PplWare Mobile

Fisco vai ter acesso à sua conta bancária com mais de 50 mil euros


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

70 Respostas

  1. LFC says:

    Ufa…. Estou safo… mas já só me faltam 49.800€ para lá chegar

  2. Filipe says:

    “tem como objetivo descobrir indícios de evasão fiscal, dificultando assim a camuflagem de património”

    Se fosse implementado para fazer mesmo isso, acho que a maioria de nós concordaria com a medida. Mas toda a gente sabe que há mais coisas “por trás”.

    • RM says:

      +1
      E ninguém gosta que haja outras pessoas a saber o que tens no banco!
      É também uma questão de privacidade.

      • bota ladroes na pildra says:

        Quem não deve não teme. Se há pessoas com esse valor no banco, que não tem problemas com isso e o tem justificado, tudo bem. Eu aprovava também outra lei, para, depois desta ter acesso aos levantamento e transferências para não haver desvios de dinheiro.

        • Alpha says:

          Mais com o “quem não deve não teme”. Já o disse noutro comentário, sabes quem popularizou essa frase? Joseph Goebbels… Para justificar o confisco, fiscalizações e buscas sem provas. QUE É O QUE O FISCO FAZ.

          Se a justificação for essa, então a polícia pode entrar pela tua casa a dentro, vasculhar tudo sem mandato, porque não tens nada a temer! Agora vais responder “mas não é comparável” ou “são coisas diferentes”, mas não são, o princípio por trás é sempre o mesmo.

          Mas alguém julga que os burloes e corruptos deixam saldos elevados no banco? Além da devassa é pura estupidez.

          • Mim says:

            Desculpe Alpha, mas eu discordo e o meu ponto de vista é muito simples:
            Eles não vão a minha casa porque lhes apetece, se vão é porque tem algum indicio e mesmo que não o tenham só irão 1 vez, sabe porque? Porque como não devo, não temo e não vão encontrar rigorosamente nada. Por mim podem lá ir todos os dias, vão acabar por se cansarem.
            Quanto à minha opinião a este assunto, julgo que não haverá necessidade desta politica, porque muitos casos estão identificados e vemos todos os dias na TV. Alguém é responsabilizado?!?! Não….
            É o país (letra pequenina) que temos.
            Podem consultar contas, detalhes, até vida privada, tudo vai ficar igual, o contribuinte que trabalha humildemente e de forma honesta é que vai pagar tudo…

        • estespoliticosnemgamarsabem says:

          o problema é que isto nao serve de nada pois os corruptos e amiguinhos do “iran” costa já não se vai aplicar lei nenhuma…
          em vez de irem atras dos que prejudicaram os país, não continuamos no mesmo circo !!!

        • Ângelo says:

          Essa do quem não deve não teme, é treta.

          Lembra-se dos Panama Papers? O escândalo que foi? Lembra-se o que fizeram? Nada. Têm falado disso? Não. Nada. Consequências? Nenhuma.

          Aos poderosos e ricos, não lhes aquece nem arrefece estas pequenas devassas da privacidade. Estão imunes a ela. Quem sai prejudicado é o Zé Povinho.

          Além disso, temos direito à privacidade. E não é por saber que tenho tudo legal e certinho, que sinto menos direito a essa privacidade. Tal como fecho as persianas à noite e fecho a porta da casa de banho quando a utilizo. Não porque vá fazer algo errado ou tenha algo ilegal a esconder, mas porque como ser humano, preciso da minha privacidade. E é um direito que tem de ser respeitado.

  3. eu says:

    Tem acesso ao saldo mas não aos detalhes.
    Acho que serve de pouco no entanto o segundo passo, passa a ser acesso aos detalhes.
    Mais tarde decidem baixar o valor para os 25K e depois a todos.

    • TugAzeiteiro says:

      Ora aí está…

    • Gonçalo Oliveira says:

      E depois arranjam um imposto qualquer sobre o teu património que tens no banco, tal como a Esquerda gosta tanto de apregoar.

