PplWare Mobile

DriveNow chega a Portugal: Um serviço mais barato que o táxi


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. O cágado na autoestratada says:

    Falta dizer como funciona.
    Os carros estão espalhados (estacionados) por aí (por aí, entenda-se, grandes cidades, em zonas comercias e de escritórios).
    Reserva-se o carro 15 minutos antes através de uma app.
    Pega-se nele e anda-se.
    Não me perguntem onde se larga o gajo porque não diz (ou não li) 🙂

    • Pedro Pinto says:

      Só a 30 de agosto se saberá pormenores.

      Abr

      • Luis Gil says:

        nos outros países em que já opera deve indicar como funciona

      • José Rodrigues says:

        Já se sabe tudo menos o preço por cá, já utilizei o serviço em Munique, peca pelo valor ser ao minuto em vez de haver um calculo de acordo com consumos e tempo e peca pelos valores escondidos, facilmente se não tivermos cuidado ou apanharmos trânsito vai ficar mais caro que apanhar um uber, não se pode comparar com uber ou taxi pois temos de ser nós a conduzir e não temos condutor, algo útil para quando não se quer conduzir ou não se conhece o sítio onde se está a conduzir, que é o único motivo pelo qual recorreria a este serviço, para andar a passear facilmente fica mais barato aluguer de um carro nas low cost.
        Ah, a opção de carros disponibilizada também é reduzida e temos ou de andar com uma pen com o nosso perfil de condução bmw ou então ajustar tudo manualmente quando chegamos ao carro, devia dar para ir buscar à cloud o nosso perfil.

    • Jorge Carvalho says:

      Drop your car in any public parking space.

      With DriveNow you don’t need to return the car to where you picked it up from. Just drop it off for free in virtually any on-street public parking bay within the business area, such as residents’ bays and pay and display bays. You don’t need to pay and display a parking ticket with DriveNow – we’ve got it covered! There are some restrictions – check out our London parking guidelines.

      Lock the car using the app or your DriveNow customer card and wait a second or two until the light turns green to confirm the end of the rental.

    • Carlos Vitorino says:

      Já andei nestes carros em Hamburgo e lá existe um contrato entre a DriveNow e o equivalente a nossa EMEL para poderes estacionar em todos os lugares sem custos adicionais.

  2. Miguel says:

    1. Register with DriveNow online
    2. Find a car online or via the app
    3. Pick your car up with your DriveNow card and simply drive
    4. Leave the car anywhere you want in the DriveNow zone

  3. Luis says:

    Mais um para se juntar a tantos que já existe.

  4. Pedro says:

    Larga-se o carro onde se quiser, desde que esteja legalmente estacionado, dentro do range de operação da DRIVENOW.
    Se for como em berlim por exemplo, pode-se estacionar em zonas de parquimetro porque a empresa tem um acordo com a EMEL lá do sitio.

  5. Paulo S. says:

    Mais uma dor de cabeça para os taxistas.

    • Louro says:

      Esses ainda nao se conseguiram convencer que os servicos que oferecem já tem os dias contados faz muito tempo.

      • Vlad says:

        Vê lá se um dias os teus serviços também ficam com os dias contados para ver como tu reages.

        • Pintor says:

          Ainda vais a um clube de vídeo levantar filmes para ver?

          • Vlad says:

            E? Isso quer dizer que as preocupações dos trabalhadores e patrões de videoclubes na altura não eram válidas? Próximo comentário idiótico por favor.

            Para não falar que as novas empresas de serviços de substituição de táxis não têm os mesmos requisitos. Os carros não precisam de fazer as inspecções com a mesma regularidade, não precisam das várias licenças, nem de contantes formações durante a sua carreira. Ou seja, a concorrência é desleal.

          • Helder says:

            Agora percebe-se toda essa acidez nos teus comentários noutros posts…

          • Joel Reis says:

            Nem têm acesso às vias exclusivas para transportes públicos, nem a praças, nem a descontos na altura da compra do carro. A avaliação é feita pelo cliente, que tendo liberdade de escolha vão beneficiar o melhor serviço, independentemente desses artifícios que referiu e como bem se sabe não melhoravam muito o serviço prestado pelos táxis.

