Quantcast
PplWare Mobile

Paga muito na sua fatura de energia? Veja estas 4 dicas

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. KodiakShadows says:

    São bons frigoríficos, robustos, bons materiais. Eu comprei o modelo RB395N4WF1 , para susbstituir o meu antigo já com 12 anos e estou satisfeito com a compra, mesmo sendo um Class A+ com tecnologia super frost , boas specs no que toca a regular as temperaturas e estas situadas na porta assim como o dispenser de agua são um must.

  2. Nuno says:

    “Paga muita da sua fatura de energia?”

    – Não pago muita, tenho de a pagar toda!

  3. David Guerreiro says:

    Paga-se muito de electricidade, porque temos a mais cara Europa, aí está o problema.

    • OS says:

      Alem do Mais paga-se 23% de IVA que é um absurdo quando foi para aumentar não foi preciso a UE autorizar, agora a conversa é outra.
      Tenho tudo classe A+ e A++ e pago mais ou menos 80€ uso placa vitro de indução e Cilindro somos Dois no fim de mês é quase sempre isto damos contagem mandam sempre Estimativa tristes (Des)governos que nada fiscalizam
      Pais de Palhaços

      • Peace says:

        Eu estou a pagar cerca de 90 a 100€ neste inverno com 6 ar condicionados. Somos 4 cá em casa, 2 em teletrabalho. Dou as leitura, e pago sobre as leituras que dou. Se calhar tens de mudar de comercializador.

      • k says:

        +/- o mesmo que tu. 2 pessoas, apartamento pequeno, cilindro, tudo de classe A para cima, mais ou menos 80€/mês.
        Electricidade, um bem obviamente essencial, a 23% é ridículo.

        País de palhaços.

      • MR says:

        É muito estranho estarem a ignorar as contagens.
        Provavelmente assumem a contagem no dia que a envia, e fazem a estimativa para o resto dos dias que faltam para terminar a data da fatura.

      • KodiakShadows says:

        80 euros por mês? Muito pouco, mais do que isso pago eu na Escócia e com tudo A+ e A++ e fogão vidro-ceramico, e Aquecimento central, desumidificador, etc- A única vantagem é que consumo energia 100% verde todo o ano. Em Portugal queixam-se muito e dizem sempre que pagam mais que nos outros países.

        • Paulomp says:

          80 por mês pode ser pouco ou muito, depende de muitas variáveis, mas é normal que na Escócia pagues mais, também recebes mais. Além de que é um estilo de vida muito diferente entre Portugal para a Escócia, descontos e isso tudo…
          É injusto comparar certas coisas.

        • AqueleAmigo says:

          @KodiakShows

          Atenção que não estás a adaptar os impostos e o sálarios médios nacionais. 80€ para ti que vives na Escócia é pouco, mas aqui é bem mais devido aos pontos que referi.

        • MR says:

          Com se sabe se a energia é verde ou azul, ou de outra cor qualquer?
          Não dá para ver a cor dos eletrões!
          Por aqui, sempre que há um projeto para potenciar a criação de energias renováveis, os ambientalistas vê logo com o argumento de que estraga o ambiente.
          Se é uma barragem, estraga umas quantas espécies na zona que vai ser inundada, se é eólica, estraga a paisagem, se é fotovoltaica, estão a ocupar terrenos, etc….
          É verdade que não há uma solução ideal, e há sempre custos ambientais, mas não podemos estar sempre do contra.

      • PR says:

        Pagávamos 6%, mas o último governo PSD/CDS entendeu que a energia elétrica não é um bem de primeira necessidade e subiu o IVA para 23%.
        É fácil fazer contas, desconta 17% ao valor final.

      • António Guerreiro says:

        +1

    • AqueleAmigo says:

      +1

      23% é um completo absurdo

  4. Joao Ptt says:

    A empresa em vez de andar a gastar dinheiro em patrocínios aos inúteis da UEFA, poderiam ajudar os clientes a poupar dinheiro de formas mais substanciais, como garantias completas alargadas de 20 anos para os seus equipamentos (com recolha, reparação e entrega gratuita incluída). Isso sim, seria investir o dinheiro de forma útil para ambas as partes envolvidas (fabricante & cliente final).

    Compreendo, é uma empresa chinesa, nem sequer posso sonhar com uma tal coisa.

  5. falcaobranco says:

    Uma boa maneira de poupar alguma electricidade…certamente alguns sabem, outros não… é desligar os aparelhos mesmo da ficha, aqueles que não se usa… carregadores de telemovel, micro ondas, cafeteiras…

    • Alexp says:

      So o trabalho

    • Peace says:

      Cá em casa esses consumos são extremamente residuais, bem como o seu valor no total da fatura.