    • Hugo says:

      Não me faria diferença nenhuma. Quem não deve não teme e NESTE CASO EM PARTICULAR abdico na boa da privacidade .
      Conheço um par de casos em que têm contas recheadas e nem sequer trabalham. Contas usadas pelos pais em que declaram rendimentos absurdos em empresas onde nem metem os pés e andamos nós a assobiar pro lado como se nada fosse.

      • Gonçalo Oliveira says:

        Esse é o princípio da Esquerda que “não interessa como o obtiveste, mas se tens tens de o distribuir”.
        A questão não é só privacidade das pessoas, sendo este o caso inicial, pois na proposta não vai além do conhecimento das contas.
        Mas quando avançar para a redistribuição através de impostos, já passa a ser uma questão de justiça. É errado assumir que todos o que têm dinheiro nas contas o conseguiram de forma ilícita. A maior parte das pessoas tem poupanças de uma vida nas contas bancárias, ganhas à custa de muito trabalho e suor.
        O facto de haver um par de casos que possam ter rendimentos ilícitos, poderá fazer pagar o justo pelo pecador.

        • Hugo says:

          Claro que é injusto, principalmente porque quem tem rendimentos ilícitos contornará o sistema.
          Acho que não me entendeste bem. Eu não defendo que quem tenha muito deva ou tenha de distribuir, mas o que se passa neste momento é que quem tem muito e se sabe mexer é muito mais beneficiado do que quem ganha um ordenado mínimo.
          A questão é que os casos que conheço não são pessoas que têm muito. São pessoas que descapitalizam empresas às custas destas jogadas. É filhos que não trabalham nas empresas a receber ordenado. É jogadas com a frota automóvel. E depois muitas vezes os empregados têm de ouvir: “isto está mau…”. Porra, não fossem corruptos.

          • Alpha says:

            Epah, queres resolver o verdadeiro problema: AUMENTAR A RIQUEZA

            Não é a caçar impostos que vamos resolver algum problema. Eu queria ver se subisses na vida e tivesses uma empresa se ficavas contente de abdicar de +70% do lucro até chegar ao teu bolso (IRC, IRS, SS…), para alimentar o monstro do Estado. Julgas com incentivo à fuga não existe?

            Mas o que queres dizer com o “descapitalizar” a sua empresa? Que tens a haver com isso, um empresário faz o que quer com a sua empresa, e assume as responsabilidades como tal, se tem sucesso ganha, se não tem, fecha! Se paga ordenado ao filho ou à mulher sem lá por os pés, é estúpido mas é decisão dele e faz bem o que entender, foi ele que arriscou o capital.

            Se há corrupção, é porque o ESTADO é GRANDE, depende tudo de um conjunto de políticos e de burocracias ridículas que levam a isso

          • Goncalo Maia says:

            De qualquer forma é uma porta de entrada à privacidade. E ja sabemos como isto funciona, como os sistemas da assiduidade da assembleia…partilhar password e de qualquer forma informaticamente a ligação fica feita.
            Não sabemos se o banco envia os saldos das pessoas para o fisco ou se o fisco se liga aos bancos…o que muda bastante a questão de qualquer forma a privacidade vai-se perdendo e isso é ponto assente infelizmente.
            Quando a 2a questão acontece sim, eu também sei de casos mas isso tudo é permitido, são lacunas na legislação e na fiscalidade que permitem tais situações ha aldrabões e ha quem aproveite a incompetência do estado e inercia para fazer essas jogadas. Mas grande parte são legais…a fiscalidade permite e beneficia…o maior corrupto é o estado.

          • Hugo says:

            Claro que sim Gonçalo e eu defendo a privacidade acima de tudo. Quando disse o que disse obviamente que era supondo a não utilização dessas informações por terceiros ou para fins que não os propostos.
            Obviamente que isso é impossível de garantir.

