PplWare Mobile

Renovação do Cartão de Cidadão poderá ser feita em máquinas?


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Gonçalves says:

    As conversas com o pessoal que imagina estas máquinas devem ser interessantes…

  2. Alex says:

    Alguem ja fez o dump do cert e da privk do cartão? Podiam ter dado os ficheiros quando se fez o cartão…

  3. Antonio says:

    A ser verdade o conteúdo deste artigo quando entrar em vigor teremos mais uns milhares no desemprego.
    A nossa socialização começa a ser com máquinas, falar com pessoas é do século passado. Estou preocupado, mas como não tenciono ter filhos aguento bem o impacto do caminho da estupidez humana.

    • Carlos says:

      Sim porque tu já tens dose que chegue.

    • censo says:

      Para ti nao devia haver multibanco, via verde ou portal das finanças. É isso?

      • Antonio says:

        Amigo (!!), como tu e outros milhões de portugueses utilizo esses serviços.
        Mas faz essa pergunta às pessoas que perderam os seus empregos nas portagens e nos bancos. Para já não que o portal das finanças tenha mandado alguém para a rua.
        Provavelmente se todos parassemos 5 minutos para pagar portagens não faria diferença numa viagem de duas e estaríamos a ajudar na criação de emprego.
        A minha opinião vai nesse sentido. Se alguém se ofendeu temos pena.

        • djx says:

          Sim, é verdade.
          Mas sempre é preferível do que ter:
          – Polícias sinaleiro
          – Operadoras de telefone para nos encaminharem a chamada
          – Despertadores (estou a falar daquelas pessoas que batiam à janela para acordarmos de manhã)
          – Pessoas que ligavam e desligavam os candeeiros das ruas que tinham velas.

          Para cada polícia sinaleiro temos agora mais de 5 postos de trabalho (manutenção dos semáforos, montagem dos semáforos)
          Para cada operadora de telefone temos N engenheiros informáticos e de telecomunicações para manterem a arquitectura que está por detrás do telefone.
          Etc.

          • naoliveira says:

            Isto não é bem verdade, achar que cada operadora equivale a 1 engenheiro é um pouco forçado demais, o mesmo relativamente aos policias sinaleiro.

            Obviamente que cada vez mais é preciso menos pessoas para se ter melhor qualidade de serviços, por isso a preocupação devia de ser como fazer essa transição com o mínimo de prejuízo para a sociedade.

        • Rui says:

          Eu nos supermercados vou sempre para a caixa que tem operador. Mas há gente que não entende que daqui a uns anos deixa de haver operadores de caixa. Dps queixem-se… é IN ir para as cxs automáticas. O problema em Portugal é que gosta tudo de andar na moda, é tudo no deixa andar…

          • Pedro says:

            eu faço o contrário ….uso as caixas automaticas para ajudar a criar postos de trabalho em empresas de novas técnologias e assim despacho-me mais rapido alem de ajudar ao reconhecimento do nosso País, pois sistemas destes são pioneiros no Mundo

        • Pedro says:

          Mas o Senhor António sabe do que fala?

          Se fosse como o senhor diz ainda estaríamos de paus e pedras na mão a caçar animais!

          A evolução tecnológia acaba com trabalhos “desnecessários” e abre a porta a outros muito mais interessantes!

          Já pensou no que seria ter que fazer todas as suas contas com papel e caneta? Daria certamente para dar emprego a milhões de pessoas. Mas e as possibilidades que poder fazer cáculos complexos e enormes criaram no mundo do trabalho?

          Não sejamos retrógados!

          • YaBa says:

            O medo da tecnologia é real 🙂
            Sim, perdem-se empregos, por outro lado criam-se novos, nunca os programadores e informáticos no geral foram tão procurados.
            Não pode ser só a tecnologia a evoluir, as pessoas também têm que acompanhar os tempos.

  4. Araújo says:

    Estes políticos idiotas muito sinceramente só têm areia na cabeça….então se com o CC passamos a ter mais usurpações de identidade, a possibilidade de ser pedido um CC não presencialmente perante um funcionário vai dar asas a que estrangeiros, foragidos da lei, Jihadistas, possam facilmente comprar identidades nas ruas…explico….todos os dados serão do cidadão tuga que se desloca com o “comprador de identidade” a uma máquina para passar dados biométricos (impressões digitais), depois a foto do comprador é a que vai constar no cartão e assim aí está um CC legítimo única e simplesmente o que mudou foi a foto constante.
    Senhor governante explique como vai controlar estas possíveis situações????

    • Bahh says:

      É mais fácil enganar um humano, que uma máquina… desde que a máquina esteja bem blindada, programada e vigiada… o que é previsível visto que vai estar certamente dentro de espaços onde estarão funcionários!

      Claro que a questão da segurança é de fundamental importância, mas com ainda hoje em dia a usarem certificados de identificação pessoal RSA 1024 bits a esperança é pouca… visto que no mínimo já deveria ir em RSA 2048 bits ou mesmo RSA 4096 bits.

    • djx says:

      Também posso pagar 7000€ à D. Maria do registo civil que ganha 700€/mês para me fazer um CC falso, não?

  5. Jacinto Leite Capelo Rego says:

    O processo de renovação do cartão do cidadão é exemplar: Com marcação por telefone na véspera, fui atendido à hora prevista, tendo decorrido apenas 7 minutos desde que entrei na conservatória até que saí.
    O preço cobrado pelo cartão é excessivo (15€), mas o serviço exemplar 🙂

    • Rui says:

      Epá , só tens que dizer onde se passa essa estranha aberração, não coincidente com os padrões da função publica Portuguesa. hehehe

      • YaBa says:

        Confirmo que em Santarém é um mimo. Já na zona onde habito, é uma miséria total, típico serviço público, esperas, desesperas e esperas de novo.
        Compensa bem a viagem, ao menos passeio e não me chateio 🙂

  6. Carlos says:

    se isso providenciar safar-me à sempre mal humorada assistente da conservatória da minha terra, já é bom =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.