    • rjSampaio says:

      Faz as contas de quanto isso poupa, depois descobre que é menos de 5€ por ano.

      • AqueleAmigo says:

        Não sei quanto a ti, mas eu prefiro ter mais 5€ no bolso que não ter.

        Além do mais, existe a questão ecológica que aqui poucas pessoas se preocupam em abordar. Seja muito ou pouco, é existente.

        • rjSampaio says:

          agora tens de fazer as contas do trabalho que da poupares esses 5€ e garanto que o tempo perdido equivale muito mais do que 5 ou 50€

          Quanto a pegada, existem coisas mais logicas que outras, nao deixar a luz ligada quando não é necessário é uma coisa, mas desligar estes aparelho é totalmente irrelevante.

          E quando digo irrelevante é porque se todos no planeta o fizessem, o impacto era menor do que uma única empresa grande adotase politicas ecológicas.

          Ajuda? sim ajuda, mas é totalmente irrisório, já trabalhem em gestao tecnica de edifícios, hospitais/armazéns/hotéis/supermercados/etc tive clientes que depois de se aplicar algum controlo automático a iluminação e hvac, a poupança anual era 10 a 30%.

          Outra, consumo de agua, porque também já trabalhei na area (estive sempre ligada em automação).
          Se todos em portugal deixarem uma torneira a correr (nao digo a pingar, digo a correr) durante 1 anos, deves desperdiçar mais agua que as perdas que os SMAS/SMA/camaras perdem num mês/semana.

          A malta têm a ideia errada que cada um de nos deve e pode salvar o mundo, mas existem diminish returns que cada um de nos não passa.
          O que cada um de nós deve fazer é obrigar os nossos patrões/estado a abrir os olhos para estas causas.

          A reciclagem do plástico já foi analisada vezes sem conta,”não funciona” o que é preciso é o que se esta a fazer nos últimos 1~2 anos, proibir o uso de plásticos de uso único.

  6. André Silva says:

    Em casa “apenas” troquei a máquina de lavar roupa, frigorifico e arca por equipamentos mais eficientes, e imagine-se a conta da luz baixou uma media de 10-15€ por mes. se antes pagava 60-65€, baixou para 40-45€.
    Não, não é publicidade, o zé tuga é que acha que o frigorifico que comprou á 20 anos atrás ainda está muito bom.
    Caso prático: a minha arca frigorifica consumia 3kwh por dia, 90kwh ao fim do mes, quase 45% do meu consumo médio mensal

    • MR says:

      As arcas e os frigoríficos são efetivamente uma armadilha, pois vão perdendo a eficiência e nem damos conta que passam a estar a trabalhar muitas horas por dia.
      Se verificarmos os consumos anunciados, andam muitas vezes em valores entre 200 e 400 KWh/ano(dependendo do tamanho e da eficiência), o que corresponde a aproximadamente 1 KWh/dia.
      Esse em fim de vida já estava a consumir o triplo.

      • Andre silva says:

        Sem dúvida. Felizmente tivemos a possibilidade financeira de trocar por eletrodomesticos mais eficientes, mas enquanto não tivémos, usámos uma arca mais pequena, mas ainda assim velha, que decresceu o consumo para +- 1,5kwh / dia. Agora deve rondar 0,8kwh a 1,2 kwh.

  7. Ricardo B. says:

    Duma outra perspectiva, no site payper.pt dá para submeter as faturas da luz e depois duma análise das mesmas, são sugeridos diferentes comercializadores de eletricidade, com a respectiva poupança média.

    • Peace says:

      grande site, foi o que me levou a mudar de comercializador, e não estou arrependido. Cagu** nos grandes que prometiam descontos de 2% e fui para um pequeno comercializador do qual nunca tinha ouvido falar, mas que consegue fazer preços mais baixos por ter uma estrutura de custos mais baixo. Sim, pq os ordenados milionários e as viaturas de sevriço da EDP são pagas pelos clientes.

    • TrasMontano says:

      Acabei de submeter uma factura no site payper.pt e quando recebo o email a confirmar que a factura foi processada e para consultar a minha conta para mais detalhes, recebo uma alerta do Malwarebytes:
      Website blocked due to phishing
      Website blocked: post.spmailtechn.com
      Malwarebytes Browser Guard blocked this website because it may contain malware activity.
      We strongly recommend you do not continue.

      Mais alguém recebeu este tipo de aviso?