          • Hugo says:

            Alpha, refiro-me a pseudo empresários, que concorreram a projectos europeus, encheram o bolso à grande, faliram as empresas e ficaram a dever ao estado , aos fornecedores e aos empregados.
            Parece-me crime e não sentido de oportunidade. Conheço alguns casos e a avaliar pelo meu pequeno leque de conhecimento até tenho medo de saber a podridão que por aí anda.
            Os impostos deviam ser justos e à percentagem. Quem tem muito paga mais obviamente. Ambos sabemos que não isso não acontece pois quem mais tem, mais foge.

          • Alpha says:

            Hugo, não é a caça ao imposto que acabam os pseudo empresários. É acabar com os subsídios, vantagens e benefícios.
            Vão haver sempre oportunistas e mais há se o estado é enorme e para enriquecer é preciso compadrio entre privados e estado, que esse é o nosso verdadeiro problema e só vai terminar reduzindo o MONSTRO que temos.

            Temos de apostar as armas ao verdadeiro problema. Eu compreendo que as pessoas sentem necessidade de pagar menos impostos e por isso usam esquemas legais (alguns ilegais) para pagar menos.

            Outro ponto ridículo é pagar impostos directos sobre rendimento pessoal ou das empresas, é ineficiente, pouco eficaz, fácil de criar esquemas, quando os indirectos como IVA são muito mais difíceis de fugir e simples, aliás, é o que mais contribui para o orçamento do “monstro”

      • blablabla says:

        Sabe que pode reportar anonimamente esses casos?

      • Alpha says:

        “*Quem não deve não teme* e NESTE CASO EM PARTICULAR abdico na boa da privacidade .”

        Este tipo de afirmações assustam e mais me preocupa tanta gente a pensar assim. Sabes quem popularizou imenso essa expressão? Joseph Goebbels (Nazi), para justificar todo o tipo de investigações sem provas, confisco e inspecções às casas das pessoas. O que o fisco faz é exactamente o mesmo, noutra vertente, mas à partida assumindo que todos são culpados e nós temos de provar o contrário. Andamos a caçar os contribuintes e preocupados com o que os outros ganham do que onde andam a gastar o nosso dinheiro.

        Tal e qual como os ditadores, tudo em nome do “bem comum”, do “povo” para justificar o saque que fazem aos contribuintes.

        • Hugo says:

          Daí ter escrito em maiúsculas NESTE CASO EM PARTICULAR.
          Ainda assim tenho perfeita noção que é uma afirmação um pouco exagerada mas o nosso sistema está de tal forma podre que não acredito que vá ao sítio sem algum tipo de danos colaterais.

          • Alpha says:

            Se queres uma sociedade livre. NUNCA em QUALQUER CASO, alguém deve ter o poder sem ter provas de confiscar, usar ou saber da vida de alguém sem o consentimento da própria. Isto de casos particulares depois nunca há fronteiras claras, é tudo excepções.

            Se tens impostos elevados, complicados e complexos há sempre caminhos para fugir aos impostos e incentivo para tal!

            Onde é que achas que parte da corrupção nasce? No fisco… porque essa malta ganha um poder e controle que depois dá mau resultado.

          • Hugo says:

            Concordo com praticamente tudo o que dizes Alpha à excepção de “Se queres uma sociedade livre…”. Acredito que isso seja uma utopia, pelo menos enquanto for o “homem” a ditar as regras.
            Veremos se a IA nos trará a extinção ou passará a andar tudo na linha.

      • PedroC says:

        Os esquemas fraudulentos não usam as contas bancárias como tu ou eu. Não é assim que se apanham os infractores. Medida completamente ilegal e imoral!!!

        • Hugo says:

          Os grandes esquemas sim, mas os tubarões não são os únicos corruptos neste país.
          A corrupção começa no “Zé da tasca” que não passa facturas.
          Mas efectivamente…esta medida não resolverá nada. Na melhor das hipóteses, educaria (bem, espero eu) alguns cidadãos. Ou então não.