        • Joel Reis says:

          Se o serviço for ultrapassado, se os clientes não virem valor no mesmo porque não se deve extinguir? Para manter os cargos dos patrões e dos empregados? É assim que funciona a economia de negócio? O que é feito da concorrência? Da evolução?
          A única responsabilidade do que está a acontecer aos taxistas é deles, tinham monopólio do mercado, podiam ter feito o que quisessem, podiam ter evoluído, podiam ter-se adaptado à evolução de mercado, às exigências de mercado, mas escolheram acomodar-se mantendo o mesmo modelo de sempre, gasto, desatualizado, pouco satisfatório para os clientes, tornando fácil a vida para as “Ubers”. Quem manda no mercado são os clientes, o corporativismo e o cartelismo não conseguem aguentar a pressão de mercado indefinidamente.

      • Ricardo says:

        Os dias contados? Não meta os taxistas todos no mesmo saco porque é falta de respeito. Acha que alguem ficaria contente se o seu emprego tivesse os dias contados?só se tiver muitos inimigos…

  6. Antonio Barros says:

    Mudem lá o “chega a Portugal” para vai chegar a Lisboa…. Afinal se só vai estar numa cidade, não faz sentido usar outra forma. E tanto quanto se pode esperar, comparando com as cidades que referem, dificilmente chegará a outras cidade Portuguesas.

  7. joao says:

    Nao e mais barato que um taxi! Pelo menos não em londres, nem em berlin onde ja os conduzi. Muito mais conviniente, mas não mais barato.

  8. Joao says:

    Fiquei na duvida se este serviço é com ou sem conductor.

  9. Rafael Oliveira says:

    eu infiro que vai ser próximo ao ecooltra.

    e acho que será bem vindo sim.

  10. Tiago Sousa says:

    Isto, Uber, cabify, choffeur a cena da via verde…. Loool estão a matar os taxistas lentamente e estes alguma coisa fazem? Não continuam a ser grunhos… Venham mais quero os taxistas extintos… Ainda hoje um quase me batia e ele é que tinha razão.

  11. Tiago Ferreira says:

    Este tipo de serviço não pode ser igualado ao serviço de Táxi, Cabify e Uber, quando este tipo de serviço é um serviço de aluguer de carros e não com motorista que nos leva até ao destino sem que estejamos preocupados com o carro, até porque se o objetivo da Uber e da Cabify é dinamizar e deixar o cliente livre das preocupações do estacionamento, este serviço é totalmente diferente.

    • O cágado na autoestratada says:

      Em qualquer negócio começa por se definir o(s) público(s) alvo.
      A empresa diz que um segmento importante são os turistas. Faz sentido. Até porque já existe em vários países. Assim como muitos estrangeiros “rapam” do Uber quando chegam ao aeroporto porque já estão habituados, também podem estar habituados a este serviço.

      Eu, por acaso, acho que faço parte de outro público alvo. Vivo nos subúrbios e vou para a cidade de comboio. Isto funciona bem no princípio da manhã e ao fim da tarde (tirando ter que ir de pé), mas se precisar de ir a casa à hora de almoço é uma complicação – não há praticamente comboios, perco horas. Um carro alugado ao tempo e não ao km (à hora de almoço não há trânsito) tinha-me dado jeito muitas vezes. Muita gente mora a menos de 15km do seu local de trabalho e pode achar o mesmo.

      Mas o mercado é que determina. Se não tiver mercado fecha. Se tiver é porque é útil a alguém.

  12. Ricardo says:

    Sr. Tiago Sousa, era para ter vergonha de dizer que quer ver os taxistas extintos. Será que noutras profissões não há os bons e os menos bons trabalhadores? Você esquecesse que temos familias para sustentar, onde algumas ainda com bebes que é o meu caso. É pessoas como o sr. que faz com que o nosso pais não saia do buraco.todos têm que funcionar, deixe-se desse tipo de comentários e faça a sua vida.