  8. Carbonato de Sódio says:

    Nem toda a gente tem possibilidade de comprar electrodomésticos novos, e naturalmente numa situação dessas tem de se procurar uma solução de equilíbrio. Ao fim de quantos anos é que o custo de aquisição de um electrodoméstico, um frigorífico por exemplo, vai ser compensado pelo que se poupou em despesa com o consumo de energia associado? Claro que cada caso é um caso, depende de quanto consome o antigo e de quanto custa o novo.
    Mas existe um procedimento ao alcance de todos que, independentemente da idade e da eficiência energética de cada aparelho, ajuda a cortar nas despesas sem ter necessariamente que contribuir para patrocínios a eventos desportivos: com pouco dinheiro podem comprar-se (há praticamente em todos os supermercados) tomadas múltiplas com interruptor que servirão para desligar completamente equipamentos fora do período de utilização, evitando assim os consumos em stand-by. Uma solução mais refinada mas ainda acessível (pensando nos mais “preguiçosos”) seria um programador electromecânico (um daqueles relógios onde se definem os tempos de operação através de pequenas linguetas plásticas) programado para as alturas previsíveis de utilização; estes dispositivos têm um interruptor de bypass que permite ligar a energia a qualquer momento em caso de necessidade.
    Por último e não menos importante, ter o cuidado de não deixar a iluminação ou qualquer outra coisa ligada só para não ter o trabalho de desligar ou por mero esquecimento.
    Votos de Boas Festas para tod@s.

    • MR says:

      Só um pequeno pormenor, é que esses aparelhos também consomem energia.
      As tomadas que refere para evitar os standby, não faço ideia, mas os programadores mecânicos, gastam mais do que muitos standby’s.
      Usei o próprio contador de eletricidade para medir (alguns contadores digitais têm um menu que permite verificar o consumo instantâneo), mas a precisão é de apenas 10w.
      Sendo assim, liguei 3 programadores, e o verifiquei que o consumo aumentou nesses mesmos 10w (pode ter sido um pouco mais ou um pouco menos, pois esta é a escala mínima).
      Assim, fazendo as contas de merceeiro, assumindo um consumo de 3w por cada programador temos:
      3 * 24 * 365 = 26 kwh/ano.
      se a eletricidade depois de impostos for 0,20€, temos um consumo anual por cada programador de 5€.
      Resumindo, andes de usarmos seja o que for para tentar poupar energia, devemos informatizar-nos qual o consumo desse mesmo aparelho.

      • MR says:

        As tomadas que referi anteriormente que não sabia o consumo, eram aquelas com uma tomada master e várias slave que se desligam quando o aparelho ligado na tomada master deixa de consumir ou passa para um consumo muito baixo.
        Se forem aquelas simples com um interruptor, o consumo é praticamente 0 (é apenas aquela luz vermelha, e até poderia testar, mas mas não sei se 100 tomadas chegariam para atingir os 10w, por isso, alguém que faça o teste, que coloque aqui o resultado)

    • Andre silva says:

      Sem margem para dúvidas! Como referi no comentario anterior. Enquanto não pude comprar uma arca nova, passei para uma mais pequena. O retorno vai ao nivel de utilização, posso dizer que a máquina de lavar roupa amortizou-se em 2-3 anos, tendo em conta o nivel de uso.
      A arca amortizou-se também no mesmo prazo. Claro que tudo isto aproveitando promoções, compras em conjunto.
      Já nem falo da box do meo que consome quase 80W e a meo não me troca porque ela funciona!

  9. Pedro Vieira says:

    Não é suposto este tipo de “artigos” serem devidamente identificados como publicidade/patrocinados? Onde está essa referência?

  10. Conchita says:

    A PUBLICIDADE disfarçada em artigo de imprensa tem que estar convenientemente IDENTIFICADA…

  11. Conchita says:

    Parecer

    1. Os jornalistas não devem prestar qualquer colaboração às rubricas de suposta «informação comercial» se não lhe forem facultados os meios de investigação da veracidade do que se publique ou, não sendo materialmente possível proceder a essa investigação, se não lhes for concedido o direito a incorporar, no trabalho noticioso, os elementos de rigor e exactidão que responsabilizem directamente a fonte das informações prestadas.

    2. Para além de ser dever do jornalista recusar tais tarefas, ninguém pode usar do seu poder ou da sua posição para propor ou sequer sugerir ao jornalista que participe num acto publicitário disfarçado de informação. Quem o fizer, sendo jornalista, comete uma grave violação à ética e incorre em incompatibilidade prevista por lei e, não sendo jornalista, poderá ter de responder criminalmente por essa abusiva intromissão na área redactorial.

    https://jornalistas.eu/fronteiras-entre-informacao-e-publicidade/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.