          • Gonçalo Oliveira says:

            Nesse caso a fuga ao fisco (E não a corrupção como lhe chamas) começa com o cliente que vai ao “Zé da Tasca” e não PEDE factura.

          • Hugo says:

            Exacto. Educação. Já faz parte da nossa cultura.
            Mais de metade da população, se estivesse numa posição de poder, garantidamente abusaria. Aliás, quem lida com clientes/fornecedores sabe que quase sempre a proposta vem do cliente: “então e isto não pode ser sem factura?”.

          • Alpha says:

            Eu não peço factura, e não tem nada a haver com boa ou má educação.

            Simplesmente não aceito, nem faz parte dos meus princípios que saibam onde e o que ando a comprar com o MEU dinheiro. Acho inadmissível o estado usar os cidadãos como polícias dos outros… é inaceitável e muito perigoso criar esse tipo de mentalidade (às famosas ditaduras)

            O IVA é um exemplo excelente de um imposto super difícil de fugir, porque é muito difícil na cadeia toda haver interesse de não passar factura, salvo quando a fonte de fornecimento por principio é fácil de não passar factura (pesca artesanal, agricultura e prestação de pequenos serviços). Eu só pago IVA quando consumo, não é como os impostos sobre os rendimentos que são sacados à cabeça.

      • mlopes says:

        o “quem não deve não teme” é absurdo, ridículo e perigoso. nos dias de hoje, continuar a escrever isto não faz sentido algum e só pode derivar de um enorme desconhecimento por parte de quem o escreve/afirma. por favor parem de o fazer de uma vez!
        deixo um texto que ajuda a explicar porquê:
        “A diferença que existe entre “Quem não deve não teme” e “Quem deve teme” (…) é a mesma que existe entre as tiranias e as democracias.
        Uma das formas usadas pelos regimes de força para se impor — além da violência física propriamente dita — é a disseminação do medo. Aqui vai entrar o concurso da gramática. Há duas orações em “Quem não deve não teme” — trata-se de um período composto. O sujeito da segunda (não teme) é a primeira (quem não deve). Este sujeito da gramática é também um sujeito político que se afirma por meio da negativa, do que não fez. No ambiente de suspeição, ele está tranqüilo porque, de fato, é o “não-sujeito”. Ou, pior ainda, “não dever” é uma condição que lhe é imanente — já que é próprio das tiranias separar os homens, por princípio, entre “os que devem” e os “que não devem”.
        Já o “Quem deve teme” perde o sentido de uma sentença e de um norte moral para ser uma constatação referencial dos regimes onde vige o estado de direito. O sujeito da segunda oração (teme) é a primeira (quem deve). Há uma diferença abismal entre as duas perspectivas. Nesse caso, o sujeito “teme” porque sabe que “deve” — e, pois, ainda que contra a lei, afirmou-se positivamente. Ele não vive assombrado pelo que não sabe o que seja, a exemplo daquele outro. O que pode eventualmente persegui-lo é um código que ele sabe que transgrediu.
        As implicações não são só essas, não. Há outras. Na sociedade do “Quem não deve não teme”, o indivíduo está convidado a provar permanentemente a sua inocência, dado que está sob a ameaça de que alguma acusação lhe caia sobre os ombros. Ainda que aconteça, nada devendo, ele se encarregará de provar que é inocente. Ocorre que, nas democracias, é o estado que tem de provar a sua culpa. Culpa que aquele “que deve” tem consciência de ter. E o que ele “teme”? Justamente ser confrontado com as provas dessa culpa — e cabe ao acusador apresentá-las.”
        Reinaldo Azevedo in Veja

  4. Line6 says:

    Lá vai o pessoal fazer contas até 49.999€ para não verem o dinheiro que têm.

  5. João M. says:

    Isto permitem mas saber a lista dos maiores devedores isso já é invasão de privacidade… é interessante como estas coisas funcionam.

