PplWare Mobile

Portugal: Desempregado detido pela PJ por atacar no Facebook


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

40 Respostas

  1. Rui says:

    Qual a importância de ser desempregado???

    • Vítor M. says:

      Como refere a PJ, as investigações continuam mas da prática, poderá fazer sentido perceber como o detido tinha meios de subsistência.

    • Vítor M. says:

      Como refere a PJ, as investigações continuam mas da prática, poderá fazer sentido perceber como o detido tinha meios de subsistência.

      • Ricardo says:

        A informação de ser desempregado é pertinente, mas sim no decorrer da notícia, não no título.
        Isto porque quando lemos o título, ainda não sabemos há quanto tempo os alegados crimes aconteciam, logo a palavra “desempregado” ainda não nos diz nada..

        • Vítor M. says:

          Pode ser importante sim para dar a conhecer um determinado padrão de atividade criminosa que envolve a tecnologia.

          • Bubu says:

            Quando li o titulo fiquei cheio de raiva ao pensar que a PIDE estava de volta e um ex funcionário foi detido por ter atacado verbalmente a empresa ou empregados da mesma.

            Desculpa, mas o titulo é ridiculo… talvez aceitar os comentários em vez de tentar defender em vão o título seria mais produtivo.

      • carlitos says:

        Deviam ter mais cuidado com as noticias e títulos que colocam aqui. Não se esqueçam que isto é uma comunidade de conhecimento tecnológico.
        Da mesma forma que é penalizado quem escreve comentários ofensivos, quem escreve ou coloca um artigo do mesmo tipo também deve ser penalizado. Quando as regras só se aplicam a uns e não a todos, é uma ditadura travestida de democracia, com o chavão de comunitária.

        • Vítor M. says:

          O que dizes não tem qualquer relevância. Até porque é uma notícia pertinente para a temática tecnológica e como tal está aqui. Ter no título, sim é pertinente, pois, como foi referido, há um quadro, há um padrão que se aproveita deste tipo de tecnologias para conseguir a sua subsistência.

          • Ricardo says:

            Portanto, Vítor, dizes que a maior parte dos praticantes dos crimes de pornografia de menores, são desempregados?

          • carlitos says:

            Tem relevância, sim!
            Cuidado com a rigidez mental.
            Fico-me por aqui.

          • Ricardo says:

            Claro que tem, não é isso que está em questão. Mas, na minha opinião, devia apenas ser frisado no decorrer do corpo da notícia, e não no titulo.
            Mas, pelo que percebi da opinião do vitor, a maior parte destes crimes são praticados por desempregados.

          • dqdd says:

            isto não tem nada a ver com substitência…
            pedofilia não é um crime normal. não é como assaltar uma casa ou roubar um banco.

        • Alvega says:

          Boas, Carlitos, tivesse eu visto este post, da parte da tarde, e em dia de sº Martinho ia dizer que não era possível…deveria ser efeito das “águas-pé”.
          Mas deixa que te diga a minha opinião, estás com 100% de razão no que afirmas, e para mim e para outros mais É RELEVANTE, não percas o teu tempo e “latim”, a avisar e chamar a atenção a que não quer ser IMPORTUNADO, ainda que a razão te assista e possa ser RELEVANTE, claro que tu, eu e muitos mais, que contrariam o “efeito Manada” já igualmente ouvimos algo sobre o tema “Clickbait”, que é igualmente RELEVANTE e PROVEITOSO.

    • Pedro Pinto says:

      Não tem qualquer importância. Pode ser desempregado, engenheiro, padeiro, taxistas…

      • carlitos says:

        Pedro e Vitor, não tem importância para vocês, mas tem para os outros que leem!
        Na hora que ficarem desempregados vão entender!
        “E da forma que julgares serás julgado.”

        Vejam se percebem, quem vos dá trabalho somos nós!
        Aconselho a pararem de ser meninos mimados, arrogantes, e a refletirem!

        • Vítor M. says:

          Carlitos, tu assumiste que todos os desempregados são criminosos, as tuas palavras são estranhas e erradas. É terrível o que dizes. Isso é completamente descabido.

          Estás a ser arrogante, até porque se não estiveres de acordo, podes sempre não concordar? E com toda a educação foi-te explicado que tem relevância e lá por tu não achares, não podes querer fazer valer a tua opinião. É respeitada, mas não é a que temos e ponto. Reflete lá.

          • CP says:

            Claro que tem relevância, embora não queira dizer que todos os desempregados pratiquem crimes. Quanto ao resto, não perca tempo a dar mais explicações.

        • dqdd says:

          tu és doente carlitos

        • Paulo says:

          Carlitos, não tomas os medicamentos e depois saem comentários sem nexo. Volta lá a tomar que vais andar melhor.

    • David Guerreiro says:

      É para dar imagem de que é um bandido. Quando há uma violação também gostam muito de meter trolha, desempregado… Se for um doutor qualquer a notícia tem apenas “homem violou”.

    • Carimbo Tochas says:

      Concordo, relevância ZERO.

  2. Jhonathan says:

    Tens usn doidos que fazem a pergunta, e ele mesmo responde! hahaha…
    Bipolar a 100%….

