Portugal: Os alunos sabem tudo de tecnologias?


Destaques PPLWARE

26 Respostas

  1. Sergio says:

    Na altura em 2003 com a disciplina de TIC aprendi muita coisa útil, nos dois primeiros anos com 90 min por semana. Depois nos dois anos seguintes, também tive mudança de escola, o programa repetia-se muito e pouco se aprendia.
    Mas no final o saldo foi positivo, acho que deviam de apostar nisto de uma forma organizada, principalmente leccionar o mundo do office é muito vantajoso para o futuro de qualquer um em qualquer área.

    • Popopo says:

      No único ano que tive de TIC aprendemos Office mas visto que já em anos anteriores usavamos computadores para fazer trabalhos para a escola, de pouco essas aulas serviram.

  2. Rafael says:

    Excelente artigo.

  3. gigbola says:

    Eu tive TIC no 5 ao 9 ano, 1 hora por semana. Apreendi alguma coisa? Nem por isso…….na altura do 9 ano até foi o bater no fundo……a prof (que tb era prof de música) projectava na parede e nos passávamos para o caderno…..wtf
    No 10 Ano tive TIC, foi o ultimo ano que houve era disciplina no secundário, apreendi coisas interessantes, mas que no contexto do Ensino Secundário não serviam para nada!

  4. Guimaraez says:

    Acho que se devia criar uma disciplina para o 2º ou 3º ciclo chamada “Como usar as redes sociais”. Há muita gente beneficiaria desta unidade curricular.

  5. Domingos José Faria says:

    O que faz falta são disciplinas de programação no ensino básico e secundário. Seria bom os alunos terem noções de C, Java, Python, etc…

    • MarFre says:

      Ou pelo menos, inicialmente, a noção básica de programação. Posteriormente as linguagens mais específicas como aquelas que citaste mas teriam de ser as atuais e/ou aquelas que “têm futuro” por assim dizer.

    • Tiago says:

      Acho uma má ideia. Por exemplo quem quer seguir medicina o que lhe vai servir a programação? Segurança na internet mais propriamente nas redes sociais isso sim deveria ser obrigatório

      • Domingos José Faria says:

        Tiago, essa razão é completamente falaciosa. Podemos argumentar que para se seguir medicina não faz falta estudar Geografia, Educação Visual, Educação Física, etc, e ainda assim essas disciplinas estão no currículo. Tens uma concepção de ensino ou educação muito estranha…

    • poiou says:

      Acho que faria mais sentido, na área de ciências do secundário, a opção de aplicações passar a ser obrigatória e ter um programa universal para todo o país. Podia dar-se lógica de programação e eventualmente uma qualquer linguagem de programação (o ideal seria mathlab ou C já que a maior parte dos alunos de ciências têm essas cadeiras na universidade, no entanto também tenho a noção que estas duas linguagens não me parecem as mais indicadas para a iniciação à programação),

    • Gonçalo Santos says:

      O que faz falta muito antes de aprender uma linguagem de programação é uma boa base de Algoritemia. isso sim mesmo que não se siga programação é base de resolução de problemas e perceber muita coisa como fluxogramas etc…

    • Nuno says:

      A nível de ensino secundário faz todo o sentido explicar conceitos básicos de programação! Mesmo sabendo que da parte dos alunos/adolescentes haverá em abundância a posição de “eu vou para humanísticas, para que quero saber isso?”. Mas ensinar conceitos não é a mesma coisa que ensinar programação, e menos ainda qualquer linguagem específica, e que na minha opinião é deslocado no secundário.

  6. censo says:

    De tudo ninguém sabe nada.

  7. Redin says:

    Conheço quem tem filhos agarrados a toda a hora no computador em casa e no fim do ano lectivo, a única disciplina que reprovou foi precisamente nas TI. Vá-se lá saber porquê…

  8. mistercis says:

    Isso dos alunos ou jovens em particular dominarem as TIC é uma ilusão. A maioria percebe de redes sociais e pouco mais… Há tempos numa aula vi alunos a fazerem copy paste ao ecrã para passar um gráfico do Excel para o Word…

  9. Hugo Gomes says:

    Olha eu nunca tive aulas de tic e aprendi logo no meu 386 para que servia a tecla delete apaguei logo o solitaire

  10. José Fonseca says:

    Concordo em absoluto com o que é dito no artigo.
    Há muita iliteracia informática apesar de tanto se usarem as novas tecnologias.