  6. Rui says:

    Não me digam é que por falta desta lei que não apanharam com a boca na botija o Sócrates!? Ahh, mas ele não tem nada em nome dele, só um empréstimo de 100.000€. De resto vive em casas emprestadas pelo amigo, em que este assina um testamento em que doa 80% do seu património em caso de morte, ao primo de Sócrates que não tem onde caír morto!!!!! Mas agora até tem um palácio na praia para emprestar ao Sócrates!!!!!

  7. Carlos Oliveira says:

    Esta medida tem um objetivo muito claro a meu ver. Isto é sobretudo para que a AT possa identificar melhor as manifestações de fortuna e para poder aplica o artigo 89.º-A da Lei Geral Tributária. Não faltam “patrões” a declarar salários baixos (a fim de pagar impostos mais baixos) e a descapitalizar as “suas” empresas para obtenção de rendimentos por outras vias.
    No entanto isto será muito fácil de contornar (quem tem algo a esconder) através de off shores ou simplesmente dividindo o dinheiro por diversos bancos…

    • Carlos Oliveira says:

      “O saldo das contas bancárias também entra para as manifestações de fortuna?

      Não. Porque essa informação (ainda) não é comunicada pelos bancos ao Fisco. Mas essa situação pode mudar em breve. Na sequência da transposição de uma diretiva europeia que irá entrar em vigor em 2017, o Governo português já aprovou no passado mês de abril um decreto-lei que prevê que o setor financeiro forneça aos serviços das finanças informações detalhadas sobre as aplicações financeiras dos clientes residentes em Portugal. Já os dados relativos às contas dos clientes não residentes serão comunicados às autoridades dos países de origem desses mesmos clientes, como explica o Jornal de Negócios neste artigo. Isto significa que quando o decreto-lei entrar em vigor será mais difícil “camuflar” património.” – artigo SALDO POSITIVO CGD

  8. mtz says:

    A contornação disto é simples. Uma conta em cada banco ou várias contas no mesmo banco (se não for por património total) até 50k.

    • Gonçalo Oliveira says:

      Julgo que a lei actual já considera o património total, independentemente de em quantas contas e bancos estiver.

    • Ricardo M says:

      Mais fácil, uma conta no banco até 50 mil, e o resto no cofre do banco. Vários bancos tem este serviço.
      custa cerca de 60 euros por ano, podes guardar o que quiser nesse cofre alem de dinheiro. Isto para quem não se sente seguro a ter em casa.

      • Toni da Adega says:

        Depois vao para a rua chorar que o banco ficou-lhes com o dinheiro e que perderam as poupancas

      • Miu says:

        Calma porque mesmo que isso seja possível, o dinheiro físico irá acabar. Está tudo planeado para controlar a carneirada que aceita tudo em nome de uma suposta justiça que é corrupta e que não persegue os grandes corruptos que vivem à custa das pessoas normais. Vamos é ver a bola e defender o nosso clube que por sinal é corrupto, porque isso é que é importante, e porque quem não deve não teme.

  9. rui says:

    Nada contra a esta lei, se fosse para todos. Já se sabe que isto é para mandar areia para os olhos. Os verdadeiros corruptos tem o dinheiro em offshores. As pessoas que pouparam a vida toda e nunca se deram a luxos para ter algum no banco é que vão ser os bodes expiatórios. Se fizerem as contas numa carreira contributiva poupando 100€ por mês atinge-se quase os 50 mil euros… O que em 40 anos não é fortuna nenhuma. É trabalho!

  10. António Santos says:

    Penso que não vai dar em nada, há muitas formas de fugir ao Fisco e depois o dinheiro não tem chocalho.
    Já quando foi da compra de carros acima dos 50 mil euros, também não deu em nada e os carros mais caros são os que se vendem melhor.
    Isto parte tudo do principio em se fazer justiça para quem não cumpre as regras e respeita a lei, com penas exemplares.

