PplWare Mobile

Portugal: Agentes da PSP, juristas e advogados “apagavam multas”


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Modem says:

    Advogados envolvidos em esquemas e ilegalidades? Deve ser deve, seria uma primeira…

    • NoWay says:

      De facto nem todos são maus da fita…mas concordo com a sua opinião…geralmente é uma actividade que por si só, já é de desconfiar por natureza. E basta ver os nossos governantes/deputados…a maioria são advogados…está tudo dito…muita conversa e pouca acção.

    • Router says:

      E os advogados representam quem? Agem em nome de quem? Clientes. Clientes, estás a ver, pessoas comuns, assim como tu e eu, mas que têm interesses nesses esquemas e ilegalidades. Pessoas que vão ter com o advogado e pedem assim: “Ó doutor, livre-me lá disto, ajude-me a descalçar esta bota”.
      É sempre o mesmo lero-lero a respeito dos advogados, como se vivêssemos numa sociedade onde as pessoas são todas santas, só os advogados é que não, mas esquecem-se que os advogados raramente actuam por sua única e exclusiva iniciativa, eles trabalham para alguém.

      • Iz Edaman says:

        É verdade que trabalham para alguém mas e a ética? Se lhe pedirem para matar também matam? Vá…como são advogados contratam alguém que conhece alguém, que conhece alguém…… Uma ilegalidade é uma ilegalidade!

  2. Pedro says:

    Cá para mim por cada 999 de 1000 Portugueses, são Corruptos. Já é um estado social a pratica de ilegalidades…

  3. José lopes says:

    Agentes da PSP não, são civis que trabalham na PSP, denominados técnicos administrativos….
    Os policias também são presos de vez em quando, mas não foi o caso…

  4. censo says:

    Reflexos do chicoespertismo nacional. Pior que esta gente toda so mesmo os que recorrem e pagam, fomentando estes expedientes sem moral.

  5. int3 says:

    Mais culpado é quem pagou para apagar a multa. Enfim. Sem procura não há oferta.

  6. Vasco says:

    Isto cada vez mais será complicado, nós população, confiar-mos nas forças da autoridade e na justiça.

    Só corrupção, só esquemas, só falsidade, só pseudo-amizades de interesses…

    Estamos lixados nós população porque os grandes safam-se sempre…

  7. Ze says:

    Com a facilidade que é possível tirar multas de forma legal, não vejo o motivo para irem por esta via.

  8. Jorge says:

    é surpresa?
    onde há poder há currupçao !!

    • Ze says:

      Não tem nada a ver com isso, tem tudo a ver com recrutamento, audit trail e remuneração. Se os três fossem ajustados a cada posição a corrupção descia em 99%.

  9. Miguel Marques says:

    só um à parte Pedro “a PSP realizou hoje buscar no Instituto” ou Buscas no instituto?

  10. Paulo Santos says:

    já agora podem acrescentar que o IMT anda a exigir um documento com efeitos retroactivos (cerca de €32,00) para quem tirou licença de TCC (Transporte Colectivo de Crianças), ficando com os cartões, que essa licença dá, reféns desse mesmo pagamento.
    A empresa que me forneceu o curso (penso que serão mais) argumentou a inconstitucionalidade desse pagamento, mas nem assim o IMT recuou.
    A desenvolver…

  11. Woot! says:

    A partir do momento em que vi pessoas a pagar a passagem do código em pleno exame de condução acredito em tudo.

  12. Iz Edaman says:

    E isto é que o “escapa”, muito mais se passa que nem temos noção!! Até porque nem interessa! Venha rápido mais um jogo de futebol!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.