainda hoje continua a espera do aviso…lol

  5. LR says:

    Pplware, uma sugestão: façam a estes artigos sobre a App o que fizeram aos artigos sobre a compra de licenças de software, ou seja, “desliguem” os comentários. Assim, quem se importa com este assunto importante e quiser ler, lê, quem não se interessa/acredita, passa à frente.

    • dgfgfdg says:

      Eu penso que o PPlware devia “desligar” o comentário do LR.

    • Spoky says:

      Sabes que as licenças do Windows que eles tanto anunciam ser legais, não são correto?

      Mesmo que fechem os comentários, há sempre a possibilidade de usar Facebook, Grupos, Foruns para debater este tema do Pplware por tanto… fechar não é a solução.

      • Miguel says:

        Ora nem mais os comentários foram fechados porque o pessoal estava a alertar os incautos que estão a ser enganados, pois as licenças são ilegais são OEM, nem factura dão.

        • Gabriel Santos says:

          Falso, quanto ao ser OEM não discuto mas os sites dão fatura sempre!
          Se não sabes não comentes. De ignorância está o país cheio.

          • Jorge Gomes says:

            @Gabriel Santos
            Basta ligar para o apoio da Microsoft ou perguntar a qualquer trabalhador na Microsoft. Todos confirmam que essas licenças aqui referidas não são são autorizadas fora do contexto da empresa que originalmente a adquiriu, inclusive o país. Podem dar fatura mas a qualquer momento estas licendas podem ser desactivadas ou apagadas sem qualquer aviso e possibilidade de reclamação.

          • Filipe says:

            As licenças vendidas nesses sites não são válidas em qualquer lugar. Caso precises de suporte da microsoft, ficas logo se ela, já para não falar que a qualquer momento podem ser desactivadas e a tua factura que “dão sempre” não te serve para rigorosamente nada.
            Faço minhas as tuas palavras: “Se não sabes não comentes. De ignorância está o país cheio.”.

        • Mia says:

          Licenças OEM na Europa podem ser vendidas em separado 100% legalmente.

          • Miguel says:

            Que raio de mentira, eu a 2 anos liguei para o apoio da Microsft que me explicou que a licença que tinha era ilegal pois estava a usar numa empresa e era OEM, que no meu caso o PC não era OEM.

            Telefonem para o apoio da MIcrosft ela esclarece.

    • ElectroescadaS says:

      Oh que chatice, estava com ideias de comprar 2 licenças assim fico na duvida se as devo adquirir a preços mais convidativos para a minha carteira…

    • Filipe says:

      A pandemia e o cuidado que temos de ter, são ambos importantes. Uma app que apenas serve para controlar massas, não.
      Podes estar infectado e não reportar nada lá. Sendo assim, qual é a utilidade além de servir apenas para controlar e espiar quem a usa? Não abras os olhos que não é preciso.

    • C.S. says:

      A inteligência falou.
      Então quer dizer, se os comentários estiverem “ligados “não lês o artigo?
      Não terás a máscara nos olhos?

  6. Miguel says:

    Alguém facturou bem…

  7. Samuel Pires says:

    “Não há registo que a app tenha influência negativa na autonomia da bateria” Eu tenho instalado e isto não é verdade, basta ver pelo facto das pessoas que não tinham o bluetoth e GPS sempre ligado e agora é obrigatório

  8. Manuel Martins says:

    Este snake oil vale 400 mil euros. Parabéns Portugal, nunca mudas.

  9. eu2 says:

    Bem me parecia que não estavam a dar os códigos. Já a inserção do mesmo, deve ser falta de conhecimento/lembrar das pessoas que testam positivo. Deve haver muito transtorno e muito a fazer para quem testa positivo, e lembrar de colocar o código na app não deve ser a primeira coisa que lhes vem à cabeça.

  10. Leandro says:

    Nem os médicos ligam a esta APP.

    Logo … Não há códigos.

  11. Leandro says:

    Médicos criam códigos para menos de 2% dos casos.

  12. Miguel says:

    Continuo sem entender para que serve a App. Informa se estive estado perto de alguém com Covid. Se não tiver sintomas, a DGS diz-me para não fazer nada. Ou seja, a App lança o pânico e depois não posso fazer nada a esse respeito. Instalar para que?!?

  13. ElectroescadaS says:

    Eu só não adivinho os números do Euro Milhões, já a utilidade prática duma app que até poderia ser de grande utilidade tornou-se um fiasco. É o que dá acreditar na ingenuidade humana e na carrada de tópicos que o Pplware demonstra (tal como outros canais) duma aplicação que como é “voluntária” a inserção dum código que na minha modesta opinião devia ser obrigatória e pelas unidades médicas e/ou SNS demonstra ser duma inutilidade total porque as pessoas por e simplesmente não querem saber ou porque têm receio de serem colocadas de parte…

    Não é por falta de informação que a sociedade se irá desculpar portanto para mim este assunto está morto e enterrado (na minha opinião o Pplware devia fazer o mesmo e passar a assuntos mais interessantes)…

  14. Samuel MG says:

    Já vai em 5 (no mínimo) vamos a ver quantas mais noticias vão ser!!

  15. barta says:

    “Não há registo que a app tenha influência negativa na autonomia da bateria” absolutamente falso, há vários registros de pessoas a queixarem-se do consumo excessivo da bateria, basta ver na própria playstore. Aliás, já aqui houve um post e já aqui muita gente se queixou.