  11. BRUNO says:

    É da maneira que ponho dinheiro lá fora, ninguém tem de saber o que tenho ou deixo de ter…

  12. Alpha says:

    Eu acho piada, tanta crítica ao Facebook e ao Google pelo uso dos nossos dados quando temos, se quisermos, A OPÇÃO DE NÃO OS DAR, quando temos o fisco, que vê o que gastamos, onde, quando, quanto ganhamos, qual o saldo da nossa conta, se estiver em desacordo connosco congelam contas ou sacam dinheiro e nós é que temos de provar que temos razão…

    Basta ter um amigo que trabalha nas finanças para devassar a vida de uma pessoa!

    Enfim, uma forma de roubo legalizada e justificada no tal “bem comum” que tem muito que se lhe diga.

  13. Rui says:

    É uma medida para inglês ver e que fica bem na opinião pública, agora que estamos a 9 ou 10 meses das eleições legislativas. Assim como são as soluções idiotas de se criar um apeadeiro do Aeroporto de Lisboa, no Montijo (quando podiam criar um aeroporto totalmente novo e com possibilidades de crescer muito mais, logo ao lado no campo de tiro de alcochete, onde não mora ninguém) e até podiam vender os actuais terrenos do aeroporto para o imobiliário, financiando o aeroporto.
    Assim como a ideia idiota de acabar com as propinas (mais uma ideia eleitoralista), onde o Ministro do Ensino Superior afirma sem se rir que devemos isentar as propinas do ensino superior, mas não pensa em reembolsar as Universidades com os 340 milhões de euros que perdem!!!!!!! Em vez de ajudarem quem tem mais dificuldades e deixarem pagar os que podem. E até estamos a falar de 1000 euros por ano, quando qualquer pai paga muito mais que isso por ano, para alguém tomar conta dos seus filhos come menos de 3 anos!!!!!!!

    • Gonçalo Oliveira says:

      +1
      Ano de eleições = medidas populistas!

      • Jonas Pistolas says:

        A sério? Acha que isto é populista? Esta gente precisa é de um movimento de extrema-direita para verem o que é populismo a sério… Mas aguardem, não vai demorar muito até irmos pela mesma bitola de erdogans, bolsonaros, Trumps e tretas do génro.. depois aí choramingam que nem uns bébézinhos…

  14. JJ_ says:

    É verdade que esta situação pode gerar outras possibilidades que irão por em causa muito a privacidade.

    Mas falando, deste lei especifica, de certa forma faz todo o sentido.
    Isto irá permitir ao Fisco, poder cruzar informação, sobre aquilo que é declarado se corresponde a verdade. E iria permitir verificar se alguém esta a receber algum subsidio ou apoio estatal, quando tem dinheiro.

    Certamente o sistema dará um alerta, quando alguém declara ter um rendimento de 10.000€/ano, e de um ano para o outro passa a ter no banco 50.000€ e no ano seguindo chega ao 70.000€. Como é que um contribuinte que apenas declarar ter um rendimento de 10.000€, em 1 ou 2 anos aumenta a sua conta bancaria em 20.000€ ou 30.000€. Algum rendimento, mesmo que licito, não foi declarado.

  15. estespoliticosnemgamarsabem says:

    em vez de irem mas é caçar quem deve/foge ao estado andam com isto que não é mais um atirar de areia pos olhos
    porque isto vai ser como sempre se for um cidadão comum com 50 mil euros alto que têm de se lhe cair em cima, se for os amigos de socrates, salgado, costa, centeno e afins não se passa nada esta tudo bem…
    pra concluir o nosso primeiro “iran” costa com o seu belo “presente” do novo aeroporto vai enterrar ainda mais isto tudo ….
    o circo continua
    resto duma boa semana a todos

    • Carlos Oliveira says:

      Ninguém vai cair em cima de ninguém. Se nada houver a temer tudo tranquilo é só uma informação; e com ela tentar minimizar precisamente aquilo de que te queixas… (facepalm)…
      Aliás isto advém de uma diretiva europeia. Não estou a defender o “iran” costa

  16. Jorge says:

    Sejamos realistas: Se pouparem em vez de estoirarem, são mais suspeitos….