  3. Paulo says:

    A palavra desempregado era desnecessária, pois não é uma questão de estar empregado ou desempregado para se cometer um crime. Qualquer dia a palavra desempregado é igual a ser criminoso (já não basta a pessoa estar aflita sem trabalho e ainda ter na consciência a conotação negativa de ser criminoso).

    • David Guerreiro says:

      Em Portugal tenta-se conotar. Uma vez fui identificado pela PSP, faz muitos anos, e quando me perguntaram a ocupação e indiquei estar desempregado, fizeram logo cara feia, como se isso automaticamente fosse fazer alguém culpado de algo.

      • Vítor M. says:

        Não, tem mais a ver com outros padrões de atuação, de como certos meios de subsistência são conseguidos. Em vários padrões (em vários crimes deste tipo que vemos online) podes perguntar “se não trabalhava, como tinha dinheiro corrente?” Haveria outras práticas envolvidas? Haverá extorsão? Haverá chantagem? Há padrões.

        Agora, querer meter neste saco o significado de desempregado,, apagando todos os factos juntos a esse fator… é desonesto 😉 e não devemos fraturar o termo do resto neste caso especifico.

  4. Luís Nevada says:

    O interessante nesta noticia é que fui verificar no site da PJ e não consta que seja desempregado, mas alguém sem profissão definida. Há que ser rigoroso a dar as noticias e não ser preconceituoso em relação aos desempregados.

    • Danny says:

      100% razão. Nem tinha ido ver o site da PJ. Isto é que foi modificar a noticia…lol

    • Vítor M. says:

      Mas há mais informações que não são só via site 😉

      • carlitos says:

        Vitor, a noticia diz “sem profissão definida” não diz desempregado!
        Isto foi uma invenção tua maldosa! A pessoa pode estar desempregada e ter uma profissão definida, como estar a trabalhar e não ter profissão definida.
        O grave, é manipular noticias, para encher patrões gordos capitalistas, até o dia em que eles te derem um chuto no traseiro…

        Abram os olhos!

        • Vítor M. says:

          Acho que está a personificar (estás a levar a peito) o caso “para encher patrões gordos capitalistas, até o dia em que eles te derem um chuto no traseiro…” não estamos a falar de nenhum caso em particular, noto que te está a tocar. Mas não é nada disso.

          É apenas uma notícia de alguém que cometeu um crime e, na sua posição de desempregado, possivelmente com mais tempo e com acesso a meios de subsistência duvidosos, está a braços com a lei. Depois, há mais fontes que temos acesso que os sites da judiciária. Vá, bom resto de domingo.

  5. juiz carlos alexandre says:

    chamou-me atenção o desempregado

    • Pedro Pinto says:

      Boa! Espero que tenhas lido o resto da noticia

    • Paulo says:

      Portugal está podre… Muito por culpa do nosso sistema!

      Um País sem Justiça não vai a lado nenhum…

      • Paulo2 says:

        Dá o teu contributo, pelo teu nível de exigência para os outros seguramente que vais melhorar, e muito, a nossa justiça.
        Os críticos que temos aqui devem ser os supra-sumo no ensino, no trabalho, nas relações interpessoais, no que escrevem, etc. Ainda bem que consulto este site porque assim posso ler comentários e opiniões das melhores pessoas que o nosso país tem. Vou ficar à espera, sentado no sofá, para ver os vossos contributos para Portugal ser grandioso.

        • Hugo says:

          Tal e qual. Ver os comentários destas “virgens ofendidas” e saber que supostamente até são pessoas minimamente informadas e/ou interessadas faz-me acreditar que o futuro da sociedade não será muito promissor.

  6. Bruh says:

    Podiam ter posto o título como “Pedófilo detido pela PJ por atacar no Facebook”. No entanto, estamos em Portugal, em pleno ano 2018. Não seria muito descabido acabarem com um processo em cima por chamarem os bois pelos nomes. Meh.

  7. toni da adega says:

    Por acaso o título faz sentido se não fosse desempregado podia comprar um iPhone. Assim tinha todo o conteúdo /fotos protegidas e a esta altura estava a salvo porque já não lhe podiam violar a sua privacidade ao apreender o equipamento

  8. Vasco says:

    “Ó era um desempregado, está-se mesmo a ver.!” O título traduz, ainda que eventualmente sem intenção, uma conotação negativa. Não existe nenhuma relação causal entre o crime eventualmente cometido e que será julgado em sede própria e a condição de desemprego. Para quê associar um estado que é tão terrível para quem passa por ele com um crime no título? Talvez fizesse sentido, tal como o local de residência, etc, no corpo da notícia mas nunca em título.

  9. CMatomic says:

    “Portugal: Desempregado detido pela PJ por atacar no Facebook”
    Existe muitas razões para estar desempregado, ser desempregado não igual a ser criminoso , há tanto empregado que comete crimes , e nunca vi um titulo a dizer , empregado detido .

  10. Maria says:

    Não sei para que tanta conversa parece que os comentários das pessoas ofendidas no que dá para entender um bom português acho que vocês estão com Peninha do safado . Que interessa se colocaram desempregado ou empregado ou seja lá o que for . Mas o humano cada dia tá pior misericórdia quanta ignorância !! Vão fazer alguma coisa de útil vão pelo amor de Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.