Quantcast
PplWare Mobile

Portugal: Tribunal condenou a Worten! Saiba qual a razão

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. André R. says:

    Worten’s e FNAC’s são EBay’s mal paridos. Qualquer problema que haja com o produto, eles não dão a cara. Só se o fornecedor se armar em cão com pulgas, e comprovares que entraste em contacto com o fornecedor, é que a FNAC/Worten entram no “ conflito”, mas até lá já muita dor de cabeça foi curada com BenUron. Se temos uma loja independência produtos externos, temos de dar a cara e não lavar daí as mãos… infelizmente é o que acontece…

  2. André R. says:

    “ Se temos uma loja independência produtos externos…”
    Deveria ser
    “ Se temos uma loja com produtos externos…”

  3. SteveRobs says:

    É por estas e por outra que só compro na Amazon. O suporte pós venda dá 1000 a zero às lojas chupistas portuguesas!

  4. AlexS says:

    Nem falemos da MediaMarkt. Esses nem entregam o que está contratado mesmo grandes domésticos.

  5. marcio says:

    O grande problema da worten até nem é esse …
    Ja repararam quando se registam no site da worten passado uns dias começar a receber spam no email, telefonemas de numeros estranhos e mensagens? Ah ninguem reparou no que se passa a anos? Pois é…tenho dito!!!

    • João says:

      Amigo, um Conselho, vê a série Netflix, dilema das redes sociais e depois falamos. Pelo teu ver nunca mais ligarias o teu telemóvel, com toda a certeza absoluta.

  6. RM says:

    Worten sempre!

  7. compro essa também says:

    Todas ou quase todas das mais populares têm problemas em cumprir a lei.

    Uma delas só aceita devolução se for comprado online, por exemplo, e em vez de devolver o dinheiro, obriga o cliente a ficar com nota de crédito.

    Enfim.

    Penso que será a proxima a levar com o MP.

  8. RM says:

    Worten: O nosso forte é o preço 🙂

  9. eu22222 says:

    Fiquei sem saber a razão, só o que foi proibido.

    Estes tribunais são uma vergonha, condenam por tudo e por nada, parece os da Rússia.

  10. compro essa também says:

    O que temos tido são noticias polêmicas de supostas meiguices nas penas de criminosos da violência doméstica, lenocínio, mas todos condenados tendem a dizer o mesmo, comparando realidades que desconhecem…

  11. Tiago Ferreira says:

    O que deveria ser proibido pelas lojas da Worten era sempre que o cliente se desloca a uma loja e quer um artigo que não existe em stock, eles vêm logo com a conversa, mas se quiser podemos mandar vir. Mas!!!! Para mandar vir, o cliente PAGA PRIMEIRO e depois vem buscar o produto à loja. Isto é completamente ridículo, querem sub-faturar com o dinheiro do cliente, não repõem o stock nas lojas e querem é que seja o cliente a pagar primeiro. Se eles vendem o produto em loja, porque não garantem stock dos produtos? É uma palhaçada e isto sim, deveria ser mudado na lei. Uma coisa é o cliente comprar na loja online e receber em casa ou ir buscar a uma loja se o assim pretender, agora um gajo vai a uma loja para comprar um produto, o produto não existe em stock e o cliente para ter o produto tem que pagar primeiro só porque a loja não repõe stock? Enfim

    • Rugas be like says:

      Todos os grupos em que trabalho só repõe o stock quando 1 cliente paga (falo de todas as lojas de Lisboa e Porto, inclusive lojas de rua)

    • SirNetinho says:

      Se comprares online e pedires entrega em loja também pagas antecipadamente… Se fores comprar um carro pagas antecipadamente… Eu já fiz compras em muitos sítios e sempre que não há stock paguei para ter… Se vamos comprar o produto vamos ter que pagar em qualquer das maneiras

    • FABIO says:

      E o problema nem é esse porque isso tu podes optar por comprar ou nao, o problema é que no site aparece que ainda tem stock, e depois da compra recebo uma msg a dizer que afinal não existe stock e que só passado umas semanas é que me entregam. Duas compras que fiz no site deles e aconteceu o mesmo nas duas.

  12. TSSRK says:

    Fiquei sem perceber, e quais sao os prazos legais? sempre falaram dos 15dias para devolver

  13. naodigo says:

    Tinha visto essa cláusula em janeiro na aquisição de 2 produtos, sinceramente borrifei me pra essa clara ilegalidade. Eles até podem escrever batatas o que conta é a lei.

  14. compro essa também says:

    Por norma não entro nessa do “só por encomenda “, vou a outra, já por não concordar com a pratica, e numa proxima vou à que serviu sem essa treta. O consumidor ou cliente tem que combater esse tipo de treta para seu beneficio, e se fizerem todos igual vão ver que as coisas mudam.
    O consumidor/ cliente, acaba por ter a culpa por ir na onda. É como quando pedem e-mail e ou telemóvel ou número de telefone, ou número contribuinte, seja onde for levam com nega, mas sobre isso teria que escrever muito mais.

  15. João says:

    Bom, culpados nós claro.
    Mas sem dúvida em Portugal continua a ser o deixa andar. Posso dizer que realizei em webdesign uma loja, de seguida contarei as várias entidades responsáveis, isto para saber o que era necessário para que nada faltasse no site em termos de gdpr, respostas não sei foi com fartura, mas para aparecerem depois nas lojas e multarem já as sabem, bom foi só um desabafo de como funcionamos por cá.

  16. João says:

    Basta ver ainda ontem em como numa rede social eram vendidos produtos contrafeitos para se perceber como andam as leis pelo nosso País.
    Vão a lojas multar por isto é por aquilo, mas depois nas redes sociais é uma selva.

  17. João says:

    Os Tugas falam muito de direitos mas muito pouco de deveres, assim como pessoas usarem roupas para festas sem tirar etiquetas e no dia a seguir irem trocar ou devolver querendo o dinheiro de volta, o tuga é um Rato muito esperto, mas pronto leis são leis.

  18. A. Canilho says:

    Já não era sem tempo.
    Existem muitas marcas (lojas / serviços) que têm contratos que parecem acima da lei (MEOs, Endesa, EDP, Galp, Iberdrolas, etc… )
    Já estava na hora de alguém acabar com esta palhaçada, e começar-se a legislar sobre certos tipos de contratos que se sobrepõem aos direitos do consumidor.
    Se existem leis, não podem existir contratos que se tentam sobrepor á mesma.

  19. Pedrto Vieira says:

    Acho bem esta decisão! Diria mesmo essencial. Esta prática abusiva de cláusulas em claro prejuízo do cliente, violando muitas vezes direitos dos consumidores ou, quando não, claramente reveladoras de má fé, é uma realidade que deve ser combatida e claramente vigiada. As empresas que as praticam, bom, todos sabemos os nomes!

  20. Diogo says:

    O grande problema são os contornos à lei que essas empresas aplicam, mas não vejo qualquer problema em pagar antes, ou por encomenda, se estiver tudo bem definido. Se eu compro um produto e não existe stock a loja online só tem que dar a hipótese ao cliente de esperar ou da devolução do dinheiro. Se é por encomenda, tem que informar o tempo de entrega e está feito.
    É tão simples. Ah e já comprei várias coisas na worten, antes do marketplace e nunca tive problemas, no entanto não gosto da bagunça que eles criaram agora com isto de terem tudo dentro de um site e portanto deixei de comprar, opto por outras lojas online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.