  17. Ricardo Alves says:

    Nem 5mil quanto mais 50mil…

  18. MITSI says:

    CADÉ regulamento geral de proteção de dados?

  19. Rodrigo says:

    Simples. Eles dizem que são 50mil na conta no banco e não no património total. Abram uma conta em diversos bancos e coloquem lá valores abaixo dos 50mil.

  20. estespoliticosnemgamarsabem says:

    Ora o principal objetivo do Costa já esta atingido
    tornar portugal numa republica Chinesa/Comunista Check !

  21. pedro says:

    vai começar um novo “big brother” !!!! qualquer dia é mais fácil saber se se tem mais de 50k numa conta bancária do que saber a existência de dividas …. o combate à evasão fiscal faz-se com a mais fiscalização e não com a devassa da vida das pessoas !!!

  22. ficolixado says:

    E quem é o maluco que tem mais de 50k na mesma conta bancaria? Os bancos dizem eles cobrir 100k por conta, mas todo o cuidado é pouco LOL Normalmente os cidadãos usam varias contas para distribuir o seu dinheiro. Da forma que os bancos andam a fechar, é um perigo ter mais de 50k num so banco kkkk
    Quando a lei. Completamente reprovada. Apenas pela privacidade… hoje são 50k, amanha 20k, no dia seguinte todo o dinheiro… e no outro dia tens que enviar pra la tambem todas as facturas das tuas compras, incluindo cafés.

  23. pedro says:

    “Fisco vai ter acesso à sua conta bancária com mais de 50 mil euros”??????
    quer dizer que eles atravès de 50 mill euros consgeuem ter acesso á minha conta??????
    hahahahhahahahahahaahahhahah!!!!!!!!!!
    nem o titulo sabem compor .

    • Hugo says:

      O teu nível de exigência a nível do Português é que é muito alto.
      Já agora começa as frases com letra maiúscula e aponta os acentos para o lado certo.

  24. pedro says:

    O quê ????? não me digam que ainda não tinham acesso as contas dos mafiosos donos disto tudo , que vergonha!!!!!!
    Eu a pensar que os exploradores eram fiscalizados mas afinal continuam a juntar milhões sem ninguem saber , agora percebo porque o estado não tem dinheiro !!!!!!!!
    Cá está o fantoche do povo para pagar tudo isso e muito mais , enquanto o desgraçado passa fome .
    enfim , proprio da ganancia do homo”sapiens” .

  25. FugaparaVigo says:

    Façam como eu, sempre que anunciam um valor específico para “inspecionar” as minhas contas, abro outra contra num banco estrangeiro (aconselho um qualquer no Mónaco)e ponho o excesso lá.
    Never fails!

  26. lucas netinho says:

    Eu não aceito ser observado sem consequência por estes incompetentes que criam leis para a devassa da minha privacidade incluindo a monetária, não existem paraísos fiscais, existem infernos fiscais na maioria dos países criado por um sistema de políticos corruptos e incompetentes que ficam dependentes de bancos centrais que os chacotam. Os paraísos fiscais esses sim têm impostos a um nível decente e respeitante de quem é escravo da sociedade que nos obriga a ser consumistas senão somos excluídos, uma sociedade onde pago imposto por ter terra para plantar, onde pago imposto por consumir a luz do sol, onde pagamos imposto pelo ar que respiramos com a desculpa que são taxas de carbono. Os impostos cobrados são a prova de uma falta capacidade de gestão dos politicos governantes, e como tal todas estas leis que implementam a meu ver é puro fascismo social pior que antes do 25 de Abril porque nessa altura não tinham tanto acesso a tudo o que fazemos de forma tão simples.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.