    • Joel Reis says:

      Se é taxista sabe bem como é a maioria dos seus colegas, se não é o seu caso, “paga o justo pelo pecador”. O sustento das famílias dos taxistas não pode ser usado como desculpa para tirar o sustento às famílias dos seus clientes. Havendo liberdade de escolha, o cliente vai optar pelo melhor serviço, só têm de ser melhores que as “Ubers”, têm mais obrigações legais, mas também têm regalias que os outros não têm. Em último caso, “se não os podes vencer, junta-te a eles”, a família só ficará sem sustento se se acomodar a queixar da pouca sorte, em vez de se adaptar ao mercado.

  13. Az8teiro says:

    Para conduzir um carro conduzo o meu. Vou para onde quiser, quando quiser e garanto que fica mais barato!
    Utilidade = 0. Hipe = 100.

    • Fabio says:

      Pode ser útil em certos casos. Eu uso o car2go, que é basicamente a mesma coisa, e dá-me jeito em certas ocasiões, principalmente quando tenho que apanhar um voo. É muito mais rápido que transportes públicos, mais barato que um taxi e escuso de levar o meu carro para o aeroporto e pagar muito mais em estacionamento.

  14. Hugo says:

    Eu uso drivenow em Copenhaga. A app é impecavel, a grande vantagem é que o estacionamento está incluido e pode-se largar o carro em qualquer sitio na zona de operação. Se tiver menos de 20% de bateria tenho a opção de o deixar a carregar e dão-me 20m de uso automaticamente (aqui só há bmw i3, mas já usei um mini na alemanha).

    E aqui é VASTAMENTE mais barato do que um taxi, estamos a falar de 1/4 a 1/5 do custo.

    • O cágado na autoestratada says:

      Como é o controlo das mossas (não é das moças, essas não têm nada com isso)?
      Não me vêm chatear por causa de uma mossa num carro que conduzi (que podia lá estar, ou não, quando peguei nele)?

      P.S. Ainda hoje estou traumatizado pelo preço que paguei por uma pequena mossa no pára-choques de um carro que aluguei nos Açores. Palpita-me que têm seguro de danos próprios e acordos com as oficinas, mas depois esfolam os clientes. São os preços adicionais que só se fala se (acontecer).

      • Helder says:

        Já te disse à uns dias atrás, tu devias era andar de carroça.

        • Joel Reis says:

          Contigo a puxar?

        • O cágado na autoestrada says:

          A pergunta que coloquei há uma semana atrás faz todo o sentido.

          Se fores ver a tabela de serviços que foi agora acrescentada ao post vês que uma mossa vai custar pelo menos €300. Diz o Hugo, no comentário a seguir, que por mais cerca de €1 se faz um seguro que cobre. Penso que vale a pena.

          Voltando aos Açores e ao carro alugado, se havia esse seguro não me falaram dele. Sei que por uma pequena mossa no pára-lamas paguei à volta de €400. Parte desse valor foi “custo de imobilização do veículo” – supostamente o que a empresa de aluguer não ganhou durante o tempo em que o carro esteve na oficina.

      • Hugo says:

        Ao alugar o carro és suposto inspecionar para ver se há danos (é-te apresentada uma lista de danos pre-existentes). Fora isso, o aluguer inclui seguro que cobre danos a partir de ~300 euros e tens a opção de pagar cerca de ~1€ ao alugar para eliminar por completo essa responsabilidade.

  15. J.Lobo says:

    Já agora, para os taxistas aqui presentes: em Fevereiro deste ano, um colega vosso na Pontinha, bateu no meu carro e aproveitando que eu estava a colocar o triângulo para sinalizar a ocorrência, pirou-se de fininho, sem dar número de apólice, carta de condução, etc, etc.
    Perante isto, e com mais alguns registos de outros vossos colegas, ainda acham que andam nas boas graças da população em geral? Para mim, quantas mais alternativas às vossas atitudes de proxenetas, melhor.