    • PI says:

      Não sou utilizador Android, mas só para reforçar o teu comentário, há registo de qualquer coisa sim! “Atualmente, os telemóveis Android dificultam ainda uma execução eficiente das aplicações de rastreio digital de contactos. A utilização de Bluetooth neste sistema operativo implica que os serviços de localização, o que inclui o GPS, estejam ativos, o que, apesar de não serem utilizados pela STAYAWAY COVID, causa um consumo considerável de bateria. Este é um problema que apenas a Google pode ultrapassar.”

      https://stayawaycovid.pt/2020/09/16/a-app-e-os-varios-sistemas-operativos-e-telemoveis/

  16. Julio says:

    Agora a serio, quanto é que ganham vocês para divulgar esta porcaria? É que dia sim e dia não tem sempre noticia sobre esta app, e toda a gente ja percebeu que vocês são pagos para divulgar uma porcaria que não funciona

  17. Abílio Portas says:

    Em 2010 foi criado o website do centenário da Républica Portuguesa pelo estimado valor, segundo constado, de 99 mil e 500 euros… Isto gerou uma série de conspirações pelo valor como é óbvio, mas hoje em 2020 o website ainda se encontra ativo.
    No Stay Covid conseguiram superar e quadruplicar o valor e tenho as minhas dúvidas que em 2030 se encontre nas Stores para download…
    Dá que pensar…

  18. Falcon says:

    Bom dia.
    Sinceramente já estou farto de ler comentários sobre esta aplicação e ninguém se debruça ou aborda as suas verdadeiras falhas. Não a instalo por isso mesmo, as suas falhas (que pelos vistos quem a encomendou considera características) são tantas que a tornam ineficaz.

    Comecemos:
    1º – É uma aplicação que se baseia na “boa vontade” do infetado em inserir o código que lhe é dado. Se o anonimato está garantido, esse código deveria ser introduzido no sistema pelo médico.
    2º – Ainda não é certo se os médicos fornecem de fato sempre esse mesmo código aos pacientes, pois os números apresentados são mesmo muito baixos e há relatos de pessoas infetadas que garantem não terem recebido esse código.
    3º – A parametrização da app só considera contatos entre telemóveis que permaneçam durante pelo menos 15 minutos a menos de 2 metros. Aqui é que está a grande falha na app. Mas afinal se eu estiver 15 minutos a menos de 2 metros sou informado, mas se estiver 14 minutos ou menos já não sou???? Posso estar a 1 metro do agora infetado e ter estado com ele sem máscara a tomar café mesmo em frente dele durante 10 minutos (normal num café) e a app não me diz nada??? Partilho transportes públicos numa viagem inferior a 15 minutos mesmo encostado a ele e a app não considera o contacto de risco??? Mas quem encomendou a sua programação/parametrização ao menos pensou nisso?
    4 – Parte do pressuposto que os seus utilizadores tenham sempre o Bluetooth ligado.

    Agora, podemos fazer 2 leituras… Ou quem encomendou a app não sabia o que fazia, ou então, ainda pior, sabia mas não quis saber e aceitou publicitar a mesma gerando, pela sua ineficácia, uma aparente segurança que não existe. Agradeço que a pplware deixe de “apadrinhar” uma app que, verdadeiramente, não serve para nada, pois vocês deviam saber mais do que isso.

    • PI says:

      *O decreto de lei 52/2020, se a memória não me falha, diz algures que a aplicação deve respeitar a legislação EUROPEIA e NACIONAL aplicável em matéria de protecção de dados pessoais.
      * O infetado recebe um código (válido por 24 horas), depois de intervenção do médico perante o sistema de registo, onde deve colocar data dos primeiros sintomas, ou data em que o teste foi feito caso se trate de um assintomático, não sendo inseridos quaisquer dados que identifiquem o infetado. Por fim, este é que decide se pretende fazer uso do código na aplicação. Se fosse o médico a provocar as notificações aos contactos próximos do infetado, isto não iria de alguma forma contra a matéria da legislação mencionada no ponto anterior?

      Para mim, a aplicação claro que não é perfeita, mas é um extra que pode vir a ajudar a travar um contágio. Perante um caso excepcional como este, e com este sistema em funcionamento, concordo que o médico deveria ter mais margem de manobra para o bem da saúde pública em geral. Fico surpreendido por ler que de 430 códigos só 113 é que foram introduzidos, quando até já se esperava ver mais do que 430 gerados..

  19. João says:

    Adoro a parte do “nao se percebe”

  20. Rui Costa says:

    Só fico admirado, por nos últims dias ter havido mais de 1000 casos confirmados por dia, e só geraram 400 codigos? Porque não é gerado um código por infetado? Cobram por gerar códigos?

    • ElectroescadaS says:

      Para quê se ninguém depois vai escrever os códigos na app?

      • PI says:

        Áustria – 900 mil downloads, 56 códigos carregados
        Itália – + de 7 milhões de downloads, 257 códigos carregados
        Finlândia – (começou +- que PT) 2,3 milhões de downloads, 158 códigos carregados

        Estes exemplos foram mencionados publicamente pela SPMS (tinha deixado link de um artigo para o sapo tek sobre o tema, mas não foi publicado). Como as coisas estão assim por baixo, o ministério da saúde quer por um lado dar formação aos profissionais para tentar que a coisa melhore e para que ninguém fique sem conhecer os procedimentos a adoptar no sistema de registo. Por outro lado, vem a questão levantada pelo @ElectroescadaS, que envolve a parte voluntária da utilização do código. O doente quando recebe o código pode nem o usar! Podemos ver mais códigos a serem emitidos, mas depois ainda não temos garantia de que vão ser usados.

  21. José da panasqueira says:

    Como é que só foram gerado 400 codigos, se tem havido mais de 1000 infectados por dia? xD

  22. Micael says:

    Meus caros,
    Em relação a esse assunto, tenho a app, testei positivo, e não recebi qualquer código para colocar na app.
    Como eu, possivelmente outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.