  11. Alvega says:

    Artigo, honesto, mas vou fazer reparos:
    1º è curioso que sao sempre os governos socialistas a “apostar” nesta area da informática e tecnologias…acho bem desde que o objectivo seja o exposto no artigo, mas na verdade continuo-o a achar que tal “dealers”, somente estao interessados em criar mercado, para algum “amigo”, viciam os “putos”, ( salvo seja ) e depois chegam a brilhante conclusão :
    “Os alunos não sabem tudo de tecnologias, sabem manejar as máquinas, sabem jogar e ir às redes sociais, muitas vezes agindo de forma pouco adequada e muito menos segura”

    De quem é a culpa ?
    Talvez do laxismo das aulas ? nao sei nunca assisti a nenhuma.
    Talvez da falta de qualificações e motivação dos professores, para leccionar algo para o qual nao estao preparados, nem tem formação de base alguma nesta area ? eu conheço alguns casos destes, podem ou nao ser muitos mais, nao sei.
    Talvez seja pelas constantes evoluções da tecnologia, que tornam dificil estar sempre a par de tudo e actualizado ? ..hum…se as bases estiverem lá….é meio caminho andado.

    Uma coisa eu sei , fazendo paralelo com a literatura, de que gosto, um aluno nunca começa por ler classicos da literatura universal, “maçudos”, começa por banda desenhada e outros que tais despertem o gosto pela leitura, e o resto virá por acréscimo, com o tempo, portanto se começarem por jogar no PC, nada contra fiz o mesmo, o problema é alguem explicar aos meninos que a vida +e muito mais do que isso, há que saber quando mudar \ parar \ evoluir, mudar o foco e seguir em frente usando as bases, que os jogos lhes forneceram, e muitas delas sao boas.

    PS: qual será o JP Sá Couto desta legislatura, certamente algum mais , que se esqueceu de pagar impostos e cumprir as suas obrigações para com a sociedade, eu já vi este filme, mas embrulhado em boa propaganda claro está.

  12. Elypse says:

    Ensinem algoritmos aplicados a uma linguagem de programação fácil como Java, apenas o básico. Ensinem também Linux o fundamental e bases de dados em sql e os putos vão ser barras nas tics. E Portugal vai ser campeão do mundo de futebol!!!!

  13. António says:

    É incrível como se mandam trabalhos de casa em que é obrigatório uso de PC, sabendo que nem todos têm acesso a PC. Trabalhos para apresentação impressos, etc. Mesmo sendo pobre não quer dizer que seja menos inteligente mas quando não temos acesso às mesmas ferramentas, a desigualdade é promovida logo na escola e pelos professores.

    • Woot! says:

      Coitados…não têm dinheiro para um PC…são pobres… mas têm um iPhone e última geração.

      • António says:

        O Sr ou a Sra está a generalizar. Talvez viva num mundo cor de rosa. Talvez seja um professor frustrado na carreira e sem vocação. Talvez seja um teso invejoso armado em rico. Talvez tenha muitos problemas que o leva a fazer um comentário tão parvo e sem conteúdo. Enfim…..

  14. Janito says:

    Nem interessa
    Interessa é que sejam bons utilizadores, a internet é usada na maioria dos casos pelos jovens como meio de comunicação + ego boost, nada mais, nem interessa nada mais para a grande maioria
    Lá porque me dá jeito ter um carro não quer dizer que tenha qualquer interesse em perceber ao detalhe como ele funciona por dentro

    • Nuno says:

      É verdade que para ter um carro não precisa de saber ao detalhe como funciona por dentro!!! Mas também é verdade que para usar bem um carro seria útil saber muito mais sobre o dito do que aquilo que provavelmente sabe! Não precisa de saber como funciona um “controlo de tracção”, mas é bom saber que existe e qual a sua função. Idem para um pisca-pisca, não precisa de saber como funciona, mas é bom saber usá-lo (coisa que muita gente tem alguma dificuldade em compreender!). Idem para o mãos livres, ou para o gps, que muita gente não sabe usar mesmo tendo carros que dispõem desses sistemas.
      E todos estes factos poderiam ser muito facilmente extrapolados para as TIC. Quantas pessoas conhecem a diferença entre “dados móveis” e “WI-FI”? Ou utilizar de forma útil o “copiar” e “colar”? Ou perceber a diferença em custos entre enviar um mms pelo operador ou por whatsapp por exemplo? E será que toda a gente sabe mesmo o que é um MMS?
      Haverá dezenas, ou centenas, de exemplos como estes! E seriam exactamente os temas a abordar nas escolas, primárias e secundária, com a profundiade adequada a cada nível de ensino!! Utilizando a analogia com o automóvel, não se trata de formar mecânicos, mas sim bons e melhores condutores.

  15. g@jo says:

    saber usar o Facebook, YouTube e afins é uma coisa. (e isto é o caso com a maioria dos alunos)
    mas mesmo saber usar a tecnologia é outra.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.