    • Goncalo says:

      Uso com alguma frequência os serviços de Taxi pois os taxistas são amigáveis, simpáticos, com cultura e educação (quase todos). Ah pois, mas isso não é em Portugal, mas na Irlanda. Sempre que vou a Portugal uso comboio, autocarro, metro, mas taxi não sou capaz, os nossos taxistas (a grande maioria) sao uns chulos, animais sem educação, sem respeito por ninguém, e para comprovar isso temos os belos comportamentos deles no fatidico caso do condutor da Uber no aeroporto, o que esses animais fizeram nao tem desculpa.

      • Pedro says:

        Comecei a ler e no início, ou seria um taxista a escrever, ou noutro país…
        Mesmo no trânsito, é raro (mas acontece) os taxistas respeitarem os outros condutores. Claro, cada carro na estrada é menos um potencial cliente (a não ser que avarie).

  16. Albe says:

    Recomendo, Ja utilizei varias vezes , facil para o utilizador, pena nao o ter na minha Cidade Natal.
    Pergunto-me como os Taxistas vao lidar com isto, pois eles acham que sao donos disto tudo……………………..

  17. Goncalo says:

    Nunca usei, mas aqui na Irlanda é um serviço de sucesso com cada vez mais aderentes.

    • Gerardo says:

      Na Irlanda não tens nenhum serviço como este, os que existem tens de voltar a por o carro de onde o tiraste, o que para mim não faz sentido nenhum. Tenho um GoCar à porta de casa, se for por exemplo ao centro para um filme ou restaurante, todo o tempo que o carro ficar parado até voltar para casa tenho de pagar, pelo que me fica mais barato um taxi. Se trouxessem um serviço como este para aqui em que pegas o carro num sitio e deixas noutro (como as Dublin Bikes) eu aderia logo.

  18. Belmiro says:

    Eu acho muito bem que hajam alternativas aos táxis: na maior parte dos países (já viajei por uma boa parte do mundo) os taxistas provaram ser mafiosos onde te (tentam) cobrar muito mais que o que deviam, com taxas inexistentes ou inadequadas ou dando voltas muito mais longas.

    Se tudo isto já deita a credibilidade e confiança dos taxistas, a muito má educação da maioria (pena uma pequena parte levar por tabela porque já encontrei alguns bem simpáticos e justos) não deixa qualquer remorso se um dia forem extinguidos.

    Eu sou super a favor de haver taxistas, mas se eles próprios levam à decadência da sua imagem, então estão a colher o que semearam.

  19. Alex says:

    Como está e nos tempos que correm não me parece muito interessante.
    O preço é semelhante aos taxis/uber, com agravante de não ter condutor e ser menos confortável (é preciso ir à procura de um carro e estacionar num local próprio) e provavelmente de disponibilidade reduzida.
    Os riscos são também maiores, num uber ou taxi, o cliente sabe que não vai ter que pagar por qualquer sujidade que cause ou danos no carro…. Pelo menos se não forem enganados por um taxista :).
    Em Portugal acresce o facto de não sermos os mais civilizados o que não será bom para os promotores da solução.

  20. Antonio Ribeiro says:

    Boa tarde. A minha questão é muito simples, o que é que tem a ver este tipo de serviço com os táxis?
    Infelizmente muitos dos comentários estão relacionados com os táxis / inovação, tecnologias e afins.
    Em termos de comparação, um restaurante de self-service não significa que sou eu vou cozinhar, um restaurante com entregas ao domicílio não significa que sou eu que vou buscar, ou seja, se pedir um táxi não é você vai conduzir. Qualquer tipo de comparação deste tipo de serviço com o táxi é pura…

  21. rlvedder says:

    Voucher NS5CF1KL3583 Podem fazer o registo por apenas 4,99€, em vez dos 10€ e ganham 20 minutos

  22. Miguel says:

    Voucher para não pagar nada e ter 20 minutos:
    NJDWTCENYBZX
    Voucher para 30 minuto a metado do preço (4.99€):
    NXB3Q7MB6XNS

  23. Rodolfo Santos says:

    Voucher para fazer o registo por 4,99€ c/ 20 minutos de oferta: NNH0PS0O3N4H
    Se associarem a Via Verde e tiverem aderido ao Viagens & Vantagens, o DriveNow está a oferecer 60 minutos no mês de Fevereiro.
    É de aproveitar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.